Numa casa histórica da parte velha da cidade da Praia, capital de Cabo Verde, está instalado o Museu Etnográfico, onde se guarda e exibe a memória do povo caboverdiano, através da mostra de objectos antigos, que fazem, ou já fizeram, parte do quotidiano.

Museu EtnográficoAssim se preservam as tradições, deixando-as registadas para a posteridade. Cabo Verde desenvolve-se e muitas das formas de vida de outros tempos são substituídas pelas que a modernidade vai impondo. A tendência é pois para que muitos dos vestígios da vida antiga se percam, e é necessário preservá-los. Esse é precisamente o grande papel desde bem organizado museu africano.
Os expositores de madeira e vidro guardam os objectos, que são sempre acompanhados por placas informativas que contêm pequenos textos em Português, Crioulo e Inglês.
Na secção dedicada à olaria estão os recipientes de barro, que para quase tudo tinham uso, destacando-se a importante função da guarda dos alimentos. Há potes de diferentes tamanhos, moringos (espécie de bilhas para a água), botijas, garrafões, vasos, fogareiros, bindes (próprios para o fabrico do célebre cuzcuz), panelas e lavadouros (bacias para a higiene pessoal).
Outra secção é a panaria, onde se exibe o «pano di terra», que é uma larga faixa de tecido, resultando da união de seis bandas, com padrões tradicionais, com prevalência para as cores branco e negro. E o «pano di terra» tinha variados usos: vestimenta, adorno, transporte de crianças no dorso, e até mortalha.
Há depois a cestaria, onde se impõe o balaio, que é um cesto sem asas usado para as mulheres transportarem à cabeça, ou também para servir de peneira. Também ali temos a Cancarã, espécie de esteira para suporte do colchão.
Na moagem evidenciam-se os recipientes feitos de troncos de árvores escavados onde, com os pilões de pau, se triturava o café, o milho e outros cereais.
Na cave do edifício colocam-se outros objectos como as peças da mobília da casa tradicional caboverdiana, havendo a recriação de uma cozinha com os seus utensílios, os quartos de dormir e as pequenas casas onde se guardavam os animais.
Uma exposição muito expressiva das formas de vida tradicionais de um povo que entrou na senda da modernidade, substituindo os objectos antigos pelos que resultam do uso das matérias da actualidade. Porém é assim que se preserva e se oferece ao futuro a memória.
plb

Anúncios