You are currently browsing the category archive for the ‘Mêda’ category.

O chefe de gabinete da presidência da Câmara Municipal do Sabugal, Vítor Proença, representou por delegação de poderes o presidente do município, António Robalo, numa reunião do Conselho Executivo da Comunidade Intermunicipal das Beiras (Comurbeiras). O presidente da Comissão Política Concelhia do Sabugal, Nuno Teixeira, assinou uma declaração política onde considerou que a situação foi ilegal e causou embaraços aos restantes membros da Comurbeiras.

Reproduzimos, de seguida, a tomada de posição do presidente da Comissão Política Concelhia do Sabugal:

Partido Socialista - Sabugal«Declaração política da Concelhia do Partido Socialista do Sabugal

Votação ilegal do Chefe de Gabinete da Câmara Municipal do Sabugal obriga anulação de Votação.

Realizou-se ontem, dia 29 de Novembro, uma sessão ordinária da Assembleia Intermunicipal da Comurbeiras, Comunidade Intermunicipal (CIM) das Beiras.
Após ter sido entregue aos Deputados Intermunicipais, a minuta da ata número 06/2012, da reunião do Conselho Executivo desta mesma Comunidade, realizada no dia 20 do corrente mês, constatou-se que o Presidente da Câmara Municipal do Sabugal, não esteve presente, tendo delegado competências no seu Chefe de Gabinete que representou o nosso Município.
O excerto da ata que comprova esse fato: “Município de Sabugal, representado pelo Chefe de Gabinete do Presidente da Câmara, Victor Manuel Dias Proença, que apresentou declaração, que se anexa, subscrita pelo Senhor Presidente do Município do Sabugal, António dos Santos Robalo, pela qual lhe confere plenos poderes de voto.”
Uma vez mais, o Senhor Presidente da Câmara demonstrou falta de rigor e de alguns conhecimentos para desempenhar o cargo para o qual foi eleito, assim como o seu Chefe de Gabinete provou não estar à altura do cargo para o qual foi nomeado. Ocupando o Chefe de Gabinete um cargo de nomeação e não um cargo de eleição, esta votação é ilegal, mesmo que o Senhor Presidente da Câmara lhe tenha delegado por escrito poderes para tal.
A responsabilidade e a obrigação de responder legalmente e estatutariamente (conhecimento da lei e dos estatutos e regulamentos destes Organismos) seria o mínimo a esperar da prestação do Senhor Presidente da Câmara e restante equipa da Presidência.
Este episódio, levou à anulação de todas as votações no âmbito da “Reforma Administrativa do Território” realizadas nessa reunião e ao embaraço de todos os presentes. O Sabugal foi desta feita falado pelas piores razões e questionamo-nos se esta situação não terá já acontecido outras vezes.
Esta situação lamentável, colocou em causa a “nossa” credibilidade e seria expectável da parte do Senhor Presidente da Câmara Municipal do Sabugal, tomar as devidas medidas para minimizar/remediar/corrigir a situação perante os Deputados Intermunicipais, o Conselho Executivo da Comurbeiras CIM e todos os Sabugalenses.
O Presidente da Comissão Política Concelhia do Sabugal
Nuno Alexandre Sanches Teixeira»

:: ::
O Capeia Arraiana aproveita:
…para publicar os nomes dos membros da Assembleia Intermunicipal.
Aqui.

…e para reproduzir o n.º 1, do artigo 19.º (natureza e composição) dos estatutos da Comurbeiras: «1 — O Conselho Executivo é o órgão de direcção da Comunidade Intermunicipal e é constituído pelos Presidentes das Câmaras Municipais de cada um dos municípios integrantes, os quais elegem, de entre si, um Presidente e dois Vice-Presidentes.»
jcl

Anúncios

No passado dia 25, no Complexo das Piscinas Municipais e à semelhança dos anos anteriores, o Município juntamente com a Empresa Municipal Nova Mêda EMM, celebraram a quadra dos Santos Populares com a realização de um convívio para a população com idade superior a 60 anos.

Sendo esta uma quadra festiva que todos os portugueses, quer sejam novos ou idosos gostam muito de comemorar, dedicada aos três Santos Populares, Santo António, São João e São Pedro, esta atividade teve uma grande aceitação, e contou a presença de cerca de 300 «convivas».
O encontro teve início pelas 10H30 com a chegada dos idosos ao complexo, onde foram devidamente acompanhados aos seus lugares para assistir à missa campal que teria inicia por volta das 11H00 na qual também marcou presença o Executivo Municipal. De seguida os presentes conviveram no almoço convívio onde não poderiam faltar a sardinha assada e o caldo verde tão típicos desta quadra. No final do almoço teve lugar à atribuição dos prémios para o melhor manjerico.
A parte de tarde foi reservada à animação musical, onde os utentes do Lar da Santa Casa da Misericórdia presentearam os presentes com a realização de uma pequena marcha popular.
Para o Executivo a realização deste tipo de atividades revela-se de extrema importância, pois ajudam a população mais envelhecida do concelho a viver de forma mais digna e animada.
plb (com CM Mêda)

Irá ter lugar, no próximo fim-de-semana, entre os dias 21 a 22 de abril, a segunda edição do Encontro de Associações do Concelho de Meda, iniciativa da Câmara Municipal, das Casas do Benfica e do Porto e do Núcleo Sportinguista de Mêda.

O evento integra actividades desportivas, palestras, jogos tradicionais, concurso de pesca, passeio de motorizada, provas de perícias automóveis e espectáculos musicais.
As iniciativas das Associações do concelho merecem o apoio da Câmara Municipal de Mêda e são incentivadas pela Autarquia através de uma cooperação estreita e sólida. A Autarquia tem apostado numa política de parceria e de incentivo ao Movimento Associativo, através da atribuição de diferentes apoios logísticos e financeiros, valorizando sempre o papel fundamental do associativismo, pelo que a organização desta actividade se insere nesta lógica de pensamento.

PROGRAMA
Sábado (dia 21):
10:00 – Torneio de Futebol de 7 (Estádio Dr. Augusto César de Carvalho)
14:00 – Abertura Oficial do II Encontro das Associações do Concelho de Mêda (Nave de Exposições do Mercado Municipal)
14:15 – Palestra «Segurança na 3.ª Idade» (Nave de Exposições do Mercado Municipal)
15:15 – Jogos Tradicionais (Recinto das antigas Escolas Primárias)
17:30 – Final do Torneio de Futebol de 7 (Estádio Dr. Augusto César de Carvalho)
22:00 – Grupo de Cantares «O Sincelo» (Nave de Exposições do Mercado Municipal)
Domingo (dia 22)
07:00 – Início do Concurso de Pesca à Truta (Barragem de Ranhados)
09:00 – Passeio de Motas 50cc (Concentração – Nave de Exposições do Mercado Municipal)
10:30 -Início Oficial da I Prova de Perícia Automóvel Cidade de Mêda (Parque de estacionamento do Centro Escolar do 1.º CEB de Mêda)
14:00 – Abertura do recinto do II Encontro das Associações do Concelho de Mêda (Nave de Exposições do Mercado Municipal)
14:30 – I Prova de Perícia Automóvel Cidade de Mêda – prova cronometrada (Parque de estacionamento do Centro Escolar do 1.º CEB de Mêda)
21:30 – Grupo Musical MC (Nave de Exposições do Mercado Municipal)
plb (com CM Mêda)

O Documento Verde da Reforma da Administração Local, apresentado pelo primeiro-ministro Pedro Passos Coelho, estabelece critérios para a redução de juntas de freguesias que, aplicadas ao distrito da Guarda fazem com que desapareçam 212 freguesias, num total de 336. No concelho do Sabugal desaparecerão 20 freguesias.

O documento, que tem por epígrafe «Uma Reforma de Gestão, uma Reforma de Território e uma Reforma Política», define uma metodologia baseada em critérios orientadores (demográficos e geográficos) que deverão presidir à nova organização autárquica.
Da aplicabilidade desses critérios orientadores elaborou-se um mapa que aponta para a agregação ou fusão de muitas freguesias, que, no caso do distrito da Guarda, se eleva a 212.
Vejamos as freguesias que vão desaparecer em cada concelho se a reforma autárquica avançar nos exactos termos em que está definida no Documento Verde.
Sabugal (desaparecem 20 freguesias, num total de 40): Águas Belas, Aldeia da Ribeira, Badamalos, Baraçal, Forcalhos, Lomba, Moita, Nave, Penalobo, Pousafoles do Bispo, Rapoula do Côa, Rendo, Ruivós, Ruvina, Seixo do Côa, Vale das Éguas, Valongo, Vila Boa, Vila do Touro. Vilar Maior.
Aguiar da Beira (sete freguesias, num total de 13): Eirado, Forninhos, Gradiz, Pinheiro, Sequeiros, Souto de Aguiar da Beira, Valverde.
Almeida (23 freguesias, num total de 29): Ade, Aldeia Nova, Azinhal, Cabreira, Castelo Bom, Castelo Mendo, Freixo, Junca, Leomil, Malpartida, Mesquitela, Mido, Monte Perobolço, Naves, Parada, Peva, Porto de Ovelha, São Pedro de Rio Seco, Senouras, Vale de Coelha, Vale da Mula, Vale Verde, Vilar Formoso.
Celorico da Beira (15 freguesias, num total de 22): Baraçal, Cadafaz, Carrapichana, Cortiçô da Serra, Lajeosa do Mondego, Linhares, Maçal do Chão, Mesquitela, Minhocal, Prados, Rapa, Salgueirais, Velosa, Vide Entre Vinhas, Vila Boa do Mondego.
Figueira de Castelo Rodrigo (12 freguesias, num total de 17): Algodres, Almofala, Cinco Vilas, Colmeal, Escarigo, Freixeda do Torrão, Penha de Águia, Quintã de Pêro Martins, Vale de Afonsinho, Vermiosa, Vilar de Amargo, Vilar Torpim.
Fornos de Algodres (11 freguesias, num total de 16): Cortiço, Fuinhas, Juncais, Maceira, Matança, Muxagata, Queiriz, Sobral Pichorro, Vila Chã, Vila Ruiva, Vila Soeiro do Chão.
Gouveia (cinco freguesias, num total de 22): Figueiró da Serra, Freixo da Serra, Mangualde da Serra, Vila Cortês da Serra, Vila Franca da Serra.
Guarda (39 freguesias, num total de 55): Adão, Albardo, Aldeia do Bispo, Aldeia Viçosa, Alvendre, Avelãs de Ambom, Avelãs da Ribeira, Benespera, Carvalhal Meão, Cavadoude, Codesseiro, Corujeira, Faia, Fernão Joanes, Gagos, Gonçalbocas, João Antão, Meios, Mizarela, Monte Margarida, Pêro Soares, Porto da Carne, Pousade, Ramela, Ribeira dos Carinhos, Rocamondo, Santana da Azinha, Jarmelo (São Miguel), Jarmelo (São Pedro), Seixo Amarelo, Sobral da Serra, Trinta, Vale de Estrela, Vela, Videmonte, Vila Cortês do Mondego, Vila Franca do Deão, Vila Garcia, Vila Soeiro.
Manteigas (uma freguesia, num total de quatro): Vale da Amoreira.
Mêda (13 freguesias, num total de 16): Aveloso, Barreira, Carvalhal, Casteição, Coriscada, Fonte Longa, Longroiva, Marialva, Pai Penela, Prova, Rabaçal, Ranhados, Vale Flor.
Pinhel (20 freguesias, num total de 27): Atalaia, Azevo, Bogalhal, Bouça Cova, Cerejo, Cidadelhe, Ervas Tenras, Ervedosa, Lamegal, Lameiras, Manigoto, Pereiro, Pomares, Póvoa D’ El-Rei, Safurdão, Santa Eufémia, Sorval, Valbom, Vale de Madeira, Vascoveiro.
Seia (10 freguesias, num total de 29): Cabeça, Carragozela, Folhadosa, Lajes, Santa Eulália, Santa Marinha, São Martinho, Sazes da Beira, Várzea de Meruge, Lapa dos Dinheiros.
Trancoso (26 freguesias, num total de 29): Aldeia Nova, Carnicães, Castanheira, Cogula, Cótimos, Feital, Fiães, Freches, Granja, Guilheiro, Moimentinha, Moreira de Rei, Palhais, Póvoa do Concelho, Reboleiro, Rio de Mel, Sebadelhe da Serra, Tamanhos, Terrenho, Torre do Terrenho, Torres, Valdujo, Vale do Seixo, Vila Franca das Naves, Vila Garcia, Vilares.
Vila Nova de Foz Côa (10 freguesias, num total de 17): Castelo Melhor, Chãs, Horta, Mós, Murça, Numão, Santa Comba, Santo Amaro, Sebadelhe, Touca.

A situação é muito diferente em Castelo Branco, onde a redução das freguesias levará apenas à agregação ou fusão de 39 em todo o distrito – as mesmas que desaparecem apenas no concelho da Guarda. Belmonte perde apenas uma freguesia – Colmeal da Torre – enquanto que Penamacor perde cinco – Águas, Aldeia de João Pires, Bemposta, Meimão e Vale da Senhora da Póvoa.
plb

A Adega Cooperativa de Mêda retomou a actividade, três anos após o encerramento das suas instalações.

O Município de Mêda, fez todos os possíveis para recuperar financeiramente a Adega Cooperativa e para que a situação de falência fosse o mais rapidamente ultrapassada, sendo este o culminar de todos os esforços desenvolvidos junto dos diversos agentes envolvidos.
Na campanha deste ano, a Adega, além das uvas provenientes das zonas pertencentes à Região Demarcada do Douro, recebe também, nas suas instalações uvas provenientes de vinhas instaladas fora desta região, apresentando-se assim como uma mais-valia para os produtores que não possuem vinhas na região demarcada. Com a nova possibilidade de receber uvas de todo o concelho, cria-se uma enorme oportunidade de ajuda aos viticultores de todo o concelho, uma vez que antigamente a adega apenas podia aceitar uvas provenientes de 4 freguesias que pertenciam à Região Demarcada do Douro. Esta medida, visa promover o concelho como um todo, criando novas oportunidades de promoção, pois para além do «Vinho Fino» (nome dado aqui ao Vinho do Porto), também se produzem excelentes vinhos da Beira Interior e Vinhos de altitude. Podemos mesmo dizer que o concelho de Mêda se reveste de características geográficas/geológicas únicas.
O Município entende que a Adega Cooperativa é um pilar fundamental da vida económica do concelho e não podia ficar alheio às dificuldades que os agricultores/viticultores atravessam, especialmente em tempos de conjuntura como os que atravessamos hoje. Desta forma resta à Autarquia desejar uma boa época de vindimas a todos os agricultores e viticultores do concelho.
plb (com CM Mêda)

Os militantes socialistas do Sabugal apenas deram votos a António José Seguro nas eleições directas para secretário-geral do Partido, que decorreram nos dias 22 e 23 de Julho.

António José Seguro foi eleito no passado sábado secretário-geral do PS, derrotando o seu adversário interno, Francisco Assis, com quase 68 por cento dos votos, num universo superior a 35 mil militantes socialistas.
No Sabugal os 47 militantes que votaram fizeram-no em Seguro, não se registando qualquer voto em Francisco Assis. Na Federação da Guarda, onde o novo secretário-geral socialista é militante, a sua candidatura arrecadou 913 votos (87,87%) contra 126 (12,13%) de Assis. Em termos de secções concelhias, o resultado do Sabugal foi repetido em Aguiar da Beira e em Almeida onde Seguro fez igualmente o pleno dos votos expressos.
Assis venceu na Mêda com 27 votos contra 12 de Seguro, tendo perdido nas restantes concelhias da federação da Guarda. Mêda foi aliás, a nivel nacional, uma das poucas concelhias onde Assis venceu.
No que toca a federações, Seguro venceu em todas elas, sendo a de Braga, por cujo círculo eleitoral foi eleito deputado, aquela em que conseguiu um resultado mais expressivo (89, 33%). A votação mais equilibrada sucedeu no Porto, o distrito de onde Assis é natural e foi eleito deputado nas últimas legislativas. Aqui Seguro venceu por apenas 50,04% dos votos.
plb

O Município de Mêda contesta frontalmente a decisão governamental de Encerramento Nocturno do Serviço de Atendimento Permanente do Centro de Saúde local.

A Câmara Municipal de Mêda, perante a notícia do encerramento do Serviço de Atendimento Permanente (SAP) do Centro de Saúde da cidade, que passará apenas ao horário entre as 8 e as 20 horas, levado a cabo pela Administração Regional de Saúde (ARS) do Centro, a partir do dia 14 de Julho, tornou público que os órgãos autárquicos repudiam e contestam tal medida.
A Autarquia está em total desacordo com o procedimento, mantendo o compromisso de defender o não encerramento do serviço, por este ser «uma mais-valia para o bem-estar de todos os munícipes, contribuindo para a fixação populacional num território tão desertificado», refere a Câmara em comunicado.
O serviço abrange uma população maioritariamente idosa e por isso carente de cuidados médicos. Os problemas ver-se-ão agravados pela distância a que o Centro de Saúde se encontra do Hospital da Guarda, que fica a cerca de 70 quilómetros, a que acresce a inexistência de uma equipa do INEM que possa assegurar os transportes mais urgentes e prestar os primeiros cuidados em casos de gravidade.
«Para o Município o que está em causa é o Estado Social, onde a saúde deve encontrar a sua importância singular, intensificando-se ainda o dever da sua defesa quando falamos do interior, onde estamos longe de tudo e de todos», diz-se ainda.
A Câmara Municipal de Mêda solicitou uma audiência ao Secretário de Estado da Saúde, para defender o não encerramento do serviço.
«A autarquia compromete-se, perante todos os Munícipes, a assumir, com eles, a linha da frente na defesa do não encerramento anunciado, pois a vida humana é um valor inestimável, a sua desconsideração perante as confrontações com análises ou critérios economicistas, é uma afronta inqualificável. Iremos desencadear todos os mecanismos ao dispor, no sentido de tentar impedir o anunciado encerramento nocturno do SAP», conclui a nota remetida à Comunicação Social.
plb

O aumento das tarifas da água e a ausência de resposta às propostas dos municípios para minimizarem o problema, levou os presidentes das câmaras que dependem do abastecimento através da empresa Águas do Zêzere e Côa (AZC) a avançarem com um processo judicial tendente à denúncia e anulação do contrato celebrado.

Os municípios mandataram em conjunto um advogado com escritório na Covilhã para os representar na acção contra a AZC. O objectivo é colocar em causa os contratos assinados de fornecimento de água em alta, de recolha de afluentes e de valorização das infra-estruturas municipais. A acção judicial visa ainda obter a celebração de novos contratos que tenham em conta as especificidades reais dos municípios e da região em que se inserem.
Face às despesas de interposição do processo, que já atingem uma verba que ronda os 80 mil euros, os presidentes das câmaras, reunidos na Mêda, em 14 de Junho, acordaram em distribuir esse encargo por todos os municípios envolvidos, tendo por base o que cada um recebe do Fundo de Equilíbrio Financeiro. Assim à Câmara do Sabugal caberá contribuir com 8.684 euros, o segundo valor mais alto, apenas inferior ao contributo previsto para a Câmara da Guarda, que será de 9.757 euros.
Os presidentes de câmara consideram que as posições irredutíveis da empresa levaram a uma saída prematura do Município da Covilhã do sistema, o que originou, logo no início, a perda de largos milhares de clientes, que colocou problemas à sustentabilidade financeira da empresa. Face à situação a AZC decidiu aumentar unilateralmente as tarifas, o que ensandeceu os presidentes das autarquias, que consideram o aumento incomportável, tendo que o fazer reflectir na facturação da água aos munícipes.
Face à situação os presidentes das câmaras propuseram que o passivo da empresa fosse incorporado e consolidado nas contas da empresa mãe, a Águas de Portugal (que é o principal accionista da AZC). Esse saneamento das contas tornaria possível avançar com os investimentos necessários para uma melhor exploração e distribuição da água, ao mesmo tempo que permitiria uma revisão do tarifário, definindo-se um preço justo e socialmente aceitável, tendo em conta a situação do Interior, assim como as dificuldades das autarquias e dos consumidores. Os autarcas avançam mesmo com a proposta de que as novas tarifas, resultantes desse processo de saneamento, não ultrapassem a média nacional das tarifas definidas.
Outro problema que os municípios vêm contestando é o método de contagem da quantidade de água que entra na rede de saneamento, isto porque a contagem inclui as água pluviais que entram na rede e que vão parar às estações de tratamento de resíduos, o que aumenta em muito os custos das autarquias. Aqui os municípios propõem uma mudança no método de contagem, que deverá ter por padrão os valores dos meses secos, pagando-se nos meses das chuvas um valor igual ao praticado no Verão.
Entretanto, e face ao impasse, a maior parte das autarquias deixaram de pagar o valor das facturas da água. face a isto a AZC resolveu moveu também processos contra essas autarquias nos tribunais administrativos e fiscais, o que aumentou a tensão no já difícil relacionamento.
O conflito levou, logo no início deste ano, a uma reunião dos autarcas com a ministra do ambiente, Dulce Pássaro, que no entanto não teve consequências práticas, e à decisão do presidente da Câmara de Belmonte, Amândio Melo, de se demitir do lugar de vogal do concelho de administração da empresa.
A situação parece estar para se manter, seguindo o conflito nos tribunais, com a empresa e exigir os pagamentos em falta e as câmara a intentarem a denúncia do contrato.
plb

Passados seis anos sobre a última edição, no dia 12 de Junho a Feira Medieval regressou à aldeia histórica de Marialva, no concelho de Mêda, numa jornada de grande alegria e colorido que a todos contagiou.

(Clique nas imagens para ampliar.)

A organização esteve a cargo do Agrupamento de Escolas do Concelho de Mêda e da Câmara Municipal, contando com a colaboração da Junta de Freguesia de Marialva.
A recriação da feira semanal que remonta ao séc. XIII, instituída pelo Rei D. Dinis em 1286, aconteceu dentro das muralhas do castelo, que outrora compunham esta povoação, Sede de Concelho extinto em 1855.
Esta recreação iniciou-se com o cortejo, que partiu desde a Igreja de S. Pedro até ao Castelo, composto por todos os participantes. A Feira teve início com a leitura da Carta de Feira, em que foram feitas, ao representante do Rei, várias oferendas dos produtos das redondezas de Marialva. Neste dia marcaram presença alguns artesãos e diversos comerciantes que disponibilizaram para venda produtos regionais típicos da época, tais como o pão saloio e seus derivados, licores, chás, fumeiro entre outros, tendo sempre em conta que o principal motivo não era a venda propriamente dita, mas sim a recreação do ambiente mercantil que se fazia sentir na altura. A maior parte dos figurantes que animaram o recinto pertence ao Agrupamento de Escolas do Concelho, pois um dos objectivos desta feira era precisamente a integração da comunidade estudantil no concelho na vivência da feira. Estiveram representados mercadores, malabaristas, saltimbancos, ordens militares que proporcionaram várias mostras de armas, uma recriação de um assalto ao Castelo e uma mostra de falcoaria. Houve lugar a danças medievais, danças mouras, à celebração de um contrato de casamento, ao julgamento de um ladrão e a uma actuação de um grupo de Música Medieval que entreve os presentes enquanto estes aproveitavam para degustar algumas iguarias oferecidas pela Câmara Municipal de Mêda e pela Junta de Freguesia de Marialva, tudo isto acompanhado pelo bom vinho da região disponível nas tasquinhas, também elas recreadas à moda medieval.
plb (com CM Mêda)

A Câmara Municipal de Mêda, em parceria com as Águas de Longroiva, no intuito de darem a conhecer o novo Pólo Termal de Longroiva, promovem a quinzena do Concelho, destinada a todos os munícipes que queiram viver uma experiência termal e, simultaneamente, visitar as novas instalações das termas e aprofundar o seu conhecimento sobre termalismo.

As Termas de Longroiva além das indicações médicas para doenças músculo-esqueléticas e das vias respiratórias, dispõem dos mais modernos equipamentos na área do termalismo lúdico e bem estar.
O programa consiste na possibilidade de usufruir de uma experiência termal, composta por cinco equipamentos à escolha por um preço fixo de 15 euros, incluindo banho de imersão em banheira, simples ou com hidromassagem automática e bolha de ar; banho de imersão na piscina, simples ou com hidromassagem automática; corredor de marcha; hidropressoterapia; duche de jacto; duche circular; duche vichy; duche subaquático; Chromotherm; Thalaxion; Banho turco, Sauna e Ginásio.
Esta iniciativa, a par de outras, resultam das orientações estratégicas do plano de comunicação e marketing em curso e visam realçar o potencial endógeno do concelho, abrindo as portas aos seus munícipes, no entendimento que serão estes os principais embaixadores do concelho no exterior.
plb (com CM Mêda)

Decorreu na Casa Municipal da Cultura da Mêda uma sessão de esclarecimento sobre o programa VITIS direccionada aos agricultores e viticultores do concelho com a presença do presidente do Município de Mêda, Armando Carneiro, do presidente da Adega Cooperativa de Mêda, Fernando Jesus, e do representante do Ministério da Agricultura, Júlio Félix. A iniciativa contou com a participação de mais de 200 agricultores/viticultores do concelho de Mêda.

Programa VITIS - Mêda

Os temas debatidos na sessão de esclarecimento para agricultures e viticultores do concelho da Mêda incidiram essencialmente na possibilidade de laboração de uvas de fora da Região Demarcada do Douro nas instalações da Adega Cooperativa de Mêda, nos incentivos disponíveis para a reconversão ou replantação da vinha (Programa VITIS) e no papel decisivo que a agricultura tem na estratégia de desenvolvimento concelhio que o Município pretende incentivar.
No âmbito das candidaturas ao VITIS, o presidente da Adega Cooperativa de Mêda, Fernando Jesus, demonstrou o interesse da mesma em realizar uma candidatura agrupada, uma vez que este tipo de candidatura traz mais benefícios quer para a Adega Cooperativa quer para os agricultores. Referiu ainda os esforços que a direcção da Adega Cooperativa está a fazer, no sentido de cumprir com os pagamentos aos agricultores sem com isso desequilibrar a tesouraria da Cooperativa.
César Figueiredo, vice-presidente da autarquia, fez uma breve síntese da situação actual do sector agrícola no concelho de Mêda, aproveitando para referir todas as diligências que têm sido encetadas pelo Município, no sentido de acelerar a recuperação financeira da Adega Cooperativa uma vez que a mesma desempenha um papel fundamental para os agricultores, prova disso é o facto da Adega Cooperativa poder já a partir da vindima de 2011, receber nas suas instalações uvas provenientes de vinhas instaladas fora da Região Demarcada do Douro.
O representante do Ministério da Agricultura, clarificou todos os aspectos técnicos relacionados com o Programa VITIS e da importância de todos os agricultores interessados, recorrerem a este programa como uma oportunidade de reconverter as vinhas que apesar de cultivadas necessitam de intervenção, de forma a melhorar a produção em termos qualitativos e quantitativos. Também ele demonstrou os benefícios associados ao facto, de em vez das candidaturas individuais serem executadas candidaturas agrupadas.
No final da sessão houve ainda lugar a uma prova de vinho (Branco e Rosé) resultado da vindima de 2010 da Adega Cooperativa de Mêda.

O Programa VITIS anda a ser discutido e explicado no concelho da Mêda…
Curiosamente as «Jornadas do Mundo Rural» com a presença do ministro da Agricultura tiveram lugar no Sabugal no dia 26 de Abril de 2010. Um ano depois seria interessante saber que já foi feito no denominado «inovador projecto-piloto para a agricultura do Sabugal»…
jcl (com C. M. Mêda)

Depois de seis anos de obras, abriu ao público, no dia 16, o novo pólo termal de Longroiva (concelho de Mêda). Uma infra-estrutura que dá maior capacidade às termas para o desenvolvimento da sua actividade.

Balneário Termal Longroiva - Mêda

Trata-se de um investimento público que ultrapassou os 5 milhões de euros, e que se traduziu na construção de um novo edifício dotado com equipamentos de vanguarda na área do termalismo e bem-estar.
As termas de Longroiva, em funcionamento desde 2001, são recomendadas para o tratamento de doenças musculo-esqueléticas e das vias respiratórias superiores.
Neste novo espaço existem, para além do termalismo dito clássico, espaços destinados ao termalismo lúdico, como piscina, sauna e banho turco; à reabilitação e ao Fitness, permitindo atender mais de 300 pessoas por dia.
Os tratamentos de cura termal serão obrigatoriamente precedidos de consulta médica por um dos médicos hidrologistas e serão realizados por técnicos de balneoterapia devidamente formados, sempre sobre a supervisão de um enfermeiro.
Na área do bem-estar, poderá ser adquirido um dos pacotes disponíveis existindo a possibilidade de combinar diferentes experiências termais como talaxion ou duche Vichy.
O balneário estará aberto das 08:00h às 12:00h e das 16:00h às 20:00h de Segunda a Sábado e aos Domingos das 09:00h às 12:00h.
Com este novo equipamento, a vila termal de Longroiva ganha nova dinâmica posicionando-se num segmento de mercado, que apesar da conjuntura económica difícil poderá contribuir decisivamente para o fortalecimento da economia local.
Mais informações Aqui.
plb (com C.M. Mêda)

Os primeiros 14 presidentes de Câmara do distrito da Guarda (após o 25 de Abril de 1974) foram homenageados no Governo Civil por Santinho Pacheco. Reportagem da jornalista Sara Castro com imagens de Paula Pinto da Redacção da LocalVisãoTv (Guarda).

Local Visão Tv - Guarda
Vodpod videos no longer available.

jcl

O governador civil da Guarda, Santinho Pacheco, vai homenagear, esta quinta-feira, dia 28 de Abril, os primeiros presidentes de câmara municipal do distrito eleitos democraticamente após o 25 de Abril de 1974. A família de João A. Antunes Lopes, primeiro presidente da Câmara Municipal do Sabugal, vai receber a título póstumo a condecoração.

Santinho Pacheco - Governador Civil - GuardaNo salão nobre do Governo Civil da Guarda vai ter lugar, às 21.00 horas desta quinta-feira, a cerimónia de homenagem aos primeiros presidentes de câmara do distrito da Guarda.
A sessão solene vai contar com a presença do secretário de Estado da Administração Local, José Junqueiro, do primeiro governador civil da Guarda, Alberto Antunes (do concelho do Sabugal) e do actual, Santinho Pacheco.
Além de João A. Antunes Lopes (a título póstumo), primeiro presidente da Câmara Municipal do Sabugal, vão ser homenageados os autarcas de Aguiar da Beira, António Raimundo Cunha (a título póstumo); Almeida, António José Sousa Júnior; Celorico da Beira, Carlos A. Faria de Almeida; Figueira de Castelo Rodrigo, José Pinto Lopes (a título póstumo); Fornos de Algodres, Francisco Paulo Almeida Menano; Gouveia, Alípio Mendes de Melo; Guarda, Victor Manuel Gonçalves Cabeço/Abílio Aleixo Curto; Manteigas, Homero Lopes Ambrósio (a título póstumo); Mêda, Luís E. Figueiredo Lopes (a título póstumo); Pinhel, António Luís Santos Fonseca; Seia, Jorge A. Santos Correia; Trancoso, António Almeida (a título póstumo) e Vila Nova de Foz Côa, José Costa Ferreira (a título póstumo).
«É tempo de a nível distrital se comemorar Abril da liberdade lembrando os primeiros presidentes de câmara eleitos nos 14 concelhos do nosso distrito, exaltando assim o papel insubstituível que o poder local desempenhou na construção desta segunda República e no arranque de um período de desenvolvimento e de modernização das nossas terras, sem paralelo em toda a nossa história secular», destacou Santinho Pacheco.
A cerimónia insere-se nas comemorações distritais do 25 de Abril.
jcl (com agência Lusa)

A área da Raia Histórica (Associação de Desenvolvimento do Nordeste da Beira) caracteriza-se por ser toda ela do interior beirão, zona raiana de fortes ligações à nossa vizinha Espanha, englobando os concelhos de Almeida, Figueira de Castelo Rodrigo, Mêda, Pinhel e Trancoso.

(Clique nas imagens para ampliar.)

A Raia Histórica é uma Associação sem fins lucrativos que teve o seu início em 1996 fruto da vontade de dinamizar a região beirã dos castelos do Côa, fustigada pelo desemprego, pela imigração e pelo envelhecimento da população.
Para a Associação é fulcral o facto de os portugueses residentes no estrangeiro, que se encontram numa fase de regressarem
às suas origens, poderem ser grandes dinamizadores de toda a região, dado que poderão investir no comércio e na indústria da mesma, de que resultaria naturalmente a criação de mais postos de trabalho, conduzindo certamente à fixação de juventude, que de momento se depara com fortes problemas de integração no mercado de trabalho desta região. Este objectivo é primordial, mas há que reconhecer que os jovens também têm outras necessidades, como o divertimento e as manifestações culturais, ocupação salutar dos tempos livres e valorização pessoal.
Os associados da Raia Histórica são pessoas individuais, empresas, instituições sem fins lucrativos e câmaras municipais, tendo em comum todas elas o desejo de implementar novas ideias que possam contribuir para a divulgação e a conservação de todo o nosso património histórico – cultural, bem como o objectivo – também este considerado como sendo primordial – de criar uma ambiência que leve as pessoas a fixarem-se nesta região.
São estes os pressupostos para todo o trabalho que se tem vindo a desenvolver nestes anos e que se enquadra na análise e educação de e para o desenvolvimento local; na revitalização de actividades tradicionais, culturais e produtivas; na emergência de produtos e actividades, na organização e concentração da oferta local e por último na promoção e incrementação de todo o tipo de actividades que levem à divulgação e preservação de todo o conteúdo histórico e cultural da região dos castelos do Côa.
aps (com Raia Histórica)

Seminário associativo, exposição de veículos tuning, passeio de clássicos, passeio de motos clássicas (50 cc), simulacro de explosão em habitação, concurso de pesca à truta, passeio equestre e jogo de futebol entre as casas do Benfica e do Sporting são algumas das actividades previstas no primeiro encontro das associações do concelho da Mêda durante o fim-de-semana de 16 e 17 de Abril.

MêdaO Município de Mêda em parceria com a Associação de Pesca Desportiva e Competição do Concelho de Mêda e o Motoclube de Mêda promove, nos dias 16 e 17 de Abril de 2011, na Nave de Exposições do Mercado Municipal, o I Encontro de Associações do Concelho de Mêda.
A iniciativa tem como objectivo incentivar o convívio entre as associações e a população do concelho, bem como a exposição, divulgação e demonstração das actividades desenvolvidas por estas entidades.
No dia 16 de Abril terá início às sete horas da manhã, na Barragem de Ranhados, o Concurso de Pesca à Truta, com largada de 1000 trutas, organizado pela Associação de Pesca Desportiva e Competição do Concelho de Mêda.
A abertura oficial do certame na Nave de Exposições de Mêda está marcado para as 14 horas com uma exposição de «veículos tuning» no espaço exterior da Nave de Exposições, seguido do II Passeio de Clássicos «Pelo concelho de Mêda». Paralelamente, irá decorrer, o seminário Associativismo como Promotor de Dinamização Territorial, na Nave de Exposições do Mercado Municipal. O programa para este dia contará também com um jogo de futebol entre a Casa do Benfica de Mêda e Núcleo Sportinguista de Mêda no Estádio Dr. Augusto César de Carvalho, com início marcado para as 17 horas. O dia termina com animação musical a partir das 22 horas.
O domingo inicia-se com o «Passeio de Motas Clássicas e de 50cc Pelo Concelho de Mêda», com concentração no recinto do Mercado Municipal às 9 horas.
O recinto de exposições abre ao público às 14 horas e servirá para dar início ao 1.º Passeio Equestre do Concelho da Mêda. Ao mesmo tempo, no Quartel dos Bombeiros Voluntários de Mêda, irá ser executado um simulacro de Explosão em Habitação.
jcl (com Gabinete de Imprensa da C.M. Mêda)

O Município do Sabugal está entre os fundadores de uma nova associação intermunicipal, designada por «Territórios do Côa, Associação de Desenvolvimento Regional», cujo objectivo é combater o despovoamento do interior pela promoção turística do Vale do Côa.

O Município de Figueira de Castelo Rodrigo tem liderado o processo de constituição da associação, onde a mesma terá a sede. Inicialmente pretendeu-se designá-la por «Agência do Vale do Côa», o que, contudo, foi rejeitado pelo Registo Nacional de Pessoas Colectivas, tendo então que escolher-se a designação «Territórios do Côa».
Para além dos municípios de Figueira de Castelo Rodrigo e Sabugal, a nova associação integra ainda os de Almeida, Meda, Pinhel, Trancoso, Vila Nova de Foz Côa, Torre de Moncorvo, Mogadouro e Freixo de Espada à Cinta.
A associação pretende promover o desenvolvimento integrado através da dinamização do turismo de aventura e do ecoturismo, aproveitando as condições apropriadas para esse finalidade do território que abrange.
A existência de um património cultural de alto valor e do Museu do Parque Arqueológico do Vale do Côa, são o garante da boa possibilidade de dinamização em rede deste território tendo em vista o alcance dos objectivos consagrados pela nova associação.
Os representantes dos municípios que integram a associação reuniram-se por diversas vezes para a aprovação do projecto de estatutos, e para dar andamento à demais formalidades ligadas ao seu registo legal e ao seu funcionamento quando a mesma estiver em plena actividade. Da parte do Município do Sabugal o processo formal está concluído, tendo a adesão sido aprovada em reunião de Câmara e também pela Assembleia Municipal.
plb

O Sporting Clube da Mêda venceu no Campo do Calvário a Associação Cultural e Desportiva do Soito por 3-0. «Voz-off» da jornalista Sara Castro com imagem de Sérgio Caetano da redacção da LocalVisãoTv (Guarda).

Local Visão Tv - Guarda
Vodpod videos no longer available.

jcl

Está marcada para os dias 11 a 14 de Novembro, na cidade da Mêda, a I Feira da Caça, Floresta e Produtos Regionais, organizada pela Câmara Municipal da Mêda, em parceria com a Associação Clube de Caça e Pesca da Mêda.

Feira Caça Floresta Produtos Regionais Mêda

A caça em Portugal tem raízes profundas e hoje reconhece-se a importância do ordenamento do espaço e da gestão sustentada deste importante recurso económico. Com efeito, a caça quando bem gerida pode ser a base de uma importante actividade económica, mas o seu valor aumenta, ainda mais, quando se desenvolve nas zonas mais deprimidas do nosso país, onde a agricultura e a silvicultura encontram algumas dificuldades. A caça é hoje uma actividade que contribui para o aumento do rendimento das explorações agrícolas e para o rendimento das comunidades locais, incentivando a associação. É por isso um importante contributo para o desenvolvimento rural.
O Município de Mêda e a Associação Clube de Caça e Pesca da Mêda (ACCPM), pretendem com este certame divulgar o património cinegético, natural, gastronómico e paisagístico do concelho.
Este evento conta com várias áreas de exposição relacionadas com a caça, produtos regionais, exposição e venda de vinhos locais, tasquinhas com pratos e petiscos de caça, animação e diversas actividades ligadas à temática do evento.
No dia dedicado à floresta irá ter lugar o 1.º Encontro de Sapadores Florestais do Distrito da Guarda, e um colóquio tendo como temática a Protecção Civil.
Paralelamente à Feira irão ser realizadas montarias ao javali (dias 11 e 13), largadas de perdizes (dia 14) e de pombos (dia 12), demonstrações de St. Huberto e de Cetraria (dias 13 e 14), Laser Shot, animação musical, visitas turísticas aos produtores de vinho locais, e um magusto, que irão animar o programa da Feira. Durante os dias em que decorre o certame, os restaurantes do concelho aderentes irão confeccionar, especialmente para estes dias, diversos pratos de caça de forma a divulgar a gastronomia local com os produtos regionais do concelho.
Os interessados em participar nas actividades de caça (montarias e largadas) devem proceder à sua inscrição até sábado, 30 de Outubro através da ACCPM (telemóvel 961 509 491).
jcl (com Turismo da Mêda)

Em Marialva, no concelho da Mêda, respira-se história. Reportagem da jornalista Paula Pinto da redacção da LocalVisãoTv (Guarda).

Local Visão Tv - Guarda
Vodpod videos no longer available.

jcl

Numa iniciativa original, a Câmara Municipal de Mêda, vem realizando durante os meses de Julho e Agosto a iniciativa «Biblioteca de Piscina», pela qual pretende disponibilizar momentos de leitura aos frequentadores das piscinas municipais.

A iniciativa foi desencadeada pela Biblioteca Municipal, e está a contribuir para a divulgação, em simultâneo, dos diferentes serviços que normalmente a Biblioteca, sediada na Avenida Cidade Nova, proporciona ao longo do ano, aos leitores que a frequentam.
Na Biblioteca de Piscina «Ler ao Sol» os interessados poderão beneficiar do empréstimo de livros, revistas e jornais, participar num atelier de desenho, e envolver-se em passatempos como palavras cruzadas e descubra as diferenças. Os participantes podem ainda aceder à Internet, visualizar vídeos e ouvir música. Está ainda prevista uma iniciativa de leitura, designada «Hora do Conto».
A Biblioteca de Piscina «Ler ao Sol» funciona de terça-feira a domingo, entre as 14 e as 19 horas.
plb

As Termas do Cró vão ser vistoriadas pela Direcção Geral de Saúde (DGS) em Outubro, tendo em vista o seu licenciamento e consequente exploração.

Balneário das Termas do Cró

Segundo a agência Lusa, que falou com um responsável da DGS, as Termas do Cró poderão vir a ser licenciadas a breve trecho, num processo que implica uma vistoria às termas.
Para além das termas do concelho do Sabugal, há outras seis estâncias portuguesas que serão vistoriadas a breve trecho: Vidago (distrito de Vila Real), Meda (Guarda), Luso (Coimbra), Terras do Bouro (Braga), Penamacor (Castelo Branco) e Estoril (Lisboa).
Segundo o testemunho de Paulo Diegues, responsável da DGS, «O Sabugal, provavelmente em outubro estará feita a vistoria; Meda já tem termas novas aprovadas; no Luso até Setembro o projecto estará para vistoriar; Penamacor em Setembro ou Outubro estará em fase de projecto; o Estoril abrirá em breve», exemplificou.
Paulo Diegues disse ainda à Lusa que classifica o controlo das águas termais em Portugal como um processo muito rigoroso, comparável ao cuidado que é dado a um medicamento que entra no mercado.
As obras de edificação do novo balneário das termas estão praticamente concluídas, estando para breve o lançamento de concurso público para a concessão da sua exploração a privados. A Câmara Municipal do Sabugal aposta no Parque Termal do Cró para dar maior visibilidade ao concelho do Sabugal, pois para além das termas virá ainda a contar com a edificação de um hotel rural, bem como espaços de lazer e de prática desportiva.
As termas do Cró juntar-se-ão assim às cerca de 50 estâncias termais portuguesas licenciadas e espalhadas de norte a sul do país.
plb

O «I Festival Meda+», com concertos de música moderna portuguesa, decorre, na cidade de Mêda, nos próximos dia 16, 17 e 18 de Julho.

Festival Música - MêdaO «I Festival Meda+», organizado pela Junta de Freguesia de Mêda e pela Associação Juvenil «Meda+», com o apoio da Câmara Municipal, visa promover e divulgar algumas das bandas mais promissoras e estabelecidas do panorama musical português. Outro dos objectivos do festival é mobilizar a juventude na promoção da cultura emergente da música e da prática desportiva.
A cidade da Mêda, encontrando-se numa área geográfica privilegiada, quer oferecer um fim-de-semana especial a todos os jovens que se desloquem ao concelho e, por isso mesmo, disponibiliza parque de campismo gratuito (durante os dias do festival) bem como a prática de outras actividades propostas no programa.
Entre os projectos musicais presentes no cartaz destacam-se as bandas «João Só e os Abandonados», «Dogma» e «D3O», grupos com alguma afirmação na música moderna portuguesa.
.A Associação Juvenil «Meda+» e a Junta de Freguesia de Mêda convidam-no, desde já, a estar presente no festival que decorre nos dias 16, 17 e 18 de Julho.
jcl (com C. M. Mêda)

O concelho de Trancoso recebe de 27 de Maio a 5 de Junho a Mostra de Arte Contemporânea do Côa e Douro Superior, uma iniciativa de grande alcance cultural que congrega oito exposições distribuidas ainda por Mêda e Vila Nova de Foz Côa.

Centro Cultural - TrancosoLiteratura, exposições, desporto, colóquios e debates, música, projecção de filmes e documentários, são actividades que integram esta iniciativa que tem como principal dinamizador Jorge Maximino, fundador e criador do Festival de Poesia de Vila Nova de Foz Côa que este ano celebra o 25.º aniversário.
Para o responsável e promotor desta iniciativa anual, esta é uma realização que visa a promoção do património e da cultura dos concelhos envolvidos (Vila Nova de Foz Côa, Trancoso, Mêda e Miranda do Corvo), em estreita colaboração com os respectiuvos Municípios.
O presidente da Câmara Municipal de Trancoso, Júlio Sarmento, entende ser esta uma iniciativa «que valoriza o programa de eventos culturais deste concelho, motivavando sobretudo os jovens e envolvendo a comunidade em geral, numa actividade multifacetada, de grande qualidade».
O autarca destaca o facto de «a cultura ser entendida em Trancoso como um elemento importante de desenvolvimento, associado intimamente à valorização do património, seja ele construído ou imaterial, atraindo pessoas, fomentando o intercâmbio de culturas e ideias e gerador de novas actividades de índole social e mesmo económica».
Júlio Sarmento sublinha que «a cultura, nas suas diversas vertentes, estimula a criatividade, motiva os cidadãos para a inovação, fomenta a responsabilidade colectiva de preservar os valores patrimoniais, sejam eles monumentais, tradicionais, etnográficos ou no contexto mais lado, os criados pela sociedade, que a caracterizam e definem».
A 1.ª Mostra de Arte Contemporânea do Côa e Douro Superior é uma organização da Associação de Arte e Cultura com o patrocínio dos Municípios de Trancoso, Vila Nova de Foz Côa e Mêda, Instituto PIAGET, a Junta de Freguesia e a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntário de Vila Nova de Foz Côa, Clube Trancosense, Nova Mêda (Empresa Municipal), Agrupamento de Escolas de Vila Nova de Foz Côa e Trancoso Eventos – Entidade Empresarial Municipal E.M.
jcl (com Gabinete de Imprensa da C. M. Trancoso)

Manuel Botelho ou Manuel Ferrador de Vila Franca das Naves é o destaque do mês de Maio da empresa municipal «Trancoso Eventos». A Brigada de Intervenção Militar do Centro, sedeada em Coimbra, está a realizar desde esta sexta-feira, 14 de Maio, e até ao dia 21, o exercício militar «Dragão 10» nas áreas dos concelhos de Trancoso, Celorico da Beira e Mêda. A associação Luzlinar, de Trancoso, convidou o gráfico Jorge dos Reis para criar «A República».

Manuel Ferrador - TrancosoManuel Botelho, aliás «Manuel Ferrador», é diplomado na arte de ferrar e fazer ferraduras há mais de 41 anos. Começou em Moçambique e mantém um mundo de memórias que se misturam com a arte de ferrador num espaço de garagem particular da sua residência em Vila Franca das Naves.
É agente da Policia de Segurança Pública (PSP) aposentado e a arte aprendeu-a em Moçambique, com o pai e, por exame efectuado na Faculdade de Veterinária de Lourenço Marques em 31 de Dezembro de 1969, obteve o diploma de Siderotécnico, sendo conhecedor dos animais, sobretudo dos equídeos.
Manuel Botelho considera que «esta é uma arte que se tornou paixão e até certo amor pelos animais mas com certa carga, também, de misticismo, pois que a ferradura, é talismã contra a má sorte e outros males». «Tem um poder protector ao colocar-se nos automóveis, afixada ou por baixo dos assentos para evitar acidentes ou atrás das portas das casas, sejam residências ou estabelecimentos mas… dos oito orifícios para os cravos que fixam a ferradura, um deles tem de ser tapado para ter o efeito protector desejado», acrescenta.
No «Museu» de Manuel Botelho, um pequeno mundo de coisas do passado e do presente que guarda com afecto e cujo historial sabe de cor a sua utilidade. Na «confusão e profusão» de objectos, há uma história de percurso de vida: fardamentos e uniformes policiais ou militares, motas, side-cars, fotos, alfaias agrícolas, arreios de animais, bonés militares e outros incluso de bombeiros, capas de pastor tradicionais, rádios, candeeiros a petróleo e candeias, tigelas, pratos desportivos, bonecas típicas, instrumentos musicais, tamancos e outro calçado, relógios, armadilhas para animais, máscaras, chaves… um sei lá de objectos.
Assume mesmo que o ferrador é uma profissão que têm funcionado ao longo de tempos «muitíssimo recuados, com conhecimentos que se aprendem no dia a dia e chegam mesmo a curar as maleitas dos animais».
Neste mundo de Manuel Botelho, o Ferrador, de Vila Franca das Naves, há nostalgia e espírito de dever cumprido, quer no serviço militar e policial quer hoje como um dos últimos ferradores.

«Dragão 10»
O exercício militar «Dragão 10» iniciado esta sexta-feira, visa treinar as tropas pertencentes à Brigada de Intervenção Militar do Centro, assim como avaliar o desempenho das tropas, tendo em vista a participação das mesmas em missões de Paz.
A Brigada de Intervenção, num contexto de proximidade com as populações, pretende consolidar a presença na sua área geográfica de influência, através da realização de actividades, quer de âmbito operacional quer cultural, no sentido de divulgar e procurar a adesão da sociedade às missões que lhe são superiormente confiadas.
A Avenida Central de Celorico da Beira recebe no dia 20 de Maio, uma parada militar com a participação de cerca de um milhar de militares e algumas centenas de viaturas.

Associação Luzlinar
A Associação Luzlinar, com sede na freguesia de Feital, concelho de Trancoso, convida anualmente, entre Abril e Julho, um artista a desenvolver um trabalho de média duração que será acompanhado, via internet, pelos alunos da Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos de Vila Franca das Naves.
A iniciativa terminará com uma oficina e uma exposição do trabalho realizado na Biblioteca da Escola e na Biblioteca Eduardo Lourenço na Guarda.
Este ano o tema proposto é «A República» e o convidado é Jorge dos Reis, professor e artista tipográfico.
jcl (com Gabinete de Imprensa da C. M. Trancoso)

A cidade da Mêda recebeu na Casa Municipal da Cultura cerca de 300 cantadores de Janeiras em representação de dez colectividades.

Cantar Janeiras - MêdaO I Encontro de Cantadores de Janeiras do concelho da Mêda decorreu durante a tarde de domingo, 24 de Janeiro, na Casa Municipal da Mêda. Participaram no encontro os grupos da Associação de Solidariedade Social, Cultural, Desportiva e Recreio de Fonte Longa, o Centro Cultural e Recreativo da Mêda, o Centro Sócio-Cultural da Coriscada, a Banda Filarmónica e o Grupo de Violas do Aveloso, bem como os grupos corais de Marialva, do Outeiro de Gatos, de São Bento da Mêda, da Prova e do Poço do Canto.
O Encontro pautou-se por um bom espírito de convívio, traduzindo-se numa grande festa e está já prometido para o próximo ano o II Encontro Concelhio de Cantadores de Janeiras.
«A Mêda encontrou-se com a tradição e foram muitos, novos e menos novos, que reviveram um passado tradicional desta terra no salão multiusos onde ancestrais cantares, transmitidos de geração em geração, acalentaram as pessoas que, num espírito de convívio mas também de interculturalidade, vivenciaram esta época onde ranchos ou grupos iam de casa em casa , quantas vezes pela noite fria, fazer os seus peditórios das Janeiras», informou o município em comunicado.
«O ladrão do pinheirinho
Onde havia de nascer
Bem à porta casa
Que nos vai dar de comer e beber»
(Cantiga de Janeiras de Longroiva) 
aps (com Meda em Movimento)

O concelho da Mêda mostrou-se este ano, perla primeira vez na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL) que decorreu de 13 a 17 de Janeiro, na Feira Internacional de Lisboa (FIL), numa iniciativa promovida pela Câmara Municipal, inserida no espaço dedicado ao Pólo Turismo Serra da Estrela, a que pertence.

Jorge Patrão e Armando CarneiroO presidente do Município, Armando Carneiro, que desde o inicio do certame acompanhou a iniciativa, considerou que «este foi um local que permitiu ao concelho da Mêda mostrar-se aos portugueses e estrangeiros, aos empresários e operadores turísticos, as potencialidades económicas, patrimoniais e turísticas de um concelho que, sendo do interior, tem vontade de afirmar-se e desenvolver-se».
O espaço dedicado ao concelho da Mêda foi visitado por elevado número de visitantes da BTL que tiveram ocasião de degustar alguns produtos desta terra, onde os vinhos, sobretudo, foram atractivo e referência.
O presidente da Câmara Municipal, Armando Carneiro, foi o anfitrião desta iniciativa a que se associaram produtores-engarrafadores da Mêda, José Rocha (vinho «Aravos») e José Cardoso (vinho «Quinta dos Romanos»). É de assinalar que o «vinho generoso ou fino» da Mêda foi um dos produtos que acolheu os visitantes neste espaço partilhado com as autarquias da Guarda, Seia e Trancoso.
«Foi em ambiente de festa que os presidentes de Juntas de Freguesia, vereadores e outras entidades do concelho de Mêda visitaram o stand numa iniciativa patrocinada pelo Município que conferiu uma vontade de querer e afirma a Mêda e seu concelho como referência quer no pólo de Turismo Serra da Estrela quer no contexto do turismo nacional e internacional», referiu ainda o presidente Armando Carneiro.
aps (com «Mêda em Movimento»)

Numa espécie de convite a saborear a tradição, a Câmara Municipal da Mêda aposta na divulgação de uma ementa tradicional, cuja patente tem já registada: os «grelos à pobre».

Grelos à PobreA gastronomia tradicional pode considerar-se como um exemplo real da cultura de um povo e das características de uma região, na medida em que é depositaria de sabores únicos e seculares, herdados e transmitidos por gerações que com seu saber e alguma imaginação, aproveitaram e transformam os produtos da terra em verdadeiras iguarias.
Nesta época do ano o concelho da Mêda cobre-se do verde dos nabais, onde mãos experientes colhem os grelos de nabo, que servem de base a um prato tradicional daquelas terras beiroas.
Em terras da Mêda os «grelos à pobre» constituem, como nome indica, um prato simples, mas que na verdade é muito rico em sabor.
A Câmara Municipal da Mêda, querendo dar expressão a esta iguaria gastronómica, divulgou a sua receita.
Usam-se como ingredientes dois molhos de grelos, meio quilo de batata, uma farinheira e carne de porco previamente cozida, a que se juntam uma mancheia de sal e um gorcho de azeite.
Lavam-se os grelos e partem-se aos bocados. Põem-se a cozer numa panela de ferro. À parte, noutra panela, cozem-se as batatas com um pouco de sal.
Escorrem-se os grelos quando estiverem cozidos. Depois de estarem também cozidas as batatas, esmagam-se e misturam-se com os grelos.
Junta-se azeite estrugido, quando baste, e chega-se de novo a panela ao lume.
Vai-se mexendo até ficar bem misturado.
Servem-se com farinheira e carne de porco cozida.
Eis aqui um prato simples mas identificativo de uma terra marcadamente agrícola que envereda decididamente pelos caminhos do desenvolvimento e progresso no aproveitamento dos seus recursos naturais e sobretudo nas capacidades das suas gentes.
plb

Os mapas interactivos do Plano Director Municipal (PDM) do Sabugal e dos outros 12 concelhos da Associação de Municípios da Cova da Beira (AMCB) podem ser consultados através da Internet.

SIG - AMCBEm declarações à agência Lusa, Jorge Antunes, responsável pelo departamento de Sistemas de Informação Geográfica (SIG) da AMCB explicou que «qualquer municípe poderá, por exemplo, editar on-line a delimitação de uma parcela de terreno, calcular distâncias e áreas ou imprimir uma planta de localização».
Estão disponíveis os planos directores do Sabugal, Almeida, Belmonte, Celorico da Beira, Figueira de Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Fundão, Guarda, Manteigas, Mêda, Pinhel, Penamacor e Trancoso. Cada município tem uma hiperligação na sua página que redirecciona o utilizador para o portal da AMCB onde está a informação.
A disponibilização dos PDM na Internet responde a uma imposição legal (Lei n.º 56/2007) e, de acordo, com informações fornecidas pela o projecto global está orçado em meio milhão de euros e é co-financiado pelo Programa Operacional da Região Centro – MaisCentro.
A solução implementada permitirá aos municipes dos 13 concelhos fazer uma consulta prévia a um PDM, tendo como ponto de partida um determinado ponto ou localização no território. Após a identificação da localização da pretensão é possível cruzar esta informação com as classes de espaço, com o regulamento e limitações do PDM e imprimir a informação para o processo de viabilidade de transformação do terreno rústico.
No futuro o sistema irá permitir fazer pesquisas, visualizar e consultar os processos de obras das Câmaras Municipais.

Página da AMCB com o SIG. Aqui.
Página da Câmara Municipal do Sabugal com o PDM on-line. Aqui.
jcl

Galeria de imagens do «Fórum Autárquico da Guarda» do PSD que decorreu no sábado, 25 de Julho de 2009, no Salão de Festas da Junta de Freguesia do Sabugal.

GALERIA DE IMAGENS – 25-7-2009

O Sabugal foi o palco este sábado, 25 de Julho, do Fórum Autárquico «Falar Verdade» do PSD do distrito da Guarda. Marcaram presença nos trabalhos a deputada Ana Manso e a maioria dos candidatos laranjas aos 14 municípios guardenses. A líder do partido, Manuela Ferreira Leite, adoentada com uma gripe não se deslocou ao Sabugal tendo sido substituída pelo vice-presidente Paulo Mota Pinto. Álvaro Amaro aproveitou para deixar um recado à presidente do partido: «Na Guarda não aceitaremos nomes nacionais na lista de deputados.»

Fórum Autárquico

Respondendo ao repto lançado na quinta-feira na sessão de apresentação no RaiaHotel do candidato, António Robalo, cerca de 300 militantes e simpatizantes sabugalenses encheram o salão de festas da Junta de Freguesia do Sabugal. A presença da líder social-democrata e dos candidatos às 14 Câmaras Municipais do distrito da Guarda ajudaram a aumentar a curiosidade e a militância. Quase em cima da hora ficou a saber-se que Manuela Ferreira Leite não marcaria presença em virtude de estar adoentada com uma arreliadora gripe. Em seu lugar enviou o vice-presidente Paulo Mota Pinto que encerrou a sessão mas que, curiosamente, não era portador de nenhuma mensagem da líder ausente para os sabugalenses e guardenses presentes.
Os trabalhos do Fórum Autárquico «Falar Verdade» foram conduzidos pelo coordenador distrital, João Prata, que foi introduzindo os temas e apresentando os muitos oradores do dia com direito a cinco rigorosos minutos.
A sessão de abertura esteve a cargo do presidente da Comissão Política do Sabugal, Manuel Corte. Seguiram as intervenções de Tânia Cameira e António Agostinho Lucas da Silva, respectivamente, representantes dos candidatos a presidentes de Junta de Freguesia, Tânia Cameira, e dos candidatos às Assembleias Municipais.
Os candidatos aos municípios guardenses tiveram direito a cinco rigorosos minutos e discursaram sobre diferentes temas: António Batista Ribeiro (Almeida), «Cooperação transfronteiriça»; Vítor Martins Santos (Celorico da Beira), «Sustentabilidade e aproveitamento dos recursos naturais»; António Edmundo Ribeiro (Figueira Castelo Rodrigo), «Potenciar recursos endógenos»; José Miranda (Fornos de Algodres), «Potencialidades das novas acessibilidades»; Álvaro Amaro (Gouveia), «Um combate pelo Interior»; João Mourato (Mêda), «Incentivo à inovação»; António Luís Ruas (Pinhel), «Ordenar o território, vencer o despovoamento»; António Robalo (Sabugal), «Educação e Formação»; Luís Caetano (Seia), «A Serra da Estrela como pólo aglutinador»; Júlio Sarmento (Trancoso), «Saúde e Solidariedade Social» e Gustavo Duarte (Vila Nova de Foz Côa), «Aproveitamento turístico da Beira e do Douro».
O recandidato a Gouveia, Álvaro Amaro, considerou como grande desafio para as próximas gerações a cooperação transfronteiriça e defendeu a necessidade de empunhar a bandeira do Interior que «tem sido muito sacrificado pelo poder central com política imorais que têm levado ao despovoamento do território» tendo apontado como solução «uma nova rede do ensino superior em Portugal, com as universidades e os politécnicos a criarem pólos com cursos nos diferentes concelhos».
João Mourato, actual presidente da Mêda, lembrou que «os autarcas do PSD têm sido discriminados pelo Governo» e António Ruas (Pinhel) pediu que o poder central «assuma de uma vez por todas a aposta no investimento no Interior, nos parques eólicos e nas fontes hídricas como factor de desenvolvimento local». Júlio Sarmento (Trancoso) animou a plateia com alguns sorrisos quando iniciou o discurso olhando para João Prata dizendo que sabia «da tolerância mas não sou dos que me calo com facilidade» para logo de seguida acrescentar: «Não temos gente. Porque não temos aquilo que nos falta vai continuar a faltar-nos aquilo que não temos.» De seguida atacou o Serviço Nacional de Saúde e o processo do Hospital da Guarda: «É uma telenovela. Temos assistido na Guada a revoada de ministros que vêm lançar mais uma pedra no novo hospital. O último vai ser o ministro da Justiça quando vier explicar a providência cautelar. A Segurança Social é uma autêntica quinta rodeada de um muro de compadrio.» A terminar o actual presidente de Trancoso deixou ainda um pensamento: «É mais importante morrer na luta do que morrer na hesitação.»
Encerrou a participação autárquica o candidatos Gustavo Duarte (Vila Nova de Foz Côa) lembrando que os extremos do distrito, Sabugal e Foz Côa, tocam-se pela afinidade de um rio que une. «A arrogância do primeiro-ministro reproduziu-se nas nossas terras. Muitos socratezinhos foram crescendo pelo País e Foz Côa parou. Temos muito a recuperar especialmente no turismo até porque seis das aldeias históricas estão na nossa região.»
Da intervenção de António Robalo subordinada ao tema «Educação e Formação» (disponível para consulta e cópia no final deste artigo) destacamos os compromissos de desenvolver no Centro Social João Paulo II um Centro de Ciência e Actividades Criativas e a abertura no Sabugal de uma Universidade Sénior.
Os autarcas presentes fizeram questão de iniciar os discursos agradecendo ao actual presidente da Câmara Municipal do Sabugal, Manuel Rito, toda a disponibilidade e cooperação ao longo dos últimos anos e felicitando-o na hora da despedida.
Na sessão de encerramento usaram da palavra Álvaro Amaro, presidente da Comissão Política Distrital da Guarda e Paulo Mota Pinto, vice-presidente da Comissão Política Nacional em representação da presidente Manuela Ferreira Leite.
Álvaro Amaro, sem limites de tempo, utilizando um tom inflamado próprio de um comício, começou por informar que apesar de ter tentado falar telefonicamente com a presidente do partido tal ainda não tinha sido possível pedindo por isso a Paulo Mota Pinto que servisse de mensageiro para o desejo de melhoras de todos os guardenses. «Fomos o primeiro distrito a fechar as listas de candidatos. Os autarcas do PSD são o colchão do partido nos bons e maus momentos porque tal como disse Zeca Afonso – a Académica não é um clube, é uma causa – e também nós somos uma causa», disse Álvaro Amaro perante uma atenta plateia. Depois deixou alguns recados para dentro do partido. «Todos nós sentimos a causa do Interior. Nenhum Governo do PSD deixará de contar com vozes muito críticas se não perceber. Esteja onde estiver jamais – jamais não porque pareço o outro – nunca, nunca calarei a minha voz sobre os novos valores da política. É inaceitável que 10 autarcas PSD do distrito da Guarda tenham estado um ano à espera que um secretário de Estado do Turismo os recebesse. A política do carneirismo não tem mais espaço e não podemos viver num país a duas velocidades no litoral e no interior». A finalizar pediu novamente a Paulo Mota Pinto que fosse portador de um aviso dos sociais-democratas do distrito da Guarda. «Soube hoje de manhã que o cabeça-de-lista socialista pela Guarda é Fernando Assis. Como social-democrata sinto-me ofendido. É esta a política velha de quando nos diziam – não têm aí pessoas válidas por isso lá vai mais um – mas nós queremos dizer aqui à presidente do Partido Social Democrata que não aceitamos que nos imponham nenhum nome de fora da Guarda. Não rasgarei o cartão mas saberei tirar conclusões políticas.»
Encerrou o Fórum Autárquico, o vice-presidente Paulo Mota Pinto que esteve no Sabugal em substituição de Manuela Ferreira Leite retida em Lisboa a muitos quilómetros de distância com gripe. O dirigente discursou sobre os grandes desafios nacionais que se colocam ao partido em ano de três eleições. Sobre José Sócrates considerou: «Foram quatro anos de grandes erros. O Governo desistiu de governar. O Governo está esgotado.» Para o Interior não apontou soluções porque «os problemas do Interior não se resolvem do pé para a mão».
No final os participantes foram convidados a dirigirem-se, a pé, até aos jardins do Auditório Municipal onde decorreu um lanche.

Curiosamente Paulo Mota Pinto não foi portador de nenhuma mensagem da presidente laranja para os simpatizantes e militantes presentes no Salão de Festas da Junta de Freguesia do Sabugal.

António Robalo – Discurso de apresentação da candidatura. Aqui.
António Robalo – Discurso no Fórum Autárquico. Aqui.
jcl

A presidente do PSD-Partido Social Democrata, Manuela Ferreira Leite, desloca-se ao Sabugal no domingo, 25 de Julho, para apresentar os candidatos autárquicos às 14 Câmaras do distrito da Guarda. O Fórum Autárquico «Falar Verdade» está marcado para as 15 horas no Salão de Festas da Junta de Freguesia do Sabugal.

O Sabugal será o palco da apresentação nacional dos candidatos sociais-democratas às 14 câmaras do distrito da Guarda.
O Fórum Autárquico «Falar Verdade» está marcado para as 15 horas de domingo, 25 de Julho, no Salão de Festas da Junta de Freguesia do Sabugal e encerrará com um discurso da líder do PSD, Manuela Ferreira Leite.

CONCELHO CANDIDATO POSIÇÃO CÃMARA
Aguiar da Beira Fernando Andrade Recandidatura PSD
Almeida António Baptista Ribeiro Recandidatura PSD
Celorico da Beira Vítor Santos Candidatura PS
Gouveia Álvaro Amaro Recandidatura PSD
F. Castelo Rodrigo António Edmundo Recandidatura PSD
Fornos Algodres José Miranda Recandidatura PSD
Guarda Crespo de Carvalho Candidatura PS
Manteigas José Manuel Biscaia Recandidatura PSD
Mêda João Mourato Recandidatura PSD
Pinhel António Ruas Recandidatura PSD
Sabugal António Robalo Vereador PSD
Seia Luís Caetano Vereador PS
Trancoso Júlio Sarmento Recandidatura PSD
V. N. Foz Côa Gustavo Duarte Vereador PS

Nas últimas eleições autárquicas no distrito da Guarda o PSD alcançou a presidência de dez Câmaras (Sabugal, Almeida, Aguiar da Beira, Figueira de Castelo Rodrigo, Manteigas, Gouveia, Fornos de Algodres, Trancoso, Mêda e Pinhel) e o PS quatro (Guarda, Seia, Celorico da Beira e Vila Nova de Foz Côa).
jcl

O Plano Estratégico de Promoção Turística do Vale do Côa, promovido pela Associação de Municípios daquela região, pretende a criação de uma agência de desenvolvimento que sirva de instituição pivot aos dez municípios do Vale do Côa onde se inclui o Sabugal.

Vale Rio CôaEste plano, executado por uma equipa liderada pelo professor Augusto Mateus, identifica os vectores para o desenvolvimento do território e do turismo propõe ainda uma revisão do modelo de negócio do Parque Arqueológico do Vale do Côa no âmbito da abertura do Museu Internacional do Côa, que deve ser a porta de entrada na região e o centro da sua vivência cultural.
Segundo Augusto Mateus «não vamos a lado nenhum sem uma parceria público privada, e de um conjunto de pessoas novas que venham para cá».
Aquela região é considerada uma das mais pobres e economicamente deprimidas a nível nacional, quando analisado o seu poder de compra sendo constituída por micro empresas, com fracas competências organizacionais e de negócio e onde o modelo de desenvolvimento económico e social até agora prosseguido está centrado em bens não transaccionáveis internacionalmente.
Entretanto Cidadelhe passa a oferecer um Centro Difusor e Pólo de Informação Turística cujo objectivo é receber e encaminhar os visitantes que pretendam conhecer os patrimónios desta freguesia que integra a área do Parque Arqueológico do Vale do Côa.
A Associação de Municípios do Vale do Côa é constituída pelos concelhos do Sabugal, Almeida, Figueira de Castelo Rodrigo, Freixo de Espada à Cinta, Mêda, Mogadouro, Pinhel, Torre de Moncorvo, Trancoso e Vila Nova de Foz Côa.
jcl (com agência Lusa)

As motas entraram por Vilar Maior, mas Alfaiates foi o único ponto de paragem obrigatória no concelho do Sabugal. Junto ao castelo medieval elementos da associação local e da Junta de Freguesia distribuíram sandes, águas e refrigerantes aos participantes.

Associação, Câmara e Junta apoiaram a iniciativaEsta foi a 11.ª edição do Portugal de Lés-a-Lés, iniciativa que junta motards de todo o país e do estrangeiro, para fazerem o percurso de Norte a Sul de Portugal. As motas saíram ontem, dia 12 de Junho, de Boticas, perto de Chaves, tendo como destino final Olhão, no Algarve, onde chegarão amanhã.
O almoço dos participantes foi em Mêda, no distrito da Guarda. Depois as motas seguiram para sul, tendo cruzado o concelho do Sabugal. Passaram pela aldeia histórica de Vilar Maior e dirigiram-se a Alfaiates, local onde tinham um ponto de abastecimento de víveres e de bebidas frescas. Chegaram aos grupos de cerca de dez motociclistas e, após breve paragem, seguiram o seu rumo.
De Alfaiates as cerca de 900 motas foram por Aldeia Velha, Aldeia do Bispo, Fóios, Vale de Espinho, Quadrazais, Sabugal, Aldeia de Santo António e Sortelha, entrando depois na Beira Baixa, em direcção a Castelo Branco, cidade onde a organização garantiu o jantar e a pernoita.
Alfaiates foi a única paragem durante a tarde, e ali os motards foram bem recebidos pelos elementos da Junta de Freguesia, da Câmara e do Centro Cultural e Recreativo de Alfaiates, que lhes ofereceram o esperado apoio. Incasável o presidente da Junta de Freguesia, Francisco Baltazar, garantia que tudo correria pelo melhor. «Este foi o único ponto de paragem no concelho, porque no resto das terras é apenas ver e andar», disse o presidente visivelmente satisfeito pelo papel preponderante de Alfaiates. «O apoio foi garantido pela Câmara Municipal, com a colaboração da Junta de Freguesia e da nossa Associação» disse ainda o autarca.
Muitos populares vieram até ao largo do castelo observar as máquinas que iam chegando sucessivamente em pequenos grupos. Entre os motards reinava a boa disposição. Havia motas de todas as marcas e feitios, desde a mítica Harley até à não menos mítica vespa.
plb

A Mêda e seu concelho receberam em festa, a 27 de Maio, a 19.ª Mini-Volta a Portugal em Cicloturismo, 5.º Passeio a Portugal «Ciclismo para todos» correspondente à 8.ª etapa – Mirandela–Mêda – na distância de 82 Kms, numa organização do Grupo Cultural e Recreativo de Cicloturismo do Vale do Tejo.

Cicloturismo na MêdaCom um total de 15 etapas e um percurso total de 1.100 km, a 19.ª Mini-Volta a Portugal em Cicloturismo disputou-se entre 23 e 31 de Maio de 2009. Teve o seu início em Ribeira de S. João e acabou na Golegã.
Os cerca de 40 participantes concluíram a etapa de dificuldades Grau 8 depois de passarem por Cachão, Vila Flor, Vila Nova de Foz Côa e Touca, tendo sido recebidos frente aos Paços do Concelho de Mêda pelo Presidente do Município, João Mourato.
Após a chegada os cicloturistas foram-se refrescar no Complexo Desportivo das Piscinas Municipais e confraternizar num almoço num restaurante local, onde o Município de Mêda procedeu à distribuição de lembranças.
À tarde, a caravana foi relaxar no Parque de Campismo para prosseguir a caminho da 9.ª etapa – Mêda–Pinhel (59,5 Kms) – dificuldades Grau 2, com a partida a ser dada em frente ao Município de Mêda, onde foram mais uma vez recebidos pelo Presidente da Câmara.
A XIX edição da Mini-Volta a Portugal em Cicloturismo, integra-se no calendário da Federação Portuguesa de Ciclismo como V Passeio a Portugal em Bicicleta «Ciclismo para Todos» e, pela quinta vez, faz parte do calendário UCI–União Ciclista Internacional.
A Mini-Volta a Portugal em Cicloturismo nasceu em Maio de 1991, em Alpiarça, conta com o apoio de uma grande quantidade de associações e é especialmente recomendada pela Fundação Portuguesa de Cardiologia. Daí o mês de Maio ter sido escolhido para a concretização da iniciativa por ser o «mês do coração».
Ao longo dos 19 anos que já leva de vida, a prova foi crescendo, sem esquecer os objectivos de confraternização. A amizade entre os participantes internacionalizou-se com equipas de França e Suíça e hoje é um dos maiores eventos do género que se realizam em Portugal.
O Presidente da Câmara Municipal de Mêda, João Mourato, salientou que «este tipo de actividades desportivas tem uma função pedagógica importante junto das populações, sensibilizando-as não só para o fenómeno desportivo, mas também para a prática de salutares formas de vida, sem esquecer a amizade e a confraternização».
aps

JOAQUIM SAPINHO

DESTE LADO DA RESSURREIÇÃO
Em exibição nos cinemas UCI

Deste Lado da Ressurreição - Joaquim Sapinho - 2012 Clique para ampliar

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 836 outros seguidores

PUBLICIDADE

CARACOL REAL
Produtos Alimentares


Caracol Real - Produtos Alimentares - Cerdeira - Sabugal - Portugal Clique para visitar a Caracol Real


PUBLICIDADE

DOISPONTOCINCO
Vinhos de Belmonte


doispontocinco - vinhos de belmonte Clique para visitar Vinhos de Belmonte


CAPEIA ARRAIANA

PRÉMIO LITERÁRIO 2011
Blogue Capeia Arraiana
Agrupamento Escolas Sabugal

Prémio Literário Capeia Arraiana / Agrupamento Escolas Sabugal - 2011 Clique para ampliar

BIG MAT SABUGAL

BigMat - Sabugal

ELECTROCÔA

Electrocôa - Sabugal

TALHO MINIPREÇO

Talho Minipreço - Sabugal



FACEBOOK – CAPEIA ARRAIANA

Blogue Capeia Arraiana no Facebook Clique para ver a página

Já estamos no Facebook


31 Maio 2011: 5000 Amigos.


ASSOCIAÇÃO FUTEBOL GUARDA

ASSOCIAÇÃO FUTEBOL GUARDA

ESCOLHAS CAPEIA ARRAIANA

Livros em Destaque - Escolha Capeia Arraiana
Memórias do Rock Português - 2.º Volume - João Aristides Duarte

Autor: João Aristides Duarte
Edição: Autor
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)
e: akapunkrural@gmail.com
Apoio: Capeia Arraiana



Guia Turístico Aldeias Históricas de Portugal

Autor: Susana Falhas
Edição: Olho de Turista
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)



Música em Destaque - Escolha Capeia Arraiana
Cicatrizando

Autor: Américo Rodrigues
Capa: Cicatrizando
Tema: Acção Poética e Sonora
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)



SABUGAL – BARES

BRAVO'S BAR
Tó de Ruivós

Bravo's Bar - Sabugal - Tó de Ruivós

LA CABAÑA
Bino de Alfaiates

La Cabaña - Alfaiates - Sabugal


AGÊNCIA VIAGENS ON-LINE

CERCAL – MILFONTES



FPCG – ACTIVIDADES

FEDERAÇÃO PORTUGUESA
CONFRARIAS GASTRONÓMICAS


FPCG-Federação Portuguesa Confrarias Gastronómicas - Destaques
FPCG-Federação Portuguesa Confrarias Gastronómicas Clique para visitar

SABUGAL

CONFRARIA DO BUCHO RAIANO
II Capítulo
e Cerimónia de Entronização
5 de Março de 2011


Confraria do Bucho Raiano  Sabugal Clique aqui
para ler os artigos relacionados

Contacto
confrariabuchoraiano@gmail.com


VILA NOVA DE POIARES

CONFRARIA DA CHANFANA

Confraria da Chanfana - Vila Nova de Poiares Clique para visitar



OLIVEIRA DO HOSPITAL

CONFRARIA DO QUEIJO
SERRA DA ESTRELA


Confraria do Queijo Serra da Estrela - Oliveira do Hospital - Coimbra Clique para visitar



CÃO RAÇA SERRA DA ESTRELA

APCSE
Associação Cão Serra da Estrela

Clique para visitar a página oficial


SORTELHA
Confraria Cão Serra da Estrela

Confraria do Cão da Serra da Estrela - Sortelha - Guarda Clique para ampliar



SABUGAL

CASA DO CASTELO
Largo do Castelo do Sabugal


Casa do Castelo


CALENDÁRIO

Dezembro 2017
S T Q Q S S D
« Fev    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Arquivos

CATEGORIAS

VISITANTES ON-LINE

Hits - Estatísticas

  • 3,043,870 páginas lidas

PAGERANK – CAPEIA ARRAIANA

BLOGOSFERA

CALENDÁRIO CAPEIAS 2012

BLOGUES – BANDAS MÚSICA

SOC. FILARM. BENDADENSE
Bendada - Sabugal

BANDA FILARM. CASEGUENSE
Casegas - Covilhã


BLOGUES – DESPORTO

SPORTING CLUBE SABUGAL
Presidente: Carlos Janela

CICLISMO SERRA ESTRELA
Sérgio Gomes

KARATE GUARDA
Rui Jerónimo

BLOGUES RECOMENDADOS

A DONA DE CASA PERFEITA
Mónica Duarte

31 DA ARMADA
Rodrigo Moita de Deus

A PÁGINA DO ZÉ DA GUARDA
Crespo de Carvalho

ALVEITE GRANDE
Luís Ferreira

ARRASTÃO
Daniel Oliveira

CAFÉ PORTUGAL
Rui Dias José

CICLISMO SERRA ESTRELA
Sérgio Paulo Gomes

FANFARRA SACABUXA
Castanheira (Guarda)

GENTES DE BELMONTE
Investigador J.P.

CAFÉ MONDEGO
Américo Rodrigues

CCSR BAIRRO DA LUZ
Alexandre Pires

CORREIO DA GUARDA
Hélder Sequeira

CRÓNICAS DO ROCHEDO
Carlos Barbosa de Oliveira

GUARDA NOCTURNA
António Godinho Gil

JOGO DE SOMBRAS
Rui Isidro

MARMELEIRO
Francisco Barbeira

NA ROTA DAS PEDRAS
Célio Rolinho

O EGITANIENSE
Manuel Ramos (vários)

PADRE CÉSAR CRUZ
Religião Raiana

PEDRO AFONSO
Fotografia

PENAMACOR... SEMPRE!
Júlio Romão Machado

POR TERRAS DE RIBACÔA
Paulo Damasceno

PORTUGAL E OS JUDEUS
Jorge Martins

PORTUGAL NOTÁVEL
Carlos Castela

REGIONALIZAÇÃO
António Felizes/Afonso Miguel

ROCK EM PORTUGAL
Aristides Duarte

SOBRE O RISCO
Manuel Poppe

TMG
Teatro Municipal da Guarda

TUTATUX
Joaquim Tomé (fotografia)

ROTA DO CONTRABANDO
Vale da Mula


ENCONTRO DE BLOGUES NA BEIRA

ALDEIA DA MINHA VIDA
Susana Falhas

ALDEIA DE CABEÇA - SEIA
José Pinto

CARVALHAL DO SAPO
Acácio Moreira

CORTECEGA
Eugénia Santa Cruz

DOUROFOTOS
Fernando Peneiras

O ESPAÇO DO PINHAS
Nuno Pinheiro

OCEANO DE PALAVRAS
Luís Silva

PASSADO DE PEDRA
Graça Ferreira



FACEBOOK – BLOGUES