You are currently browsing the category archive for the ‘Rendo’ category.

Realizou-se no passado domingo o quarto Passeio Micológico de Rendo, reunindo participantes do concelho e até de terras mais longínquas, como Mangualde e Caldas da Rainha.

Num dia em que o sol se escondia por entre as nuvens, os cerca de 70 participantes saíram pelas 10h para um passeio onde todos puderam ver no campo algumas espécies micológicas, seguindo as palavras do técnico da DRAP, o Engº Gravito Henriques.
À chegada à casa do povo, os participantes puderam saborear alguns cogumelos como entrada, seguidos da nossa já tradicional feijoada de javali e do queijo da nossa terra e tartes de cantarelus.
Pelo meio da tarde, foi feita a palestra do Engº Gravito Henriques, que identificou e definiu as várias espécies que se encontravam em exposição, as quais haviam sido apanhadas pelo nosso sócio Luís Marcos.
O final da tarde foi mais uma etapa gastronómica, em que foram confeccionadas várias espécies de cogumelos de outras tantas maneiras, inclusive um arroz de cogumelos.
plb (com ACDRRENDO)

Anúncios

A Associação Cultural Desportiva e Recreativa de Rendo vai organizar o seu passeio campestre com o objectivo de identificar os fungos a que o povo chama míscaros e tartulhos, mas a que se tornou uso chamar «cogumelos» e agora (em versão erudita) «espécies micológicas».

Segundo a associação, com a entrada do Outono, o verde começa a chegar ao campos e as várias espécies micológicas que todos conhecemos aparecem pelo meio da vegetação.
Assim, no próximo dia 4 de Novembro, iremos realizar o nosso habitual passeio, onde todos podemos aprender um pouco mais sobre estas espécies, como e onde se desenvolvem, bem como as podemos preparar e integrar na nossa alimentação, sendo servidos o tradicional almoço e todas as provas de cogumelos a que estamos habituados.
A organização convida os interessados a irem a Rendo passa um dia em boa companhia, desfrutando da natureza e do convívio.
plb

A sétima etapa da 74ª edição da Volta a Portugal em Bicicleta, que se realiza a 23 de Agosto, terá a meta no Sabugal, cidade onde os ciclistas passarão por duas vezes antes de aí terminarem a etapa.

Mais de 100 quilómetros da etapa, num total de 185, serão percorridos no concelho do Sabugal, numa autêntica «volta ao concelho».
Os ciclistas sairão de Gouveia onde e seguirão para a Guarda, tomando depois a estrada nacional 16 até ao Alto do Leomil, onde tomarão a estrada para o Sabugal. Entrarão no concelho do Sabugal pela Cerdeira, passando depois no Peroficós, Rapoula do Côa e Quintas de São Bartolomeu. Passam pelo Sabugal sem parar, seguindo para Santo Estêvão, Terreiro das Bruxas e Casteleiro. Dali seguirão para a aldeia histórica de Sortelha, de onde prosseguirão para a Urgueira e Aldeia de Santo António, para depois passarem pelo Sabugal pela segunda vez, de onde rumarão a Rendo, Vila Boa, Nave, Alfaiates, Soito, Quadrazais, Colónia, chegando depois ao Sabugal pela terceira e derradeira vez, onde cortarão a meta.
Nesta sétima etapa os ciclistas contarão com maiores dificuldades na escalada à cidade da Guarda. Depois o pelotão terá pela frente um percurso embelezado pelas ricas paisagens do planalto raiano e pela passagem na aldeia histórica de Sortelha, em cuja subida os ciclistas, vindos do vale da Quarta-Feira, sentirão também algumas dificuldades.
O Sabugal que, que no ano passado foi local de partida da Volta, recebe este ano, pela primeira vez, um final de etapa.
A edição deste ano da Volta começa em Castelo Branco e termina em Lisboa, sendo no total 11 dias de prova (em Agosto) e 10 etapas (1.606,8 km):
Dia 15: Prólogo (CRI), Castelo Branco – Castelo Branco, 2 km.
Dia 16: 1.ª etapa, Termas de Monfortinho – Oliveira do Hospital, 200,8 km.
Dia 17: 2.ª etapa, Oliveira do Bairro – Trofa, 190,7 km.
Dia 18: 3.ª etapa, Vila Nova de Cerveira – Fafe, 176,1 km.
Dia 19: 4.ª etapa, Viana do Castelo – Mondim de Basto (Senhora da Graça), 151,9 km.
Dia 20: 5.ª etapa, Armamar – Oliveira de Azeméis, 176,9 km.
Dia 21: 6.ª etapa, Aveiro – Viseu, 186,1 km.
Dia 22: Descanso.
Dia 23: 7.ª etapa Gouveia – Sabugal, 185,3 km
Dia 24: 8.ª etapa, Guarda – Alto da Torre, 154,9 km.
Dia 25: 9.ª etapa (CRI), Pedrógão – Leiria, 32,6 km.
Dia 26: 10.ª etapa, Sintra – Lisboa, 149,5 km.

A prova contará com mais de uma centena de ciclistas de 16 equipas de vários países: Andalucia-Coldeportes (Colômbia), Andalucia (Espanha), Caja Rural (Espanha), Saur-Sojasun (Espanha), Unitedhealthcare (EUA). Carmim-Prio (Portugal), Efapel-Glassdrive (Portugal), LA-Antarte (Portugal), Onda (Portugal), Funvic-Pindamonhangaba (Brasil), Orbea Continental (Espanha), Burgos BH.Castilla y Leon (Espanha), Itera-Katusha (Rússia), Lokosphinx (Rússia), Team Bonitas (África do Sul), MTN Qhubeka (África do Sul).
plb

O presidente da Câmara Municipal do Sabugal, António Robalo, prometeu em campanha a concretização de um «sonho»: a construção de «um parque temático com atractidade internacional». Só que o devaneio andava a ser burilado por António Reis – aquele que, mancomunado com o tunisino Hamdi Benchaabane, também sonha abarcar o negócio da compra e venda de terrenos bordejantes à barragem, no termo de Malcata.

António Reis visitou um dia o parque de Guédelon, em França, onde se constrói um castelo medieval segundo as técnicas usadas no século X. O encanto com o parque francês levou-o a expor ao edil sabugalense um projecto similar: recriar na orla do Côa uma aldeia medieval em construção, com figurantes trajados à moda antiga, casas em obras, incluindo a edificação de uma muralha defensiva e uma judiaria, a que acresce um acampamento mouro a assediar a fortaleza cristã.
Extasiado, o autarca sabugalense percorreu, de mão dada com António Reis, o concelho em demanda de um local aprazível, onde houvesse fartura de água, pedra, madeira e barro, condicionantes essenciais para a instalação do empreendimento. E os terrenos eleitos foram os envolventes à Quinta dos Moinhos, na curva do Côa, confluentes com os termos das freguesias do Baraçal e de Rendo, em lugar encantador, um nada a montante de Roque Amador.
O empreendedor António Reis deu-lhe o mote para um projecto avassalador, garantindo-lhe que não faltarão apoios. Israel ajudará na implantação de uma judiaria e Marrocos apoiará a instalação do acampamento mouro, numa parceria internacional, que, bem trabalhada, até poderá proporcionar a assinatura de um novo tratado de paz Israelo-árabe.
Segundo um projecto, já entregue na Câmara, o sublime parque terá cerca de 150 hectares, onde será implantada a aldeia medieval em construção, com casas populares e senhoriais, hospedaria, igreja, alcaidaria, mercado, anfiteatro, arena de combates, campo de jogos, e até uma ponte antiga ligando as duas margens do rio. Ao deslado estarão a pedreira, a serração e a exploração de barro, para recolha da matéria-prima a usar nos trabalhos de construção.
Será um parque deslumbrante, onde os visitantes (estão previstos 500 lugares para estacionamento de veículos) se impregnarão do espírito da Idade Média, que ali se reviverá. Trajados com as indumentárias da época avançarão com alma para a construção das casas e da muralha, tratarão as couves e as beterrabas das hortas, participarão nos jogos e nos combates simulados. Só terão de escolher entre ser cristãos, mouros ou judeus, que ali há lugar para todos.
A Câmara, inebriada com o projecto, propôs-se custear o estudo de impacto ambiental ao amigo Reis, no valor de 30 mil euros, o que apenas não avançou porque a oposição política, achando que havia ali encantamento a mais, reprovou essa pretensão do presidente numa recente reunião do executivo autárquico.
O responsável acto de rejeição da proposta de ser a autarquia a arcar com a despesa do estudo obrigatório, significa que há vereadores atentos ao que os rodeia e que não se deixam embevecer com encantamentos, pois, está bom de ver, o projecto do parque temático de António Reis não passa de um clamoroso engodo ao apetecível negócio dos terrenos de Malcata.
«Contraponto», opinião de Paulo Leitão Batista

leitaobatista@gmail.com

O queijo «Quinta da Cabreira», produzido pela Lactibar – Lacticínios do Sabugal, com a sede em Rendo, foi distinguindo como o «Melhor Queijo 2011» na categoria «Queijo de Cabra (cura prolongada)» no concurso promovido pela Associação Nacional dos Industriais de Lacticínios (ANIL) em cooperação com o Parque de Exposições de Aveiro (AveiroExpo).

LactibarO «Quinta da Cabreira» foi rei na Feira Nacional do Leite e do Bovino (FRILAC), que se realizou em Aveiro, de 27 a 30 de Outubro. O prémio foi entregue no decurso da FRILAC, onde a MeimoaCoop também recebeu uma menção honrosa pelo queijo «Serra da Malcata», na mesma categoria.
Apresentaram-se a concurso 142 queijos provenientes de todo o país, muitos deles da região das Beiras.
O júri do concurso foi composto por 20 provadores, de entre técnicos, especialistas e simples consumidores, que fizeram uma «prova cega» a todos os queijos apresentados a concurso. Após a prova era elaborada uma grelha com diferentes critérios a assinalar, como o sabor, a textura, o aroma e o odor, o que permitiu uma apreciação independente, o que valoriza ainda mais os prémios que foram atribuídos.
A Lactibar, que produz o «Quinta da Cabreira», é uma empresa de lacticínios, que utiliza matéria-prima de qualidade vinda da região onde se insere. Produz queijos muito apreciados em todo o país e no estrangeiro, mormente nos mercados espanhol e francês.
plb

O PSD alcançou um resultado histórico no distrito da Guarda elegendo três dos quatro deputados e alterando o tradição equilíbrio (2 e 2) entre os PSD e o PS. O PSD venceu em todos os concelhos do distrito da Guarda tendo alcançado no concelho do Sabugal 3472 votos (48,20%) contra 2004 (27,82%) do PS.

No círculo eleitoral da Guarda o Partido Social Democrata elegeu três deputados – Manuel Meirinho, Carlos Peixoto e Ângela Guerra – e o Partido Socialista apenas um deputado – Paulo Campos – ficando de fora, como grande derrotado da noite, José Albano que se posicionava em segundo lugar. O distrito da Guarda elege quatro deputados e tradicionalmente têm sido divididos entre os sociais-democratas e os socialistas.
Manuel Meirinho em declarações à agência Lusa considerou que a candidatura do PSD alcançou «um resultado histórico». O Partido Social Democrata, liderado pelo politólogo independente, alcançou 46,32 por cento dos votos, elegendo três deputados. Já o PS conseguiu 28,31 por cento dos votos e elegeu apenas um deputado, o que já não ocorria desde 1995, altura em que os dois partidos passaram a eleger dois deputados cada.
«É um resultado histórico para o distrito, que expressa o esforço feito numa campanha de proximidade junto das pessoas, séria e serena, muito transparente e muito sóbria», afirmou à Lusa Manuel Meirinho, eleito deputado pelo distrito da Guarda, tal como Carlos Peixoto e Ângela Guerra. Segundo Manuel Meirinho, os eleitores do distrito «preferiram a seriedade a uma campanha feita de forma agressiva e com algum vazio do ponto de vista das ideias» e garantiu que o partido trabalhou para obter «uma grande vitória».
Quanto ao facto de a lista distrital ter sido liderada por um independente, disse que a «mistura» de militantes e de independentes «mostra aos eleitores que os partidos são estruturas abertas».

ELEIÇÕES LEGISLATIVAS  –  5-6-2011
DISTRITO DA GUARDA

CONCELHO DO SABUGAL  –  FREGUESIA A FREGUESIA
Águas Belas Aldeia da Ponte Aldeia da Ribeira Aldeia S.António Aldeia do Bispo
Aldeia Velha Alfaiates Badamalos Baraçal Bendada
Bismula Casteleiro Cerdeira Fóios Forcalhos
Lageosa da Raia Lomba Malcata Moita Nave
Penalobo Pousafoles Quadrazais Quintas S. B. Rapoula do Côa
Rebolosa Rendo Ruivós Ruvina Sabugal
Santo Estêvão Seixo do Côa Sortelha Soito Vale das Éguas
Vale de Espinho Valongo do Côa Vila Boa Vila do Touro Vilar Maior

(Clique nas imagens para ampliar.)

jcl

A Associação Cultural Desportiva e Recreativa de Rendo (ACDRR) realizou nos dias 20, 21 e 22 de Agosto a 5.ª edição do Torneio de Futsal daquela freguesia do concelho do Sabugal. Reportagem da jornalista Andreia Marques com imagem de Sérgio Caetano da redacção da LocalVisãoTv (Guarda).

Local Visão Tv - Guarda
Vodpod videos no longer available.

jcl

Os vereadores que compõem o executivo camarário do Município do Sabugal não se entendem em relação aos termos em que deve ser apoiada uma família carenciada na compra de uma habitação condigna.

Camara Municipal do SabugalDepois de acesa discussão, a câmara deliberou, na reunião de 4 de Agosto de 2010, a aquisição de um imóvel na freguesia de Rendo por 15 mil euros para que a família, de etnia cigana, se instale. Nos termos da deliberação, a que o Capeia Arraiana teve acesso, a casa deverá ser afectada a uma «eventual» bolsa de imóveis a criar com o objectivo de apoiar famílias em situação de pobreza ou de exclusão social .
A proposta foi aprovada com os votos dos vereadores do PSD e do MPT, tendo o PS votado contra, declarando que a nova decisão revogava uma outra tomada há um ano pelo executivo, por unanimidade, sem que a informação da impossibilidade em se executar essa decisão anterior tivesse chegado. Os socialistas reclamam ainda a elaboração de um regulamento camarário para este tipo de apoios sociais, «para resolver estas situações todas no concelho e não uma em especial», declarou Luís Sanches em nome dos vereadores do PS.
De facto o assunto já fora analisado na reunião de 18 de Setembro de 2009, ainda pelo executivo anterior, altura em que foi deliberado, por unanimidade, adquirir a casa de habitação da família no Casteleiro, pelo valor de 9 mil euros, devendo a família «tratar de adquirir a casa de Rendo pelo valor de 15 mil euros através de empréstimo na Caixa de Crédito Agrícola».
O problema também fora debatido na reunião de 7 de Julho deste ano, altura em que a proposta do PSD foi lançada, cabendo à vice-presidente da Câmara, Delfina Leal, defender a aquisição do imóvel, considerando que «a deliberação a tomar era praticamente a mesma, só que em vez de 9 mil euros a casa custaria 12 mil, e em vez de se estar a tratar de uma casa sem condições de habitabilidade, estava a falar-se agora de uma casa com condições de habitabilidade e que resolvia os problemas».
Porém no dia 4 de Agosto a proposta voltou à mesa, mas já com um valor de aquisição que atinge os 15 mil euros, sendo a mesma de novo votada e aprovada.
plb

A Associação Cultural Desportiva e Recreativa de Rendo (ACDRR), vai realizar nos dias 20, 21 e 22 de Agosto a quinta edição do Torneio de Futsal daquela freguesia do concelho do Sabugal.

As inscrições das equipas interessadas em participar no torneio têm como data limite o dia 14 de Agosto, realizando-se no dia 16, às 19 horas, o respectivo sorteio. As equipas serão divididas em grupos, que disputarão entre os jogos que definirão as que passam à fase seguinte, onde terão lugar eliminatórias até que se chegue à final, que definirá o campeão desta edição de 2010.
A associação estabeleceu bons prémios para as equipas que atingirem os três primeiros lugares, havendo ainda troféus para o melhor marcador, o melhor guarda-redes e para a equipa mais disciplinada.
As inscrições podem fazer-se para os contactos: 963906110 ou 967821860, ou ainda para o endereço electrónico: acdrrendo@sapo.pt.
Na edição de 2009 participaram no Torneio de Futsal de Rendo, igualmente disputado em Agosto, 16 equipas, algumas das quais vindas de fora do concelho do Sabugal.
A excelente organização e os bons prémios previstos têm feito deste torneio desportivo, organizado pela ACDRR, um dos mais prestigiados da região, facto que cria uma grande expectativa para a quinta edição do evento.
plb

A Portaria n.º 412/2010, de 28 de Junho, renovou a zona de caça municipal da Serra do Homem da Pedra e a Portaria n.º 451/2010, de 29 de Junho, renovou a zona de caça municipal do Médio Côa, situadas no município do Sabugal.

Zona Caça Municipal - SabugalEm 2004 foram criadas pelas Portarias nos. 142/2004, e 144/2004, de 12 de Fevereiro, as zonas de caça municipais da Serra do Homem da Pedra (2236 ha) e do Médio Côa (6116 ha), situadas no município do Sabugal. As concessões eram válidas por seis anos e a sua gestão foi transferida para o município do Sabugal que requereu as suas renovações.
O Secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural o Secretário de Estado do Ambiente cumpridos os preceitos legais e no uso das competências delegadas pelo Ministro da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas pelo Despacho n.º 78/2010, de 5 de Janeiro, e delegadas pela Ministra do Ambiente e do Ordenamento do Território pelo Despacho n.º 932/2010, de 14 de Janeiro, publicaram em Diário da República as Portaria 412/2010, de 28 de Junho e 451/2010, de 29 de Junho, renovando as transferências das zonas de caça municipais da Serra do Homem da Pedra e do Médio Côa.
Zona de Caça Municipal da Serra do Homem da Pedra (2236 ha) – Terrenos cinegéticos sitos nas freguesias de Aldeia Velha, Alfaiates, Nave, Quadrazais, Soito e Vale de Espinho, todas no município do Sabugal.
Zona de Caça Municipal do Médio Côa (6116 ha) – Terrenos cinegéticos sitos nas freguesias de Aldeia da Ribeira, Badamalos, Bismula, Nave, Quadrazais, Rapoula do Côa, Rebolosa, Rendo, Ruivós, Ruvina, Sabugal, Soito, Vale das Éguas, Valongo do Côa, Vila Boa e Vilar Maior, todas no município do Sabugal.

Portaria n.º 412/2010, de 29 de Junho. Aqui.
Portaria n.º 451/2010, de 29 de Junho. Aqui.
jcl

CÂMARA MUNICIPAL – Resultados finais no Concelho do Sabugal.

ELEIÇÕES PARA AS AUTARQUIAS LOCAIS – 11-10-2009

CÂMARA MUNICIPAL DO SABUGAL

CONCELHO DO SABUGAL – FREGUESIA A FREGUESIA
Águas Belas Aldeia da Ponte Aldeia da Ribeira Aldeia S.António Aldeia do Bispo
Aldeia Velha Alfaiates Badamalos Baraçal Bendada
Bismula Casteleiro Cerdeira Fóios Forcalhos
Lageosa da Raia Lomba Malcata Moita Nave
Penalobo Pousafoles Quadrazais Quintas S. B. Rapoula do Côa
Rebolosa Rendo Ruivós Ruvina Sabugal
Santo Estêvão Seixo do Côa Sortelha Soito Vale das Éguas
Vale de Espinho Valongo do Côa Vila Boa Vila do Touro Vilar Maior

(Clique nas imagens para ampliar.)


Fonte: DGAI-Direcção-Geral da Administração Interna.
jcl e plb

ASSEMBLEIA MUNICIPAL – Resultados finais no Concelho do Sabugal.

ELEIÇÕES PARA AS AUTARQUIAS LOCAIS – 11-10-2009

ASSEMBLEIA MUNICIPAL DO SABUGAL

CONCELHO DO SABUGAL – FREGUESIA A FREGUESIA
Águas Belas Aldeia da Ponte Aldeia da Ribeira Aldeia S.António Aldeia do Bispo
Aldeia Velha Alfaiates Badamalos Baraçal Bendada
Bismula Casteleiro Cerdeira Fóios Forcalhos
Lageosa da Raia Lomba Malcata Moita Nave
Penalobo Pousafoles Quadrazais Quintas S. B. Rapoula do Côa
Rebolosa Rendo Ruivós Ruvina Sabugal
Santo Estêvão Seixo do Côa Sortelha Soito Vale das Éguas
Vale de Espinho Valongo do Côa Vila Boa Vila do Touro Vilar Maior

(Clique nas imagens para ampliar.)


Fonte: DGAI-Direcção-Geral da Administração Interna.
jcl e plb

JUNTAS DE FREGUESIA – Resultados finais no Concelho do Sabugal.

ELEIÇÕES PARA AS AUTARQUIAS LOCAIS – 11-10-2009

JUNTAS DE FREGUESIA DO SABUGAL

CONCELHO DO SABUGAL – FREGUESIA A FREGUESIA
Águas Belas Aldeia da Ponte Aldeia da Ribeira Aldeia S.António Aldeia do Bispo
Aldeia Velha Alfaiates Badamalos Baraçal Bendada
Bismula Casteleiro Cerdeira Fóios Forcalhos
Lageosa da Raia Lomba Malcata Moita Nave
Penalobo Pousafoles Quadrazais Quintas S. B. Rapoula do Côa
Rebolosa Rendo Ruivós Ruvina Sabugal
Santo Estêvão Seixo do Côa Sortelha Soito Vale das Éguas
Vale de Espinho Valongo do Côa Vila Boa Vila do Touro Vilar Maior

(Clique nas imagens para ampliar.)


Fonte: DGAI-Direcção-Geral da Administração Interna.
jcl e plb

O Partido Socialista (PS) venceu as eleições para a Assembleia da República no distrito da Guarda com 36.825 votos que correspondem a 35,97% do total dos eleitores votantes enquanto o Partido Social Democrata (PSD) obteve 36.419 votos (35,57%). No concelho do Sabugal os socialistas venceram também, com 2.924 votos (35,67%) tendo os social-democratas alcançado 2.857 votos (34,85%). Na terceira posição ficou o CDS-PP, que obteve 1.008 votos (12,3%).

O PS e o PSD (separados por 406 votos) foram os dois partidos mais votados nas 336 freguesias dos 14 concelhos do distrito da Guarda. Foram às urnas 102.380 eleitores (58,33%) num universo de 175.522 votantes. Os resultados provocaram a repetição da divisão (dois para cada lado) dos quatro deputados do círculo eleitoral da Guarda. O PS elegeu os candidatos Francisco José Pereira de Assis Miranda e José Albano Pereira Marques e o PSD assegurou António Carlos Sousa Gomes da Silva Peixoto e João José Pina Prata.
Nas 40 freguesias do concelho do Sabugal votaram 8197 eleitores (50,28%) num total de 16304 inscritos nos cadernos eleitorais.

ELEIÇÕES PARA A ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA – 27-9-2009
DISTRITO DA GUARDA CONCELHO DO SABUGAL
Total – 14 Concelhos Total – 40 Freguesias

(Clique nas imagens para ampliar.)

No concelho do Sabugal o Partido Social Democrata (PSD) venceu em 23 freguesias contabilizando 2857 votantes (34,58%). O Partido Socialista (PS) obteve o primeiro lugar em 16 freguesias com 2924 votos (35,67%): Aldeia da Ponte, Aldeia de Santo António, Bendada, Bismula, Casteleiro, Fóios, Malcata, Moita, Quadrazais, Quintas de S. Bartolomeu, Rebolosa, Sabugal, Santo Estêvão, Sortelha, Vila Boa e Valongo. Em Badamalos houve um empate entre os dois partidos, ambos obtendo 13 votos.

O Capeia Arraiana publica de seguida os resultados finais das eleições para a Assembleia da República nas freguesias do concelho do Sabugal.

ELEIÇÕES PARA A ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA – 27-9-2009
CONCELHO DO SABUGAL – FREGUESIA A FREGUESIA
Águas Belas Aldeia da Ponte Aldeia da Ribeira Aldeia S.António Aldeia do Bispo
Aldeia Velha Alfaiates Badamalos Baraçal Bendada
Bismula Casteleiro Cerdeira Fóios Forcalhos
Lageosa da Raia Lomba Malcata Moita Nave
Penalobo Pousafoles Quadrazais Quintas S. B. Rapoula do Côa
Rebolosa Rendo Ruivós Ruvina Sabugal
Santo Estêvão Seixo do Côa Sortelha Soito Vale das Éguas
Vale de Espinho Valongo do Côa Vila Boa Vila do Touro Vilar Maior

(Clique nas imagens para ampliar.)

Concelho do Sabugal – Total de Inscritos: 16304. Votantes: 8197 (50,28%).
Em Branco: 109 (1,33%). Nulos: 176 (2,15%).
jcl e plb

Continuando a análise do livro de apontamentos do Dr Francisco Maria Manso, vamos encontrando pormenores curiosos, que integram a história da construção do hospital do Sabugal. Desta vez optamos por fazer uma transcrição integral das palavras do médico de Aldeia do Bispo, que acompanhou de perto os trabalhos da Comissão da Misericórdia.

Romeu Bispo«Em 1930, após os anúncios nos jornais apareceu um arrematante único propondo fazer as paredes, pondo a C. da Mesericórdia a pedra, por 140 contos!!!
Resolveu-se fazer o hospital por administração directa. O sr. Sousa Martins, da Comissão da Mesericórdia, escreveu para esse fim, servindo-se de todos os meios para dar imediato e bom andamento à obra, de pleno acordo com os restantes membros da Comissão.
Começaram novamente as obras, pelo corte de pedra em “Rendo”, em meados de Julho de 1930, sendo o pessoal de pedreiros quasi todo de “Alcains”.
19-01-931 Continuam as obras estando a ser construído o pavilhão lateral, poente. Começou hoje o corte das madeiras de carvalho que serão oferecidas por vários proprietários, sendo as cortadas hoje oferecidas pelo benemérito Sr. Pe. J. Manuel Nabais.
Manuscrito de Francisco Maria MansoRecebi até esta data duas cartas de sua Exª. Sr.”Nuno de Montemor” pondo-se à disposição da Comissão do Hospital para trabalhar para tão grande melhoramento. Nessas cartas aparece constantemente a bela alma de sua Exª e na sua redacção há mimos de literatura espontâneos, reveladores das suas qualidades de artista das letras que é. Respondi a essas cartas aceitando tão valioso auxílio e com ele contaremos de futuro.
Enviei à Comissão da Mesericórdia um ofício com dez mil escudos, importância que resolvemos na Junta Geral do Distrito, dar para a continuação das obras.
21-Março de 1931 Apesar do dia chuvoso e pouco agradável, deram entrada na vila 17 carros de madeira de carvalho, pinho e castanho, de Aldeia de Sto. António Urgeira e Ameaes, madeira oferecida ao hospital. Estas povoações tinham já oferecido mais 12 carros. A povoação do Baraçal ofereceu 29 carros que deram entrada também pela vila fora, em ar de intensa alegria pela valiosa oferta.
Se no íntimo do homem existe a fera antiga, como querem alguns pessimistas, desejava que assistissem a factos destes para se convencerem que a generosidade humana é uma virtude real e se não a vemos praticada constantemente é porque não há todos os dias ocasiões para ser praticada. Depois são esses pessimistas que não acreditando no que existe de bom no género humano se encerram num feroz egoísmo, incapazes de ao seu semelhante fazerem o mais ligeiro benefício e então o “semelhante” paga-lhe e com toda a justiça em moeda igual e assim lhe parece encontrar “feras” em lugar de homens, começando elas a contar por eles! …
Que seja boa, alevantada e digna a nossa acção e encontraremos, com surpresa do coração humano tudo o que tem de melhor.»
Romeu Bispo
(Provedor da Santa Casa da Misericórdia do Sabugal)

A equipa da Rapoula do Côa venceu o 4.º Torneio de Futsal de Rendo organizado pela ACDR Rendo (Associação Cultural Desportiva e Recreativa de Rendo) no polidesportivo da localidade nos passados dias 21, 22 e 23 de Agosto. Este evento teve como fim promover a prática desportiva, o fair-play e a competição saudável, o convívio e a própria aldeia.

Torneio Futsal RendoO torneio de futsal teve na equipa da Rapoula do Côa um justo vencedor.
Nos dois primeiros dias realizou-se a fase de grupos, onde as 16 equipas, divididas em quatro, competiram entre si, apurando os dois melhores de cada grupo. No domingo, o último dia, disputaram-se os quartos-de-final, as meias-finais e a final do torneio.
Rapoula do Côa e Amoreira foram os finalistas deste torneio e ambas as equipas se bateram aguerridamente pela vitória. Pode dizer-se que foi uma
final emotiva com bastantes espectadores nas bancadas, num jogo bastante equilibrado, que acabou com o resultado de 4-2 favorável à equipa da Rapoula
do Côa.
Na luta pelo 3.º e 4.º lugares opuseram-se as equipas de Vila Boa e Rebolosa, saindo vencedores os vilaboenses por 3-1 e conquistando, assim, o terceiro lugar do
torneio.
De lamentar, durante alguns jogos deste torneio, a falta de algum fair-play demonstrado por algumas equipas, o que de alguma forma veio
afectar o sucesso deste evento.
No final foram atribuídos prémios especiais aos três primeiros e de participação aos restantes. A organização atribui, ainda os seguintes prémios:
«Prémio Fair-Play», Leiria; «Melhor Guarda-Redes»: Pedro Rosário (Rebolosa); e «Melhor Marcador»: Ricardo (Amoreira).
De realçar a participação de equipas neste torneio oriundas, do distrito de Lisboa e de Leiria, para além de equipas do concelho do Sabugal, Guarda e Almeida.
A ACDR Rendo agradece a todas as equipas participantes, às equipas de arbitragem, à Junta de Freguesia de Rendo e a todos aqueles que tornaram possível a realização deste evento, pois sem eles seria impossível realizá-lo.
A todos o nosso «Muito Obrigado».

Fotos do Torneio. Aqui.
Luís Marcos

O PSD venceu as eleições para o Parlamento Europeu no distrito da Guarda com 25.783 votos que correspondem a 40,76% do total dos eleitores votantes enquanto o PS obteve 17.032 votos (26,92%). No concelho do Sabugal os sociais-democratas foram o partido mais votado com 2065 votos (41,95%) tendo os socialistas alcançado 1248 votos (25,35%).

ELEIÇÕES PARA O PARLAMENTO EUROPEU – 7-6-2009
DISTRITO DA GUARDA CONCELHO DO SABUGAL

(Clique nas imagens para ampliar.)

No concelho do Sabugal o Partido Social Democrata (PSD) venceu em 35 freguesias. O Partidos Socialista obteve o primeiro lugar em Valongo do Côa, Moita, Fóios, Casteleiro e Bendada. Em Aldeia Velha o MEP, de Laurinda Alves (com raízes na freguesia), obteve o segundo lugar com 35 votos.

O Capeia Arraiana publica, de seguida, os resultados finais das eleições ao Parlamento Europeu nas freguesias do concelho do Sabugal.

ELEIÇÕES PARA O PARLAMENTO EUROPEU – 7-6-2009
CONCELHO DO SABUGAL – FREGUESIA A FREGUESIA
Águas Belas Aldeia da Ponte Aldeia da Ribeira Aldeia S.António Aldeia do Bispo
Aldeia Velha Alfaiates Badamalos Baraçal Bendada
Bismula Casteleiro Cerdeira Fóios Forcalhos
Lageosa da Raia Lomba Malcata Moita Nave
Pena Lobo Pousafoles Quadrazais Quintas S. B. Rapoula do Côa
Rebolosa Rendo Ruivós Ruvina Sabugal
“>
Santo Estêvão Seixo do Côa Sortelha Soito Vale das Éguas
Vale de Espinho Vale Longo Vila Boa Vila do Touro Vilar Maior

(Clique nas imagens para ampliar.)


Concelho do Sabugal – Total de Inscritos: 16763. Votantes: 4923 (29.37%).
Em Branco: 209 (4,25%). Nulos: 133 (2,7%).
jcl

A «Imagem do dia» e a «Imagem da Semana» são dois destaques em imagens sobre acontecimentos, momentos ou recordações relevantes. Ficamos à espera que nos envie a sua memória fotográfica para a caixa de correio electrónico: capeiaarraiana@gmail.com

Data: 10 de Janeiro de 2009.
Local: Rendo – Sabugal.

Legenda: O gelo e a neve das estradas sabugalenses têm provocado alguns dissabores aos condutores. Todo o cuidado é pouco!

Autoria: Kim Tutatux.
Clique na imagem para ampliar

Almoçámos e conversámos com o juiz desembargador Gabriel Catarino, na Casa do Concelho do Sabugal em Lisboa. Nascido em Pinhel, o actual juiz do Tribunal da Relação de Coimbra, viveu a sua primeira experiência enquanto magistrado no Sabugal, em cuja comarca exerceu as funções de delegado do Ministério Público durante um ano.

Gabriel CatarinoGabriel Catarino é um beirão genuíno, que preza a amizade, aprecia o convívio e admira a boa gastronomia regional. Avesso a proeminências, gosta de conversar com toda a gente, sem rodeios e sem formalidades, dizendo frontalmente o que lhe vai na alma. Ainda jovem deixou a cidade de Pinhel para abraçar o curso de Direito na Universidade de Coimbra. Após licenciado resolver seguir a carreira de magistrado, começando por ser delegado no Sabugal, em 1979, vivendo na vila raiana uma experiência inolvidável. Depois, já enquanto juiz, andou por Matosinhos, Golegã e Pombal, acabando no Tribunal da Relação de Coimbra, onde exerce actualmente funções, apreciando recursos e aguardando vaga para subir ao Supremo Tribunal de Justiça. Entretanto foi também Director Nacional Adjunto da Polícia Judiciária, onde teve a seu cargo a Direcção Central de Investigação ao Tráfico de Estupefacientes. Passou ainda por Comissário Nacional para os Refugiados, Director Nacional Adjunto da Policia de Segurança Pública e Director-Geral do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras.
– Porque razão começou a sua carreira de magistrado no Sabugal?
– Verifiquei que havia ali uma vaga para delegado e concorri. A escolha teve a ver com a ideia que tinha de que havia entre o Sabugal e a minha terra, que é Pinhel, afinidades territoriais e culturais, que facilitariam a minha integração.
– E descobriu essas afinidades?
– Não, foi um puro engano. Para minha grande surpresa, não havia grandes afinidades, para além dos factores humanos que são intrínsecos aos beirões, que constituem o seu
ethos, como a frontalidade, a honestidade, a hospitalidade e a amizade. Os sabugalenses têm a alma dos beirões, mas no resto são muito diferentes. Talvez a proximidade com Espanha, seja o traço diferenciador, traduzido no contrabando, ou melhor, no mercandejar constante com o outro lado da fronteira. E digo mercandejar, porque era um tipo contrabando que não era eticamente censurável.
– Enquanto delegado do Ministério Público teve processos onde o crime era o contrabando?
– Claro que sim, tive muitos. Mas quase tudo acabava irremediavelmente arquivado, porque os inquéritos respeitavam a desconhecidos, indo a mercadoria apreendida a leilão. Assisti pessoalmente a alguns desses leilões, e aí tomei verdadeira consciência de que aquele era de facto um povo diferente. Havia um espírito muito forte entre os contrabandistas, seguindo-se uma espécie de código de conduta que todos respeitavam escrupulosamente. Cada contrabandista arrematava o lote do inquérito correspondente às mercadorias que lhe haviam sido apreendidas. Ninguém lançava nas mercadorias dos outros e cada um retomava, a módico valor, as mercadorias que as autoridades lhes haviam retirado. Ora isto é verdadeiramente diferenciador. Havia ali uma forma própria de estar, fazendo com que o risco daquele mercandejar fosse menor do que era de esperar.
– Conviveu com muita gente do Sabugal durante esse ano em que ali desempenhou funções?
– Nem por isso. Devido ao que acabei de dizer, protegi-me um pouco, mantendo um convívio restrito a algumas amizades, para evitar a critica social, que ali era muito forte. Dava-me muito bem com o Coronel Afonso, na altura Tenente, que comandava a Guarda Fiscal local. Juntávamo-nos muitas vezes e desses encontros recordo sobretudo a boa gastronomia que o Sabugal possuía. Naquele tempo havia dois restaurantes de eleição: o do Lei, junto à Câmara Municipal, e o do Orlindo Mono. Este Mono, que era como lhe chamávamos, tinha um cabrito espectacular, com um sabor único, que nunca mais voltei a experimentar. Era preparado sobre a brasa, mas com um tratamento especial, que o tornavam divinal, ou sápido, como diria o José Quitério.
– E os casos que havia no tribunal do Sabugal eram interessantes para um jovem magistrado em início de carreira?
– Deram-se nesse ano muitas situações peculiares. Naquele ano de 1979 houve muitas quezílias resultantes das eleições autárquicas, que eram livres, após décadas de ditadura. Assisti a casos de desavenças políticas que invalidaram relações de amizade e até infestaram o ambiente familiar. No tribunal havia processos por injúrias derivadas da luta politica local. Recordo um caso no Soito que me comoveu muito, em que os meandros da disputa política ocasionaram um enorme conflito familiar, entre dois irmãos que ficaram desavindos. Mas no tocante a processos recordo ainda o primeiro inquérito que me coube analisar. Tratava-se de um caso algo mediático, com referências constantes na imprensa, inclusive com ecos na imprensa nacional. O pároco de Rendo, a que todos chamavam Padre Zé, foi acusado pelo povo da paróquia de ter vendido a imagem de um santo que ele retirara da igreja para mandar restaurar em Braga. O povo considerava que a imagem do santo restaurado não era a mesma que antes estava na igreja e decidiu fazer queixa do padre. Os ânimos estavam muito acirrados e a questão assumia grandes repercussões. Depois de uma aturada análise acabei por arquivar o processo, porque concluí estar provado que a imagem nova era mesmo a antiga restaurada.

plb

Associação Cultural, Desportiva e Recreativa de Rendo (ACDRR) vai organizar o Duatlo BTT/Canoagem de Rendo, prova desportiva pela qual se promoverá a amizade e o convívio entre os amantes do desporto e da Natureza.

A prova ocorrerá no dia 27 de Julho, domingo, estando as inscrições já estão abertas. Segundo a Organização, todos poderão participar e usufruir de uma prática desportiva saudável, a disputar no seio das paisagens que envolvem a freguesia e a Barragem do Sabugal.
O ponto de encontro será na Casa do Povo de Rendo pelas 8:30 horas, de onde partirá a prova de Bicicleta de Todo o Terreno (BTT). O circuito dividir-se-á em dois percursos: um de intensidade física média, com 42 quilómetros, e outro de intensidade física fácil, com 21 quilómetros, ambos com algumas subidas, mas servido pelos melhores trilhos entre Rendo e as Teixedas, cheirando ainda a Reserva de Malcata.
Chegados à barragem do Sabugal os participantes terão novo desafio de seis quilómetros de canoagem, com o fornecimento de todo o equipamento necessário, além de monitores experientes.
Segundo a Organização «as inscrições serão limitadas até à data de 24 de Julho. O preço será de dez pedaladas para sócios e de quinze pedaladas para não sócios, com direito a reforço alimentar, almoço, duche para eles e para elas».
O Duatlo de Rendo, não se assume como competição, embora os participantes formem equipas de um, dois e três elementos. Será antes uma forma de convívio para todos os amantes do BTT, da Canoagem e da Natureza.
As inscrições devem ser efectuadas por telemóvel: 937799952 / 968118574 ou ainda pelo e-mail acdrrendo@sapo.pt.
plb

A «ronda» era feita pelas ruas com o tocador acompanhado pelos mordomos, os foguetes e a rapaziada do costume anunciar o momento alto da festa, o baile, onde era tolerado algum atrevimento e que servia para consolidar e iniciar namoros e noivados.

José Robalo – «Páginas Interiores»«Antigamente, o Largo era o centro do mundo. Hoje é apenas um cruzamento de estradas, com casas em volta…Vai morrendo o Largo. Aos domingos, é ainda maior a dor do Largo moribundo. Vão todos para os cafés … O Largo fica deserto sob a ramaria das faias silenciosas.»
O Fogo e as Cinzas, de Manuel da Fonseca.

Corria o ano de 1985, quando das mãos do seu autor me foi oferecido «O Fogo e as Cinzas», com dedicatória que diz: «Para o José Robalo este Fogo e as Cinzas, cordialmente do Manuel da Fonseca.»
Trata-se de um livro de contos, cuja temática é a vida alentejana, que fácilmente poderemos transpôr para a vida do nosso interior raiano. Os nossos largos também estão moribundos, porém vivos na nossa lembrança.
Diferentes estudos que conheço sobre a memória, cito Jean Yves e Marc Tadié, quando no seu livro «Le sens de la mémoire», Paris: Éditions Gallimard, 1999, afirmam que todo relato do passado falsifica as recordações, pois o acto recordativo não distingue com clareza o verdadeiro do falso.
Equacionada esta advertência,
No imaginário da minha infância passada na pacatez da Ruvina, recordo com alguma nostalgia o som e a presença do acordeonista, que em momentos fulcrais se transformava no centro da vida da aldeia. Nas festas e uma vez terminada a componente religiosa com as procissões e a missa, a parte profana era preenchida na sua totalidade por este personagem, que com um acordeão a tiracolo, normalmente de uma marca italiana, calcorreava as ruas da aldeia anunciar o baile que se centraria num dos seus largos.
A «ronda» era feita pelas ruas com o tocador acompanhado pelos mordomos, os foguetes e a rapaziada do costume anunciar o momento alto da festa, o baile, onde era tolerado algum atrevimento e que servia para consolidar e iniciar namoros e noivados.
Na minha memória de infância guardo a imagem do tocador sentado numa cadeira, normalmente sobre uma grade de cervejas, num largo à sombra de um freixo, desfiando modas. Por vezes o suor escorria-lhe da testa colocando então um lenço das mãos por dentro da boina, para aliviar o incómodo, continuando a tocar. De quando em vez, anunciava «Esta é à inglesa!» «Esta é a roubar!». Terminada a moda as raparigas recolhiam para junto das mães aguardando nova moda e profundamente desejosas de serem convidadas a mais um pé de dança pelo seu predilecto.
Ti António Pereira, de RendoCorria assim a vida, pacata e mansamente, quando esta quietude foi quebrada com o aparecimento e generalização dos grupos musicais de influência pop e mais tarde os organistas, tendo o concerto de acordeão caído em desuso.
O Município do Sabugal, no ano 2000 resolveu dar «uma pedrada no charco» e organizou o festival de acordeão e de tocadores de realejo, com algum sucesso tendo editado um disco, designado «Festival de Acordeão… e tocadores de realejo», tudo com recurso à prata da casa, homenageando assim estes tocadores.
Fui encontrar um destes personagens, o ti António Pereira de Rendo, hoje com 76 anos e que por necessidade foi emigrante em França. «Comecei a tocar acordeão com 15 anos, por curiosidade e por gosto; os meus pais compraram-me um pequeno instrumento, que mais tarde trocámos por um mais a sério; foi preciso muita insistência e treino, sozinho com o instrumento, nas tentativas e erros; a vontade de aprender era enorme. Quando ia para os trabalhos do campo, nomeadamente a guardar as vacas levava o instrumento e treinava.»
Refere-nos que «quando era garoto sempre gostou de ver os acordeonistas tocar nos bailes; ficava encantado». Mais tarde e quando já sabia uns acordes, os acordeonistas deixavam-lhe experimentar umas modas.
Este autodidacta do acordeão correu todas as aldeias do concelho, tendo sido no seu tempo um dos mais reputados e procurados acordeonistas. Para se organizar um baile, bastavam uma cadeira, uma grade de cervejas e um acordeonista, «pondo a malta toda a dançar e a divertir-se. Na altura a malta era mais alegre e divertida».
Muitas vezes quando terminavam os bailes, porque cumprindo horários decentes nunca se ultrapassariam as 22 horas, a pedido da rapaziada ainda havia tempo para mais umas rondas pela aldeia. «A rapaziada gostava da rambóia e gostava de agradar às raparigas.» Ainda se lembra do seu primeiro cachet: «Recebi pela minha primeira actuação 100$00, o equivalente a 50 cêntimos.»
Com alguma amargura na voz, sempre vai dizendo «que o acordeão já não tem o valor que tinha. Foi despromovido, tendo sido substituído pelos órgãos electrónicos».
Em 1964, emigrou para França, onde ainda tocou num grupo etnográfico local. Regressou a Portugal em 1982. Foi com enorme alegria que recebeu o convite do município para participar no 1º festival do acordeão e participou na gravação do CD, onde tocou valsas e tangos. «Na altura dançava-se melhor do que hoje», diz a esposa que atenta ouve o desfiar das memórias do marido.
Agora toca na Igreja à missa para satisfação do Sr. Padre «e até já o Sr. Bispo me deu os parabéns».
Recorda nostálgico que às vezes a rapaziada vinha «tirá-lo da cama, para organizar mais um baile, ou fazer mais uma ronda. Quando a rapaziada ia ao número, e ficava apta para o serviço militar, lá estava o acordeonista, acompanhar alegria dos mancebos».
Em jeito de despedida diz-nos: «Agora tudo mudou.»

«Ele já não pode ver que o Largo é o mundo fora daquele círculo de faias ressequidas. Esse vasto mundo onde qualquer coisa, terrível e desejada, está acontecendo.»
O Fogo e as Cinzas, de Manuel da Fonseca.

:: :: :: ::
Para ouvir no fim-de-semana: «Festival do Acordeão …e Tocadores de Realejo», edição do Município do Sabugal e que poderá encontrar no Auditório Municipal, Posto de Turismo e Monumenta – Casa do Castelo, no Sabugal.
«La Revancha del Tango», dos Goten Project.
Se pretender algo mais erudito, «Maria João Pires, Verdes Anos, 1976-1985», onde interpreta de forma superior Bach, Beethoven, Chopin, Shumann e Mozart.
Para ler: «O Fogo e as Cinzas», de Manuel da Fonseca, editorial Caminho.
«Uma abelha na Chuva», de Carlos de Oliveira, Livraria Sá da Costa Editora.

:: :: :: ::

«Páginas Interiores» opinião de José Robalo
joserobaload@gmail.com

A Comissão de Festas de São Miguel-2008 organiza nos dias 17, 18 e 19 de Agosto a I Maratona de Futsal de Rendo nas instalações desportivas da freguesia.

I Maratona de Futsal de RendoO mês de Agosto nas nossas freguesias tem actividades para todos os gostos e preferências. Durante três dias o ringue polivalente da freguesia de Rendo vai ser o palco de aguerrido despique entre os aficcionados do futsal.
Demonstrando espírito de iniciativa e de antecipação a Comissão de Festas de São Miguel-2008 organiza a primeira maratona de futsal.
As inscrições (75 bolas) estão abertas até ao dia 15 de Agosto e o sorteio dos desafios é feito nesse mesmo dia pelas 19 horas.
Vale a pena participar até porque a equipa vencedora leva para casa 300 bolas, o segundo lugar 100 e o terceiro quase paga a inscrição (50 bolas).
Haverá ainda prémios para o melhor marcador, para o melhor guarda-redes e um troféu disciplina.
jcl

O orago da freguesia de Rendo é São Sebastião que tem as suas festividades marcadas para 20 de Janeiro.

Freguesia de Rendo, SabugalA freguesia de Rendo situa-se a seis quilómetros do Sabugal e inclui as povoação anexas do Cardeal e de Pouca Farinha. O calendário religioso marca para esta povoação as festas de São Sebastião, a 20 de Janeiro, de Santo António, a 13 de Junho e da Senhora da Torre, a 15 de Agosto.
Os limites da freguesia são extensos merecendo destaque a Folha da Torre, situada a Nordeste da povoação. É constituída por extensos prados e lameiros de logradouro comum, dividido de três em três anos por todos os que têm terrenos a pegar e onde é cultivado centeio num terço ficando os outros dois para pastagens para gado.
A anexa Cardeal dista três quilómetros de Rendo num local onde antigamente existiu um castro com o nome de «Acampamento dos Mouros». No segundo domingo de Agosto a aldeia festeja Santa Bárbara.
Pouca Farinha é o nome da outra anexa banhada pela Ribeira da Morganheira. Celebra a festa do Divino Espírito Santo no primeiro domingo de Agosto.
jcl

JOAQUIM SAPINHO

DESTE LADO DA RESSURREIÇÃO
Em exibição nos cinemas UCI

Deste Lado da Ressurreição - Joaquim Sapinho - 2012 Clique para ampliar

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 836 outros seguidores

PUBLICIDADE

CARACOL REAL
Produtos Alimentares


Caracol Real - Produtos Alimentares - Cerdeira - Sabugal - Portugal Clique para visitar a Caracol Real


PUBLICIDADE

DOISPONTOCINCO
Vinhos de Belmonte


doispontocinco - vinhos de belmonte Clique para visitar Vinhos de Belmonte


CAPEIA ARRAIANA

PRÉMIO LITERÁRIO 2011
Blogue Capeia Arraiana
Agrupamento Escolas Sabugal

Prémio Literário Capeia Arraiana / Agrupamento Escolas Sabugal - 2011 Clique para ampliar

BIG MAT SABUGAL

BigMat - Sabugal

ELECTROCÔA

Electrocôa - Sabugal

TALHO MINIPREÇO

Talho Minipreço - Sabugal



FACEBOOK – CAPEIA ARRAIANA

Blogue Capeia Arraiana no Facebook Clique para ver a página

Já estamos no Facebook


31 Maio 2011: 5000 Amigos.


ASSOCIAÇÃO FUTEBOL GUARDA

ASSOCIAÇÃO FUTEBOL GUARDA

ESCOLHAS CAPEIA ARRAIANA

Livros em Destaque - Escolha Capeia Arraiana
Memórias do Rock Português - 2.º Volume - João Aristides Duarte

Autor: João Aristides Duarte
Edição: Autor
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)
e: akapunkrural@gmail.com
Apoio: Capeia Arraiana



Guia Turístico Aldeias Históricas de Portugal

Autor: Susana Falhas
Edição: Olho de Turista
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)



Música em Destaque - Escolha Capeia Arraiana
Cicatrizando

Autor: Américo Rodrigues
Capa: Cicatrizando
Tema: Acção Poética e Sonora
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)



SABUGAL – BARES

BRAVO'S BAR
Tó de Ruivós

Bravo's Bar - Sabugal - Tó de Ruivós

LA CABAÑA
Bino de Alfaiates

La Cabaña - Alfaiates - Sabugal


AGÊNCIA VIAGENS ON-LINE

CERCAL – MILFONTES



FPCG – ACTIVIDADES

FEDERAÇÃO PORTUGUESA
CONFRARIAS GASTRONÓMICAS


FPCG-Federação Portuguesa Confrarias Gastronómicas - Destaques
FPCG-Federação Portuguesa Confrarias Gastronómicas Clique para visitar

SABUGAL

CONFRARIA DO BUCHO RAIANO
II Capítulo
e Cerimónia de Entronização
5 de Março de 2011


Confraria do Bucho Raiano  Sabugal Clique aqui
para ler os artigos relacionados

Contacto
confrariabuchoraiano@gmail.com


VILA NOVA DE POIARES

CONFRARIA DA CHANFANA

Confraria da Chanfana - Vila Nova de Poiares Clique para visitar



OLIVEIRA DO HOSPITAL

CONFRARIA DO QUEIJO
SERRA DA ESTRELA


Confraria do Queijo Serra da Estrela - Oliveira do Hospital - Coimbra Clique para visitar



CÃO RAÇA SERRA DA ESTRELA

APCSE
Associação Cão Serra da Estrela

Clique para visitar a página oficial


SORTELHA
Confraria Cão Serra da Estrela

Confraria do Cão da Serra da Estrela - Sortelha - Guarda Clique para ampliar



SABUGAL

CASA DO CASTELO
Largo do Castelo do Sabugal


Casa do Castelo


CALENDÁRIO

Outubro 2017
S T Q Q S S D
« Fev    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Arquivos

CATEGORIAS

VISITANTES ON-LINE

Hits - Estatísticas

  • 3,020,239 páginas lidas

PAGERANK – CAPEIA ARRAIANA

BLOGOSFERA

CALENDÁRIO CAPEIAS 2012

BLOGUES – BANDAS MÚSICA

SOC. FILARM. BENDADENSE
Bendada - Sabugal

BANDA FILARM. CASEGUENSE
Casegas - Covilhã


BLOGUES – DESPORTO

SPORTING CLUBE SABUGAL
Presidente: Carlos Janela

CICLISMO SERRA ESTRELA
Sérgio Gomes

KARATE GUARDA
Rui Jerónimo

BLOGUES RECOMENDADOS

A DONA DE CASA PERFEITA
Mónica Duarte

31 DA ARMADA
Rodrigo Moita de Deus

A PÁGINA DO ZÉ DA GUARDA
Crespo de Carvalho

ALVEITE GRANDE
Luís Ferreira

ARRASTÃO
Daniel Oliveira

CAFÉ PORTUGAL
Rui Dias José

CICLISMO SERRA ESTRELA
Sérgio Paulo Gomes

FANFARRA SACABUXA
Castanheira (Guarda)

GENTES DE BELMONTE
Investigador J.P.

CAFÉ MONDEGO
Américo Rodrigues

CCSR BAIRRO DA LUZ
Alexandre Pires

CORREIO DA GUARDA
Hélder Sequeira

CRÓNICAS DO ROCHEDO
Carlos Barbosa de Oliveira

GUARDA NOCTURNA
António Godinho Gil

JOGO DE SOMBRAS
Rui Isidro

MARMELEIRO
Francisco Barbeira

NA ROTA DAS PEDRAS
Célio Rolinho

O EGITANIENSE
Manuel Ramos (vários)

PADRE CÉSAR CRUZ
Religião Raiana

PEDRO AFONSO
Fotografia

PENAMACOR... SEMPRE!
Júlio Romão Machado

POR TERRAS DE RIBACÔA
Paulo Damasceno

PORTUGAL E OS JUDEUS
Jorge Martins

PORTUGAL NOTÁVEL
Carlos Castela

REGIONALIZAÇÃO
António Felizes/Afonso Miguel

ROCK EM PORTUGAL
Aristides Duarte

SOBRE O RISCO
Manuel Poppe

TMG
Teatro Municipal da Guarda

TUTATUX
Joaquim Tomé (fotografia)

ROTA DO CONTRABANDO
Vale da Mula


ENCONTRO DE BLOGUES NA BEIRA

ALDEIA DA MINHA VIDA
Susana Falhas

ALDEIA DE CABEÇA - SEIA
José Pinto

CARVALHAL DO SAPO
Acácio Moreira

CORTECEGA
Eugénia Santa Cruz

DOUROFOTOS
Fernando Peneiras

O ESPAÇO DO PINHAS
Nuno Pinheiro

OCEANO DE PALAVRAS
Luís Silva

PASSADO DE PEDRA
Graça Ferreira



FACEBOOK – BLOGUES