Este artigo é dedicado aos colaboracionistas. Como símbolo do colaboracionismo ficou o governo de Vichy em França, que colaborou com os ocupantes alemães durante a II Guerra Mundial. Foi considerado o governo da desonra.

António EmídioHá bem pouco tempo, todos nos lembramos disso, poderei mesmo afirmar, no tempo do Portugal Soberano e quando a Democracia estava no Parlamento, presentemente o Povo Português trouxe-a atá à rua, depois de umas eleições sabíamos perfeitamente quem iria exercer o poder Executivo, era o vencedor, ou vencedora do acto eleitoral. Tinha o poder que o Povo lhe outorgava. O que acontece presentemente em Portugal? Acontece que o vencedor, ou vencedora das eleições terá de obedecer cegamente a todas as leis emanadas da Alemanha, caso contrário isso obriga a sansões contra o Povo Português. Chegou-se a uma altura em que a ambição alemã quer controlar todos os Estados Europeus a nível económico, político e cultural, a crise económica não passa de uma boa ocasião para concretizar tudo isto. Mas para o concretizar necessita de colaboracionistas dentro dos próprios países. Será que as lições da História não ensinaram a estes e estas colaboracionistas que a Alemanha é o país mais visceralmente totalitário da União Europeia? E que para nos destroçar já não necessita de Panzeres, Guetos de Varsóvia e Auscwitz? Basta dominar os mercados, como de facto faz? Claro que sabem! Estão é a colaborar com ela porque ideologicamente são a mesma coisa e estão a aproveitar a crise para ensaiar em Portugal uma nova ideologia fazendo do nosso país uma cobaia. A continuar assim, preparemo-nos para a pobreza, nós e os nossos filhos. Só seremos um protectorado da Alemanha enquanto os nossos políticos quiserem, mas pode ser que todos se enganem e haja um novo «desembarque da Normandia», eu pessoalmente acredito que este IV Reich, económico, irá ter o mesmo fim do III Reich militar.
Vamos até aos colaboracionistas. São gente que aceita políticas estrangeiras, mesmo que essas políticas sejam para subjugar e empobrecer os seus povos. Esta gente tem de ser levada a um tribunal, tem de responder pela infâmia.
Colaboracionistas não são só os que governam a nível central, há muitos peões de brega a nível da província que também o são. Vi numa manifestação em que tomei parte no dia 15 de Setembro, um grande pano preto colocado numa parede de um prédio onde se acusava uma senhora «política» de colaboracionista. Perguntei quem era, disseram-me que é alguém que faz da política um negócio.

Ps 1 – As pessoas de agora escutam com a mesma ansiedade e medo as medidas de austeridade propostas pela Alemanha, como as que viveram a II Guerra Mundial ouviam as notícias do avanço das tropas alemãs com todo o seu cortejo de morte e destruição.

Ps 2 – Custa-me dizer isto, mas há gente pertencente a partidos e organizações de esquerda, mas que é tão sofisticada, por isso colaboracionista também, bastando que desse colaboracionismo consiga algum proveito…

Ps 3 – Uma notícia num jornal português «FMI distancia-se da inflexibilidade europeia». Para não dizer alemã. Como já ninguém se entende será que esses dois também já não?
«Passeio pelo Côa», opinião de António Emídio

ant.emidio@gmail.com

Anúncios