You are currently browsing the daily archive for Segunda-feira, 13 Agosto, 2012.

No dia 23 de Agosto, por ocasião da 7ª etapa da Volta a Portugal em Bicicleta, a RTP transmitirá o programa «Há Volta» a partir da cidade do Sabugal, onde nessa tarde os ciclistas cruzarão a meta.

volta«Sempre na cabeça do pelotão a RTP vai andar “Há Volta”», é a frase chave da televisão pública para o acompanhamento da 74.ª edição da Volta a Portugal em Bicicleta, que estará na estrada entre 15 e 26 de Agosto de 2012.
João Baião, Diamantina Rodrigues e Catarina Camacho vão acompanhar a Volta pelas cidades e vilas do país por onde passa o maior evento do ciclismo nacional.
No dia 23, a partir das 14h45, o Sabugal será o palco do país através desse programa de animação e entretenimento, à mistura com informação sobre o Sabugal, o seu concelho e a região em que se insere.
A programação da RTP ligada ao evento desportivo começará nesse dia em Gouveia, de onde os ciclistas partirão para a 7ª etapa, rumo ao Sabugal. Será a partir dessa cidade serrana que será transmitido o programa Verão Total, às 10 horas, prolongando-se até às 13 horas.
Às 14h45, enquanto os ciclistas rodam, a emissão da RTP passará para o Sabugal, prolongando-se por toda a tarde.
A 7ª etapa será este ano uma autêntica volta ao Sabugal em bicicleta, com os ciclistas a passarem por três vezes na cidade raiana, a última das quais para atravessarem a meta.
plb

Hoje, apanho uma boleia, com muito orgulho. António Emídio, no «Passeio pelo Côa» do passado dia 7, aqui mesmo no ‘Capeia’, dá-me, entre muita e útil informação, uma luz de caminho para comentário um pouco mais profundo e mais revivalista da minha parte, centrado, claro está, no que aconteceu na minha aldeia nas eleições de 1961.

O que aqui me traz, desta vez, é então o caso das votações no Casteleiro e nas outras 39 freguesias. As percentagens pode recordá-las aqui (justiça seja feita ao autor da peça).
Quantas pessoas votaram em cada terra? Vejamos se nos entendemos: está-se em 1961.
14 anos antes do 25 de Abril.
Eu tinha então uns pequenos 13 anos.
Quando dizemos votar, é votar na União Nacional (UN), a organização política do regime liderado pelo ditador Salazar. A outra lista, a da oposição, como sempre naqueles tempos, não teve condições e desistiu antes das eleições.
Por isso, ficava sempre a UN sozinha – coitada!
Diz-nos António Emídio, transcrevendo notícias da data, que a terra que menos votou na lista da União Nacional foi o Casteleiro, das 53 do Concelho: 64,7%.

Motivo de orgulho
Para mim, esta votação foi mais um motivo de orgulho na minha terra.
Não me surpreende, como já vou explicar. No Casteleiro, sempre houve muita e boa oposição. Já o sabia. Mas agora tenho à minha frente os números, graças à recolha de A. Emídio.
E sei muito bem por que razão foram estes os números do Casteleiro – e já a exponho.
Mas, antes disso, uma referência às freguesias que, mesmo de longe, mais se aproximaram da minha aldeia: Soito, com 70.3%, Vale de Espinho, com 73.7% e Malcata, com 75.3%.
Quando a média de votação no concelho foi de 92%.
Claro que o regime de Salazar desejaria (e, em plena Beira esperaria, de certeza) que todas as aldeias votassem a 100% na União Nacional!
Sei que as pessoas que fizeram no Casteleiro com que os números fossem estes, os do meu orgulho, tiveram muita coragem. Um grupo de democratas da classe média, com base em comerciantes e pequenos empresários. Deram nas vistas. O regime conhecia-os. Talvez alguns leitores não saibam o que se arriscava nesse tempo por «enfrentar» o Regime.

As circunstâncias envolventes
Apenas uma pequena síntese para rememorar.
Em 1959, tinham acontecido as eleições em que Humberto Delgado tinha galvanizado esses mesmos cidadãos do Casteleiro. Mas sem resultado prático – com muitas dúvidas sobre as razões para tal, na opinião do tal grupo de «oposição» a Salazar, sem dúvida.
Estas eleições de que agora aqui se fala, seguindo António Emídio, realizam-se em Novembro de 1961.
Nove meses antes rebentara a guerra colonial em Angola: a 4 de Fevereiro.
Lembro-me muito bem de, nessas férias de Verão, haver imensas conversas à socapa, sem que eu então as entendesse muito bem nem por que é que tudo tinha de ser dito em segredo.
Depois percebi muito bem…
Mas as grandes eleições serão as de 1969: é então que entram na liça a CDE (comunistas e aliados), a CEUD (PS e aliados) e que aparece a ala liberal, mais aberta, da União Nacional com Sá Carneiro e companheiros, quatro dos quais então eleitos para a Assembleia Nacional e com grandes referências até hoje.
Mas isso será em 69 – já eu estava na Faculdade de Direito, em Lisboa.

No entanto, há que sublinhar, as «guerras» eleitorais no Casteleiro já vinham de longe.
Há uns tempos, escrevi uma história de 1890 que me comove sempre. Pode recordá-la aqui.
Ou seja: quanto mais conheço sobre as gerações da minha terra que antecederam a minha, mais me orgulho de ali ter nascido.

Volto então a 1961 e às eleições dessa altura.

Um pequeno grupo
Neste caso, em 1961, os opositores activos eram meia dúzia de pessoas.
Habituei-me, desde os meus cinco anos, a estar por ali, na loja do Senhor Tó Pinto (um estabelecimento comercial) a acompanhá-los, calado, a ouvi-los a lerem o ‘Século’ todos os dias, a discutirem as notícias, a trocarem ideias.
Poucas pessoas, como digo.
Mas era um grupo muito importante e, pelos vistos, muito influente.
Aquelas percentagens, resta voltar a sublinhar como o fez António Emídio, dizem respeito à votação na lista da União Nacional, criada em 1930 e que «viveu» até Fevereiro de 1970, data em que foi substituída pela Acção Nacional Popular de Marcelo Caetano (o tal de quem o Dr. Toninho Rosa me disse em Setembro de 1968 que «calça o mesmo número» – que Salazar, acabado de cair da cadeira, entenda-se). Por coincidência, esta mesma semana o blog do cantautor Samuel traz a capa do saudoso ‘Diário de Lisboa’ do dia seguinte à tomada de posse do Governo de Marcelo Caetano – um documento que se publica hoje e que fala por si…
Mas, voltando àquele Novembro de 1961: o simples facto de nem todos irem votar era tão importante para a Ditadura que , vejam bem, as desculpas para as «faltas» aparecem clarinhas na comunicação social (neste caso, no célebre ‘Amigo da Verdade’, que então já era dirigido há seis anos pelo Padre António Souta – Soita, para todos nós…), como foi também divulgado por António Emídio no ‘Capeia’ e entre aspas e tudo: «Muitos dos que não votaram, não o fizeram por estarem ausentes e alguns por já terem morrido». Malandros dos mortos: bem podiam ter votado – só falta a notícia dizê-lo.
Ou seja: só os ausentes e os mortos é que não votavam na União Nacional, na opinião do Regime…

Portanto não houve «chapelada»
Volto ao Casteleiro, para fechar.
Aquele pequeno grupo de opositores era composto de cidadãos de antes quebrar que torcer. Combinaram não ir votar e convencer muita gente a não ir à urna. A eles se deve o resultado.
Mas não só. Quero registar aqui outro facto importante.
Eram famosas as «chapeladas». Ou seja, os cidadãos que faziam a contagem dos votos aldrabavam habitualmente os números e no fim tudo batia certo com os desígnios do Regime.
Mas ali não (como em muitas freguesias do Concelho, em que não se registaram os confortáveis 100%…).
O que eu quero dizer é que quando, à noite, transmitiram os resultados, os escrutinadores do Casteleiro (não sei quem eram) também precisaram de coragem para não escreverem 100%, mentindo, e escreverem, respeitando o que aconteceu: «No Casteleiro, votaram só 64,7% na União Nacional».

Obrigado, geração desse tempo: os que não votaram e os que não mentiram.
A minha justa homenagem a eles.
E agradeço a António Emídio por me ter trazido agora esta nota importante.
Cada terra tem os seus motivos de vaidade. Eu tenho alguns – e este não é um dos mais pequenos…
«A Minha Aldeia», crónica de José Carlos Mendes

JOAQUIM SAPINHO

DESTE LADO DA RESSURREIÇÃO
Em exibição nos cinemas UCI

Deste Lado da Ressurreição - Joaquim Sapinho - 2012 Clique para ampliar

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 836 outros seguidores

PUBLICIDADE

CARACOL REAL
Produtos Alimentares


Caracol Real - Produtos Alimentares - Cerdeira - Sabugal - Portugal Clique para visitar a Caracol Real


PUBLICIDADE

DOISPONTOCINCO
Vinhos de Belmonte


doispontocinco - vinhos de belmonte Clique para visitar Vinhos de Belmonte


CAPEIA ARRAIANA

PRÉMIO LITERÁRIO 2011
Blogue Capeia Arraiana
Agrupamento Escolas Sabugal

Prémio Literário Capeia Arraiana / Agrupamento Escolas Sabugal - 2011 Clique para ampliar

BIG MAT SABUGAL

BigMat - Sabugal

ELECTROCÔA

Electrocôa - Sabugal

TALHO MINIPREÇO

Talho Minipreço - Sabugal



FACEBOOK – CAPEIA ARRAIANA

Blogue Capeia Arraiana no Facebook Clique para ver a página

Já estamos no Facebook


31 Maio 2011: 5000 Amigos.


ASSOCIAÇÃO FUTEBOL GUARDA

ASSOCIAÇÃO FUTEBOL GUARDA

ESCOLHAS CAPEIA ARRAIANA

Livros em Destaque - Escolha Capeia Arraiana
Memórias do Rock Português - 2.º Volume - João Aristides Duarte

Autor: João Aristides Duarte
Edição: Autor
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)
e: akapunkrural@gmail.com
Apoio: Capeia Arraiana



Guia Turístico Aldeias Históricas de Portugal

Autor: Susana Falhas
Edição: Olho de Turista
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)



Música em Destaque - Escolha Capeia Arraiana
Cicatrizando

Autor: Américo Rodrigues
Capa: Cicatrizando
Tema: Acção Poética e Sonora
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)



SABUGAL – BARES

BRAVO'S BAR
Tó de Ruivós

Bravo's Bar - Sabugal - Tó de Ruivós

LA CABAÑA
Bino de Alfaiates

La Cabaña - Alfaiates - Sabugal


AGÊNCIA VIAGENS ON-LINE

CERCAL – MILFONTES



FPCG – ACTIVIDADES

FEDERAÇÃO PORTUGUESA
CONFRARIAS GASTRONÓMICAS


FPCG-Federação Portuguesa Confrarias Gastronómicas - Destaques
FPCG-Federação Portuguesa Confrarias Gastronómicas Clique para visitar

SABUGAL

CONFRARIA DO BUCHO RAIANO
II Capítulo
e Cerimónia de Entronização
5 de Março de 2011


Confraria do Bucho Raiano  Sabugal Clique aqui
para ler os artigos relacionados

Contacto
confrariabuchoraiano@gmail.com


VILA NOVA DE POIARES

CONFRARIA DA CHANFANA

Confraria da Chanfana - Vila Nova de Poiares Clique para visitar



OLIVEIRA DO HOSPITAL

CONFRARIA DO QUEIJO
SERRA DA ESTRELA


Confraria do Queijo Serra da Estrela - Oliveira do Hospital - Coimbra Clique para visitar



CÃO RAÇA SERRA DA ESTRELA

APCSE
Associação Cão Serra da Estrela

Clique para visitar a página oficial


SORTELHA
Confraria Cão Serra da Estrela

Confraria do Cão da Serra da Estrela - Sortelha - Guarda Clique para ampliar



SABUGAL

CASA DO CASTELO
Largo do Castelo do Sabugal


Casa do Castelo


CALENDÁRIO

Arquivos

CATEGORIAS

VISITANTES ON-LINE

Hits - Estatísticas

  • 3.160.532 páginas lidas

PAGERANK – CAPEIA ARRAIANA

BLOGOSFERA

CALENDÁRIO CAPEIAS 2012

BLOGUES – BANDAS MÚSICA

SOC. FILARM. BENDADENSE
Bendada - Sabugal

BANDA FILARM. CASEGUENSE
Casegas - Covilhã


BLOGUES – DESPORTO

SPORTING CLUBE SABUGAL
Presidente: Carlos Janela

CICLISMO SERRA ESTRELA
Sérgio Gomes

KARATE GUARDA
Rui Jerónimo

BLOGUES RECOMENDADOS

A DONA DE CASA PERFEITA
Mónica Duarte

31 DA ARMADA
Rodrigo Moita de Deus

A PÁGINA DO ZÉ DA GUARDA
Crespo de Carvalho

ALVEITE GRANDE
Luís Ferreira

ARRASTÃO
Daniel Oliveira

CAFÉ PORTUGAL
Rui Dias José

CICLISMO SERRA ESTRELA
Sérgio Paulo Gomes

FANFARRA SACABUXA
Castanheira (Guarda)

GENTES DE BELMONTE
Investigador J.P.

CAFÉ MONDEGO
Américo Rodrigues

CCSR BAIRRO DA LUZ
Alexandre Pires

CORREIO DA GUARDA
Hélder Sequeira

CRÓNICAS DO ROCHEDO
Carlos Barbosa de Oliveira

GUARDA NOCTURNA
António Godinho Gil

JOGO DE SOMBRAS
Rui Isidro

MARMELEIRO
Francisco Barbeira

NA ROTA DAS PEDRAS
Célio Rolinho

O EGITANIENSE
Manuel Ramos (vários)

PADRE CÉSAR CRUZ
Religião Raiana

PEDRO AFONSO
Fotografia

PENAMACOR... SEMPRE!
Júlio Romão Machado

POR TERRAS DE RIBACÔA
Paulo Damasceno

PORTUGAL E OS JUDEUS
Jorge Martins

PORTUGAL NOTÁVEL
Carlos Castela

REGIONALIZAÇÃO
António Felizes/Afonso Miguel

ROCK EM PORTUGAL
Aristides Duarte

SOBRE O RISCO
Manuel Poppe

TMG
Teatro Municipal da Guarda

TUTATUX
Joaquim Tomé (fotografia)

ROTA DO CONTRABANDO
Vale da Mula


ENCONTRO DE BLOGUES NA BEIRA

ALDEIA DA MINHA VIDA
Susana Falhas

ALDEIA DE CABEÇA - SEIA
José Pinto

CARVALHAL DO SAPO
Acácio Moreira

CORTECEGA
Eugénia Santa Cruz

DOUROFOTOS
Fernando Peneiras

O ESPAÇO DO PINHAS
Nuno Pinheiro

OCEANO DE PALAVRAS
Luís Silva

PASSADO DE PEDRA
Graça Ferreira



FACEBOOK – BLOGUES