Segundo o comunicado semanal do Comando Territorial da Guarda da GNR, aquela força de segurança efectuou na semana transacta 37 detenções em flagrante delito. Sete das detenções tiveram por motivo o crime de condução sob o efeito do álcool, nove por posse ilegal de armas, seis por furto de metais não preciosos, quatro por resistência e coação sobre militares da GNR, três por tráfico de estupefacientes, três por dano, duas por condução sem habilitação legal, duas por desobediência e uma por caça ilegal.

Guarda Nacional RepublicanaNo dia 29 de Julho agentes do Posto Territorial do Sabugal detiveram um homem de 52 anos de idade, residente neste concelho, por crime de resistência e coacção sobre agentes de autoridade. A detenção ocorreu quando os militares foram chamados a uma ocorrência de violência doméstica, tendo o agressor difamado e injuriado os agentes de autoridade.
O comunicado refere ainda que, no mesmo dia, foram detidos em Vila Nova de Foz Côa dois homens de nacionalidade estrangeira, de 24 e 39 anos de idade, por crime de furto de metais não preciosos. A denúncia do furto foi comunicada pelo telefone, o que fez com que a GNR actua-se de imediato, tendo surpreendido os suspeitos a carregar ferro das instalações do Ecoponto daquela localidade para um veículo ligeiro de mercadorias.
Na tarde de 26 de Julho foram detidos nas Freixedas, concelho de Pinhel, três indivíduos de 30, 40 e 47 anos de idade, residentes em Sátão, também por crime de furto de metais não preciosos. As detenções aconteceram quando os guardas da GNR executavam um patrulhamento, altura em que surpreenderam os suspeitos a carregar numa viatura objectos de ferro e alumínio, bem como electrodomésticos, utensílios e ferramentas.
Em 25 de Julho foram detidos em Seia um homem e uma mulher, de 45 e 30 anos de idade, respectivamente, ambos residentes naquela localidade, por crime de resistência e coação sobre militares da Guarda Nacional Republicana. A detenção do homem ocorreu na sequência de distúrbios com dois cavalos na via pública, junto a um bar numa das artérias da cidade. O mesmo não acatou as ordens dos agentes da autoridade, insistindo e instigando outros indivíduos a montar os solípedes ao mesmo tempo que injuriava e difamava os militares. A detenção da mulher ocorreu na sequência de uma queixa apresentada por furto de um computador numa residência, começando esta a impor aos militares as diligências que estes teriam de fazer e, sem que nada o fizesse prever, a mesma começou a difamar e injuriar os agentes partindo mesmo para a agressão física, desferindo-lhes murros e pontapés.
No mesmo dia 25 de Julho, foi detido em Vila Nova de Foz Côa um homem de 39 anos, ali residente, por crime de resistência e coação sobre militares da GNR, na sequência de uma situação de violência doméstica. O suspeito foi detido após agressões infligidas com um pau à mulher e aos filhos menores, tendo ainda tentado agredir os militares que difamou e injuriou.
Nos dias 25 e 29 de Julho, foram detidos dois homens, de 52 e 23 anos de idade, respetivamente, residentes no concelho da Mêda, por crime de posse ilegal de arma. A detenção de um dos suspeitos aconteceu quando este ameaçava na via pública várias pessoas com uma pistola, que lhe foi apreendida, tendo-se posteriormente verificado que se encontrava descarregada. A detenção do outro individuo, de 23 anos, ocorreu no decurso de uma fiscalização de trânsito, que culminou na apreensão de um bastão extensível, arma proibida por lei.
Na madrugada do dia 25 de Julho foram detidos em Vila Nova de Foz Côa três jovens, de 19, 23 e 31 anos de idade, todos de nacionalidade espanhola, residentes em Madrid, por crime de dano em comboio na Linha do Douro. Os suspeitos foram surpreendidos pelos militares quando faziam «grafitis» nas composições de um comboio que se encontrava na Estação da CP do Pocinho, tendo-lhes sido apreendido diverso material de pintura, nomeadamente, 28 latas de spray.
Ainda no Pocinho, foi detido no dia 29 de Julho um indivíduo de 40 anos, desempregado, residente em São Pedro da Cova (Gondomar), por crime de caça de espécies não cinegéticas. A acção da GNR aconteceu após uma denúncia, vindo o suspeito a ser detido já no interior do comboio na Estação do Pocinho. O detido tinha na sua posse nove pintassilgos, que lhe foram apreendidos. Oito das aves haviam sido capturadas na zona de Figueira de Castelo Rodrigo, conjuntamente com outro indivíduo residente naquela localidade. O detido, que confessou a autoria dos factos, utilizou como chamariz uma ave da mesma espécie, que já tinha em cativeiro.
Os pintassilgos capturados foram restituídos à liberdade e o que se encontrava em cativeiro foi entregue ao CERVAS da cidade de Gouveia.
plb

Anúncios