«A Liberdade Sancho, é um dos mais preciosos dons que aos homens deram os céus; com ela não podem igualar-se os tesouros que existem na Terra e no mar: pela Liberdade, assim como pela Honra, se deve lutar e perder a vida»; Miguel de Cervantes.

António EmidioA Liberdade não cabe num só artigo, nem o autor deste é um erudito com capacidade suficiente para aprofundar filosoficamente este tema, mas os grandes rios também são alimentados por pequeníssimos subafluentes.
A falta de Liberdade provoca frustração e produz um elevado grau de infelicidade ao homem, coíbe a iniciativa e a criatividade. Sem liberdade não há progresso. E que progresso traz a liberdade? Aqui dividirei a Liberdade em duas, entre a verdadeira e a falsa, segundo a minha opinião.
Comecemos pela falsa Liberdade, a Liberdade do Neoliberalismo, à qual estamos sujeitos presentemente. Esta falsa Liberdade assenta no individualismo que é a expressão mais radical do Neoliberalismo, vem da Revolução Industrial Inglesa, vem da Escola de Manchester, com matizes próprias da época actual inculcadas pelos discípulos de Milton Friedman, pelos «boys» de Chicago. Diz esta escola que a pobreza é fruto da preguiça e que tudo pode ser alcançado economicamente pelo trabalho e pela perseverança. Não admite ingerências, nem do Estado, nem de qualquer lei ou regra. Essa a razão da actual crise económica que atravessamos, os célebres mercados foram deixados à revelia, dizendo que autoregulavam, pura mentira! Para eles, manchesterianos, ou «boys» de Chicago, a Liberdade é sagrada, cada um só deve confiar em si próprio, isto é Darwinismo social «sobrevivência do mais apto», ou seja, o domínio do fraco pelo forte. Não admitem outro critério que o lucro empresarial ou financeiro e, quem não aceita este espirito de lucro está a cometer uma espécie de pecado mortal contra a ciência económica. Têm um desprezo absoluto pelos Párias da Terra, pelos pobres, pelos desempregados e por quem trabalha. A Liberdade deles consiste em esmagar o outro, e quanto mais o esmagar mais livre se torna. Detestam a classe média, dizem que esta destrói o individualismo, razão pela qual o novo paradigma político/económico a está a destruir na União Europeia. Detestam a Democracia, porque segundo eles, reduz tudo a uma uniformização. Existe somente a Democracia empresarial e financeira. Uma liberdade que só serve para criar injustiças e condena milhões de seres humanos à miséria, ao desemprego e ao desespero, perde a sua legitimidade moral e deixa de ser Liberdade.
Onde está a verdadeira Liberdade? Está na Democracia. Esta Liberdade, a Liberdade Democrática, que posta em prática constitui uma ameaça para aqueles cujo dinheiro lhes permite manipular o jogo democrático, como presentemente acontece. a Liberdade Democrática significa o direito da cada indivíduo decidir sobre a sua própria vida tanto quanto lhe seja possível, a fronteira desse direito está unicamente no direito dos outros, difere da Liberdade Neoliberal, no sentido em que esta última não aceita o direito dos outros, o outro não existe, o outro é um obstáculo a abater e, quantos mais obstáculos forem abatidos, mais livre é o que os abater.
O Estado Social é um alicerce para a Liberdade, e todo aquele que ainda não viu isso, não compreende o que é a Liberdade, a verdadeira Liberdade. Mas chegou a altura de uma mudança, mudança essa que terá como base o aperfeiçoamento da Democracia e da Liberdade Democrática. Alguns exemplos: a percentagem do PIB para gastos sociais deve ser aumentada, terá de haver uma mais e melhor equilibrada distribuição da riqueza, obrigar o sector financeiro a estar debaixo do controlo democrático. As empresas de importância estratégica na economia não devem ser propriedade de accionistas e de jogadores de bolsa. Liberdade de propriedade privada? Sim! Mas até um certo ponto. Todos nós sabemos que as quotizações bursáteis, ou seja, o lucro dos accionistas, sobe na medida em que aumenta a desigualdade social, o desemprego, e se destrói a protecção social. Isto assim não é propriedade privada, é roubo e crime. O leitor(a) já reparou o que é ganhar chorudo dinheiro com um Direito Humano que é a água? Só um sistema corrupto é que se atreve a privatizar a água, um Bem da Humanidade! Em Portugal, o partido do governo já está preparado para dar esse passo.
Este aperfeiçoamento nunca seria eficaz sem um controlo total e absoluto do poder político e económico, controlo democrático, não permitindo e combatendo a corrupção com toda a força da Lei. Quando os governantes se corrompem, em Democracia e em Liberdade, as corrompidas são a Democracia e a Liberdade.

O Homem só se realiza e acede à Liberdade, quando viver na justiça e na verdade.
«Passeio pelo Côa», opinião de António Emídio

ant.emidio@gmail.com

Anúncios