Um grupo de amigos que gostam de pedalar pelos caminhos campestre e percorrer as aldeias da região, vêm realizando um passeio anual, que pelo segunda vez ligou a cidade da Guarda à vila raiana do Soito, passando pela aldeia histórica de Castelo Mendo.

O passeio aconteceu no dia 31 de Março (sábado) e o jantar do grupo foi no restaurante Zé Nabeiro, no Soito, tendo o percurso incluído outras terras do concelho do Sabugal, como Badamalos, Bismula e Nave.
Transcrevemos, com a devida vénia, do blogue «O caruncho btt», alguns excertos da «reportagem» de Carlos Gonçalves, que esteve entre os convivas que ligaram a Guarda e o Soito em bicicleta de todo o terreno, num percurso de cerca de 70 quilómetros. Um texto que é bem o sinal do espírito de amizade e de convívio que preside a estes passeios desportivos que também servem de descompressão e de retemperamento.

«Pelo segundo ano consecutivo estamos a fazer Guarda – Castelo Mendo – Soito.
Se no ano passado falhei a melhor parte (o jantar\convívio no “Nabeiro”), este ano fiz o percurso completo. (…)
Este ano não foi fácil. Volta com muitos furos (alguns até repetiram a dose), avarias e quedas, ainda que sem consequências de maior.
Mas toda a gente chegou a bom porto, o que revela bem o espírito de entreajuda e de verdadeira camaradagem que estava instalado no grupo.
Já passava das 9,30 Horas quando o grupo, sob orientação do Rui Melo, saiu da Guarda (Parque Industrial) em direcção a João Bragal (de Cima e de Baixo), de onde, por trilho trialeiro, progredimos até Casas da Ribeira, Ima (este ano não fomos ver o relógio de sol) e Jarmelo, onde se verificou uma pausa. Do Jarmelo, por trilho muito técnico rumámos até aos Gagos e Castanheira, onde se verificou uma “paragem técnica”
Da Castanheira seguimos em direcção a Rabaça de onde, por trilho muito técnico, descemos à ribeira das Cabras que transpusemos pela velha ponte romana em direcção a Amoreira, alto Leomil e Castelo Mendo, onde chegámos já passava das 13,00 horas e onde efectuámos uma muuuuuuito looonnnnga pausa para “comerete” e “beberete”. (…)
Os trilhos seleccionados pelo Rui Melo estiveram pelo melhor. Muito boa a calçada (romana?) que encontramos logo a seguir a Castelo Mendo, que nos levaria até bem perto da Mesquitela. Daqui progredimos até Monteperobolso (será?) de onde descemos até ao rio Noémi, que transpusemos por um pontão, embicando na velha estação da CP. Daqui, subindo por trilho muito degradado fomos em direcção a Porto de Ovelha, onde já nos esperava o amigo “Bisnaga”. Aqui mais uma pausa para “reposição de líquidos” na sede da Associação de melhoramentos.
A progressão até Badamalos foi feita pela margem esquerda do rio Coa. (…)
De Badamalos até à Bismula mais uns quantos furos.
Na Nave mais uma “paragem técnica” no “Piu Bar”. Aqui ainda houve tempo para relaxar nuns matraquilhos! (…)
Eram quase 20 horas quando chegámos ao Soito, onde tomámos um retemperado banho quente nos balneários do campo de futebol.
Seguiu-se o jantar, em família, no “Nabeiro”.
Que belo dia de BTT (para recordar).»
Veja aqui a «reportagem» completa.
plb

Anúncios