You are currently browsing the daily archive for Segunda-feira, 2 Abril, 2012.

O Comando Territorial da Guarda da GNR efectuou uma vasta operação de prevenção criminal em todo o distrito, de onde resultaram 17 detenções, na sua maior parte por condução sob o efeito do álcool, mas também houve detenções por furto e por posse ilegal de armas.

Guarda Nacional RepublicanaUma das detenções teve lugar no Sabugal, sendo efectuada por elementos do Núcleo de Investigação Criminal da Guarda, que detiveram um indivíduo de 45 anos de idade, residente na cidade raiana, pelo crime de posse ilegal de armas, pois tinha na sua posse um aerossol de defesa, com gás pimenta, arma proibida por lei. Presente ao Tribunal Judicial do Sabugal foi-lhe aplicada a medida de coação de Termo de Identidade e Residência, ficando a aguardar o resultado do Inquérito.
A operação especial de prevenção criminal aconteceu no passado fim-de-semana, nos dias 31 de Março e 1 de Abril, e incidiu especialmente na fiscalização rodoviária e no patrulhamento de pontos sensíveis, bem como na abordagem de suspeitos da prática de crimes.
No que respeita à fiscalização rodoviária, foram detidos 11 condutores. Destes, oito foram detidos por apresentarem taxas de álcool no sangue superior a 1,20 gramas por litro, dois por falta de habilitação legal para o exercício da condução e ainda um por ameaças e injúrias a militar da GNR.
No tocante ao patrulhamento e abordagem de suspeitos, foram detidos na localidade de Pínzio, em flagrante delito, dois indivíduos, com 24 e 46 anos de idade, residentes em Belmonte, quando furtavam metais não preciosos num armazém.
Também em Pínzio, foram detidos outros dois indivíduos, com 20 e 47 anos de idade, residentes em Sátão e Viseu, respectivamente, pelo crime de furto de arte sacra. Os mesmos já tinham furtado uma imagem de uma «santa» de um nicho na localidade de Freixo, concelho de Almeida.
Em Vila Chã, concelho de Seia, a GNR deteve um jovem, de 22 anos, desempregado, por crime de furto. O suspeito, foi surpreendido pelos militares quando furtava peças de um veículo que se encontrava parqueado junto de uma residência.
Durante a Operação foram ainda apreendidas substâncias estupefacientes: 54,46 gramas de haxixe e 12,07 gramas de cannabis sativa.
plb

Anúncios

Na noite de Sexta-feira Santa, pelas 21h30, mais de 70 personagens bíblicas vão dar corpo à narração da Paixão do Senhor ao vivo, pelas ruas da povoação de Ruivós, no concelho do Sabugal.

Haverá discípulos, soldados romanos, sumo-sacerdotes, chefes judaicos, escribas, doutores da lei, governadores, criminosos, agricultores, criadas, jovens, adultos e idosos. Haverá Cenáculo, oliveiras, fogueiras, galo, Pretório e Calvário. Haverá amor e traição, testemunho e abandono, acusação e negação, insultos e lágrimas, injúrias e ajudas, morte e perdão.
Será, certamente, uma forma diferente de viver a Paixão de Jesus.
O trabalho foi cuidadosamente elaborado. Uma dezena de costureiras fabricou roupas à época, os textos foram decorados e ensaiados, os espaços preparados, para que os espectadores possam recuar 2000 anos, e viver os momentos mais importantes da paixão de Jesus.
Esta actividade religiosa, que é mais que uma simples peça de teatro, conta com a participação especial de João Reis, actor e encenador do grupo de teatro da Quarta-feira – «Guardiões da Lua» – que encarnará a pele de Jesus.
O primeiro acto da paixão começará no largo junto do cemitério de Ruivós. Passará pelas principais ruas e praças da aldeia, terminando no Lagedo – Gólgota – lugar da crucifixão e morte de Jesus.
A entrada é livre.
Pe Hélder Lopes

O Duo Con Anima, da harpista Carmen Cardeal e do flautista Nuno Ivo Cruz, apresenta um Concerto de Páscoa no próximo dia 5 de Abril, véspera de sexta-feira santa, no Pequeno Auditório do Teatro Municipal da Guarda (TMG), às 21h30.

O Duo convida o público a partilhar um percurso por algumas das mais belas músicas para flauta e harpa, no espírito de uma meditação apropriada à data. No concerto, marcado para as 21h30, serão apresentadas obras de compositores como Bach, Fauré, Debussy, Ravel, Bizet, Wagner e Puccini, entre outros.
Carmen Cardeal colaborou com a Orquestra Gulbenkian entre 1988 e 1999, ano em que ingressou na Orquestra Sinfónica Portuguesa. A harpista apresenta-se regularmente em recitais de música de câmara com grupos de diferentes formações. Como solista executou concertos com a Orquestra Portuguesa da Juventude, Orquestra Clássica do Porto, Orquestra Sousa Carvalho, Orquestra Metropolitana de Lisboa External Link, e com a Sinfonieta de Lisboa. Actualmente é harpista solista na Orquestra Sinfónica Portuguesa.
Nuno Ivo da Cruz estudou Música no Conservatório Koninklijk, Den Haag e na Universidade Nova de Lisboa (Ciências Musicais). Integrou a Nova Filarmonia Portuguesa e a Orquestra do Porto da Régie Sinfonia. Pertence a uma família de músicos profissionais (terceira geração). É membro do Quinteto de Sopros Flamen desde 1988. É flautista solista na Orquestra Sinfónica Portuguesa.

«O Mundo é uma Ervilha», no Café Concerto
A partir da próxima terça-feira, dia 3 de Abril, o Café Concerto recebe a exposição de fotografia «O Mundo é uma Ervilha», de Catarina Tormenta. Nesta exposição, a autora reúne várias fotografias de rostos de pessoas de distintas etnias e nacionalidades que fotografou durante as suas viagens.
A exposição ficará patente até 22 de Abril, tem entrada livre e pode ser visitada no horário de funcionamento do Café Concerto.

«Fora de Jogo», no Pequeno Auditório
Na Quarta-feira, dia 4 de Abril, o Cineclube da Guarda apresenta com o apoio do Teatro Municipal da Guarda o filme «Fora de Jogo» de Jafar Panahi. A sessão de cinema decorre no Pequeno Auditório, às 21h30. No Irão há milhares de mulheres adeptas de futebol. Porém, estão proibidas de entrar em estádios. As mais ousadas disfarçam-se e tentam enganar a polícia. Última longa de Panahi, antes da proibição de filmar, inspirada num episódio com a filha do próprio realizador. O filme premiado com o Urso de Prata no Festival de Berlim de 2006.

Segunda sessão SoniCC, no Café Concerto
No Sábado, dia 7 de Abril, actuam no Café Concerto do TMG às 22h00 duas bandas seleccionadas no âmbito do SoniCC: Double Latte (Guarda) e Meow Dogs (Trancoso). Trata-se da Segunda sessão desta actividade.
Recordamos que o SoniCC é uma iniciativa do TMG que visa apoiar e revelar projectos e bandas emergentes na área da música. Trata-se de uma oportunidade de apresentar o trabalho criativo de jovens, num contexto de um equipamento de referência como é o do TMG. A iniciativa prolongar-se-á em Maio, com mais uma sessão e com a revelação de mais duas bandas.
«Double Latte» é uma banda formada por cinco jovens residentes na cidade da Guarda, em 2010. O grupo assume-se como praticante de um estilo rock alternativo, mas diz tocar «um pouco de tudo». Já actuaram em festivais, festas e bares. Dizem-se influenciados por músicos e grupos como John Mayer, Pink Floyd, Dave Matthews, Sum 41, Xutos e Pontapés, Jet, Red Hot Chili Peppers, The Strokes, Arctic Monkeys, entre outros.
Os Meow Dogs formaram-se em Setembro de 2010 em Trancoso. O grupo é composto por quatro amigos determinados em entrar no mundo da música. Tocam algumas versões e também originais. O seu sonho é «tocar nos corações das pessoas, fazê-las vibrar e bater o pé» ao ritmo da sua música. O grupo sofre influências de bandas como Artic Monkeys, The Strokes, Coldplay, Nirvana, Seasick Steve, The Doors, entre outros.
A sessão SoniCC tem entrada livre.

«Le Havre», no Pequeno Auditório
Na Quarta-feira, dia 11 de Abril, é o TMG que apresenta «Le Havre» de Aki Kaurismaki. Na história, Marcel Marx, um antigo escritor e boémio, retirou-se para um exílio voluntário em Le Havre, onde se sente mais próximo das pessoas, trabalhando como engraxador de sapatos. Mas tudo muda quando o destino coloca no seu destino um jovem refugiado africano. Com André Wilms, Kati Outinen, Jean-Pierre Darroussin. o filme passa no Pequeno Auditório às 21h30.

Dinis Machado, no Pequeno Auditório
«Dinis Machado por Dinis Machado» é o espectáculo de teatro que o TMG propõe para o dia 13 de Abril (sexta-feira) no Pequeno Auditório, às 21h30.
O actor Dinis Machado criou este espectáculo partindo da vida e obra do homónimo Dinis Machado (1939-2008) escritor e jornalista português, vulto da cultura portuguesa e autor de obras como «O que diz Molero».
«Parto para este trabalho com a obra do meu homónimo. Parto desta coincidência na procura da sua significação. Agora falecido, Dinis Machado é um símbolo inequívoco da literatura Portuguesa. Com um estilo fechado e reconhecível, um realismo delirante e inteligentemente irónico. Também a paralela elegância do policial Inglês e um ensaísmo marcadamente pessoal e subjectivo.
Por contraponto, eu sou um artista jovem, a realizar os meus primeiros trabalhos, perante a hipótese de vingar ou falhar, ficando eternamente esquecido no anal dos fenómenos de relativa visibilidade passageira. Este projecto é assim a intercepção destes dois homónimos. Uma dupla biografia: a dele – com os seus textos, o seu imaginário e a estrutura intelectual que tudo isto faz existir – e a minha – que servirá de decanter a este outro corpo desmaterializado em texto: ao lê-lo e reestruturá-lo, com aquilo que em «ler» é ler-nos a nós também. Procuro o limite da compilação dramatúrgica, para além da fidelidade ou do imediato ataque iconoclasta. Uma apropriação que procura potenciar a figura e o momento presente, o intérprete talvez. Uma reconciliação lenta com o que já foi dito, com aquilo que já vimos e que se impõe na nossa memória individual ou colectiva como uma referência. A aceitação apaziguadora de que fazemos de um discurso contínuo que remete para um início remoto situado a alguns milhares de anos de nós», explica o jovem actor a propósito deste seu trabalho, que teve o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian.
plb (com TMG)

Há / havia ou não uma rede imensa de estradas romanas principais que se cruzaram em Caria (uma seguindo para Belmonte, outra para o Sabugal) e uma bifurcação de estradas secundárias no Casteleiro (uma seguindo para Sortelha e outra para o Sabugal)?

A minha opinião é que sim. E, quanto mais investigo, mais me convenço disso. Se não, vejam-se os traçados estudados por especialistas e acompanhe-se a coisa no mapa ou na cabeça onde temos gravados todos os mapas destas terras.
Refiro neste artigo uma série de itinerários que inevitavelmente batem todos em Caria e um deles no Casteleiro, como adiante se verá. E veja aí em baixo que relação tem tudo isto com um certo elefante que por aqui passou há 250 anos.
Sei que ninguém vai ter a pachorra de ler estas linhas com atenção – mas ficam aí para estudo e referenciação posterior…
Falo então de itinerários romanos, mesmo sem as aspas nas palavras latinas.

Troço 1 – De Castelo Branco à Capinha
Alcains, Vale da Vinha, Lardosa, Soalheira (calçada), Castelo Novo (calçada junto ao Chafariz D. João V), Alpedrinha (calçada para Alcongosta com 190m, parte do Largo D. João V e segue para Portela, passando debaixo do túnel da Gardunha no IP2 e Capela de S. Sebastião), Valverde (segue por Ínsuas e alto da Esparrela), Moinhos sobre a ribeira de Meimoa, Capinha.

Troço 2 – De Peroviseu até Caria
Capinha, Peroviseu (o Museu do Fundão guarda o Terminus Augustalis aqui encontrado que demarcava a divisão territorial entre os Igaeditani e os Lancienses), continuava para norte pela calçada de S. Marcos, calçada de Ferrarias e calçada da Lameira do Forno/Vale Feitoso), Ferro, Peraboa (onde entroncava na Via Braga-Mérida), Caria.

Troço 3 – Bifurcação – De Caria ao Sabugal, pelo Anascer e Vale da Sra. da Póvoa
Salgueiro (em Coito de Cima/Vale do Canto apareceu um miliário a Licínio que está hoje no Museu Arqueológico do Fundão; este miliário indicia a passagem da via ao longo da margem direita da ribeira de Meimoa, passando entre Qta. da Malta e a Villa da Qta. Prado Vasco, na outra margem, e próximo da Qta. do Lameirão e Coito de Cima, onde se achou o miliário), travessia da ribeira do Casteleiro (junto da Villa do Casal de José Francisco do Anascer; seguia paralela à ribeira de Vale de Lobo no sopé de Sortelha Velha), Vale da Sra. da Póvoa (antiga Vale de Lobo; villa e provável mansio no sopé da Serra da Opa; possível capital dos LANCIENSES OPPIDANI; 3 miliários na Serra do Lobo/Opa), Santo Estevão (vicus e provável mutatio na Tapada de Sta. Maria; miliário de St. Estevão/Mosteiros/Serra do Mosteiro a Tácito indicando a milha VII, CIL II 4638, talvez contadas a partir do rio Côa em Sabugal que seria assim o limite territorial entre civitas, apareceu na desaparecida Capela de Santa Maria e hoje está em exposição no Museu do Sabugal), Alagoas, Aldeia de Santo António (miliário de Alagoas com inscrição apagada, mas que poderia indicar a milha 4 por estar a 3 milhas do miliário de St. Estevão que indica 7 milhas; passou pelo largo da aldeia e hoje está no Museu do Sabugal; segue por Amiais, onde há calçada), Sabugal (ver os miliários de Alagoas e de St. Estevão no Museu do Sabugal), Ponte Romano(?)-Medieval do Sabugal sobre o rio Côa, Sabugal.
Tudo isto e muito mais pode ser analisado em pormenor aqui, em «Vias Romanas».
Diz-se aqui também que Caria pode ter sido cruzamento de vias romanas principais: a que de Mérida ia até à Idanha e a que da Covilhã ia até ao Vale de Lobo (Vale da Senhora da Póvoa e dali para as Alagoas e o Sabugal.

Troço 4 – Outra opção / Bifurcação – de Caria a Sortelha pela Ribeira da Cal e Casteleiro
O que hoje aí fica é um passo adiante relativamente ao que escrevi antes. E vale a pena rememorar para Tudo isto para uma clarificação relativamente à tese que venho defendendo de há uns bons tempos a esta parte: na «Rota do Elefante» há que incluir o Casteleiro. Apenas para isso. O resto é curiosidade intelectual.
Defendo que, se o elefante seguiu as pistas romanas, se da Idanha veio a Sortelha, então veio por Castelo Novo até Caria, daí até à Ribeira da Cal e Casteleiro, subindo daí pela meia encosta da Serra da Vila (aquilo que hoje é marcado como Calçada Romana, mas que poderá ser medieval, segundo alguns), até Sortelha. É o único caminho lógico.
É que «há exactamente dois anos, Saramago refez a viagem e passou por estas zonas, desde Castelo Novo a Sortelha: ia para Figueira de Castelo Rodrigo, mas, antes, quis revisitar Sortelha. Mas ninguém o esclareceu sobre a inevitabilidade de a viagem ter de passar pelo Casteleiro.
Pode ler isso aqui.
Mas eram muitas as vias que cruzavam o império do fulgor romano.
Da Covilhã seguia outra estrada romana para Belmonte.

Outra opção: Covilhã-Belmonte
Da Covilhã podia seguir-se a travessia do Rio Zêzere (Cambas?, Ourondo?), mas a partir de Paul já é possível traçar um itinerário que ia entroncar na Via Braga-Mérida,
Taliscas, Erada, Ourondinho, Tortosendo, Canhoso, Terlamonte, Teixoso, Orjais, Aldeia do Souto, Vale Formoso, entroncando na via Braga-Mérida em Belmonte.

Quem quiser pode acompanhar alguns itinerários e monumentos na «Georreferenciação do Google Maps, aqui. Mas não é simples. Só que vale a pena tentar e voltar a tentar.
«A Minha Aldeia», crónica de José Carlos Mendes

JOAQUIM SAPINHO

DESTE LADO DA RESSURREIÇÃO
Em exibição nos cinemas UCI

Deste Lado da Ressurreição - Joaquim Sapinho - 2012 Clique para ampliar

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 836 outros seguidores

PUBLICIDADE

CARACOL REAL
Produtos Alimentares


Caracol Real - Produtos Alimentares - Cerdeira - Sabugal - Portugal Clique para visitar a Caracol Real


PUBLICIDADE

DOISPONTOCINCO
Vinhos de Belmonte


doispontocinco - vinhos de belmonte Clique para visitar Vinhos de Belmonte


CAPEIA ARRAIANA

PRÉMIO LITERÁRIO 2011
Blogue Capeia Arraiana
Agrupamento Escolas Sabugal

Prémio Literário Capeia Arraiana / Agrupamento Escolas Sabugal - 2011 Clique para ampliar

BIG MAT SABUGAL

BigMat - Sabugal

ELECTROCÔA

Electrocôa - Sabugal

TALHO MINIPREÇO

Talho Minipreço - Sabugal



FACEBOOK – CAPEIA ARRAIANA

Blogue Capeia Arraiana no Facebook Clique para ver a página

Já estamos no Facebook


31 Maio 2011: 5000 Amigos.


ASSOCIAÇÃO FUTEBOL GUARDA

ASSOCIAÇÃO FUTEBOL GUARDA

ESCOLHAS CAPEIA ARRAIANA

Livros em Destaque - Escolha Capeia Arraiana
Memórias do Rock Português - 2.º Volume - João Aristides Duarte

Autor: João Aristides Duarte
Edição: Autor
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)
e: akapunkrural@gmail.com
Apoio: Capeia Arraiana



Guia Turístico Aldeias Históricas de Portugal

Autor: Susana Falhas
Edição: Olho de Turista
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)



Música em Destaque - Escolha Capeia Arraiana
Cicatrizando

Autor: Américo Rodrigues
Capa: Cicatrizando
Tema: Acção Poética e Sonora
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)



SABUGAL – BARES

BRAVO'S BAR
Tó de Ruivós

Bravo's Bar - Sabugal - Tó de Ruivós

LA CABAÑA
Bino de Alfaiates

La Cabaña - Alfaiates - Sabugal


AGÊNCIA VIAGENS ON-LINE

CERCAL – MILFONTES



FPCG – ACTIVIDADES

FEDERAÇÃO PORTUGUESA
CONFRARIAS GASTRONÓMICAS


FPCG-Federação Portuguesa Confrarias Gastronómicas - Destaques
FPCG-Federação Portuguesa Confrarias Gastronómicas Clique para visitar

SABUGAL

CONFRARIA DO BUCHO RAIANO
II Capítulo
e Cerimónia de Entronização
5 de Março de 2011


Confraria do Bucho Raiano  Sabugal Clique aqui
para ler os artigos relacionados

Contacto
confrariabuchoraiano@gmail.com


VILA NOVA DE POIARES

CONFRARIA DA CHANFANA

Confraria da Chanfana - Vila Nova de Poiares Clique para visitar



OLIVEIRA DO HOSPITAL

CONFRARIA DO QUEIJO
SERRA DA ESTRELA


Confraria do Queijo Serra da Estrela - Oliveira do Hospital - Coimbra Clique para visitar



CÃO RAÇA SERRA DA ESTRELA

APCSE
Associação Cão Serra da Estrela

Clique para visitar a página oficial


SORTELHA
Confraria Cão Serra da Estrela

Confraria do Cão da Serra da Estrela - Sortelha - Guarda Clique para ampliar



SABUGAL

CASA DO CASTELO
Largo do Castelo do Sabugal


Casa do Castelo


CALENDÁRIO

Arquivos

CATEGORIAS

VISITANTES ON-LINE

Hits - Estatísticas

  • 3.144.786 páginas lidas

PAGERANK – CAPEIA ARRAIANA

BLOGOSFERA

CALENDÁRIO CAPEIAS 2012

BLOGUES – BANDAS MÚSICA

SOC. FILARM. BENDADENSE
Bendada - Sabugal

BANDA FILARM. CASEGUENSE
Casegas - Covilhã


BLOGUES – DESPORTO

SPORTING CLUBE SABUGAL
Presidente: Carlos Janela

CICLISMO SERRA ESTRELA
Sérgio Gomes

KARATE GUARDA
Rui Jerónimo

BLOGUES RECOMENDADOS

A DONA DE CASA PERFEITA
Mónica Duarte

31 DA ARMADA
Rodrigo Moita de Deus

A PÁGINA DO ZÉ DA GUARDA
Crespo de Carvalho

ALVEITE GRANDE
Luís Ferreira

ARRASTÃO
Daniel Oliveira

CAFÉ PORTUGAL
Rui Dias José

CICLISMO SERRA ESTRELA
Sérgio Paulo Gomes

FANFARRA SACABUXA
Castanheira (Guarda)

GENTES DE BELMONTE
Investigador J.P.

CAFÉ MONDEGO
Américo Rodrigues

CCSR BAIRRO DA LUZ
Alexandre Pires

CORREIO DA GUARDA
Hélder Sequeira

CRÓNICAS DO ROCHEDO
Carlos Barbosa de Oliveira

GUARDA NOCTURNA
António Godinho Gil

JOGO DE SOMBRAS
Rui Isidro

MARMELEIRO
Francisco Barbeira

NA ROTA DAS PEDRAS
Célio Rolinho

O EGITANIENSE
Manuel Ramos (vários)

PADRE CÉSAR CRUZ
Religião Raiana

PEDRO AFONSO
Fotografia

PENAMACOR... SEMPRE!
Júlio Romão Machado

POR TERRAS DE RIBACÔA
Paulo Damasceno

PORTUGAL E OS JUDEUS
Jorge Martins

PORTUGAL NOTÁVEL
Carlos Castela

REGIONALIZAÇÃO
António Felizes/Afonso Miguel

ROCK EM PORTUGAL
Aristides Duarte

SOBRE O RISCO
Manuel Poppe

TMG
Teatro Municipal da Guarda

TUTATUX
Joaquim Tomé (fotografia)

ROTA DO CONTRABANDO
Vale da Mula


ENCONTRO DE BLOGUES NA BEIRA

ALDEIA DA MINHA VIDA
Susana Falhas

ALDEIA DE CABEÇA - SEIA
José Pinto

CARVALHAL DO SAPO
Acácio Moreira

CORTECEGA
Eugénia Santa Cruz

DOUROFOTOS
Fernando Peneiras

O ESPAÇO DO PINHAS
Nuno Pinheiro

OCEANO DE PALAVRAS
Luís Silva

PASSADO DE PEDRA
Graça Ferreira



FACEBOOK – BLOGUES

Anúncios