Hoje, nestes dias em que tanto se fala de uma reforma administrativa que basicamente tende a «apagar» freguesias do mapa, estou sempre a recordar-me da reforma administrativa de 1855, implementada por Fontes Pereira de Melo.

Mapa Concelho Sabugal

Nessa ocasião, as mudanças em todo o País e também aqui na nossa zona foram gigantescas. Creio que o que aconteceu com o Casteleiro (mudar de concelho e de Distrito, passando da Beira Baixa para a Beira Alta) foi do pior que se pode fazer a uma população.
À época, houve ainda muitas outras alterações.
No entanto, já antes, em 1836, uma primeira grande reforma, a do Liberalismo, conduzida pelo legislador Mouzinho da Silveira, «dividiu o território nacional em províncias, comarcas, concelhos e freguesias. Esta política provocou no Alto Côa a extinção dos concelhos de Alfaiates e Vila do Touro».
Agora, violenta… mesmo violenta, pelo menos para o Casteleiro, foi a Reforma Administrativa de 1855 de Fontes Pereira de Melo e da Regeneração.
Nessa altura muita coisa mudou.
E muita coisa mudou para pior em termos de administração e de defesa de interesses locais.

A Regeneração foi muito dura contra esta nossa região
A Regeneração não foi generosa para com os habitantes desta zona.
Por exemplo:
– Caria
Era concelho. Deixou de o ser, passou a freguesia e foi integrada no concelho de Belmonte.
– Sortelha
Era concelho – e até do distrito de Castelo Branco. Deixou de o ser, passou a freguesia e foi integrada no concelho do Sabugal, mas agora do Distrito da Guarda. Por arrasto, as freguesias do Casteleiro, Bendada, Águas Belas, Urgueira, Aldeia de Santo António, Pousafoles, Lomba dos Palheiros, Malcata, Moita, Pena Lobo, Santo Estêvão, Sortelha e… Valverdinho mudaram de concelho. Note que esta última «localidade» de Valverdinho (que de há muito, desde toda a minha lembrança, mais não é de facto do que uma quinta e com pouquíssima gente) deixou nessa altura de ser freguesia e passou a ser uma anexa do Casteleiro – o que ainda hoje se mantém.
Sortelha era pois um concelho grande em território, disperso e diversificado. Foi extinto, transferido para a «Raia», integrado no concelho do Sabugal e passou a ser mais uma das 57 freguesias com que o Sabugal então ficou – já que se juntaram ao renovado e agora enorme concelho do Sabugal os concelhos então também extintos de Vilar Maior, Sortelha e Castelo Mendo.
– Malcata e Urgueira
Li que com Malcata e com a Urgueira aconteceram mesmo algumas cenas escabrosas. A transferência dessas duas freguesias do concelho de Sortelha para o do Sabugal ter-se-á dado já em 1851. Mas a câmara de Sortelha não esteve pelos ajustes… e só quando extinta (1855) é que se consumou essa alteração.
– Pousafoles
Quanto a Pousafoles, li duas versões: que pertencia à Guarda e que pertencia a Sortelha antes de integrar o Sabugal.
– Castelo Mendo
E quanto a boa parte das freguesias do antigo concelho de Castelo Mendo, 30 anos depois, em 1883, estavam já entregues ao concelho de Almeida.

1855 – uma reforma nada positiva para o Casteleiro
Portanto, um século XIX cheio de alterações, instabilidades e flutuações.
Consequentemente, cheio de inoperâncias.
O Casteleiro, por exemplo, sofreu a dobrar e a triplicar e ainda hoje sofre:
– de maior freguesia fora da sede do concelho de Sortelha, passou a pequena freguesia do Sabugal;
– de freguesia limítrofe da sede do concelho, passou a freguesia afastada da sede;
– de uma freguesia num concelho de sete ou oito, passa a uma no meio de 60 e tal e, depois, uma de 57 até hoje;
– passa de um Distrito em desenvolvimento e industrialização, Castelo Branco, para um Distrito rural e nada dinâmico nessa época, o da Guarda.
Portanto, uma reforma nada positiva para o Casteleiro, lamentavelmente.
«A Minha Aldeia», crónica de José Carlos Mendes