You are currently browsing the daily archive for Sexta-feira, 9 Março, 2012.

Era uma mulher franzina, de estatura meã, com uma alma grande. Era uma mulher que cedo ficou viúva e mãe de cinco filhos. Perante esta situação civil e social viu-se a braços com a criação de tão grande prole, se compararmos com os dias de hoje, em que um dos motivos principais para o deficit da natalidade são os aspectos económicos das famílias, e nem o poder político nem a Igreja se preocupam muito com isso.

Era uma das mulheres mais idosas de Aldeia de Joanes. Mulher rija como o aço, com uma força assente no granito e hercúlea, deitando as mãos ao leme familiar. O barco era o trabalho duro no campo, ali e acolá. Era necessário ter alguns cêntimos para alimentar os filhos. O local de trabalho incerto e contratos por umas horas ou dias no amanho de umas plantações, no cultivo de terrenos agrícolas. Há pessoas que se cruzam na nossa vida que nunca mais esquecemos. A Senhora Celeste ficou na nossa memória e dos meus filhos, que a tratavam como mais uma avó. Alma simples, qual Teresa de Calcutá, bondosa, sempre risonha, transmitia felicidade. Hoje já não sorrimos, já não nos cumprimentamos, andamos tristonhos, sempre muito ocupados com o nada, muito cheios de serviço, boa desculpa para nada se fazer, para os outros serem as nossas bengalas, com o medo que ainda nos venham exigir ou cobrar qualquer imposto. É melhor fingir que não nos vemos… Podem vir a chatear-nos a pedir um conselho, uma ajuda. O melhor é fugir…
A Senhora Celeste ensinou-me muito. Não sabia ler nem escrever mas tinha o Curso Superior de Ciências Humanas na Universidade da Vida. Quando às vezes um filho nosso fazia alguma asneira, lá estava a apara raios da Senhora Celeste. Além da dedicação ao trabalho, amava os nossos filhos, amava as pessoas.
Com os filhos na diáspora, ainda passou alguns tempos nos Estados Unidos e na França. Antes de apanhar o avião, o que lhe criou imensa confusão, procurei explicar-lhe que era o transporte mais seguro do mundo.
Numa tarde quente de Fevereiro recebo a notícia da sua morte quando me dirigia para a Capital. Acompanhava-me o meu filho mais novo, e saíram-lhe dos seus olhos umas lágrimas dolorosas e sentidas.
Algumas vezes a visitei. Muitas vezes a passar pela estrada nacional Aldeia de Joanes – Telhado, no Largo de Santiago, ouvia a minha voz e trocávamos afectividades. Reconheço que da minha parte merecia mais visitas. Visitar os idosos é uma obrigação cívica e moral.
A Senhora Celeste, nome maravilhoso, nome que se enquadra no pensamento religioso, é uma grande alma, e sempre que as suas forças lhe permitiam nunca faltou às suas obrigações.
A Senhora Celeste, esposa, mãe, viúva, trabalhadora rural, assalariada algumas vezes, ainda trabalhou nas limpezas das vias públicas, a cargo da Junta de Freguesia de Aldeia de Joanes.
São estas mulheres portuguesas, simples, anónimas, que construíram e constroem Portugal.
Foram estas mulheres que no tempo das Caravelas ou da Guerra do Ultramar foram a retaguarda do nosso patriotismo. Relembro Fernando Pessoa: «Ó Mar Salgado, quanto do teu sal são lágrimas de Portugal, quantas mães choraram…»
Sei que alguns fariseus, quais sepulcros caiados de branco ou de vermelho, se interrogam, «mas este vem com esta crónica, com esta conversa, a falar de uma mulher que quase ninguém conhece». Ora, foi no ambiente destas mulheres que nasci, cresci e me alicercei como HOMEM. Foi lá que vi, num meio rural, como aqui, mulheres com as ferramentas e a informática da época: o berço de madeira, a enxada, a foice, o arado, o sacho, a cesta da merenda às costas, quase vazia, a ida aos cartórios civis ou religiosos, a serem recebidas, muitas vezes, como pessoas de segunda ou terceira classe, como acontecia nos comboios, enquanto muitos desses fariseus assentavam o traseiro nos cafés, nas poltronas, nos camarotes das ficções, nas mesas das honrarias, nas mesinhas com toalhas de rendas a tomar o chá das cinco, que o da manhã já lá foi, a receber e a comer o prato de lentilhas.
António Alves Fernandes – Aldeia de Joanes

Anúncios

A polémica desta semana anda à volta de qual o ministro que gere os fundos comunitários. Sendo um assunto sério, não deixa de ser um episódio que demonstra em como a nossa política vive de mediocridades e de irrelevâncias.

Importante, porque deve ser claro quem é o responsável pela movimentação desses dinheiros, quem coordena os projectos e os financiamentos. Mais a mais, num país em que os dinheiros comunitários têm sido canalizados, na sua maioria, para contas (leia-se bolsos) de uns quantos… A prova é visível. A indústria praticamente não existe, a pesca foi dizimada, a agricultura não produz e, no entanto, foram gastos em subsídios rios de euros! É, portanto, essencial, que os fundos comunitários comecem a ser investidos de forma séria e estruturalmente. De forma a que, eles contribuam efectivamente para o desenvolvimento da área em que são investidos mas, também, para o desenvolvimento do país. Mas este episódio deve ser visto pelo lado em que não se vê. O lado obscuro. Aí, nas sombras dos corredores do poder, onde se movimento aqueles que, politicamente, se chamam de lobistas. Este episódio mostra os interesses dos que queriam um ministro a mandar e os que queriam outro.
Todavia, este assunto, demostra o quão é pobre o nosso debate político. Este é um assunto que não pode levar oito meses a ser decidido por um governo. Ainda por cima, numa altura em que o país vive uma crise profunda. Em que o financiamento das empresas e dos empresários é extremamente difícil, o governo prefere entreter-se em escolher o galo para o poleiro! Entretanto, o desemprego ganha proporções muito preocupantes, principalmente nos jovens. As empresas fecham. Outras deslocam-se para países em que os impostos são baixos ou nulos e a mão de obra está pouco mais que acima de escrava. O interior do país vive isolado e abandonado. O custo de vida agrava-se diariamente e as políticas, desprovidas de humanismo e consciência social, vão arrastando o país para uma miséria que já nem disfarçada é.
Pois bem, enquanto o Sr. Primeiro se mantiver obcecado com o “custe o que custar”, que importa que os hospitais não tenham compressas nem medicamentos, a polícia não tenha carros patrulha nem tinteiros para as impressoras, a justiça ande a ritmo de caracol (principalmente se os arguidos ou suspeitos sejam figurões cá da praça) e seja somente aplicada aos fracos, a educação seja um conjunto de escolas (mega – agrupamentos) com a função de armazéns onde se guardam as crianças, a saúde seja tendencialmente só para ricos, que os bombeiros não tenham dinheiro para abastecer os carros… que importa?! No final o governo terá umas palmadinhas nas costas dos alemães e dos agiotas, mas não terá um país.
Afinal, como previa, os cortes e as restrições não são para todos. O regime de excepções começou e a «procissão só ainda vai no adro»! É a TAP, o Banco de Portugal, a CGD… enfim! E a maior excepção é o estado e as centenas ou milhares que orbitam à volta do orçamento do estado, cuja única função justificável é serem possuidores de um cartão partidário ou o sobrenome de um dos chefes.
Os cortes necessários deveriam ter começado por cima. Por quem ganha muito, em relação à maioria dos portugueses, e que fazem tão pouco. Para que, efectivamente, se cortasse nas despesas do estado e houvesse, dessa forma, autoridade moral para o aplicar ao povo. Assim, o que fizeram, foi anunciar de peito firme o corte nos salários, nos subsídios e em mais não sei quantas coisas mas que, depois, foram os que menos ganham quem levou com os cortes.
É pena. Pois quem se apresentava como paladino de transparência, de uma nova forma de estar na política, revela-se tão obscuro como os demais.
A política deixou de ser um serviço ou uma causa pública. Transformou-se numa pocilga.
«A Quinta Quina», crónica de Fernando Lopes

fernandolopus@gmail.com

JOAQUIM SAPINHO

DESTE LADO DA RESSURREIÇÃO
Em exibição nos cinemas UCI

Deste Lado da Ressurreição - Joaquim Sapinho - 2012 Clique para ampliar

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 836 outros seguidores

PUBLICIDADE

CARACOL REAL
Produtos Alimentares


Caracol Real - Produtos Alimentares - Cerdeira - Sabugal - Portugal Clique para visitar a Caracol Real


PUBLICIDADE

DOISPONTOCINCO
Vinhos de Belmonte


doispontocinco - vinhos de belmonte Clique para visitar Vinhos de Belmonte


CAPEIA ARRAIANA

PRÉMIO LITERÁRIO 2011
Blogue Capeia Arraiana
Agrupamento Escolas Sabugal

Prémio Literário Capeia Arraiana / Agrupamento Escolas Sabugal - 2011 Clique para ampliar

BIG MAT SABUGAL

BigMat - Sabugal

ELECTROCÔA

Electrocôa - Sabugal

TALHO MINIPREÇO

Talho Minipreço - Sabugal



FACEBOOK – CAPEIA ARRAIANA

Blogue Capeia Arraiana no Facebook Clique para ver a página

Já estamos no Facebook


31 Maio 2011: 5000 Amigos.


ASSOCIAÇÃO FUTEBOL GUARDA

ASSOCIAÇÃO FUTEBOL GUARDA

ESCOLHAS CAPEIA ARRAIANA

Livros em Destaque - Escolha Capeia Arraiana
Memórias do Rock Português - 2.º Volume - João Aristides Duarte

Autor: João Aristides Duarte
Edição: Autor
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)
e: akapunkrural@gmail.com
Apoio: Capeia Arraiana



Guia Turístico Aldeias Históricas de Portugal

Autor: Susana Falhas
Edição: Olho de Turista
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)



Música em Destaque - Escolha Capeia Arraiana
Cicatrizando

Autor: Américo Rodrigues
Capa: Cicatrizando
Tema: Acção Poética e Sonora
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)



SABUGAL – BARES

BRAVO'S BAR
Tó de Ruivós

Bravo's Bar - Sabugal - Tó de Ruivós

LA CABAÑA
Bino de Alfaiates

La Cabaña - Alfaiates - Sabugal


AGÊNCIA VIAGENS ON-LINE

CERCAL – MILFONTES



FPCG – ACTIVIDADES

FEDERAÇÃO PORTUGUESA
CONFRARIAS GASTRONÓMICAS


FPCG-Federação Portuguesa Confrarias Gastronómicas - Destaques
FPCG-Federação Portuguesa Confrarias Gastronómicas Clique para visitar

SABUGAL

CONFRARIA DO BUCHO RAIANO
II Capítulo
e Cerimónia de Entronização
5 de Março de 2011


Confraria do Bucho Raiano  Sabugal Clique aqui
para ler os artigos relacionados

Contacto
confrariabuchoraiano@gmail.com


VILA NOVA DE POIARES

CONFRARIA DA CHANFANA

Confraria da Chanfana - Vila Nova de Poiares Clique para visitar



OLIVEIRA DO HOSPITAL

CONFRARIA DO QUEIJO
SERRA DA ESTRELA


Confraria do Queijo Serra da Estrela - Oliveira do Hospital - Coimbra Clique para visitar



CÃO RAÇA SERRA DA ESTRELA

APCSE
Associação Cão Serra da Estrela

Clique para visitar a página oficial


SORTELHA
Confraria Cão Serra da Estrela

Confraria do Cão da Serra da Estrela - Sortelha - Guarda Clique para ampliar



SABUGAL

CASA DO CASTELO
Largo do Castelo do Sabugal


Casa do Castelo


CALENDÁRIO

Março 2012
S T Q Q S S D
« Fev   Abr »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Arquivos

CATEGORIAS

VISITANTES ON-LINE

Hits - Estatísticas

  • 3.142.076 páginas lidas

PAGERANK – CAPEIA ARRAIANA

BLOGOSFERA

CALENDÁRIO CAPEIAS 2012

BLOGUES – BANDAS MÚSICA

SOC. FILARM. BENDADENSE
Bendada - Sabugal

BANDA FILARM. CASEGUENSE
Casegas - Covilhã


BLOGUES – DESPORTO

SPORTING CLUBE SABUGAL
Presidente: Carlos Janela

CICLISMO SERRA ESTRELA
Sérgio Gomes

KARATE GUARDA
Rui Jerónimo

BLOGUES RECOMENDADOS

A DONA DE CASA PERFEITA
Mónica Duarte

31 DA ARMADA
Rodrigo Moita de Deus

A PÁGINA DO ZÉ DA GUARDA
Crespo de Carvalho

ALVEITE GRANDE
Luís Ferreira

ARRASTÃO
Daniel Oliveira

CAFÉ PORTUGAL
Rui Dias José

CICLISMO SERRA ESTRELA
Sérgio Paulo Gomes

FANFARRA SACABUXA
Castanheira (Guarda)

GENTES DE BELMONTE
Investigador J.P.

CAFÉ MONDEGO
Américo Rodrigues

CCSR BAIRRO DA LUZ
Alexandre Pires

CORREIO DA GUARDA
Hélder Sequeira

CRÓNICAS DO ROCHEDO
Carlos Barbosa de Oliveira

GUARDA NOCTURNA
António Godinho Gil

JOGO DE SOMBRAS
Rui Isidro

MARMELEIRO
Francisco Barbeira

NA ROTA DAS PEDRAS
Célio Rolinho

O EGITANIENSE
Manuel Ramos (vários)

PADRE CÉSAR CRUZ
Religião Raiana

PEDRO AFONSO
Fotografia

PENAMACOR... SEMPRE!
Júlio Romão Machado

POR TERRAS DE RIBACÔA
Paulo Damasceno

PORTUGAL E OS JUDEUS
Jorge Martins

PORTUGAL NOTÁVEL
Carlos Castela

REGIONALIZAÇÃO
António Felizes/Afonso Miguel

ROCK EM PORTUGAL
Aristides Duarte

SOBRE O RISCO
Manuel Poppe

TMG
Teatro Municipal da Guarda

TUTATUX
Joaquim Tomé (fotografia)

ROTA DO CONTRABANDO
Vale da Mula


ENCONTRO DE BLOGUES NA BEIRA

ALDEIA DA MINHA VIDA
Susana Falhas

ALDEIA DE CABEÇA - SEIA
José Pinto

CARVALHAL DO SAPO
Acácio Moreira

CORTECEGA
Eugénia Santa Cruz

DOUROFOTOS
Fernando Peneiras

O ESPAÇO DO PINHAS
Nuno Pinheiro

OCEANO DE PALAVRAS
Luís Silva

PASSADO DE PEDRA
Graça Ferreira



FACEBOOK – BLOGUES

Anúncios