Um sabugalense residente em França, saudoso das belas paisagens da terra natal, remeteu-nos um texto e algumas fotografias, que publicamos.

Nasci no lugar de Caldeirinhas, uma das aldeias anexas da freguesia de Sortelha, na meada dos anos 60. Pouco tempo depois de ter nascido, os meus pais emigraram para França onde estudei e fiz a minha vida.
Mesmo tendo sido criado no estrangeiro e ter uma cultura já muito gaulesa, sempre fiquei muito ligado à aldeia onde nasci. Cada vez que cà volto, sempre descubro novas paisagens espectaculares e surpreendentes nestes arredores que se situam 300m mais baixo do que o próprio Sabugal, num vale onde começa a Cova da Beira. Quem ali for de visita apreciará as belezas paisagísticas que dali se podem observar.
Quase toda a gente do nosso concelho conhece, aqui ou ali, os barrocos que têm forma humana ou de animais. Os mais conhecidos são, a meu ver, a «cabeça da velha» em Sortelha e o «barroco do leão» em Aldeia de Santo António. Pois vejam que as Caldeirinhas têm três barrocos extraordinários: o «barroco cabeça do cão da serra», o barroco «cabeça de cão caniche» e o barroco «cabeça de macaco».
Em Sortelha ainda se pode ver outro barroco extraordinário, localizado à esquerda sobre o caminho que liga Sortelha à aldeia da Quarta-Feira: é o «barroco caracol».
Serafim Leal

Anúncios