You are currently browsing the daily archive for Sexta-feira, 2 Março, 2012.

A Comissão Europeia (CE) advertiu o Estado português para alterar normas nacionais relativas à introdução de portagens nas ex-SCUT que são contrárias à legislação comunitária, após a análise de uma queixa da Câmara de Aveiro, revelou hoje esta autarquia.

De acordo com a autarquia, a CE alerta que, se o Estado português não alterar as normas que vão contra a legislação europeia no que respeita à introdução de portagens nas ex-SCUT (antigas vias sem custos para o utilizador), «seria demandado e processado no Tribunal de Justiça da UE por incumprimento e violação de normas imperativas de direito comunitário».
A autarquia aveirense apresentou uma queixa formal contra o Estado português junto da Comissão Europeia, «invocando que a introdução de portagens violava o princípio da liberdade de circulação e o princípio da não-discriminação em razão da nacionalidade – ambos, pedras basilares do direito comunitário que nos rege, atento o modelo de cobrança de portagens previsto», acrescentou, numa nota.
Segundo a autarquia, a queixa levou a CE a fazer um primeiro pedido de esclarecimento junto do Governo português «e, na insuficiência da resposta dada pelas autoridades nacionais, o envio formal de um parecer fundamentado pedindo mais explicações e documentação que justificasse a legislação aprovada, o seu sentido e alcance, e as derrogações que a mesma introduz ao ordenamento jurídico europeu».
«Mais se soube que, nos termos do referido parecer fundamentado, o Estado português, através do Governo da República, foi advertido que, se não alterasse as normas legais nacionais contrárias ao quadro legislativo comunitário, seria demandado e processado no Tribunal de Justiça da UE por incumprimento e violação de normas imperativas de direito comunitário», acrescentou.
No seguimento desta advertência de Bruxelas, a autarquia espera que «as autoridades nacionais se conformem com as determinações da Comissão Europeia e revejam a legislação nacional que introduz portagens nas ex-SCUT, aproveitando a oportunidade para reverem e modificarem um sistema intrinsecamente iníquo e injusto, penalizador dos utentes e munícipes que nos cumpre representar».
A Câmara de Aveiro realça ainda que vai continuar a acompanhar este processo «e a desenvolver as diligências que se mostrem adequadas a suprir as ilegalidades em que assenta o sistema de portagens introduzido nas ex-SCUT, não excluindo a adopção de novas iniciativas junto dos responsáveis pela Comissão Europeia com o pelouro dos transportes e junto de eurodeputados portugueses no Parlamento Europeu».
A Lusa tentou hoje obter mais esclarecimentos sobre esta matéria junto do Ministério da Economia e não obteve resposta até ao momento.
No entanto, questionado no final do conselho de ministros de quinta-feira, o ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, disse que «não havia alternativa» à introdução de portagens.
«É importante referir que Bruxelas certamente será sensível ao nosso argumento económico e ao argumento do princípio do utilizador-pagador. Em relação a este assunto, prefiro ficar-me por aqui», concluiu.
plb (com Lusa)

Anúncios

Ao ler este título, perguntam quem é esse Fatela? Aqueles que vivem em Aldeia de Joanes, Freguesia povoada pelos Templários e situada na Cova da Beira, conhecem-no.

O Fatela nasceu nesta Aldeia, um cidadão simples, humilde, católico praticante, que muito cedo começou a trabalhar. Aprendeu o ofício de saber lidar e tratar os móveis e aí gastou muitas das suas forças profissionais. Por motivos de saúde reformou-se prematuramente. De seguida tem o falecimento da esposa. Uma desgraça para os pobres nunca vem sozinha. Para afagar tantas dores envereda pelo consumo exagerado do álcool. Quem não tem um vício?
Ficou com a companhia da única filha, que se destacou durante seis anos como Catequista na Comunidade Paroquial de Aldeia de Joanes, levando dois grupos a fazer a Primeira Comunhão. Também foi evangelizadora na sua terra. As exigências da procura de uma profissão, de um emprego, como acontece a milhares de jovens do interior deste País, forçaram-na a emigrar para o litoral. O Pai, o Fatela, fica só. Fica nas paredes sombrias e frias da sua residência, tendo como companhia a Capelinha de Nossa Senhora do Amparo, de grande devoção para as gentes de Aldeia de Joanes, que em Agosto lhe fazem uma festa e lhe prestam reverência.
Ainda trabalhou numa empresa de venda de materiais de construção no Fundão, mas o tal vício obriga-o a abandonar aquelas actividades.
Também a Junta de Freguesia lhe deu trabalhos esporádicos de limpeza de caminhos vicinais e outros. Num desses trabalhos, com o seu companheiro a suar por todos os poros, chamei-o para lhes dar uma bebida refrescante. Quis um copo de vinho tinto em vez da cerveja fresquinha. Se todos nós bebêssemos vinho português, a nossa agricultura estaria bem melhor.
Foram muitos os encontros com o Fatela nos Cafés de Aldeia de Joanes. Era um homem de trato afável, delicado, não criava problemas a ninguém, apenas prejudicava a sua saúde e a sua reforma. Um dia, tive de fazer o papel de regedor dos costumes e não lhe autorizei que bebesse mais um copo de vinho, atendendo à medida já ultrapassada em todos os níveis possíveis, e fui levá-lo a casa. Este gesto cimentou mais a nossa empatia e estava sempre a relembrar-lhe que tudo na vida tem limites e muito mais limites aquilo que prejudica a nossa saúde.
No dia 15 de Fevereiro de 2012, num Lar situado na aldeia mais alta de Portugal, partiu para a vida eterna, na data em que fazia 61 anos de idade, indo festejá-los no Reino de Deus. No dia seguinte foi o funeral em Aldeia de Joanes.
Na Igreja Matriz, nas Cerimonias das Exéquias, o Povo cantava «Eu caminharei na presença do Senhor» e um elemento do Grupo Coral com uma voz celestial cantava que «O Senhor é a minha Luz e a minha Salvação». O Evangelho de S. Mateus apontava e iluminava: «vinde a Mim os que andais oprimidos, os humildes de coração».
O Celebrante teve o cuidado de mencionar o nome completo do defunto, o que é muito louvável. Irrita-me quando, por questões de crise ou austeridade, apenas mencionam um só nome. Desta vez foi bem pronunciada e sufragada a alma de António Salvado Afonso Fatela.
No funeral registou-se e notou-se a presença do elenco da Junta de Freguesia, o Presidente da Assembleia de Freguesia e todos os proprietários dos Cafés de Aldeia de Joanes, revelando que acima dos negócios há sentimentos, solidariedade e dor.
Estranhei a ausência de representação da parte dos Catequistas da Comunidade Paroquial de Aldeia de Joanes, mas os homens às vezes têm a memória curta.
Já o sol estava a esconder-se nesta tarde fria de Fevereiro quando o corpo do Fatela – António Salvado Afonso Fatela – desceu à terra, onde todos nós também desceremos.
Paz à sua alma…que descanse em Paz.
António Alves Fernandes – Aldeia de Joanes

Conta-se que Arquimedes, estando no banho descobriu que, o volume de qualquer corpo, pode ser calculado medindo o volume de água movida quando o corpo é submergido. È o princípio de Arquimedes.

A palavra «eureka» é a primeira pessoa do singular do perfeito do indicativo do verbo heuriskein (encontrar), significa, portanto, encontrei. Usamo-la, hoje, como sinónimo de descoberta, de fim de busca.
Foi precisamente o que me ocorreu estes dias com as notícias que, diariamente, invadiam as nossas casas. Como podem estes iluminados da economia e finanças, virem, com aquele ar de virgens imaculadas, apregoar o seu espanto em relação à recessão, á falta de crescimento económico, ao aumento do desemprego e à fraca entrada de impostos nos cofres do estado?!
Cada dia vinha um qualquer (ou nem tanto) dizer da sua admiração por os números não coincidiam com as previsões estabelecidas. Bom, eram previsões, argumentam. Contudo, esse argumento não justifica o eureka com que nos brindam:
Seria impossível haver crescimento económico quando o consumo (a procura) diminui. Penso não ser necessário ser economista para perceber que o mercado (como eles gostam tanto de dizer!) funciona na base da procura e da oferta. Não havendo procura a própria oferta tende a diminuir. Exemplifiquemos da seguinte forma, uma empresa fabrica frigoríficos, se os consumidores não os comprarem, brevemente, a empresa reduzirá a produção, despedindo trabalhadores, que irão engrossar o grupo dos consumidores que não compra. Mais tarde a empresa fecha. Desta forma, o fenómeno vai engrossando, provocando o efeito bola de neve. Ora, esta crise foi provocada pelos economistas e financeiros que, na obscuridade dos gabinetes, especularam, mentiram, conspiraram e inventaram esta crise que, no final, lhes vai dar milhares de milhões de lucro. E, todavia, são estes mesmos que chamamos para resolver crise! Se a memória não me falha, creio ter sido Churchill, primeiro ministro britânico aquando da 2ª guerra mundial, que afirmou que a guerra era um assunto demasiado sério para ser deixada só aos militares. Também a economia. Os resultados estrão á vista.
Mas sobre estes espantos, dou mais dois exemplos, em que as previsões teriam que sair, necessariamente, furadas. Um, a receita fiscal está aquém do esperado. E os economistas da nossa praça ficam espantados! Se há cada vez menos gente a trabalhar, como se pode esperar receita fiscal igual ou superior à do ano passado? Sabendo-se que a economia paralela já era enorme, agora é estrondosa. Eu diria que, por este andar, a paralela é que parece ser a real… Outro, a facturação das scut’s. Juro, tenho uma curiosidade enorme de saber qual o resultado da colecta (para não lhe chamar chulice) que a cobragem de portagens deu. Porque a diferença entre o estimado e o valor real deve ser colossal. No final, nem a cobragem resolve o problema da divida às empresas concessionárias e o resultado será o definhar definitivo do interior. Quando o governo perceber que não tem país, será tarde. Por aqui haverá aldeias fantasmas e a única vida será a passagem do vento pelos campanários vazios… pois os sinos já os terão roubado!
Por estes dias esteve por cá um prémio Nobel da economia para ser doutorado honoris causa e logo por três universidades. Não sei se cobrou o «serviço» ou não, mas vi ser apresentado por um senhor que pensa exactamente o contrário. Enfim. Este senhor veio dizer que Portugal está no bom caminho mas que não garantia que resultasse toda esta austeridade. Bem, foi a minha vez de dizer eureka! Então o homem, um laureado nobel em economia, e não pode garantir se aquilo que estamos a fazer vai ter resultados!? Depois tem o desplante de dizer que os salários dos portugueses deviam ser cortados em 30% em relação aos dos alemães. Então para que serviu e para que serve a União Europeia? Não era para equilibrar os povos europeus no seu nível de vida? Apetece-me voltar aos frigoríficos, os alemães que os façam, se ninguém os comprar quero ver o que lhes fazem!
Quanto ao nobel da economia, confesso que tenho alguma dificuldade em perceber a sua importância. Todos os anos temos laureados e não vejo nenhuma teoria ou descoberta desta gente que venha facilitar a vida das pessoas ou permitir-lhes soluções. Por detrás desta crise estão muitas das teorias de laureados com o nobel da economia! A este que por cá esteve, gostava que lhe cortassem o salário, só para ouvir mais uma prelecção do iluminado.
O Sr. Primeiro Ministro cá do burgo, finalmente, encontrou a culpa do estado de Portugal! Foi o anterior governo. Eureka! Permita-me que lhe diga, não foi o anterior. Foram todos os anteriores. A começar no do Sr. Cavaco Silva. Porque nessa altura de vacas gordas, as reformas estruturais que tanto apregoa agora não foram feitas. Os milhões da Comunidade Europeia foram estruturar os bolsos de uns quantos e dos amigos. Agora, quando não há dinheiro, vem pedir que se faça o que ele não fez quando devia e podia. Mais, se não concorda com a linha política seguida pelo governo do seu próprio partido, não publique as leis. Use os instrumentos ao seu dispor e demonstre a sua discordância. Agora publicar as leis e, depois, dar entrevistas à imprensa estrangeira a dizer que não pode ser tanta austeridade soa a cobardia e hipocrisia.
O Sr. Primeiro Ministro pode acusar a herança, mas não deve com isso camuflar as suas opções políticas, nem diluir as suas decisões com o programa da troika. Procurando, desta forma, sacudir a água do capote.
Espero que, qualquer dia, alguém não nos venha dizer que estamos mais pobres, com esse ar de quem descobriu a realidade.
«A Quinta Quina», crónica de Fernando Lopes

fernandolopus@gmail.com

JOAQUIM SAPINHO

DESTE LADO DA RESSURREIÇÃO
Em exibição nos cinemas UCI

Deste Lado da Ressurreição - Joaquim Sapinho - 2012 Clique para ampliar

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 836 outros seguidores

PUBLICIDADE

CARACOL REAL
Produtos Alimentares


Caracol Real - Produtos Alimentares - Cerdeira - Sabugal - Portugal Clique para visitar a Caracol Real


PUBLICIDADE

DOISPONTOCINCO
Vinhos de Belmonte


doispontocinco - vinhos de belmonte Clique para visitar Vinhos de Belmonte


CAPEIA ARRAIANA

PRÉMIO LITERÁRIO 2011
Blogue Capeia Arraiana
Agrupamento Escolas Sabugal

Prémio Literário Capeia Arraiana / Agrupamento Escolas Sabugal - 2011 Clique para ampliar

BIG MAT SABUGAL

BigMat - Sabugal

ELECTROCÔA

Electrocôa - Sabugal

TALHO MINIPREÇO

Talho Minipreço - Sabugal



FACEBOOK – CAPEIA ARRAIANA

Blogue Capeia Arraiana no Facebook Clique para ver a página

Já estamos no Facebook


31 Maio 2011: 5000 Amigos.


ASSOCIAÇÃO FUTEBOL GUARDA

ASSOCIAÇÃO FUTEBOL GUARDA

ESCOLHAS CAPEIA ARRAIANA

Livros em Destaque - Escolha Capeia Arraiana
Memórias do Rock Português - 2.º Volume - João Aristides Duarte

Autor: João Aristides Duarte
Edição: Autor
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)
e: akapunkrural@gmail.com
Apoio: Capeia Arraiana



Guia Turístico Aldeias Históricas de Portugal

Autor: Susana Falhas
Edição: Olho de Turista
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)



Música em Destaque - Escolha Capeia Arraiana
Cicatrizando

Autor: Américo Rodrigues
Capa: Cicatrizando
Tema: Acção Poética e Sonora
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)



SABUGAL – BARES

BRAVO'S BAR
Tó de Ruivós

Bravo's Bar - Sabugal - Tó de Ruivós

LA CABAÑA
Bino de Alfaiates

La Cabaña - Alfaiates - Sabugal


AGÊNCIA VIAGENS ON-LINE

CERCAL – MILFONTES



FPCG – ACTIVIDADES

FEDERAÇÃO PORTUGUESA
CONFRARIAS GASTRONÓMICAS


FPCG-Federação Portuguesa Confrarias Gastronómicas - Destaques
FPCG-Federação Portuguesa Confrarias Gastronómicas Clique para visitar

SABUGAL

CONFRARIA DO BUCHO RAIANO
II Capítulo
e Cerimónia de Entronização
5 de Março de 2011


Confraria do Bucho Raiano  Sabugal Clique aqui
para ler os artigos relacionados

Contacto
confrariabuchoraiano@gmail.com


VILA NOVA DE POIARES

CONFRARIA DA CHANFANA

Confraria da Chanfana - Vila Nova de Poiares Clique para visitar



OLIVEIRA DO HOSPITAL

CONFRARIA DO QUEIJO
SERRA DA ESTRELA


Confraria do Queijo Serra da Estrela - Oliveira do Hospital - Coimbra Clique para visitar



CÃO RAÇA SERRA DA ESTRELA

APCSE
Associação Cão Serra da Estrela

Clique para visitar a página oficial


SORTELHA
Confraria Cão Serra da Estrela

Confraria do Cão da Serra da Estrela - Sortelha - Guarda Clique para ampliar



SABUGAL

CASA DO CASTELO
Largo do Castelo do Sabugal


Casa do Castelo


CALENDÁRIO

Março 2012
S T Q Q S S D
« Fev   Abr »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Arquivos

CATEGORIAS

VISITANTES ON-LINE

Hits - Estatísticas

  • 3.144.978 páginas lidas

PAGERANK – CAPEIA ARRAIANA

BLOGOSFERA

CALENDÁRIO CAPEIAS 2012

BLOGUES – BANDAS MÚSICA

SOC. FILARM. BENDADENSE
Bendada - Sabugal

BANDA FILARM. CASEGUENSE
Casegas - Covilhã


BLOGUES – DESPORTO

SPORTING CLUBE SABUGAL
Presidente: Carlos Janela

CICLISMO SERRA ESTRELA
Sérgio Gomes

KARATE GUARDA
Rui Jerónimo

BLOGUES RECOMENDADOS

A DONA DE CASA PERFEITA
Mónica Duarte

31 DA ARMADA
Rodrigo Moita de Deus

A PÁGINA DO ZÉ DA GUARDA
Crespo de Carvalho

ALVEITE GRANDE
Luís Ferreira

ARRASTÃO
Daniel Oliveira

CAFÉ PORTUGAL
Rui Dias José

CICLISMO SERRA ESTRELA
Sérgio Paulo Gomes

FANFARRA SACABUXA
Castanheira (Guarda)

GENTES DE BELMONTE
Investigador J.P.

CAFÉ MONDEGO
Américo Rodrigues

CCSR BAIRRO DA LUZ
Alexandre Pires

CORREIO DA GUARDA
Hélder Sequeira

CRÓNICAS DO ROCHEDO
Carlos Barbosa de Oliveira

GUARDA NOCTURNA
António Godinho Gil

JOGO DE SOMBRAS
Rui Isidro

MARMELEIRO
Francisco Barbeira

NA ROTA DAS PEDRAS
Célio Rolinho

O EGITANIENSE
Manuel Ramos (vários)

PADRE CÉSAR CRUZ
Religião Raiana

PEDRO AFONSO
Fotografia

PENAMACOR... SEMPRE!
Júlio Romão Machado

POR TERRAS DE RIBACÔA
Paulo Damasceno

PORTUGAL E OS JUDEUS
Jorge Martins

PORTUGAL NOTÁVEL
Carlos Castela

REGIONALIZAÇÃO
António Felizes/Afonso Miguel

ROCK EM PORTUGAL
Aristides Duarte

SOBRE O RISCO
Manuel Poppe

TMG
Teatro Municipal da Guarda

TUTATUX
Joaquim Tomé (fotografia)

ROTA DO CONTRABANDO
Vale da Mula


ENCONTRO DE BLOGUES NA BEIRA

ALDEIA DA MINHA VIDA
Susana Falhas

ALDEIA DE CABEÇA - SEIA
José Pinto

CARVALHAL DO SAPO
Acácio Moreira

CORTECEGA
Eugénia Santa Cruz

DOUROFOTOS
Fernando Peneiras

O ESPAÇO DO PINHAS
Nuno Pinheiro

OCEANO DE PALAVRAS
Luís Silva

PASSADO DE PEDRA
Graça Ferreira



FACEBOOK – BLOGUES

Anúncios