A Câmara Municipal do Sabugal está a desenvolver um projecto de proximidade com o produtores de castanha, que numa primeira fase passa pela realização de um levantamento dos soutos existentes no concelho, iniciando a sua intervenção nos Fóios, uma das freguesias onde o castanheiro está mais implantado.

A Equipa de Projecto e Desenvolvimento Rural da Câmara Municipal do Sabugal, definiu como ponto estratégico o levantamento dos soutos, tendo em vista uma aproximação ao produtor, aconselhando-o com técnicas culturais adequadas, obter a noção clara e realista das variedades predominantes no concelho, promover os investimentos juntos dos agricultores e incentivar a plantação de castanheiros nos terrenos apropriados.
Através do projecto poderá transferir-se para os agentes desta fileira, todo o conhecimento técnico adquirido, de modo a contribuir para a valorização e sustentabilidade deste sistema agro-florestal com enorme potencial de crescimento a médio e longo prazo.
O castanheiro é uma espécie longeva que pode atingir mais de um milhar de anos de idade. Entre os oito e os dez anos o castanheiro começa a dar fruto, no entanto só depois dos 20 é que a frutificação passa a ser um fenómeno regular. A sua produção mantém-se elevada mesmo quando já está em idade avançada (pode atingir 600 anos de idade, ou mais). Até aos 50 a 60 anos, o seu crescimento é bastante rápido, retardando depois até ao fim da vida.
Os castanheiros distribuem-se por todo o concelho do Sabugal, estando mais enraizados no lado Leste. Sendo uma árvore de folha caduca, imprime um grande contraste sazonal, estando bem implícito na cultura e na história agrícola da região.
A castanha, o seu fruto, sempre foi um contributo importante na dieta dos povos locais: assim o era antes da chegada da batata e do milho com os descobrimentos e continuou sê-lo depois, devido à escassez de outros alimentos. A castanha (no passado pouco apreciada pelos ricos), era seca e armazenada durante o todo o ano, para ser cozida ou assada, sendo o sustento da população, ficando conhecida pelo «pão dos pobres».
Existem algumas curiosidades com esta espécie, nomeadamente a existência do castanheiro manso e o bravo. O manso obtém-se por enxertia de um bravo e é este que produz as castanhas que habitualmente comemos, existindo centenas de variedades de castanhas diferentes. Os povoados destes designam-se de soutos. O castanheiro-bravo é utilizado para produção de madeira e os seus povoamentos são os castinçais. Os povoados de castanheiros servem de habitat a dezenas de espécies de cogumelos.
Após o conhecimento da produção de castanha existente no concelho, pretende-se chegar à transformação e comercialização deste produto muito valorizado, cuja procura supera a oferta.
plb (com CMS)

Anúncios