Em comentário a uma das últimas crónicas minhas o meu amigo Quim Tomé escreve: «No Sabugal também há quem não esteja parado! No Sabugal também há quem muito faça às suas próprias custas pela terra!».

Ramiro Matos – «Sabugal Melhor»Não podia estar mais de acordo, e seria, da minha parte, uma grande injustiça não reconhecer todos aqueles que, contra ventos e marés, continuam a lutar por um Concelho do Sabugal melhor.
Quero antes de mais salientar os mais de 13.000 cidadãos que neste Concelho continuam a viver e a trabalhar, numa prova diária de que, embora difícil, existe um caminho a percorrer.
Mas de entre todos os que não deixam a esperança morrer, deixem-me salientar alguns exemplos, pedindo desde já desculpa aos que não vou referir, não por esquecimento, mas porque os que vou citar são apenas exemplos.
E começo, por alguns agentes económicos que, do espaço sabugalense souberam afirmar-se a nível nacional e, mesmo, internacional: a OLIPAL, a PALEGESSOS, a ENAT, a «Fausto Baltazar & Filhos», a LACTIBAR…
Também no setor da restauração e hotelaria, saliento os nomes dos restaurantes «Robalo», inserido em praticamente todos os roteiros gastronómicos nacionais e da «Casa da Esquila» que vem fazendo o seu caminho para o merecido reconhecimento como um dos melhores restaurantes beirões.
Natural destaque merece a «Casa do Castelo» pelo trabalho ímpar que vem desenvolvendo em prol da afirmação do Concelho e na defesa intransigente do património cultural do Concelho.
E não esqueço também o papel das IPSS que tornam o Concelho num exemplo a nível nacional.
Como não esqueço o trabalho de tantos e tantos sabugalenses que, melhor ou pior, continuam a defender nas suas associações culturais, desportivas e recreativas as suas aldeias e os seus conterrâneos.
Caro Quim Tomé: Percebo como poucos as razões que te assistem pela forma vergonhosa, para não dizer outra palavra mais forte, como alguns te trataram e ainda hoje te tratam.
Mas tenho a certeza que o pelotão dos sabugalenses que diariamente dão mais um contributo para o Concelho do Sabugal que todos queríamos fosse a nossa terra é grande e fortalece-se dia após dia!

PS 1: A morte de um sabugalense que tanto deu pela sua terra é um momento muito triste para todos, e em especial para mim, pois não tenho dúvidas que o Ti Fausto Baltazar me tinha como amigo.
Curiosamente a minha primeira lembrança do Ti Fausto vem sempre acompanhada de um saxofone, pois foi no «Jazz Transcudano», conjunto musical que houve no Sabugal na década de 50 do século passado, que me lembro de o ver tocar aquele instrumento, ao lado, entre outros, do meu pai que tocava trompete e cantava.
À família e aos meus grandes amigos Tó e Quim um abraço sentido de solidariedade nesta hora má.

PS 2: E lá fui a Évora em mais uma jornada gastronómica gloriosa, feita por um homem que em terras alentejanas ostenta de forma orgulhosa a sua qualidade de beirão e sabugalense.
Está de parabéns a Confraria do Bucho Rraiano e o meu amigo Zé Dias.
E muito folgámos em saber que a Confraria já é tão importante que até merece chamada de atenção em jornais diários (no caso o «i»), comparando-nos à Maçonaria! Como diria a Ivone Silva «está tudo grosso!…».

PS 3: Não posso deixar de me congratular com o facto de na última reunião de Câmara os vereadores do Partido Socialista terem apresentado a proposta para a elaboração do «Plano Estratégico do Concelho», proposta que foi aprovada por unanimidade.
Venho defendendo esta proposta há mais de 20 anos e é bom que, finalmente, a Câmara dê início à sua elaboração.

«Sabugal Melhor», opinião de Ramiro Matos

rmlmatos@gmail.com

Anúncios