You are currently browsing the daily archive for Segunda-feira, 9 Janeiro, 2012.

A Câmara Municipal de Belmonte emitiu um comunicado afirmando que aquela vila da Beira Baixa ambiciona tornar-se num destino turístico de excelência, sendo que os dados referentes ao número de pessoas que visitaram Belmonte em 2011 reforça a ideia de que esse objectivo se está a cumprir.

«Além dos prémios e das distinções na imprensa nacional e internacional, Belmonte reforçou em 2011 a sua ambição de se tornar um destino turístico de excelência», diz-se no comunicado de imprensa agora divulgado.
O Município informa que os Museus de Belmonte registaram 78.649 visitantes, um aumento de dois por cento em relação ao ano de 2010.
O Museu Judaico e o Ecomuseu, foram os que registaram o aumento mais significativo nas entradas, com 9 e 7 por cento, respectivamente. O Museu à Descoberta do Novo Mundo foi o mais visitado com 18.224 visitantes, sendo que é o turista nacional que mais o procura (14.966 entradas), seguido do brasileiro (com 803 entradas).
O turista brasileiro tem também predilecção pelos Caminhos de Santiago e o pelo Apóstolo, pelo que constituem o público principal do Centro de Interpretação da Igreja de S. Tiago (701 entradas).
O turista espanhol aparece um segundo lugar das nacionalidades que visitam a Vila (1.895 pessoas), sendo o Centro de Interpretação da Igreja de S. Tiago (533 entradas) e o Museu Judaico (501 entradas) os locais que mais visitam.
Em relação ao Museu Judaico, posteriormente ao turista nacional, foram os israelitas (1.579 entradas) e os americanos (537 entradas) o público principal em 2011.
Em relação às vendas de merchandising, o saldo foi também positivo, verificando-se um aumento em relação a 2010.
O aumento do número de turistas que visitaram Belmonte e os seus museus dão ânimo aos autarcas da vila onde nasceu Pedro Álvares Cabral, a prosseguirem a aposta no turismo. «São dados que nos orgulham e nos motivam a trabalhar mais e melhor. Apesar de todas as condicionantes previstas para 2012, esperamos que Belmonte e os seus Museus continuem a contribuir para que neste novo ano, Belmonte, se assuma como destino de referência no turismo nacional e internacional.»
plb

Anúncios

O Núcleo da Guarda da Quercus organiza, no fim-de-semana de 11 e 12 de Fevereiro, o Curso de Formação para Educador Ambiental, que fornecerá conteúdos teóricos e metodologias práticas sobre o que é ser, hoje em dia e à luz das necessidades das sociedades actuais, um educador ambiental.

Segundo a Quercos, «aquele que se intitula de Educador Ambiental assume uma importância de extrema relevância, a nível de preparação, comunicação e divulgação através de “campanhas/investigação” integradas no âmbito da informação e divulgação ambiental».
Tem-se verificado um crescente recrutamento de pessoas com este tipo de formação, nomeadamente por entidades e empresas privadas de diferentes áreas, segundo dados da Comissão Europeia.
O futuro passa por «uma compatibilidade equilibrada com o ambiente, correspondendo às exigências de mercado e consumo de um modo cada vez mais sustentado em que se exige uma reorganização e estruturação de mentalidade na adopção de um comportamento ambientalmente consciente», diz ainda o Núcleo da Guarda da Quercus no comunicado que divulgou acerca do assunto.
O curso de Educação Ambiental que a Quercus proporciona pode garantir aos participantes «a oportunidade de vivenciar metodologias utilizadas em Educação Ambiental, como dinâmicas de grupo, jogos cooperativos, arte-educação, visualização criativa, actividades práticas, de sensibilização e de integração».
Informações e inscrições podem ser solicitadas para o endereço electrónico guarda@quercus.pt.
plb

Contei aqui, há umas semanas, a lenda das três mouras encantadas que à noite estendem seus alvos lençóis no alto da Serra d’Opa. Entretanto, palavra puxa palavra, a investigação oral e escrita levou-me a outras «paragens». Hoje, quem vai ficar mais satisfeito são os amigos do Vale da Senhora da Póvoa, já que incluímos uma foto da encosta do lado da «antiquérrima» Lancia Oppidana – como adiante explico… A Serra, essa, concentra o protagonismo de numerosas histórias, lendas, contos, narrativas. Sempre com um misterioso ambiente de grandeza, riqueza, ouro. Para trás fica a história verdadeira da exploração de minério nas suas duas encostas, o que fez tal riqueza de muita gente que um dia um grupo de novos-ricos do Vale comprou o comboio ao… revisor de bilhetes… mas isso é uma história malandreca de brincar com a rapaziada do Vale.

É sabido que se contam em cada aldeia milhentas histórias sobre a Serra d’Opa. Naqueles anos 50, a rapaziada do Vale (assim chamávamos ao Vale de Lobo de então) tinha muito acesso ao alto da Serra porque daquele lado ia-se lá bem até de bicicleta: a encosta é muito menos íngreme e até havia terrenos cultivados mesmo lá no cucuruto… ao contrário do que acontecia do lado do Terreiro (das Bruxas) e do Casteleiro que, sendo muito a pique, tornava a escalada muito difícil para a rapaziada dessa banda. Mas muita gente lá ia (não eu: como já disse, tenho comigo essa lacuna: esta serra é a única dali a que nunca trepei…).
Bem no alto, haveria três castros (pequenas fortificações lusitanas). Um deles, designado como Sortelha Velha, pode ver-se na foto obtida via Américo Valente, citado adiante.

Mula de ouro
As lendas populares falam muto de ouro, moedas de ouro, potes de ouro.
Pois para a Serra d’ Opa também se arranjou no Casteleiro uma história que mete ouro.
Reza assim:
«No alto da Serra d’ Opa, há um haver: uma mula de ouro com selim, freio e tudo. E quem a há-de encontrar é rabo de ovelha ou ponta de relha».
Eu explico.
A mula tem os arreios todos: até selim e freio, portanto está completa e é muito valiosa.
E está ali mesmo à superfície. Reparem: quem a há-de encontrar é rabo de ovelha (ou seja: não é preciso arranhar muito o solo) ou ponta de relha (a relha é a parte do arado que rasga a terra – mas a relha não vai muito fundo, anda mais à superfície).
Portanto esta mula de ouro está mesmo ali à mão de semear…
É só ir buscá-la.

Mouras de tranças de ouro
Por seu turno, Lopes Dias, que era do Vale, conta a história das mouras encantadas que vivem lá no alto da Serra. Mas esta lenda não mete lençóis e sim tranças de ouro… Mais uma vez e sempre o ouro.
Ouro que, se bem se lembram, o Rei mandou procurar no Casteleiro em 1723: mandou explorar as terras para ver se de facto ali havia ouro ou não. Recordo que, mesmo não havendo tanto ouro assim, a verdade é que não falta lá, nas duas encostas da Serra, volfrâmio, estanho e quejandos minérios bem conhecidos, que na Segunda Guerra deram muito dinheiro a muitas famílias da zona.
Retomo Lopes Dias.
Destas mouras, conta ele que «no sitio da Penha, no cimo da Serra d’Opa (Vale de Lobo) lá vivem elas, lindas entre as mais lindas, escondidas entre enormes penedias, para uma só vez em cada ano — di-lo o povo — na noite de São João, saírem a estender preciosas meadas de ouro que guardam e que só entregarão a quem, naquela noite, à meia noite, apanhar a semente do feto real».
Mas ninguém se atreve.
«E por isso, lá entre penhascos, junto de enormes penedias, continuam encantadas, lindas, muito lindas mouras, de tranças de ouro, a guardar, pelos séculos dos séculos, grandes, enormes riquezas».
Consultar o Dr. Jaime Lopes Dias, aqui.

Grutas misteriosas e barulhos telúricos
Nem só de histórias vive o mito da Serra d’Opa: os visitantes falam também de minas, grutas profundas, buracos enormes pela rocha abaixo até às profundezas.
Num dos casos, contam-me até que lançavam uma pedra pelo buraco abaixo e que a mesma demorava muuuuito tempo a bater lá em baixo ou nem mesmo se ouvia a tocar no fundo. Sinal de que o buraco não tem fim.
Mais: ouve-se sempre lá no fundo um barulho parecido com o marulhar das ondas do mar. Até há quem diga que ali passa um braço de mar…

Oppidana > Opa
De que palavra poderá vir a designação da Serra (Opa)? Já li algures que de «lupa», loba, em latim. Aliás, havia muitos lobos na Serra. E o medo era enorme e quase religioso, naqueles tempos. Contam-se histórias do diabo sobre lobos e medo naquelas bandas – como esta, que é verdadeira e que pode ler aqui.
Opa poderia então vir de loba, em latim.
Mas esta origem que aí vem agrada-me muito mais.
Em 71 antes de Cristo poderá ter havido nas faldas da Serra d’Opa, mas do lado do Vale, uma cidade celta fortificada que lutou contra a ocupação romana. No local onde fica o Santuário da Senhora da Póvoa. Na década de 30 do século XX terão ali sido encontrados vestígios de muralha fortificada.
Do nome dessa cidade (Lancia Oppidana) terá derivado o nome da Serra: Oppidana > Opa.
Ver Américo Valente, aqui.
Mário Saa, aqui.
Duas notas minhas: lancienses eram os habitantes desta região do Côa (Cuda, donde: transcudanos); «oppidum» era qualquer das aldeias grandes do Império Romano. Muitas deram em grandes cidades romanas.

Compraram o comboio
A propósito da grande quantidade de volfrâmio que se recolheu nas duas encostas da Serra d’Opa na altura da II Guerra Mundial, quando eu era pequeno, contava-se que nesses tempos muita gente fez muito dinheiro. E, nalguns casos, esse dinheiro de bolso fez perder as estribeiras a muitos. Por exemplo: um grupo de rapazes do Vale de Lobo, na altura, foi a Lisboa onde nunca tinha ido. No regresso, vinham já quentes (de certeza, estou mesmo a ver) e eis que metem conversa com o revisor. Nem imaginavam qual o seu papel no comboio. Mas como tinha farda, pensaram que era pessoa de grandes poderes. Palavra puxa palavra e apalavraram a coisa: quando desceram em Belmonte, já tinham dado ao revisor todo o dinheiro que lhes sobrou da viagem. Era o sinal para a… compra do comboio – que fazia falta no Vale, diziam-lhe.
E fazia: ainda hoje faz, claro.
Uma historieta maldosa mas bem popular, bem ingénua e que não prejudica ninguém.
«A Minha Aldeia», crónica de José Carlos Mendes

JOAQUIM SAPINHO

DESTE LADO DA RESSURREIÇÃO
Em exibição nos cinemas UCI

Deste Lado da Ressurreição - Joaquim Sapinho - 2012 Clique para ampliar

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 836 outros seguidores

PUBLICIDADE

CARACOL REAL
Produtos Alimentares


Caracol Real - Produtos Alimentares - Cerdeira - Sabugal - Portugal Clique para visitar a Caracol Real


PUBLICIDADE

DOISPONTOCINCO
Vinhos de Belmonte


doispontocinco - vinhos de belmonte Clique para visitar Vinhos de Belmonte


CAPEIA ARRAIANA

PRÉMIO LITERÁRIO 2011
Blogue Capeia Arraiana
Agrupamento Escolas Sabugal

Prémio Literário Capeia Arraiana / Agrupamento Escolas Sabugal - 2011 Clique para ampliar

BIG MAT SABUGAL

BigMat - Sabugal

ELECTROCÔA

Electrocôa - Sabugal

TALHO MINIPREÇO

Talho Minipreço - Sabugal



FACEBOOK – CAPEIA ARRAIANA

Blogue Capeia Arraiana no Facebook Clique para ver a página

Já estamos no Facebook


31 Maio 2011: 5000 Amigos.


ASSOCIAÇÃO FUTEBOL GUARDA

ASSOCIAÇÃO FUTEBOL GUARDA

ESCOLHAS CAPEIA ARRAIANA

Livros em Destaque - Escolha Capeia Arraiana
Memórias do Rock Português - 2.º Volume - João Aristides Duarte

Autor: João Aristides Duarte
Edição: Autor
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)
e: akapunkrural@gmail.com
Apoio: Capeia Arraiana



Guia Turístico Aldeias Históricas de Portugal

Autor: Susana Falhas
Edição: Olho de Turista
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)



Música em Destaque - Escolha Capeia Arraiana
Cicatrizando

Autor: Américo Rodrigues
Capa: Cicatrizando
Tema: Acção Poética e Sonora
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)



SABUGAL – BARES

BRAVO'S BAR
Tó de Ruivós

Bravo's Bar - Sabugal - Tó de Ruivós

LA CABAÑA
Bino de Alfaiates

La Cabaña - Alfaiates - Sabugal


AGÊNCIA VIAGENS ON-LINE

CERCAL – MILFONTES



FPCG – ACTIVIDADES

FEDERAÇÃO PORTUGUESA
CONFRARIAS GASTRONÓMICAS


FPCG-Federação Portuguesa Confrarias Gastronómicas - Destaques
FPCG-Federação Portuguesa Confrarias Gastronómicas Clique para visitar

SABUGAL

CONFRARIA DO BUCHO RAIANO
II Capítulo
e Cerimónia de Entronização
5 de Março de 2011


Confraria do Bucho Raiano  Sabugal Clique aqui
para ler os artigos relacionados

Contacto
confrariabuchoraiano@gmail.com


VILA NOVA DE POIARES

CONFRARIA DA CHANFANA

Confraria da Chanfana - Vila Nova de Poiares Clique para visitar



OLIVEIRA DO HOSPITAL

CONFRARIA DO QUEIJO
SERRA DA ESTRELA


Confraria do Queijo Serra da Estrela - Oliveira do Hospital - Coimbra Clique para visitar



CÃO RAÇA SERRA DA ESTRELA

APCSE
Associação Cão Serra da Estrela

Clique para visitar a página oficial


SORTELHA
Confraria Cão Serra da Estrela

Confraria do Cão da Serra da Estrela - Sortelha - Guarda Clique para ampliar



SABUGAL

CASA DO CASTELO
Largo do Castelo do Sabugal


Casa do Castelo


CALENDÁRIO

Janeiro 2012
S T Q Q S S D
« Dez   Fev »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Arquivos

CATEGORIAS

VISITANTES ON-LINE

Hits - Estatísticas

  • 3.144.309 páginas lidas

PAGERANK – CAPEIA ARRAIANA

BLOGOSFERA

CALENDÁRIO CAPEIAS 2012

BLOGUES – BANDAS MÚSICA

SOC. FILARM. BENDADENSE
Bendada - Sabugal

BANDA FILARM. CASEGUENSE
Casegas - Covilhã


BLOGUES – DESPORTO

SPORTING CLUBE SABUGAL
Presidente: Carlos Janela

CICLISMO SERRA ESTRELA
Sérgio Gomes

KARATE GUARDA
Rui Jerónimo

BLOGUES RECOMENDADOS

A DONA DE CASA PERFEITA
Mónica Duarte

31 DA ARMADA
Rodrigo Moita de Deus

A PÁGINA DO ZÉ DA GUARDA
Crespo de Carvalho

ALVEITE GRANDE
Luís Ferreira

ARRASTÃO
Daniel Oliveira

CAFÉ PORTUGAL
Rui Dias José

CICLISMO SERRA ESTRELA
Sérgio Paulo Gomes

FANFARRA SACABUXA
Castanheira (Guarda)

GENTES DE BELMONTE
Investigador J.P.

CAFÉ MONDEGO
Américo Rodrigues

CCSR BAIRRO DA LUZ
Alexandre Pires

CORREIO DA GUARDA
Hélder Sequeira

CRÓNICAS DO ROCHEDO
Carlos Barbosa de Oliveira

GUARDA NOCTURNA
António Godinho Gil

JOGO DE SOMBRAS
Rui Isidro

MARMELEIRO
Francisco Barbeira

NA ROTA DAS PEDRAS
Célio Rolinho

O EGITANIENSE
Manuel Ramos (vários)

PADRE CÉSAR CRUZ
Religião Raiana

PEDRO AFONSO
Fotografia

PENAMACOR... SEMPRE!
Júlio Romão Machado

POR TERRAS DE RIBACÔA
Paulo Damasceno

PORTUGAL E OS JUDEUS
Jorge Martins

PORTUGAL NOTÁVEL
Carlos Castela

REGIONALIZAÇÃO
António Felizes/Afonso Miguel

ROCK EM PORTUGAL
Aristides Duarte

SOBRE O RISCO
Manuel Poppe

TMG
Teatro Municipal da Guarda

TUTATUX
Joaquim Tomé (fotografia)

ROTA DO CONTRABANDO
Vale da Mula


ENCONTRO DE BLOGUES NA BEIRA

ALDEIA DA MINHA VIDA
Susana Falhas

ALDEIA DE CABEÇA - SEIA
José Pinto

CARVALHAL DO SAPO
Acácio Moreira

CORTECEGA
Eugénia Santa Cruz

DOUROFOTOS
Fernando Peneiras

O ESPAÇO DO PINHAS
Nuno Pinheiro

OCEANO DE PALAVRAS
Luís Silva

PASSADO DE PEDRA
Graça Ferreira



FACEBOOK – BLOGUES

Anúncios