Para o presente ano a Câmara Municipal do Sabugal, apesar da crise financeira, prevê a concretização de diversas obras de relevo, dentre as quais a construção de dois centros escolares, diversas obras de saneamento nas aldeias do concelho e melhorar a rede viária, tudo num valor de investimento que ronda os 12 milhões de euros.

A Assembleia Municipal do Sabugal, reunida no dia 30 de Dezembro, aprovou o Orçamento e as Grandes Opções do Plano (GOP) para o ano de 2012, documentos apresentados pelo presidente António Robalo, depois de merecerem a aprovação no executivo camarário.
As Grande Opções do Plano, no que se refere a despesas de capital, preconizam a execução de diversas obras consideradas de grande relevância para o concelho do Sabugal. Cumprindo a Carta Educativa do concelho, prevê-se a edificação do Centro Escolar do Sabugal, no valor de um milhão de euros, e do Centro Escolar do Soito, no valor de 600 mil euros.
No campo da cultura, as opções do Município vão para a implementação do Centro de Estudos Pinharanda Gomes (44 mil euros) e para uma iniciativa designada «Fronteiras da Memória» (200 mil).
No desporto, o destaque vai para os 29 mil euros necessários para acabamentos a reparações nos balneários do estádio de futebol do Soito, cuja obra recente deixou problemas de infiltrações que obrigam a uma intervenção suplementar que terá de ser suportada pelo Município.
Outras reparações e melhoramentos em edifícios municipais levarão a uma despesa de 92 mil euros. Já em pavimentação de ruas a despesas andará pelos 392 mil euros, um pouco menos do que a despesa que está prevista para a «regeneração da cidade do Sabugal», que atingirá os 400 mil euros.
A conclusão da rede de saneamento concelhia, com a instalação redes de esgotos e de águas, implicará um investimento de 2,5 milhões de euros. Destacam-se aqui os saneamentos nas Batocas (194 mil), Badamalos (316 mil), Lomba (296 mil), Ruivós (250 mil), Vale das Éguas (247 mil), Ozendo (227 mil) e Monte Novo (317 mil).
Na ampliação do quartel dos Bombeiros Voluntários do Sabugal, a Câmara prevê gastar 66 mil euros. Nas termas do Cró os gastos, em diversas vertentes, incluindo melhoramentos, aquisições de material e divulgação, atingirão os 280 mil euros. Para o Pólo Empresarial do Soito a verba prevista é de 185 mil euros, muito mais do que a construção do Parque de Merendas do Relengo, que implicará um gasto de 71 mil euros.
A implementação de um percurso de interpretação ambiental na Albufeira do Sabugal significará uma despesa de 145 mil euros.
As obras de reparação na rede de abastecimento de água vão custar 340 mil euros, enquanto que a construção de parque e jardins atingirá os 415 mil.
Quanto às inevitáveis obras na rede viária e sua sinalização, as mesmas orçam os 1,5 milhões de euros, merecendo realce as obras da variante ao Soito (100 mil), nos caminhos das quintas da Bendada (325 mil) e as obras de reabilitação das estradas municipais (200 mil).
A requalificação das margens do rio Côa, entre a Ponte do Açude e a Praia Fluvial do Sabugal, orça os 633 mil euros.
Só em estudos e projectos a Câmara prevê gastar 240 mil euros, ainda assim menos de metade do que gastará na aquisição de terrenos, cujo valor previsto ultrapassa o meio milhão de euros.
plb

Anúncios