A inscrição da nossa Capeia Arraiana no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial foi um dos grandes acontecimentos concelhios de 2011.

Ramiro Matos – «Sabugal Melhor»Fortemente enraizada na cultura popular, em especial da parte raiana do Concelho, este é um fenómeno cultural que une a esmagadora maioria dos sabugalenses espalhados pelos quatro cantos do mundo.
Estiveram bem todos aqueles que, desde o primeiro momento, defenderam o seu reconhecimento nacional, mais um passo para afirmar a nossa identidade e diferenciação quer a nível sub-regional, quer a nível nacional.
Mas se este é um momento de alegria e de sentimento do dever cumprido, este é também um passo que desafia a nossa capacidade em afirmar este acontecimento único, sabendo responder à previsível maior atenção que todos lhe vão dar.
Quero com isto dizer que, não deturpando a «capeia», temos de encontrar novas formas de conjugar a pureza e a tradição, com formas inovadoras de captação de novos entusiastas.
É um desafio que toca todos, desde as Comissões Organizadoras de cada terra, às Juntas de Freguesia, à Câmara Municipal e à Casa do Concelho do Sabugal.
Não quero, até porque para isso não tenho competência, apontar caminhos, limito-me a alertar para esta nova realidade.
A Capeia Arraiana, não deixando de ser um dos mais importantes símbolos da «identidade sabugalense», passou a ser reconhecida por todos como Património Cultural Imaterial de Portugal.
Estou convencido que saberemos honrar esta distinção!

Ps: Sai esta crónica em vésperas de mais um Natal. Desejo a todos os que regularmente acedem a este Blogue umas ótimas festas na companhia dos seus.
«Sabugal Melhor», opinião de Ramiro Matos

rmlmatos@gmail.com