A maioria dos trabalhadores da Câmara Municipal do Sabugal, após notificados do projecto de suspensão da alteração da posição remuneratória advinda da incorrecta aplicação da chamada «opção gestionária», discorda dessa decisão, tendo disso informado o Município.

A oposição dos trabalhadores camarários tem por base o facto de discordarem da existência de irregularidades na aplicação do Sistema Integrado de Gestão e Avaliação do Desempenho na Administração Pública (SIADAP), pois consideram que as decisões dos presidentes Manuel Rito (em 12/06/2009 e 15/10/2009) e António Robalo (em 08/09/2010) foram correctas porque estribadas na legalidade.
Os funcionários pronunciaram-se manifestando desacordo com qualquer decisão de devolução das verbas recebidas em consequência dessas decisões. Se tal decisão vier a ser tomada os trabalhadores afirmam que não se conformarão, apresentando impugnações e recursos pela via judicial de acordo com os mecanismos legais que para esse efeito estão previstos.
Cada trabalhador notificado apresentou individualmente as suas alegações, tendo contudo na sua maioria recorrido ao apoio do Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local, que desde a primeira hora vem acompanhando a situação, nesta e em outras câmaras em que a «opção gestionária» do SIADAP foi alegadamente mal aplicada.
Alguns trabalhadores contudo, embora contestem a devolução dos valores recebidos ao longo do tempo, não se opõem à suspensão imediata da alteração remuneratória, voltando os seus vencimentos à posição anterior à aplicação da «opção gestionária». O fundamento para a posição destes trabalhadores é a de que o adiamento dessa opção poderá conduzir ao agravamento da situação, na medida em que, perdendo a razão que julgam ter se verão obrigados a fazer uma devolução num valor muito maior.
plb

Anúncios