O escritor Manuel António Pina, vencedor do Prémio Camões 2011, disse hoje no Sabugal que sente «uma honra muito particular» por ter recebido a medalha de mérito cultural do Município da terra de onde é natural.

A distinção autárquica foi hoje entregue ao escritor e poeta, no decorrer da sessão solene comemorativa do Dia do Município, no mesmo dia em que foi anunciado o lançamento da nova obra do escritor, «Como se desenha uma casa».
Manuel António Pina, de 67 anos, poeta e autor de livros para crianças, é natural do Sabugal, onde viveu até aos seis anos. Licenciado em Direito pela Universidade de Coimbra, foi jornalista durante muitos anos e actualmente é tradutor, professor e cronista.
Em declarações à agência Lusa, o homenageado mostrou-se honrado com a medalha e destaca-a, entre as várias distinções que já recebeu.
«Entre todas as homenagens que tenho recebido, esta toca-me muito particularmente, porque se trata de uma distinção que me foi feita pela terra onde eu nasci», disse.
O escritor lembrou que deixou o Sabugal muito cedo e, por isso, ter regressado para receber a medalha de mérito cultural municipal, constitui um momento «muito importante e muito significativo».
Manuel António Pina disse que a memória mais antiga que tem da cidade é a de uma fonte, situada em frente da casa onde nasceu, no largo da actual Câmara Municipal, que «tinha a ideia que era um lago muito grande, mas que, afinal, era pequena».
Na lembrança tem um certo dia em que «alguém atirou para lá [para a fonte]» o seu chapéu e recusou «ir buscá-lo».
Actualmente, da casa onde nasceu, continua a receber, de quando em vez, no Porto, onde reside, pão-de-ló com um «um sabor especial», confeccionado pela actual proprietária do imóvel que carinhosamente chama de «avó Lulu», contou.
Durante a sessão de entrega da medalha de mérito cultural ao vencedor do Prémio Camões 2011, o presidente da Câmara Municipal do Sabugal, António Robalo, disse que, com este gesto, realizado pela primeira vez, a autarquia pretendeu reconhecer «a importância» do escritor e da sua obra.
Reconheceu tratar-se de «um acto de justiça e de reconhecimento» em relação à vida e à obra de Manuel António Pina «que tem amor à terra que o viu nascer».
O homenageado assegurou que é «alguém que tem estado fora do Sabugal» mas «tem o Sabugal no coração».
Além de Manuel António Pina, a medalha de mérito cultural do Sabugal foi igualmente entregue à Sociedade Filarmónica Bendadense, pelos seus 141 anos de existência.
A câmara também homenageou as Associações Humanitárias dos Bombeiros Voluntários do Sabugal e do Soito com medalhas de mérito cívico e condecorou trabalhadores com 15, 25 e 35 anos de serviço.
O Dia do Município do Sabugal assinala os 715 anos da atribuição do foral pelo rei D. Dinis.
plb (com Lusa)

Anúncios