A Guarda Nacional Republicana, deteve em Vila Nova de Foz Côa um homem estrangeiro, de 51 anos de idade, pela presumível prática de crimes de rapto e ofensas à integridade física. Para além desta foram efectuadas outras detenções em diversas localidades do distrito da Guarda, nomeadamente por crimes de burla e de furto.

Guarda Nacional RepublicanaSegundo o comunicado semanal do Comando Territorial da GNR da Guarda, a detenção em Vila Nova de Foz Côa aconteceu quando o suspeito abordou na via pública um homem, seu conhecido, e o manietou, sob a ameaça de uma arma branca, amarrando-lhe os pulsos com fio de cobre, alegadamente por suspeitar que este lhe havia furtado alguns bens (ouro e dinheiro). De seguida, levou-o para junto de um café no centro da cidade, onde a vítima dizia ter escondido os alegados bens, com o intuito de se libertar do agressor.
Informado o posto da GNR, uma patrulha deslocou-se ao local onde viria a deter o suspeito, que foi presente a primeiro interrogatório judicial, tendo-lhe sido aplicada a medida coactiva de Termo de Identidade e Residência. Foi ainda notificado para se apresentar no SEF da Guarda a fim de regularizar a sua situação no Território Nacional.
Na tarde de 10 de Outubro a GNR identificou no Adão, Guarda, um homem e uma mulher, também estrangeiros, de 30 e 29 anos, respectivamente, por crime de burla. Os Suspeitos abordaram uma senhora de 85 anos de idade, residente em Escalhão, Figueira de Castelo Rodrigo, a quem ofereceram um cordão que diziam ser em ouro. Ao mesmo tempo que colocavam no pescoço da idosa o dito cordão, que era de latão, retiravam-lhe o que ela usava, este sim em ouro. O veículo em que o casal se fazia transportar veio a ser interceptado na localidade de Adão, e verificou-se que tinham na sua posse alguns artigos de imitação de ouro, 550 euros que, supostamente, eram o produto da venda do cordão objecto da burla, que lhes foram apreendidos. Os factos foram participados ao Tribunal Judicial de Figueira de Castelo Rodrigo.
Já em Souropires, concelho de Pinhel, na manhã do dia 14 de Outubro, a GNR deteve um indivíduo de 30 anos de idade, ali residente, pelos crimes de furto, burla, burla qualificada, falsificação de documentos e abuso de confiança. O suspeito havia cometido uma burla em Aguiar da Beira por emissão de cheque que tinha sido furtado e, entretanto já cancelado, vindo a verificar-se após diligências efectuadas, a prática de diversos crimes deste tipo, bem como celebração de negócios que efectuava em nome de empresas fictícias que tinha em seu nome, apresentando para pagamento diversos cheques furtados, cujo livro de cheques que tinha na sua posse lhe foi apreendido. O mesmo encontra-se indiciado pela prática de vários crimes, designadamente burla a pessoas e a empresas e foi presente ao Tribunal Judicial de Trancoso, tendo o Inquérito transitado para o Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa.
Na tarde do mesmo dia 14 foi ainda detido, em flagrante delito, num estabelecimento comercial em Pinhel, um indivíduo de 60 anos, residente na cidade do Porto, pelo crime de burla. O suspeito, já com antecedentes criminais, tinha praticado mais duas burlas em estabelecimentos comerciais daquela cidade e foi surpreendido pelos militares da GNR quando procedia ao pagamento de artigos de baixo valor com uma nota de 100 euros, que depois de já ter o troco na sua posse tentava reaver, praticando desta forma a burla.
Ainda no mesmo dia 14, e também em Pinhel, foi identificado um indivíduo de 47 anos, residente em Malta, suspeito da prática de vários crimes de furto de gasóleo. O suspeito está indiciado por furto no valor de 10.750 euros, tendo confessado a autoria de dois furtos de combustível, sendo ainda possível recuperar 120 litros que foram entregues ao seu proprietário.
plb