Não sou daqueles que identificam o que é velho com o que é mau, e o que é novo com o que é bom. Sei que há valores eternos que nada têm a ver com a modernidade ideológica nem com outras coisas como a moda, mas também sei que o avanço da humanidade em todos os aspectos, desde o cultural, social, político, económico e tecnológico, trouxe coisas maravilhosas.

António EmidioAprecio e aceito toda a mudança que contribua para melhorar as condições de vida da humanidade, mas infelizmente na época histórica que atravessamos, o moderno transformou-se numa espécie de beatice levada ao extremo, estando a destruir num ritmo alucinante os valores humanos, aqueles valores que sempre orientaram a humanidade.
O que é a modernidade neste Neoliberalismo vigente? Produzir, vender e consumir, isto acompanhado de um relativismo moral e ético, em nome da Democracia, da Liberdade, da Sociedade Aberta, do Estado de Direito e da igualdade de oportunidades, nomes sonantes e cativantes, mas que por detrás têm a mão desumana da Oligarquia poderosa e reinante, é uma espécie de ditadura invisível, ditadura da vulgaridade, da mediocridade e da ignorância.
Na minha opinião, o que deveria ser a modernidade? Entre outras coisas, as seguintes:
A mais alta tecnologia, controlada, ao serviço do homem, desde o seu trabalho, passando pela saúde, pelo ensino e pela diversão, nunca uma forma incontrolada de gastar dinheiro, nem uma idolatria da técnica, o que acontece presentemente.
A modernidade exige respeito pelo meio ambiente, não deve contribuir para a sua destruição, nem os povos mais bárbaros e atrasados da história antiga, fizeram o que a modernidade está a fazer com o meio ambiente.
A modernidade exige uma educação digna desse nome, ou seja, inseparável da ética, uma formação do carácter do jovem, não submetê-lo aos interesses da economia, se assim não for, como o não é presentemente, assistimos cada vez mais ao abandono dos estudos, à hostilidade em relação aos professores e aos pais, fazendo da violência uma forma de estar em sociedade.
A modernidade exige também uma verdadeira Democracia, não uma antidemocrática como a actual, e para demonstrar que é antidemocrática, aí está a desigualdade económica cada vez mais acentuada.
Querido leitor(a), têm de ser também os valores humanos, morais e espirituais que dão sentido à vida, como a justiça social, a paz, o amor e a amizade, um dos principais pilares da modernidade.
O homem moderno exige coisas tão velhas como estas: trabalho, salário e justiça, direitos que a modernidade lhe está a tirar.
Hoje, mais do que nunca, vemos que a história é feita de avanços e retrocessos, ao principiar o século XXI a humanidade está em retrocesso, nunca houve uma época com tantas injustiças e de tanto sofrimento humano, não tanto pela sua intensidade, mas sim pela sua extensão geográfica, como actualmente.

Meios de comunicação social: o que é a noticia nos meios de comunicação modernos, nos meios de comunicação da massas? Uma simples mercadoria para venda, não a verdade. Presentemente quem domina a informação tem o poder e, quem a domina é a oligarquia.
«Passeio pelo Côa», opinião de António Emídio

ant.emidio@gmail.com

Anúncios