A Câmara Municipal da Guarda investiu 65 mil euros na aplicação de um plano que equipou dez escolas do primeiro ciclo com quadros interactivos, Internet sem fios e câmaras de videovigilância, que beneficiam um universo de 1.200 alunos.

O investimento tecnológico abrange edifícios escolares com boas condições para a prática pedagógica, onde os sistemas instalados beneficiam claramente os estabelecimentos de ensino, possibilitando um melhor desempenho dos agentes educativos, com condições para a inovação e para a aplicação de novos métodos de ensino, para além de uma significativa melhoria na segurança das escolas.
O vice-presidente da autarquia, Virgílio Bento, também responsável pelo pelouro da Educação, considerou, em declarações à Lusa que o plano abrangeu, para além dos três modernos centros escolares do concelho – Sequeira, Gonçalo e Vale do Mondego – as escolas mais antigas da cidade.
«Queremos dar aos professores colocados nas escolas todas as condições e todos os instrumentos para que possam ter um ensino de qualidade», disse o Virgílio Bento, que considerou ainda que a execução do projecto, designado «Escolas + Inter», irá «permitir uma aprendizagem de qualidade».
Foram investidos 30 mil euros na instalação de dez redes de área local nas dez escolas abrangidas, 23 mil euros em 16 quadros interactivos e 12 mil euros em sistemas de videovigilância aplicados em duas das escolas que reúnem o maior número de salas de aula (Santa Zita e centro escolar da Sequeira).
As redes de Internet e a aplicação de quadros interactivos contemplaram os centros escolares de Gonçalo, Vale do Mondego e Sequeira e as escolas de Augusto Gil, Guarda-Gare, Lameirinhas, Santa Zita, Bonfim, Espírito Santo e Adães Bermudes.
Para financiamento do investimento a autarquia apresentou uma candidatura ao Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN).
plb