You are currently browsing the daily archive for Segunda-feira, 8 Agosto, 2011.

ESCOLHER AS GALHAS E FAZER O FORCÃO

«A preparação do forcão é tarefa da máxima responsabilidade, pois da sua robustez depende a segurança de quantos lhe pegam. Em todas as aldeias da capeia há indivíduos especializados na sua execução, e a eles recorrem os mordomos na altura de o fazer. O Zé Penetra da Lageosa e João Fernandes de Aldeia do Bispo já executaram mais de meia centena para as suas terras e terras vizinhas, sem cobrarem pelo trabalho. Por se tratar de lenha de carvalho, pesada por natureza, corta-se no Inverno ou na Primavera, geralmente na Páscoa, para que esteja seca e leve quando for usada. Para a sua construção são necessários um pau principal de pinho, 3 galhas, 20 estadulhos, 4 varas transversais e 4 tornos para o rabicho. Em alguns casos, as galhas são cortadas no rebollar espanhol, com o consentimento do respectivo alcaide.»

Casteleiro, Verão de 1941: centenas de jovens e não só dedicam-se há dois ou três anos à recolha de minérios vários pelas serras. Sobretudo, volfrâmio. Depois, vendem a recolectores intermediários que se deslocam às várias aldeias em volta, lhes compram os minérios e o vendem depois ou aos donos das «separadoras» ou a agentes italianos e ingleses estacionados na região.

Não é uma notícia, pelo menos não uma que eu conheça. Mas podia ter sido. De facto, naqueles tempos, já com a Segunda Guerra Mundial no seu terceiro ano, a falta de metais apropriados para as necessidades da guerra fez com que por todo o lado se procurassem essas matérias-primas para fazer armas. Os inimigos que se digladiavam no terreno (de um lado, o Eixo: alemães e italianos; do outro, os Aliados: americanos e ingleses) precisavam dessa matéria-prima.
Não esquecer: o nosso País manteve-se neutro neste conflito. Isso devia querer dizer que não ajudávamos nem uns nem os outros.
Mas no caso concreto, para o bem e para o mal, acabámos por ajudar ambos lados desta gigantesca barricada que foi a II GG.
Ao Casteleiro e arredores acabaram por vir parar todos eles.
Os ingleses assentaram arraiais mais ali do lado da Serra da Pena que terão comprado aos espanhóis que a construíram e, durante a guerra, acabariam por se dedicar também à exploração da mina da Bica (mina de urânio, um metal que, como se sabe, é radioactivo e que começava a conhecer as suas primeiras aplicações bélicas, depois da aplicação medicinal bem publicitada em conjunto com o Hotel da Serra: eram as Águas Rádium, lembram-se?).
Do outro lado, estacionados mesmo no Casteleiro, os italianos irmãos Menegoni, que compravam o volfrâmio e o separavam para vender ao seu Estado que dele precisava para fabricar canhões. O tungsténio, nome científico do volfrâmio, é um metal muito duro. Misturado com outros, forma uma liga que resiste pela sua dureza e que aguenta a temperatura do momento da explosão do canhão para lançar o projéctil a longa distância.
Portugal era o principal produtor mundial de volfrâmio.
Ou seja: ouro sobre azul: nós tínhamos, ingleses e italianos precisavam e compravam.
No Casteleiro, sobretudo nos ribeiros e linhas de água da Serra da Preza e em Vale de Castelões, a actividade de busca, nesses dias, era frenética.
Jovens rapazes e raparigas de 16 e 17 anos (nesse tempo, com estas idades, eram mesmo muito, muito jovens) dedicavam-se a recolher o mineral – por vezes também algum estanho e outros metais.
Depois era só vender aos intermediários.
O resto era a trajectória industrial da época: separadoras, comboio, Inglaterra ou Itália, fábrica de armamento, campos de luta na França ou no Leste europeu.
No Casteleiro, onde os italianos chegaram a construir uma separadora (havia outra a funcionar no Terreiro das Bruxas), ficou muito dinheiro dessa frente de guerra: a guerra das transacções comerciais dos materiais com que se fabricam os materiais de guerra.
No livro «O Estado Novo e o Volfrâmio (1933-1947)», João Paulo Avelãs Nunes refere a existência da Companhia Mineira do Casteleiro, Lda. (constituída em 1937 e exploradora de nada menos do que 17 minas), da qual era sócio o engenheiro judeu formado em Paris, de origem polaca chamado Samuel Schwartz, que era sócio de dezenas de empresas mineiras e que nunca deve ter ido ao Casteleiro (não se fala dele: tudo isto funcionava apenas para registo em Lisboa e legalização, presumo).
Estava-se em 1941-42. O acordo de Portugal com a Alemanha sobre fornecimento de 3.000 toneladas de tungsténio seria denunciado pela parte portuguesa em 1944, devido à pressão dos Aliados. Acabava-se aí o El Dorado da juventude (e não só)do Casteleiro e arredores.
«A Minha Aldeia», crónica de José Carlos Mendes

JOAQUIM SAPINHO

DESTE LADO DA RESSURREIÇÃO
Em exibição nos cinemas UCI

Deste Lado da Ressurreição - Joaquim Sapinho - 2012 Clique para ampliar

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 836 outros seguidores

PUBLICIDADE

CARACOL REAL
Produtos Alimentares


Caracol Real - Produtos Alimentares - Cerdeira - Sabugal - Portugal Clique para visitar a Caracol Real


PUBLICIDADE

DOISPONTOCINCO
Vinhos de Belmonte


doispontocinco - vinhos de belmonte Clique para visitar Vinhos de Belmonte


CAPEIA ARRAIANA

PRÉMIO LITERÁRIO 2011
Blogue Capeia Arraiana
Agrupamento Escolas Sabugal

Prémio Literário Capeia Arraiana / Agrupamento Escolas Sabugal - 2011 Clique para ampliar

BIG MAT SABUGAL

BigMat - Sabugal

ELECTROCÔA

Electrocôa - Sabugal

TALHO MINIPREÇO

Talho Minipreço - Sabugal



FACEBOOK – CAPEIA ARRAIANA

Blogue Capeia Arraiana no Facebook Clique para ver a página

Já estamos no Facebook


31 Maio 2011: 5000 Amigos.


ASSOCIAÇÃO FUTEBOL GUARDA

ASSOCIAÇÃO FUTEBOL GUARDA

ESCOLHAS CAPEIA ARRAIANA

Livros em Destaque - Escolha Capeia Arraiana
Memórias do Rock Português - 2.º Volume - João Aristides Duarte

Autor: João Aristides Duarte
Edição: Autor
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)
e: akapunkrural@gmail.com
Apoio: Capeia Arraiana



Guia Turístico Aldeias Históricas de Portugal

Autor: Susana Falhas
Edição: Olho de Turista
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)



Música em Destaque - Escolha Capeia Arraiana
Cicatrizando

Autor: Américo Rodrigues
Capa: Cicatrizando
Tema: Acção Poética e Sonora
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)



SABUGAL – BARES

BRAVO'S BAR
Tó de Ruivós

Bravo's Bar - Sabugal - Tó de Ruivós

LA CABAÑA
Bino de Alfaiates

La Cabaña - Alfaiates - Sabugal


AGÊNCIA VIAGENS ON-LINE

CERCAL – MILFONTES



FPCG – ACTIVIDADES

FEDERAÇÃO PORTUGUESA
CONFRARIAS GASTRONÓMICAS


FPCG-Federação Portuguesa Confrarias Gastronómicas - Destaques
FPCG-Federação Portuguesa Confrarias Gastronómicas Clique para visitar

SABUGAL

CONFRARIA DO BUCHO RAIANO
II Capítulo
e Cerimónia de Entronização
5 de Março de 2011


Confraria do Bucho Raiano  Sabugal Clique aqui
para ler os artigos relacionados

Contacto
confrariabuchoraiano@gmail.com


VILA NOVA DE POIARES

CONFRARIA DA CHANFANA

Confraria da Chanfana - Vila Nova de Poiares Clique para visitar



OLIVEIRA DO HOSPITAL

CONFRARIA DO QUEIJO
SERRA DA ESTRELA


Confraria do Queijo Serra da Estrela - Oliveira do Hospital - Coimbra Clique para visitar



CÃO RAÇA SERRA DA ESTRELA

APCSE
Associação Cão Serra da Estrela

Clique para visitar a página oficial


SORTELHA
Confraria Cão Serra da Estrela

Confraria do Cão da Serra da Estrela - Sortelha - Guarda Clique para ampliar



SABUGAL

CASA DO CASTELO
Largo do Castelo do Sabugal


Casa do Castelo


CALENDÁRIO

Arquivos

CATEGORIAS

VISITANTES ON-LINE

Hits - Estatísticas

  • 3.140.399 páginas lidas

PAGERANK – CAPEIA ARRAIANA

BLOGOSFERA

CALENDÁRIO CAPEIAS 2012

BLOGUES – BANDAS MÚSICA

SOC. FILARM. BENDADENSE
Bendada - Sabugal

BANDA FILARM. CASEGUENSE
Casegas - Covilhã


BLOGUES – DESPORTO

SPORTING CLUBE SABUGAL
Presidente: Carlos Janela

CICLISMO SERRA ESTRELA
Sérgio Gomes

KARATE GUARDA
Rui Jerónimo

BLOGUES RECOMENDADOS

A DONA DE CASA PERFEITA
Mónica Duarte

31 DA ARMADA
Rodrigo Moita de Deus

A PÁGINA DO ZÉ DA GUARDA
Crespo de Carvalho

ALVEITE GRANDE
Luís Ferreira

ARRASTÃO
Daniel Oliveira

CAFÉ PORTUGAL
Rui Dias José

CICLISMO SERRA ESTRELA
Sérgio Paulo Gomes

FANFARRA SACABUXA
Castanheira (Guarda)

GENTES DE BELMONTE
Investigador J.P.

CAFÉ MONDEGO
Américo Rodrigues

CCSR BAIRRO DA LUZ
Alexandre Pires

CORREIO DA GUARDA
Hélder Sequeira

CRÓNICAS DO ROCHEDO
Carlos Barbosa de Oliveira

GUARDA NOCTURNA
António Godinho Gil

JOGO DE SOMBRAS
Rui Isidro

MARMELEIRO
Francisco Barbeira

NA ROTA DAS PEDRAS
Célio Rolinho

O EGITANIENSE
Manuel Ramos (vários)

PADRE CÉSAR CRUZ
Religião Raiana

PEDRO AFONSO
Fotografia

PENAMACOR... SEMPRE!
Júlio Romão Machado

POR TERRAS DE RIBACÔA
Paulo Damasceno

PORTUGAL E OS JUDEUS
Jorge Martins

PORTUGAL NOTÁVEL
Carlos Castela

REGIONALIZAÇÃO
António Felizes/Afonso Miguel

ROCK EM PORTUGAL
Aristides Duarte

SOBRE O RISCO
Manuel Poppe

TMG
Teatro Municipal da Guarda

TUTATUX
Joaquim Tomé (fotografia)

ROTA DO CONTRABANDO
Vale da Mula


ENCONTRO DE BLOGUES NA BEIRA

ALDEIA DA MINHA VIDA
Susana Falhas

ALDEIA DE CABEÇA - SEIA
José Pinto

CARVALHAL DO SAPO
Acácio Moreira

CORTECEGA
Eugénia Santa Cruz

DOUROFOTOS
Fernando Peneiras

O ESPAÇO DO PINHAS
Nuno Pinheiro

OCEANO DE PALAVRAS
Luís Silva

PASSADO DE PEDRA
Graça Ferreira



FACEBOOK – BLOGUES

Anúncios