Teresa Duarte Reis - O Cheiro das Palavras - Capeia ArraianaContinuo pelas Aldeias Históricas, agora com Castelo Novo, um monumento que aprendi a admirar ainda jovem. Eram as visitas de Estudo de aluna ou mais tarde Professora, que me levavam a estudá-lo e a apreciá-lo, na sua magnífica estrutura altiva e dominadora, que, tocando o céu mais pequenina me fazia sentir. E lembro a Beira interior, neste tempo das cerejas rubis brilhando ao sol, convidando a todas à visita desta zona peculiar da Cova da Beira, de cheiro a frutas frescas e amoras doces, de recantos viçosos e trilhos verdejantes.

Castelo Novo - Ruta de los Castillos

CASTELO NOVO

Tua história na origem menos clara
Teve por isso várias interpretações
Mais encanta quando essa origem é rara
E a nossa busca é que então não pára
Para tirarmos mais claras conclusões.

No tempo de Sancho para te edificar
Quando Gualdim Pais teu Senhor foi, talvez
A Ordem do Templo na região dominar
Foral de Lardosa, teu nome lembrar
Assim tu ganhaste por ser português.

É então D. Dinis que te faz reforçar
Com ameias conhecidas como tais
Se o castelo velho era de abandonar
Teu nome subiu a préstimo redobrar
Cuidando de ti com arranjos pontuais.

Depois D. Manuel de novo te cuidou
Como era natural deste rei esperar
E com João III, teu sino tocou
A torre sineira jamais se calou
Até o terramoto te arruinar.

Já no século 20 foste restaurado
Senhor da Gardunha, vizinho do Fundão.
Mesmo assim ficaste desclassificado
Continuaste sem dados, quase abandonado
Nem por tua muralha ter remodelação.

Porém, as escavações vieram em teu favor
As tuas riquezas fizeram destacar
Velho ou Novo só importa o teu esplendor
Museu histórico recolheu teu valor
Que na Casa da Câmara se pode admirar.

Torre de Menagem e ainda a sineira
De planta quadrada ou de outra estrutura
Cantaria e granito abundância primeira
Estás no Livro dos Forais Novos da Beira
Na Torre do Tombo teu nome faz figura.

E às Aldeias Histórias pertences
Devido aos cuidados da Arqueonova
De Arquitectura militar tu nos vences
Com teu reforçado vigor nos convences
Teu mérito tinha que nos dar essa prova.

Dominando a Serra e tocando o céu
Te elevas dominador quanto sereno
É bom rever-te em dia claro ou de breu
Como em dias de visita me ocorreu
Que és belo mesmo com luar doce e ameno.

A minha homenagem a Castelo Novo.

«O Cheiro das Palavras», poesia de Teresa Duarte Reis
netitas19@gmail.com