Eduardo Catroga, chefe da equipa negocial do PSD, para os PEC’s, tem protagonizado verdadeiras cenas hilariantes nos últimos tempos. Também conhecido pelo «Homem das Cartas», uma vez que já escreveu várias missivas ao Governo a pedir explicações sobre aspectos da política económica, foi identificado como «cliente do mês dos CTT», num site humorístico na Internet.

João Aristides DuarteEduardo Catroga é apontado como o futuro Ministro das Finanças de um Governo chefiado pelo PSD, mas têm sido tantos os tiros no pé que este homem tem dado, que não sei se conseguirá atingir o seu objectivo.
O PSD só se pode queixar de ter escolhido este homem como porta-voz do partido para as questões económicas, uma vez que as trapalhadas são tantas que não sei como ainda o deixam emitir opiniões.
Catroga está reformado e aufere uma pensão no valor de 9.600 euros mensais. A pensão é paga pela Caixa Geral de Aposentações, devido ao seu desempenho como professor catedrático a tempo parcial 0% (alguém explica o que isto quer dizer? Para qualquer leigo na matéria isto significa não fazer nada) e o seu trabalho no sector privado.
Segundo ele próprio explica, para simplificar, a pensão é paga pela CGA, quando esta instituição não tem obrigação de pagar pensões de quem trabalhou no sector privado.
Já foi Ministro das Finanças e estive ligado à criação das famigeradas Parcerias Público Privadas, que se iniciaram no Governo Cavaco Silva, e, agora, tanto são criticadas por parte do PSD e CDS.
Foi enquanto Ministro das Finanças que se efectivou a privatização do Banco Português do Atlântico, onde Jardim Gonçalves era Presidente. O BPA foi, depois incorporado no BCP, de que Jardim Gonçalves passou também a ser Presidente. Foi com o dinheiro do crédito do BPA que Jardim Gonçalves fundou o império BCP. Tudo bons rapazes… Muito bons rapazes…
Ultimamente, Eduardo Catroga tem produzido declarações verdadeiramente hilariantes, como aquele que se deveria passar a taxa de IVA reduzido da cerveja para a taxa normal, quando a cerveja já é taxada a essa mesma taxa normal de IVA. No mesmo dia, disse que afinal se estava a referir ao vinho («Era o vinho, meu Deus, era o vinho…»).
Voltou à carga com outra declaração em que afirmava que se devia baixar a Taxa Social Única em 4%, para, logo depois, acrescentar que, afinal a descida deveria ser de 8%.
Apesar de reputados economistas (até próximos da Troika governativa PSD/PS/CDS) referirem que a descida da Taxa Social Única não faz aumentar a competitividade das empresas, Eduardo Catroga continua a insistir na mesma tecla.
Mas a última e mais hilariante declaração de Eduardo Catroga aconteceu numa entrevista à SIC, onde referiu que o PS e PSD se entretêm a discutir «pintelhos», em vez de discutirem o que é essencial. Foi a risota geral… Em tudo o que é fórum da Internet estas declarações foram usadas até à exaustão.
Eduardo Catroga, realmente, não diz coisa com coisa. Sócrates e o PS esperam bem que o PSD não deixe cair aquele que é apresentado como o futuro Ministro das Finanças do PSD, para poderem dormir mais descansados.
Já com a escolha do cabeça de lista do PSD por Lisboa aconteceu outro tiro no pé, aqui tanto por parte do candidato (Fernando Nobre), como por parte do PSD. Assim, não fico admirado com o resultado das sondagens. Sei bem, no entanto, que tanto o PSD como o PS (e o CDS), que assinaram o memorando da Troika nada de bom irão trazer para o Povo português. Votem neles e, depois, queixem-se.
«Política, Políticas…», opinião de João Aristides Duarte

(Deputado da Assembleia Municipal do Sabugal)
akapunkrural@gmail.com

Anúncios