A Confraria das Sardinhas Doces de Trancoso foi oficialmente constituída em ambiente de festa e alegria que reuniu cerca de meia centena de confrades e confreiras no seu primeiro capítulo realizado no dia 7 de Maio de 2011 no Convento de São Francisco (Convento dos Frades) de Trancoso.

Clique nas imagens para ampliar

As principais ruas do Centro Histórico de Trancoso encheram-se de côr com o desfile das Confrarias durante o I Capítulo de Entronização da Confraria das Sardinhas Doces de Trancoso que se encontraram na recepção e sessão de boas-vindas no Clube Trancosense numa prova de produtos regionais e sobretudo das Sardinhas Doces de Trancoso e outras doçarias tradicionais locais entre as quais a Bola de Folhas.
Foram entronizados no I Capítulo da Confraria das Sardinhas Doces de Trancoso o Governador Civil da Guarda, Santinho Pacheco, o presidente da Câmara Municipal de Trancoso, Júlio Sarmento, os Vereadores do Município de Trancoso, João Rodrigues, João Carvalho e José Veiga, o Secretário-Geral da AENEBEIRA- Associação Empresarial do Nordeste da Beira, Rogério Tenreiro, o coordenador da Raia Histórica/Castelos do Côa, Sales Gomes, o vogal do pólo de Turismo Serra da Estrela, Luís Pedro Cerveira, o escritor Santos Costa e, entre outros, empresários e fabricantes artesanais das Sardinhas de Trancoso.
O presidente do Município e agora Confrade, Júlio Sarmento, evidenciou na recepção realizada no Clube Trancosense, a importância que o Património tem no desenvolvimento desta cidade, salientando designadamente a Gastronomia como um dos vectores importantes neste domínio. O autarca e confrade aludiu à importância do comércio em Trancoso que possui uma das mais antigas e afamadas feiras/mercados e a maior Feira Franca do país que continuam a atrair gentes de várias regiões.
O governador civil da Guarda, Santinho Pacheco, destacou que «Trancoso foi sempre uma terra aberta! Tem um importante património em termos da antiga defesa militar. Agora acolhe muitas pessoas, umas desta cidade e outras de fora (numa alusão ao seu caso, oriundo do concelho de Gouveia) numa confraria das Sardinhas Doces, o único doce conventual que se encontra entre o Douro e a Serra da Estrela». E, sobre os ingredientes usados na receita tradicional das Sardinhas Doces de Trancoso, Santinho Pacheco justificou a utilização da amêndoa com a proximidade de terras como Longroiva, Meda ou Marialva onde essa cultura é abundante, o facto de Trancoso ter sido terra de cultivo de trigo e daí a sua farinha e a utilização dos avos na própria comunidade das religiosas de Santa Clara em cujo seio, como ainda agora acontece em conventos, são fabricadas as hóstias à base de claras e farinha e, como Trancoso possui um dos mais fortes mercados semanais e feiras que remontam à época dos Descobrimentos, naturalmente aqui afluiu o cacau que cobre as Sardinhas Doces.
Santinho Pacheco enalteceu a pretensão da Câmara Municipal de Trancoso em abrir na Plaza Mayor de Salamanca uma loja para a promoção dos produtos «sabendo-se que os espanhóis têm apetência na nossa gastronomia».
Madalena Carrito, presidente da Federação das Confrarias Gastronómicas de Portugal que envolve cerca de 70 Confrarias, associou-me a este primeiro evento da Confraria das Sardinhas Doces de Trancoso. Na sessão de entronização no Convento dos Frades, justificou a sua presença dizendo que a Federação tem vindo a desenvolver um trabalho de apoio a todas as iniciativas que as novas Confrarias estão a levar a cabo e que «este é um momento marcante e extraordinariamente importante para aquilo que a Confraria vai seguir que é a divulgação e a preservação do movimento confrádico através de um produto de extrema importância para esta região e para este Município concretamente».
Entre as personalidades presentes destaque, também, para Jaime Soares, presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Poiares (Coimbra) e confrade da Confraria da Chanfana.
Foram madrinhas a Confraria do Azeite (Cova da Beira-Fundão) e a Confraria da Castanha dos Soutos da Lapa (Sernancelhe).
Estiveram presentes: Confraria do Bucho Raiano (Sabugal), Confraria da Urtiga (Fornos de Algodres), Confraria da Chanfana (Vila Nova de Poiares), Confraria da Maçã Portuguesa (Moimenta da Beira), Confraria da Panela ao Lume (Guimarães) e Confraria do Queijo Serra da Estrela (Oliveira do Hospital).
jcl (com Gabinete de Comunicação e Imagem da C. M. Trancoso)

Anúncios