O Banco Central Europeu é aquela instituição do chamado «internacionalismo monetário» que empresta dinheiro aos Bancos a juros de 1%, para estes o emprestarem a Portugal a taxas de 8%. Ao contrário do que se pensa, este Banco Central Europeu pouco ou nada tem a ver com a União Europeia.

João Aristides Duarte - «Memória, Memórias...»Segundo os Estatutos do BCE este não poderá receber instruções das instituições, órgãos ou agências da União Europeia.
O BCE é detido por várias instituições financeiras, nomeadamente o Danmarks Nationalbank com 1,7216 por cento, o Deutsche Bundesbank, com 23,4040 por cento, o Bank of Greece, com 2,1614 por cento e o Banque de France, com 16,5175 por cento.
O Bank of England, de um país que não faz parte da Zona Euro, detém 15,9764 por cento do BCE.
Ficamos, então, a saber que o BCE pertence aos Bancos Centrais de vários países da União Europeia. Mas, agora, a pergunta que se impõe: a quem pertencem os Bancos Centrais dos diversos países da União Europeia?
Os Bancos Centrais dos países não gostam de divulgar os seus accionistas, mas o Banca D’Italia publicou na Internet uma lista das instituições que são detentoras do seu capital. E, assim, fica-se a saber que, entre muitas outras, são as seguintes (entre parênteses Cota de Participação/Número de votos): Intesa Sanpaolo S.p.A. 91.035/50, UniCredit S.p.A. 66.342/50, Assicurazioni Generali S.p.A. 19.000/42, Cassa di Risparmio in INPS 15.000/34, Banca Carige S.p.A. – Cassa di Risparmio di Genova e Imperia 11.869/27, Banca Nazionale del Lavoro S.p.A. 8.500/21, Banca Monte dei Paschi di Siena S.p.A. 7.500/19, Cassa di Risparmio di Lucca Pisa Livorno S.p..A. 3.668/11, etc. etc.
Total de quotas: 300.000. Total votos: 539.
Entre esta floresta de Bancos privados no capital do Banco Central italiano há, apenas duas participações do Estado Italiano correspondentes a 42 votos, menos de 10%.
E os Bancos privados pertencem a quem? Apenas um pequeno exemplo: O Banco Unicredit conta entre os próprios accionistas um banco líbio, o grupo Allianz (Alemanha), um banco inglês com um cadastro assustador (Barclays: ajuda ao governo do Zimbabwe, acusações de reciclagem de dinheiro, envolvimento no comércio de armas…), uma sociedade americana (BlackRock) com participação inglesa (Merlin Entertainments) e a Autoridade de Investimentos da Líbia.
Resumindo: o BCE é privado, mas é ele que emite as moedas e notas do Euro.
Se o BCE é independente da União Europeia e de propriedade dos bancos nacionais, que são privados, o mesmo BCE não passa dum banco privado.
Resumindo, mais uma vez, a economia da União Europeia está nas mãos dos interesses privados e não dos interesses dos Povos que os constituem.
«Política, Políticas…», opinião de João Aristides Duarte

(Deputado da Assembleia Municipal do Sabugal)
akapunkrural@gmail.com

Anúncios