As pessoas interessantes são interessadas e despertam interesse. Porquê?

Carla NovoÉ uma pessoa interessante? Acha que os outros a consideram uma pessoa interessante? E o que é ser uma pessoa interessante, afinal? Em conversa com uma amiga, ela falava de uma terceira pessoa e quando chegou o momento para a «avaliar» afirmou, convicta, que essa outra pessoa era «interessante». Seria o mesmo que dizer – quando não sabemos descrever um tipo de beleza estereotipado – chamamos-lhe de «exótica»?! Talvez. Dei por mim a pensar nessa tal coisa de ser ou não uma pessoa interessante. Pesquisei alguns artigos e cheguei a a algumas conclusões, não menos, interessantes! Assim, enumerei alguns itens comuns às pessoas que considero interessantes: As pessoas interessantes cativam e despertam interesse. Atraem-nos ou porque são optimistas, divertidas, ou porque têm algo para nos dar (no bom sentido). As pessoas interessantes são, antes de tudo, pessoas interessadas. Não se fecham na sua sabedoria, gostam de aprender e partilhar ideias. São bons ouvintes. As pessoas interessantes arriscam (ainda que seja de forma ponderada), mas não têm embaraço em fazer algo que nunca ousaram fazer na vida. São proactivas. As pessoas interessantes têm relacionamentos interessantes, ou seja, sabem como manter acesa a chama e não se limitam a contemplá-la. As pessoas interessantes têm sentido de humor. Não quer dizer que sejam «patetas alegres» ou sempre bem-dispostas, mas sabem ter sentido de humor, dar gargalhadas e verem o lado divertido da vida. As pessoas interessantes são optimistas, conseguem ver o «meio cheio» ao invés de o ver «meio vazio». Perante acontecimentos negativos são sobreviventes e não vítimas. As pessoas interessantes são criativas. Estão atentas ao que as rodeia e reinventam-se. As pessoas interessantes partilham histórias interessantes. Têm sempre algo para nos ensinar – ainda que seja o que está diante dos nossos olhos e não estamos a ver. Sabem como contar uma história. As pessoas interessantes tomam decisões. Não esperam que o tempo resolva por elas, não depositam ou transferem as responsabilidades das suas escolhas nos outros. São corajosas, embora também sintam medo. As pessoas interessantes são autênticas. Não são hoje uma coisa e amanhã outra só porque convém. Vivem de acordo com os seus próprios valores, ainda que estes possam ser somente delas.

Deixo-lhe um «T.P.C.» para o fim-de-semana: Esteja atenta às pessoas que lidam consigo e faça a sua lista de quantas pessoas interessantes conhece e porquê.
«Jardim dos Sentidos», crónica de Carla Novo

carlanovo4@hotmail.com

Anúncios