A Ribeira da Granja ou do Janadão é um dos maiores, senão o maior, curso de água que atravessa os limites do Soito.

João Aristides Duarte - «Memória, Memórias...»O local chamado Janadão, onde agora está instalado um Parque de Merendas, sempre foi um local aprazível que à sombra das frondosas árvores ribeirinhas proporcionava alegres convívios.
No Janadão havia, nos anos 30 e 40 do século XX, sete moinhos a funcionar para moer o trigo e centeio para as pessoas poderem ter farinha para fabricar o pão.
Era no Janadão que os mancebos, que tinham que ir à inspecção militar, tomavam banho no dia anterior à ida “às sortes”, já que nessa época não existiam casas de banho nas casas das pessoas.
O “tocador” da concertina, contratado pelos rapazes, ia com eles para o Janadão, nesse dia, para começar a animar a festa. Sim, porque nesta época, a ida à inspecção militar era considerada uma festa.
Também era no Janadão que os amigos conviviam. Levavam garrafões de vinho, carne, batatas e pão. Faziam uma fogueira, assavam a carne e coziam as batatas e passavam o dia, normalmente o Domingo, em alegre convívio.
A fotografia que acompanha esta crónica foi tirada no Janadão, em meados da década de 1940.
Nela se podem ver os garrafões de vinho, que ainda não eram com o vidro coberto de plástico e o caldeiro das batatas.
«Memória, Memórias…», crónica de João Aristides Duarte

(Deputado da Assembleia Municipal do Sabugal)
akapunkrural@gmail.com

Anúncios