No bicentenário da Batalha do Sabugal, vai ser lançado o livro «Sabugal e as Invasões Francesas», que dá a conhecer a real importância do Sabugal e da sua região no contexto dos movimentos militares e dos confrontos que ocorreram no decurso da Guerra Peninsular.

O livro, editado pela Orfeu, tem três autores, o que proporciona perspectivas diferentes do que foi o Sabugal no contexto das invasões napoleónicas.
Manuel Francisco Veiga Gouveia Mourão descreve em pormenor a Batalha do Sabugal, acontecida em 3 de Abril de 1811. Explica as movimentações de retirada do exército de Massena, descreve o local onde se deu a batalha e as forças em presença, decifra os planos de Wellington para o confronto e a forma como realmente a batalha ocorreu. Os textos são complementados por croquis muito elucidativos, onde se observam os movimentos planeados e as manobras que foram de facto executadas.
Joaquim Tenreira Martins escreve sobre o Sabugal no tempo de Napoleão. Explicita o contexto histórico em que aconteceram as invasões francesas, com destaque para a terceira, que foi a que mais afectou a região do Sabugal. Desenvolve uma sugestiva e interessante tese acerca das duas «tentações» de Massena em diferentes momentos do movimento de retirada. Descreve o contexto em que aconteceu a Batalha do Sabugal e pormenoriza os planos e os movimentos das tropas que se digladiaram depois em Fuentes de Oñoro.
Paulo Leitão Batista traça alguns retratos do que foram as movimentações militares, os combates e os actos colaterais, tendo por cenário Riba-Côa e em especial as terras raianas do Sabugal. Descreve episódios pouco conhecidos e traça o perfil de alguns dos famosos generais que por aqui passaram em campanha.
O prefácio do livro é da autoria do escritor e filósofo quadrazenho Pinharanda Gomes, que aceitou escrever algo acerca da oportunidade da publicação da obra.
E quem são os autores do livro, que será apresentado no Sabugal, em sessão pública, no dia 2 de Abril?
Manuel Francisco Veiga Gouveia Mourão, Coronel de Infantaria na Reserva, natural de Lisboa e residente em Torres Vedras, é especialista na área da História Militar, sendo ainda colaborador da Wikipédia no domínio da Guerra Peninsular.
Joaquim Tenreira Martins, nascido em Vale de Espinho, no concelho do Sabugal, e a residir em Bruxelas, é investigador do Instituto Superior de Ciência Sociais e Políticas da Universidade Técnica de Lisboa e desde há alguns anos que tem estudado e publicado artigos sobre a temática das invasões francesas.
Paulo Leitão Batista, natural do Sabugal e a residir em Lisboa, é co-autor do blogue sabugalense Capeia Arraiana, onde tem publicado textos sobre as invasões francesas. Foram precisamente esses textos que estiveram na base do seu contributo para o livro que vai agora ser editado.
plb