Realiza-se esta semana, na Guarda, o Ciclo Manuel Poppe, pelo qual a Câmara Municipal homenageia um escritor que ali viveu os verdes anos e que nunca esqueceu essa sua terra de adopção.

Exposição, colóquio, peça de teatro, recital de poesia, encontros temáticos, são algumas das actividades que integram o programa do «ciclo» em que se celebra Manuel Poppe e a sua obra literária.
As actividades do ciclo começam hoje, segunda-feira, com uma oficina pedagógica para os alunos das escolas do 1º e 2º ciclos, que se prolongará até ao dia 25. Na terça-feira é a vez de uma conversa com o homenageado, no café-concerto do Teatro Municipal da Guarda (TMG), onde também será apresentado o seu livro «A Acácia Vermelha».
Na quarta-feira será representada a peça de teatro «A Acácia Vermelha», baseada no livro apresentado no dia anterior. Será também inaugurada, na Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço, uma exposição intitulada «Manuel Poppe: os trabalhos e os dias», que estará patente ao público até 18 de Março.
Outra iniciativa é um colóquio, onde dois professores universitários falarão da obra literária de Manuel Poppe. Outra actividade prevista é o recital de poesia, que acontecerá no último dia do ciclo, no café-concerto do TMG. Américo Rodrigues, Albino Bárbara, Filipa Teixeira, entre outros, declamarão poemas, cabendo a Victor Afonso a animação musical.
Manuel Poppe passou a adolescência na Guarda, cidade para onde os pais o enviaram a conselho médico, pois sofria de tuberculose. Ali estudou e fez amigos, dentre os quais o sabugalense Pinharanda Gomes, que tal como ele vivia e estudava na cidade. A Guarda ficou-lhe para sempre no coração e na memória, dedicando-lhe uma boa parte dos seus textos.
Foi conselheiro cultural em diversas embaixadas de Portugal e manteve uma permanente actividade literária, publicando livros e assinando artigos em diversos jornais e revistas.
plb

Anúncios