Teresa Duarte Reis - O Cheiro das Palavras - Capeia ArraianaDesejo à Capeia, a todos os colaboradores, leitores e simpatizantes Boas Festas na Paz e Esperança do Menino do Presépio.

NATAL, NOEL, CHRISTMAS

Nasce o Menino
Nos corações.
Mas não em todos…

O mundo passa ao lado
Na corrida para as lojas
Para os brinquedos
Para as prendas.

O principal fica ali
Nas palhinhas do presépio
No bafejar do jumento
Num começo de era
De épocas longínquas.

O Menino fica ali
Entregue à solidão
De uma vida agitada
A mais de dois mil anos vivida
Guerreada
Mas não repartida
Ou no amor partilhada!

O Menino fica ali
À tua espera
Como de um sonho
Sonhado,
Só sonhado.

O Menino fica só
Entre multidões famintas
De Amor
De calor…

Fica ali à espera
Do vazio dos homens
Da indiferença dos políticos
Da fúria dos guerrilheiros
Da fraternidade aos famintos
Do carinho aos idosos.

O Menino que nasceu para ti
Continua só
Porque se recuperam vinganças
Porque se repartem ameaças
Não se esquecem ódios
Não se redobram esperanças.

Então, vê nesse Menino
O Sol que torna a sorrir
A Luz que volta a brilhar
Perdoa, tolera e aprende a Amar.
(Poema do livro «Arco-íris», 2005)

«O Cheiro das Palavras», poesia de Teresa Duarte Reis
netitas19@gmail.com

Anúncios