«Mas o que surpreende é até que ponto perdemos a capacidade de conceber a política pública para lá de um economicismo interpretado com tacanhez. Esquecemo-nos de como pensar politicamente.» Tony Judt, no seu livro «O Século XX Esquecido».

Dolar Americano

António EmidioAs Democracias Ocidentais, como a nossa, transformaram-se num vácuo ideológico, já não há alternativa para escolha de políticas de grande significado, só conta a política económica, tendo à frente os mercados, as bolsas de valores, as taxas de juro, o PIB, etc. Significa isto, que a Europa está dominada pelos especuladores financeiros na parte económica e pela direita neoliberal no plano político. Convém realçar o seguinte: a economia Neoliberal não está ao serviço do homem, orienta-se simplesmente para o enriquecimento das principais corporações (multinacionais e bancos).
Acontece que estas instituições nada fazem pela economia, nada produzem, limitam-se a movimentar dinheiro nas bolsas de valores, de cada 10 euros, nove cria-os o sistema financeiro e só um o sistema de produção. Só servem para enriquecer ainda mais os bastante ricos, originando esta tragédia económica que por sua vez se transforma em tragédias humanas, convertendo países como o nosso, numa espécie de países do Terceiro Mundo, obrigando os respectivos Estados a endividarem-se nessas instituições financeiras privadas e, como se não chegasse, também no Fundo Monetário Internacional, espécie de Ministério das Finanças dos Estados Unidos.
Esta construção europeia, com os seus tratados, principalmente o de Lisboa, não é mais do que a ocasião para pôr em causa o modelo social europeu e desregular a economia. A primeira vitima desta MODERNA «IDEOLOGIA» é o pluralismo democrático, porque os governantes que nós escolhemos cada quatro anos, não nos representam a nós cidadãos, representam única e exclusivamente as grandes empresas e bancos, é incompatível a concentração da riqueza em poucas mãos, com a Democracia. Não podem estar as duas juntas.
O Neoliberalismo, ou seja, a Globalização Económica imposta ao Mundo pelas grandes potências económicas e militares, tem nos seus objectivos o controlo económico e político das nações menos desenvolvidas.
Estão as ideologias, os ideais do século XX esquecidos? Está esquecido o Marxismo? O Socialismo Democrático? A Social-Democracia? Um que não está é o Fascismo…Tendo em atenção ao que se está a passar, parece que sim.
Querido leitor(a), é ou não verdade que tudo se resolve nesta «União Europeia» fora do alcance dos eleitores e dos Parlamentos Nacionais de cada País? A Democracia está moribunda, e só não vê isto o Politicamente Correcto e o Sacrossanto Doutor da Lei.
Este trio, Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional, tem uma característica comum, não ter de prestar contas a ninguém, excepto aos mercados financeiros (Estados unidos – Wall Street). E o Fundo Monetário Internacional é uma instituição europeia? Claro que não, os Estados Unidos têm a maioria dos votos nessa instituição, é uma criação deles e, todo o dinheiro que é tirado aos povos onde ele é “chamado” a actuar, vai direito às arcas americanas. A Europa é um produto da «Pax Americana», e a «União Europeia» será o que ela quiser que seja, com a ajuda da Alemanha sua grande aliada.
Para terminar querido leitor (a), não respeite os três mandamentos do Neoliberalismo, deste Capitalismo Selvagem:
Votar cada quatro anos, não criticar e, ver televisão. Se o fizer, passa a ser um cidadão embrutecido, como eles querem que sejamos todos.
«Passeio pelo Côa», opinião de António Emídio

ant.emidio@gmail.com

Anúncios