Desde o dia 25 de Setembro que anda tudo às marteladas em Alfaiates. Não é uns aos outros, mas sim aos pregos. A ideia surgiu no dia 18 de Setembro, aquando da deslocação de alguns alfaiatenses (juntamente com pessoal de Soito e Aldeia da Ponte) a Tábua para uma demonstração da nossa tradição mais cara, o Forcão.

(Clique nas imagens para ampliar.)

Chegados a Tábua deparámo-nos com dois troncos onde estava afixado um cartaz com a seguinte inscrição «Jogo do Prego», a curiosidade levou-nos a experimentar tal jogo. Antes e depois da demonstração do Forcão foi onde nos divertimos e muito, pois o jogo exige alguma pontaria, destreza e força para pregar o prego. Com o adiantar das horas e das «minis» a pontaria ia-se perdendo e a risota ia aumentando. Pois bem, constatado o sucesso e a aceitação que o jogo teve em nós, o Centro Cultural e Recreativo de Alfaiates resolveu importar a ideia para a nossa terra, para que as tardes de domingo fossem mais divertidas. E foi logo no fim-de-semana seguinte à nossa visita a Tábua que começaram as marteladas em Alfaiates
Posso adiantar que em quatro tardes já foram pregados mais de 10 quilos de pregos. Tive também conhecimento de que em Aldeia da Ponte e Ozendo também já se joga ao prego.
Acabo com a apresentação das regras em vigor no C.C.R. de Alfaiates:
– Os jogadores não podem apontar (tocar) o prego antes da martelada;
– Cada jogador só pode dar uma martelada de cada vez;
– O penúltimo jogador a pregar o prego paga os pregos;
– O último jogador a pregar o prego paga a «rodada».

P.S. Um bem-haja ao Sr. José Lourenço Amaral, mais conhecido por Zé Moleiro por nos ter facilitado os troncos para o jogo.
Norberto Pelicano
(Presidente do Centro Cultural e Recreativo de Alfaiates)