A Guarda Nacional Republicana apreendeu, no dia 10 de Agosto, 1400 peças de vestuário contrafeito, na feira anual de Vilar Formoso, avaliado em cerca de 40 mil euros. Por sua vez na feira semanal de Seia foram detidos dois indivíduos por desacatos e apreendidas três armas de fogo.

Segundo o comunicado semanal do comando territorial da Guarda, a apreensão do vestuário aconteceu no decurso de uma operação de fiscalização. Os artigos de vestuário apreendidos eram transportados em seis viaturas de mercadorias, tendo sido identificados seis indivíduos, residentes nos distritos da Guarda, Castelo Branco, Santarém e Évora, como sendo os proprietários da roupa falsificada. Na mesma operação foram ainda elaborados quatro autos de contra-ordenação, dois por infracções de natureza fiscal e dois por infracções rodoviárias.
No dia 11 de Agosto, na feira de Seia a GNR local interveio perante uma situação de desacatos entre feirantes, tendo procedido à detenção de dois indivíduos, com 28 e 18 anos de idade, residentes em Coimbra. Os suspeitos tinham na sua posse três armas de fogo ilegais (duas caçadeiras e uma pistola de 9 mm), uma arma branca, 67 cartuchos com chumbo, zagalotes e munições. Foram também apreendidas duas viaturas ligeiras de mercadorias. Os detidos foram presentes ao Tribunal de Seia, sendo-lhes aplicada a medida de apresentação semanal às autoridades.
O comunicado dá também o reporte de toda a semana transacta no que toca a ocorrências policiais, tendo acontecido um total de 11 detenções: sete por condução sob o efeito do álcool, duas por posse de armas ilegais, uma por condução sem habilitação legal e uma por desobediência.
Para além das ocorrências de natureza criminal que motivaram a detenção dos seus autores, registaram-se outras ocorrências, das quais se destacam: 15 furtos, sete ameaças, seis danos, seis ofensas à integridade física, seis contrafacções, quatro fogos florestais, duas situações de injúrias e dois casos de violência doméstica.
Foram ainda elaborados 245 autos de contra-ordenação por diversas infracções, na sua grande maioria à legislação rodoviária.
Quanto à sinistralidade rodoviária registaram-se durante a semana 35 acidentes, 21 ocasionados por colisão e 14 por despiste. Dos sinistros resultaram um morto, quatro feridos graves e 15 feridos leves. Da análise sumária aos acidentes registados, a GNR concluiu que as causas prováveis da sua maioria foram a velocidade excessiva e o desrespeito pela cedência de passagem.
plb

Anúncios