Chegar ao Concelho de Vila Franca de Xira é, também estar na terra onde vivo há mais de duas décadas. Mas é também um Concelho óptimo para comer e visitar.

Ramiro Matos – «Sabugal Melhor»Vamos, para quem vem do Sabugal, sair em Vila Franca de Xira, pois para quem vive em Lisboa, a volta pode começar por Alverca.
A cidade de Vila Franca merece uma visita prolongada tantos são os motivos de interesse, desde o Jardim Municipal, ao Bairro dos Avieiros, não esquecendo a azulejaria da Estação Ferroviária e do Mercado Municipal, onde se compra muito bom peixe (aconselho a banca do Lira à sexta e ao sábado), ou boa carne (visitem o talho do Manel). Merecedores de visita são também os Museus Municipal e do Neo-realismo, mas, sobretudo, vale a pena percorrer a zona antiga da cidade. Quando esta crónica for publicada, já terá decorrido o Colete Encarnado (primeiro fim de semana de Julho), mas ainda podem agendar a Feira de Outubro (primeira semana de Outubro).
Vila Franca é também um local óptimo para almoçar ou jantar, encontrando-se restaurantes de grande qualidade de todos os preços.
Espero que os amigos que tenho entre os donos de restaurantes não me levem a a mal, mas vou falar de 3 ou 4 apenas:
1. No Largo Pedro Vítor, junto aos Paços do Concelho, come-se muito bem na Canoa, mas é um largo onde existem muitos restaurantes de boa qualidade e baratos quase sempre praticando uma cozinha tradicional.
2. No Centro Comercial Vilafranquense (edifício cujo projecto se atribui a Tomás Taveira), no piso dos restaurantes, o Pote é visita obrigatória, com uma cozinha muito original e onde pontua o meu amigo Manel.
3. Dele é também um grande restaurante o Clube Vilafranquense na Av. Combatentes da Grande Guerra, de elevada qualidade e originalidade.
4. Por último referência obrigatória ao Redondel, localizado por baixo das bancadas da Praça de Toiros, um dos restaurantes mais tradicionais de Portugal, com uma ementa quase inalterada há mais de 30 anos e uma cozinha de elevada qualidade.
Estando junto à Praça de Touros pode optar-se por ali deixar o carro e fazer o caminho pedonal que desde ali vai até Alhandra, sempre junto ao rio Tejo. Chegados a esta vila vamos visitar o Museu-Casa dr. Sousa Martins (médico que muitos consideram santo e que nasceu, viveu e está enterrado em Alhandra), ou subir até à Igreja e admirar a paisagem que dali se avista.
Também em Alhandra fica um dos grandes restaurantes do Concelho, o «Voltar ao Cais» dos meus amigos Dina e Marco e onde vale a pena almoçar ou jantar. Aproveite-se para visitar o seu Bar mesmo em frente e beijado pelas águas do Tejo.
Voltemos (a pé?), até Vila Franca de Xira onde deixámos o carro e partamos à descoberta de mais um restaurante, este em Alverca na urbanização Malva Rosa mesmo junto a saída da A1 em Alverca, para visitarmos o restaurante Morgado, mais uma vez de um amigo meu, o Tó Verdasca.
Localizado inicialmente na Póvoa de Sta Iria, a demolição do espaço onde estava, obrigou ao seu encerramento tendo, em boa hora, aberto neste novo espaço.
Ali tenho levado alguns sabugalenses, a começar pelo Zé Carlos e pelo Paulo, e penso que todos dali saíram satisfeitos.
E assim fiz o meu roteiro gastronómico desde o Sabugal à Póvoa de Sta Iria, sítio onde vivo. Muitos sabugalenses terão outros restaurantes tão bons ou melhores que estes.
Mas como costumo dizer «comer é um acto cultural, mas é também um veículo importante de afirmação de um território.
«Sabugal Melhor», opinião de Ramiro Matos
(Presidente da Assembleia Municipal do Sabugal)
rmlmatos@gmail.com

Anúncios