Teresa Duarte Reis - O Cheiro das Palavras - Capeia ArraianaConforme prometi, desta vez falo da Estrela, em linguagem de pastor. E desejo a todos os leitores da Capeia umas óptimas férias. Se puderem, busquem na Serra – Estrela ou outra – as belezas, as flores mais pequeninas, o maior silêncio e paz de que todos precisamos, de vez em quando, nesta vida agitada que levamos.

 

À DESCOBERTA DA SERRA DA ESTRELA
em linguagem de pastor

Das lãs do meu rebanho
Belas mantas vão tecer
Os enchidos e o queijo
São tão bons para comer!

Pedregulhos trepei
Para a «Estrela» 1 encontrar
O meu rebanho deixei
No Covão a pastar.

Muitas pedras podeis ver
Com nomes que nunca ouvi
(Nomes que nem sei dizer)
Nem isso, no meu entender
Tem importância para aqui!

Podeis beber à vontade
As águas, pela sua leveza.
São boas, puras e frescas
Ricos dons da natureza.

Lagartixas e lagartos
Não são para temer
Mas se encontrarem a víbora
Corram a bom correr!

Na Serra há muitos pinhos
(Eram mais antigamente)
Era bom que o Governo
Mandasse semear mais
E não esquecesse da gente.

O vale é muito visitado
Por estrangeiros e turistas
Fartam-se de tirar retratos
Para os jornais e revistas.

«O Cheiro das Palavras», opinião de Teresa Duarte Reis
netitas19@gmail.com

Anúncios