A Casa do Concelho do Sabugal comemora este ano o seu trigésimo quinto ano de existência.

Ramiro Matos – «Sabugal Melhor»Sábado passado, a convite do Presidente da Casa do Concelho do Sabugal tive o prazer de estar presente no almoço comemorativo dos seus 35 anos.
E tive o prazer, pois ali estive por vários motivos, qual deles o mais significativo:
– Não pertencendo ao núcleo dos sócios fundadores, foi a acção do grupo de sabugalenses a que pertencia desde 1972 que permitiu que, logo a seguir ao 25 de Abril de 1974, os sabugalenses em Lisboa se começassem a reunir na Associação do Instituo Superior Técnico;
– Devo ser um dos sócios vivos mais antigo – 11 de Novembro de 1974;
– Pertenci, por várias vezes, aos Corpos Gerentes, quer no Conselho Auxiliar, quer na Direcção, quer na Assembleia Geral, quer no Conselho Fiscal;
– Sou, e estive presente nessa condição também – apesar de haver quem tenha tentado durante esta semana esconder…–, como Presidente da Assembleia Municipal do Sabugal.
Como se vê, razões mais que suficientes para me congratular e congratular todos os Associados e Dirigentes por mais um aniversário da nossa «Casa».
Sei que os actuais corpos directivos tudo estão a fazer para que a Casa do Concelho seja cada vez mais activa e melhor, e por isso não quero deixar passar esta oportunidade para aqui deixar um pequena reflexão sobre o que, quanto a mim, devia ser a Casa do Concelho do Sabugal.
Na verdade, e penitenciando-me por, das vezes que tive responsabilidades directivas, não ter contribuído mais e melhor para tornar a Casa ainda melhor, penso que ainda não foram cumpridos, na íntegra, os objectivos que os fundadores e primeiros associados queriam alcançar.
E para que se perceba o que quero dizer, basta a leitura atenta dos Estatutos publicados, começando pelo seu Artigo 3.º que diz: «A Associação prosseguirá a valorização económica, social e cultural do Concelho».
E no seu Artigo 4.º, os Estatutos são ainda mais claros, ao definir como fins da Casa do Concelho do Sabugal:
«a) Promover o estudo dos recursos naturais, com vista a fomentar o desenvolvimento económico, social e cultural da região;
b) Defender e valorizar o património histórico-monumental e artístico do concelho;
c) Patrocinar realizações de carácter cultural, artístico e recreativo, concorrendo, assim, para uma maio formação dos sócios e habitantes da região;
d) Solicitar a colaboração dos organismos oficiais, no sentido de fazer acelerar e executar os fins da associação;
e) Prestar toda a cooperação às iniciativas que visem o desenvolvimento do concelho;
f) Fomentar a solidariedade de todos os sócios e habitantes da região e concorrer para a sua maior formação, designadamente através da aproximação das associações locais.»
A comemoração deste 35.º aniversário, deveria ser assim, e no meu entender, o momento ideal para que os actuais Corpos Directivos, em especial a sua Direcção, iniciassem um processo de reflexão colectiva sobre o que deve ser o futuro da Casa do Concelho do Sabugal resolvidas que começam a estar questões como a sobrevivência financeira e, mesmo, legal, num momento em que existe apoio total da Câmara Municipal, e num momento em que mais sócios se disponibilizam para colaborar.
Gostaria que entendessem estas palavras não como uma crítica a ninguém, e pela minha parte, declaro-me desde já disponível para participar nesse processo de reflexão colectiva.
«Sabugal Melhor», opinião de Ramiro Matos

rmlmatos@gmail.com