Mais de quarenta anos depois da sua última realização, o «Testamento do Galo» vai ouvir-se no Casteleiro no próximo dia 14, domingo gordo, às 15 horas.

Esta antiga e enraizada tradição de sátira popular, associada aos festejos do Entrudo, volta a realizar-se por iniciativa da Junta de Freguesia e assinala, simbolicamente, o arranque de um vasto conjunto de eventos a realizar na Aldeia por ocasião de datas festivas, preservando deste modo a sua memória histórica.
O «Testamento do Galo» é assim descrito por Daniel Machado, autor do livro «Casteleiro – Memórias, Usos e Costumes»:
«No Domingo Gordo os alunos da 4ª classe costumavam oferecer ao seu profesor um galo, o mais gordinho e bonito que houvesse na aldeia. No fim da missa, após o almoço, juntavam-se e efeitavam o galo dando de seguida voltas às ruas da população. Com grande gáudio, um dos alunos levava-o ao colo e os restantes, armados de espadas de pau, gritavam: “morra o galo”.
Em locais estabelecidos, paravam e cada um dos alunos lia o “Testamento do Galo”. As quadras do testamento referiam-se a todos os orgãos e partes do pobre galo, escolhendo-se para testamentários as pessoas de quem se queria fazer “troça”.»
António Marques, Presidente da Junta de Freguesia de Casteleiro