Em nome da cidadania uma plataforma digital recebe na Internet as reclamações dos cidadãos de todo o País. O «Portal das Autarquias» nasceu em Agosto deste ano e muitas câmaras e juntas de freguesia aderiram já à ideia, dando resposta às reclamações para ali encaminhadas.

Ana Nogueira está preocupada com a preservação do lince ibérico e em 6/11/2009 dirigiu-se à Câmara Municipal do Sabugal através do portal: «O que é que o Município do Sabugal tem feito pela preservação do Lince Ibérico, pelo seu Património e para fixar pessoas no Concelho? Julgo que muito pouco ou quase nada. É um Concelho envelhecido e sem dinâmica nenhuma para o rejuvenescer. Deixo esta pergunta aberta para discussão».
Leonardo Marques quer que acudam à ponte e ao pelourinho de Vilar Maior e em 30/11/2009, deixou um alerta: «Senhor Presidente da Câmara: venho por esta via chamar a sua atenção para o estado lastimoso e de enorme degradação em que se encontra o património histórico da Freguesia de Vilar Maior, desse Concelho do Sabugal, particularmente no que respeita ao pelourinho e à ponte romana ou medieval. Ao primeiro, para além da falta de um colunelo na respectiva gaiola, tem os restantes na eminência de tombarem no chão, o que se acontecer, façamos votos para que não se encontre ninguém por baixo. Quanto à ponte, a situação é ainda mais grave e alarmante, porquanto de há uns anos a esta parte começou a abrir fissuras nos arcos que suportam o piso, as quais, de ano para ano têm aumentado em número e em tamanho. Alguém, entendido na matéria, garantiu que se o Inverno que aí vem for rigoroso e o caudal da ribeira (Rio Cesarão) aumentar consideravelmente, por certo não resistirá. Se tal acontecer esperemos que não ocorra algo de mais trágico, para além da tragédia que advirá do isolamento a que ficará sujeita parte da população da Aldeia.»
Não consta que o Município do Sabugal tenha respondido a estes alertas, mas o cidadão Carlos Martins inseriu um comentário à questão referente ao património de Vilar Maior: «Em Portugal não se dá valor ao património que os nossos antepassados nos deixaram. Se é monumento não é possível intervir porque quem tem essa exclusividade é o Estado. Se o Estado não intervém, acabarão por ruir e perder-se um património que se vem mantendo ao longo dos séculos. Será necessário ruírem para se então intervir, ou terá que ocorrer alguma desgraça para que os diversos organismos intervenham.»
Estes são dois exemplos, relativos ao Sabugal, do que consta no «Portal das Autarquias». Através dele as autarquias são alertadas para os mais variados problemas e poderão dar-lhes resposta.
Os munícipes podem depois acompanhar as respostas dos autarcas às suas reclamações e há ainda a possibilidade de outros cidadãos, adicionarem comentários ou até envolver-se em debates.
O endereço autárquico na Internet contém uma infinidade de reclamações referentes a municípios e juntas de freguesia de Norte e Sul do país, muitas delas gerando debates vivos e conseguindo obter respostas prontas dos autarcas, que podem entrar na página como utilizadores normais, aí consultando as chamadas de atenção em que são visados.

Para ver o Portal das Autarquias. Aqui.
plb

Anúncios