A nomeação do novo Conselho de Administração da Empresa Municipal Sabugal+, está a dividir o executivo camarário sabugalense, que na primeira reunião rejeitou a proposta do presidente de continuidade de Norberto Manso como presidente da empresa.

Museu Municipal do SabugalA oposição, composta pelos vereadores do PS e do MPT, juntou-se e votou contra a proposta do presidente António Robalo, que pretendia dar continuidade à gestão de Norberto Manso. Quatro votos contra três foi o resultado da votação, que na altura agastou o presidente que viu cair por terra a sua intenção de dar continuidade ao trabalho que vinha sendo feito na empresa. Para além da recondução do presidente, António Robalo pretendia também que o Conselho de Administração da empresa incluísse como vogais dois vereadores sem remuneração.
Na reunião do dia 13 de Novembro Joaquim Ricardo, vereador eleito pelo MPT, face à ausência do assunto da ordem de trabalhos, defendeu a nomeação urgente de uma nova administração para a empresa. E deixou claro o que pretende: «Um gestor cujo perfil deverá ser o de um profissional que aceite o desafio de fazer ali uma ambiciosa gestão por objectivos, apostando na qualidade dos serviços prestados e na divulgação das actividades desenvolvidos de modo a aumentar o número de visitantes e utilizadores dos equipamentos a seu cargo.»
Ideia similar foi defendida pelo vereador António Dionísio, do PS, que quer ver eleito para breve um novo presidente para a empresa, em substituição do actual: «Sou de opinião que os lugares de confiança politica devem ser mudados quando mudam as pessoas que os nomeiam, até porque a mudança traz competência e desenvolvimento, sempre no sentido de atingir os objectivos que a Câmara lhe impõe.»
Na última reunião, realizada a 20 de Novembro, António Robalo, pediu ao executivo «carta branca» para escolher a administração da empresa, porém a oposição voltou a juntar os votos, rejeitando a proposta do presidente da câmara e exigindo que o mesmo traga à mesa nomes para ali serem votados.
Parece pois certo que o futuro da empresa não passará por Norberto Manso, que porém se manterá em funções de gestão até que o executivo aprove uma nova administração, uma vez o mandato dos titulares do Conselho de Administração coincide com o dos titulares dos órgãos autárquicos.
A Sabugal+ tem por principal objecto a administração das estruturas culturais, sociais, patrimoniais, desportivas, recreativas, turísticas e ambientais que pertençam ao município, tendo-lhe sido ainda afectada a gestão do processo de construção e futuro funcionamento das Termas do Cró e do Parque de Campismo Municipal.
plb