Pedro Miguel Fernandes - Série BDepois de «Paris, Je t’aime», que se pode dizer obteve um sucesso razoável, chega agora «New York, I Love You». A ideia é a mesma. Juntam-se alguns realizadores conhecidos, actores que o grande público também conhece e filmam-se várias curtas-metragens que contam histórias de amor cujo cenário é uma grande cidade.

A ideia é original, pois cada uma à sua maneira, estas são duas cidades românticas quanto baste para espíritos apaixonados. Mas se no primeiro se notava algo de novo, agora isso não sucede. Contudo uma das mudanças é que aqui não há paragens entre as curtas e as personagens vão aparecendo em curtas distintas, dando uma ideia de interligação e um conjunto que o anterior passado em Paris não tinha.
New York I Love YouPara os cinéfilos este «New York, I Love You» traz um atractivo, que é a presença de actores que há muito não via, como James Caan, que está brilhante como dono de uma farmácia, ou Eli Wallach, o mítico Vilão do filme «O Bom, o Mau e o Vilão», que pensava já não estar entre nós, no papel de um velhote rabugento que está sempre a resmungar com a sua também idosa esposa.
E depois temos de tudo um pouco. Curtas bastante românticas, como a que foi realizada Shekhar Kapur, passada num hotel e com uma interpretação que me agradou bastante, a cargo de Shia LaBeouf, cómicas, como a realizada por Brett Ratner, outro dos nomes que me surpreendeu, e até uma história filmada por Natalie Portman.
No fundo este é um filme para quem está apaixonado e a próxima paragem já está definida. Xangai, na China, será a próxima cidade do projecto de curtas românticas.
«Série B», opinião de Pedro Miguel Fernandes

pedrompfernandes@sapo.pt

Anúncios