O professor de 32 anos, que foi despedido da EB1+ Jardim de Infância Santa Maria, em Lagos, no Algarve, por ter abusado sexualmente de cinco alunas na sala de aula leccionou Educação Visual e Tecnológica no Sabugal no ano lectivo 2007/08.

Pedofilia é crimeO docente acabou despedido com justa causa, em resultado do processo disciplinar que lhe foi instaurado após a mãe de uma sua aluna ter visto sangue nas cuecas da filha, resolvendo queixar-se do professor. A queixa remonta ao passado dia 16 de Abril. A menina confessou que era alvo de sevícias sexuais por parte do professor e apontou mais quatro vítimas, todas elas suas colegas com nove e dez anos, da mesma turma do 4º ano. O professor costumava sentá-las no seu colo e acariciá-las em todo o corpo, incluindo a zona genital. Duas das meninas tinham mesmo vestígios de toque interno na vagina.
O suspeito foi suspenso no dia 20 de Abril e os factos foram comunicados ao Ministério Público, ao mesmo tempo que se iniciou o processo disciplinar que agora teve o seu termo. O despedimento com justa causa é de resto a penalização máxima prevista em sede de processo disciplinar e a decisão emanou directamente do gabinete da ministra da Educação. A penalização final foi comunicada há poucos dias ao docente.
Atendendo a que os factos constituem crime, em paralelo prossegue um inquérito judicial, a cargo do Departamento de Investigação Criminal da Polícia Judiciária em Portimão, cujo estado se desconhece.
O despedimento fica inscrito na ficha escolar do professor que, na prática, termina aqui a carreira de docente.
O professor pedófilo é natural da zona de Lisboa e leccionou Educação Visual e Tecnológica no Carregado (2006/07) e no Sabugal (2007/08).
plb

Anúncios