Segunda-feira, dia 19 de Outubro, fui tirar umas fotografias a um local, do Ribeiro Picoto, afluente do Côa, onde pretendemos recuperar um grande açude de modo a que os helicópteros, os carros dos bombeiros e dos sapadores florestais possam abastecer em caso de incêndio.

José Manuel CamposVisto que o leito estava quase seco caminhei como se de um caminho de pedras se tratasse. Apenas um pequeno poço com alguma água, como convém, para que as espécies cinegéticas e os passarinhos possam matar a sede.
Acontece, porém, que hoje dia 20, acordei com a chuva a bater fortemente nas vidraças do meu quarto. Levantei-me e fui tomar um café com uns amigos que já haviam apanhado umas sacas de castanhas. Disseram-me que a chuva só começou a cair ao romper do dia. Desloquei-me ao Ribeiro Picoto, em cujo leito ontem havia passeado, e fiquei pasmado. Quase nem dava para acreditar. A natureza tem mesmo destas coisas. Tantos dias e tantos meses a clamar pela água e hoje veio em tão grande abundância. Só é pena que não tenhamos meios para a poder segurar. Já nem peço barragens mas ajudem-nos, por favor, a restaurar e a desassorear alguns açudes do rio Côa.
ribeiro1É uma vergonha falar-se em tanto dinheiro, proveniente da União Europeia, e não chegar um euro a esta região para se poder dar uma lufada de ar fresco ao querido e amado rio Côa. Amado(?), ignorado e desprezado pelos maus tratos que tem levado.
Noutro tempo ainda havia os guarda-rios que iam olhando pela fauna e flora, aí existente, mas depois da extinção destes Senhores tudo piorou.
Durante as campanhas, para as autarquias locais, todos os candidatos falam no rio Côa mas, na verdade muito pouco se tem feito. Será desta? Espero bem que sim.
Ribeiro2Voltando ao Ribeiro Picoto pretendo informar que tem o nascente, no planalto do Lameirão, próximo do nascente do Côa, mas seguem percursos diferentes até que mais tarde se juntam no sítio do Cascalhal, a um quilómetro da parte Sul da povoação.
Ao Ribeiro Picoto também lhe poderemos chamar bazófias tal como ficou provado e comprovado num tão curto espaço de tempo.
Anexo fotografias tiradas às 10 horas de hoje, dia 20. Às seis da manhã quando começou a chover este mesmo leito estava praticamente seco.
Parece mentira mas é verdade.
«Nascente do Côa», opinião de José Manuel Campos

(Presidente da Junta de Freguesia dos Foios)

jmncampos@gmail.com

Anúncios