O cabrito assado na brasa é o prato rei do restaurante Robalo, do Sabugal, herdeiro do famoso cabrito do Mono, que os convivas comiam na vila raiana.

Restaurante Robalo - SabugalO Ti Orlindo Mono tinha uma conhecida e muito concorrida taberna, que também era casa de pasto. Tinha uma sala de refeições, a que nos últimos tempos até chamava restaurante, onde os grupos de amigos ou os homens de negócios se juntavam para comer o seu celebérrimo cabrito assado (é assim que se diz no Sabugal, onde a palavra «grelhado» é pouco usada).
O João foi o filho do senhor Orlindo que continuou o mister, passando a gerir o restaurante, que decidiu transferir para o desactivado silo da EPAC, em frente da Cooperativa Agrícola (o antigo Grémio), a que passou a chamar restaurante Robalo, em homenagem ao verdadeiro nome de família.
Seguindo os passos do pai, o João Robalo tomou conta da preciosidade gastronómica da antiga casa, que era o cabrito assado na brasa, que se mantém como a especialidade do restaurante. E não é numa brasa qualquer que os pedaços de cabrito, sabiamente cortados, são assados. A brasa é de azinho, o que garante, segundo o dizer o proprietário, condições de excelência para se grelhar a carne e lhe atribuir um bom paladar.
A confecção é à vista de todos, numa grande lareira, e numa enorme grelha de ferro. Nos dias de enchente, não há mãos a medir: «A grande maioria dos clientes pede cabrito na brasa, talvez 80 por cento». Mas a casa oferece mais do que o cabrito: «também sai muito a costeleta de novilho, o bife da vazia e o bacalhau, tudo na brasa», disse-nos o João Robalo.
Facilmente se confirma que o prato de cabrito é o mais pedido neste restaurante do Sabugal. E isso constata-se olhando de relance para as mesas. O cabrito assado vem numa travessa, em pequenos pedaços, acompanhado por batata frita às rodelas e por uma vistosa salada de alface. Quanto a vinhos, a casa tem um vasto leque de escolha, que inclui todas as regiões vinícolas do país.
O restaurante Robalo participou activamente na última semana gastronómica, promovida em Fevereiro pelo Município. «Na semana da gastronomia raiana a nossa aposta foi muito para além do cabrito, pois tivemos bucho todos os dias, sem excepção», disse-nos o empresário. Quanto ao mérito da iniciativa, a mesma deixou-o satisfeito: «Valeu a pena, porque se trata de uma boa iniciativa, sobretudo se for realizada na altura do Carnaval, como sucedeu este ano». «Muitas pessoas quando aqui comeram o bucho disseram recordar-lhes sabores de outro tempo, o que significa que vale a pena apostar na gastronomia tradicional sendo muito importante, neste caso do bucho, que o mesmo seja confeccionado à moda antiga», concluiu João Robalo.
Recentemente o empresário remodelou a antiga taberna da família e inaugurou um novo espaço, mais acolhedor, a que chamou «Tasca do Mono». À tarde é na tasca que recebe os convivas, a qual é um complemento ao restaurante, tudo contribuindo para afirmação do negócio, que ainda inclui a Hospedaria Robalo.
Aqui fica a sugestão de uma visita ao restaurante Robalo, cujas refeições poderão ser reservadas pelo contacto: 271753566.
plb

Anúncios