You are currently browsing the monthly archive for Setembro 2009.

Pela primeira vez o concelho do Sabugal vai ter duas equipas na disputa do Campeonato Distrital da 1.ª Divisão da Associação de Futebol da Guarda: Sporting Clube do Sabugal e Associação Cultural e Desportiva do Soito.

Campeonato Distrital de FutebolO Campeonato Distrital tem o inicio marcado para o dia 10 de Outubro. Nessa jornada o Sabugal recebe a equipa de Foz Côa e o Soito desloca-se a Celorico.
O Campeonato de Futebol das equipas seniores da Associação de Futebol da Guarda foi reduzido de 16 para 14 clubes na presente época, o que o torna mais competitivo, pois a disputa de subida e manutenção será mais árdua.
Os dois clubes do concelho jogam entre si logo na segunda jornada do campeonato, no dia 18 de Outubro, quando o Soito recebe o Sabugal no seu campo. Na segunda volta do campeonato será o Soito a deslocar-se à sede do concelho, o que acontecerá na 15.ª jornada, no dia 7 de Fevereiro de 2010.
O Soito foi o campeão da segunda divisão distrital na época passada e chega agora à divisão principal pela primeira vez, juntamente com o Penaverdense. O Soito demonstrou que tem potencial e espera-se que se consiga ambientar a um nível competitivo mais exigente, lutando para obter um lugar tranquilo na classificação.
Já o Sabugal tem sobre os ombros a responsabilidade de ser considerado um dos clubes consagrados do campeonato. Na época passada ficou em terceiro lugar e esteve a um passo de se sagrar campeão distrital. Muitos consideram-no, a par do Aguiar da Beira, um dos favoritos deste campeonato e isso dá-lhe uma especial responsabilidade. Mantém como treinador Manuel Barbosa e como adjunto José Carvalho. A equipa reforçou o plantel, tendo ido buscar jogadores ao Fornos, Meda e Trancoso, assim como um jogador muito promissor ao Atalaia, um clube do distrito de Castelo Branco.
Carlos Janela, presidente do clube assume que o objectivo é vencer o campeonato e subir para a terceira divisão nacional. «Haverá outras equipas com o mesmo objectivo, mas nós assumimo-lo e vamos tentar atingi-lo», disse-nos o presidente.
Para além da equipa sénior, o Sabugal contará ainda com equipas nas camadas jovens: duas de «escolinhas», uma de infantis, uma de iniciados e uma de juniores. Em estudo está a possibilidade de também se constituir uma equipa de futebol feminino.
Carlos Janela diz não temer o embate com o Soito: «sinceramente, espero que sejam dois dias de festa, onde se espera que ganhe o melhor, esperando eu que o melhor seja o Sabugal».
João José, presidente da Associação Cultural e Desportiva do Soito, diz que o principal objectivo da equipa soitense é conseguir disputar um campeonato tranquilo, evitando a despromoção. «A meta é a manutenção, mas tentando fazer o melhor», diz o presidente. Revelou-nos ainda que houve alguns reajustamentos na equipa, com a dispensa de alguns jogadores e a entrada de outros. Alguns bons jogadores que já haviam jogado no clube regressaram e foram ainda buscar um atleta ao Unhais da Serra. Quanto à expectativa que tem com a disputa dos dois jogos com o Sabugal, João José também espera que sejam momentos de bom futebol, seguidos de convívio. «Temos de ter em conta que são equipas diferentes, porque o Sabugal assume lutar para ser campeão e nós queremos bater-nos para nos mantermos na primeira divisão distrital, mas tenho a certeza que serão jogos bem disputados».
No dia 18 de Outubro, quando o Soito receber o Sabugal, os atletas soitenses receberão as faixas de campeão da segunda divisão e de seguida haverá um jantar de convívio entre as duas equipas. Espera-se que quando o jogo se repetir no Sabugal a festa continue.
plb

Anúncios

A velha cidade, onde entrei pela estrada de Carvalhelhos. Chovia a cântaros. Já cá estivera há um ano, mas de passagem, aquando da audiência preliminar. À falta de guarda-chuva, pus a toga pela cabeça e fiz um passeio pelo jardim junto ao rio, passando por casas centenárias.

João ValenteNuma rua estreita, diante de uma antiga casa senhorial, um chorão deteve-me. Baixei a cabeça para não lhe bater nas tranças. Passei também pela muralha, que se erguia imponente sobre o casario, nas suas ameias escuras, nesta chuvosa manhã de Outubro.
À excepção do largo dos correios, já arranjado, tudo estava na mesma. Em frente ao tribunal o mesmo buraco aberto com os vestígios da muralha romana. Observei as ruínas durante algum tempo e depois segui pela rua empedrada que sai da cidade pela antiga ponte, sobre o Tâmega. De ambos os lados, as mesmas casas centenárias, com varandins em madeira. Numa delas, estava pendurada uma tabuleta de madeira com letras de estilo.
Um ruído forte vinha de dentro: música, gritos, os empregados a correrem para trás e para a frente, copos a tilintarem, e na porta uma ardósia escrita a giz de cor, pratos a azul, preços a vermelho. Os preços eram acessíveis, a ementa sofrível, pelo que guardei a toga na pasta.
Ao entrar, um amplo salão, o balcão do bar à direita e uma grande mesa de correr ocupada por alegres convivas. Não valia a pena pensar em almoço sossegado, mas com aquela chuva também não me apetecia procurar outro restaurante. Sentei-me numa das extremidades, junto à porta.
No momento em que fazia o pedido, um cão que estava na rua, correu por entre as minhas pernas e entrou. Era um cão rafeiro, amarelo sujo, a pingar água, que se esgueirou por debaixo da mesa em direcção ao dono. Foi corrido a pontapés.
ChavesEnquanto comia o ensopado de cabrito, ouvi os meus vizinhos do lado trocarem impressões sobre um julgamento em que iriam prestar declarações. Um dos rostos eu já conhecera antes, quando viera com o meu cliente, anos atrás, a preparar o processo e agora, já meio alcoolizado, desfiava as estratégias da acusação ali ao meu lado.
Revi na sua cabeça redonda, de olhos vivos, rechonchuda e vermelha, bem escanhoada… com um bigode e suíças farfalhudas o António Patuleia, que era uma das testemunhas contra o meu cliente. «Tricas» de familia…
A mim não me reconheceu e foi assim que soube da acta falsificada que iriam juntar aos autos, para ganharem o processo.
Então eu considerei que já sabia o suficiente e levantei-me.
– Continuação de bom almoço, meus senhores – e virando-me para o Patuleia – já agora, as melhoras para o seu fígado também.
– Como é que você sabe isso? – Perguntou ele, confundido.
– Vejo-o na sua cara, meu amigo, sou médico.
– E como consegue ver essas coisas, assim?
– É da experiência, meu amigo!

Todos ficaram admirados e me saudaram com grande cortesia. O Patuleia com maior vénia ainda. Também podia dizer-lhe se quisesse, a origem do apelido, o nome da mulher a casa de pedra onde morava no lugar da Sainça, a par de Vidago, e até a cor do sofá da sala onde já me sentei. Não resisti, e «descosi-me»:
– Até mais logo Patuleia, e cumprimentos à Julieta!
Virei costas com um sorriso, olhei para chuva a cair lá fora, tirei a toga da pasta colocando-a pelos ombros, e já não vi a cara ao Patuleia, mas ao sair ainda reconheci atrás de mim a sua voz embriagada num claro:
– Que «ganda» filho da puta este!
Consultei o relógio: Uma da tarde; ainda ía bem a tempo de arranjar prova para impugnar a bendita acta.
«Arroz com Todos», opinião de João Valente

joaovalenteadvogado@gmail.com

O Comando Territorial da Guarda da Guarda Nacional Republicana, tem previstas para o Dia Mundial do Idoso, que se comemora a 1 de Outubro, um conjunto de visitas a lares para acções de sensibilização, nelas se incluindo o Lar de Santa Catarina, na Rebolosa, concelho do Sabugal.

GNRAs acções de sensibilização e prevenção para a segurança dos idosos vão fazer-se em parceria com diferentes instituições do distrito, e desenvolvem-se no âmbito do Programa «Apoio 65 – Idosos em Segurança». O objectivo específico destas acções é alertar e esclarecer a população idosa sobre questões de segurança, concretamente sobre os perigos que mais frequentemente afectam os cidadãos de idade mais avançada, esclarecendo ainda sobre o respectivo enquadramento legal de actos criminosos de que são vitimas e indicando conselhos úteis e procedimentos a adoptar.
As acções a desenvolver ocorrerão por todo o distritio, com especial incidência no concelho de Pinhel: Azêvo, Ervedosa, Freixedas, Bouça Cova e Pinhel. Em Trancoso, as acções de sensibilização ocorrerão em diversas quintas isoladas do concelho. Em Manteigas a GNR falará com os idosos no Centro Cívico da sede de concelho, o mesmo sucedendo na Meda e em Fornos de Algodres.
No concelho do Sabugal está apenas prevista uma acção, que terá lugar no lar da terceira idade da freguesia raiana da Rebolosa.
plb

Esse supremo bem que é a verdade, cada vez se encontra mais só, mais abandonada, como se fosse um vírus maléfico. No tempo presente, o homem procura-a, mas onde? No êxito, no poder, no dinheiro, na fama, aí é que ela não pode estar, nesses sítios predomina a mentira a hipocrisia e o cinismo.

António EmidioSe a verdade está ausente, quem veio ocupar o lugar que lhe pertence? Os espertos, os politicamente correctos, o poder político, o poder económico e o poder mediático, que fazem passar por verdade total e absoluta, os seus próprios interesses. Quem não sabe o que é a publicidade? Quem nunca assistiu a uma campanha eleitoral? O que nos mentem! Fazendo passar todas as mentiras por verdades supremas, e o mais interessante é que a maioria das pessoas acredita.
Mas se alguém se atrever a dizer ao poder económico, mediático e político, que a verdade é um valor universal, e não propriedade particular de ninguém, sujeita-se a ser ridicularizado pelos que identificam o seu poder com a verdade.
Liberdade? Na constituição e nos Decretos, quanta quisermos, mas só para aqueles que não ponham em causa a legitimidade do sistema, porque os que põem em causa essa tal legitimidade, espera-os o desterro interior, e essa lei do silêncio que é a censura. Esta nova censura, não tem nada a ver com a das ditaduras, é muito mais eficaz, e feita com uma subtileza fantástica: negar a palavra sem a proibir.
Fixemo-nos neste nosso rectângulo que é Portugal: os que nós elegemos, os que nos governam, fazem-no a favor do bem comum, da justiça social, da concórdia, da amizade, da confiança no futuro, da paz e da felicidade da maioria? A verdade é inseparável destes valores, por isso ela está ausente, e sem ela, há medo e ausência de felicidade.
Para finalizar o artigo, querido leito(a), quero dizer-lhe o seguinte: afrontar o sistema estabelecido leva mais tarde ou mais cedo ao desterro interior, que não é mais nem menos do que uma solidão, é das coisas que mais dói.
«Passeio pelo Côa», opinião de António Emídio

ant.emidio@gmail.com

O almoço anual em Lisboa de convívio e divulgação da Confraria do Bucho Raiano realiza-se no sábado, 7 de Novembro, a partir do meio-dia no palacete da Cooperativa Militar situado na Rua de São José, n.º 24, junto aos Restauradores.

Bucho RaianoOs confrades do bucho raiano vão reunir-se em Lisboa para o almoço anual da Confraria do Bucho Raiano.
O encontro está marcado para o dia 7 de Novembro no edifício da Cooperativa Militar aos Restauradores. Os dois palácios do conde de Magalhães e um jardim classificados com monumento nacional datam do século XVIII e pertenceram ao Barão de Orta, nobre espanhol cujo brasão em alvenaria decora a parede interior sobranceira à escadaria principal.
O imóvel foi adquirido pelo Ministério da Guerra em 1948 à Marquesa de Santa Cruz dos Manuelles, filha e herdeira do conde de Magalhães. A entrada faz-se por uma porta monumental em arco de volta inteira e conducente através de rampa abobadada ao pátio rectangular interior. O Palácio da Ordem Soberana de Malta cuja cruz ainda hoje ornamenta a fachada principal foi construído no século XIX e foi também utilizado pela Governo Militar de Lisboa. Ambos os palácios foram utilizados pela Cooperativa Militar até 26 de Outubro de 1998 até serem transferidos para o IASFA passando a fazer parte do património do Ministério da Defesa Nacional.
O encontro acontece no primeiro sábado de Novembro respeitando a regra dos dois almoços anuais da Confraria do Bucho Raiano que define uma reunião em Lisboa antes do final do ano e outra no Sabugal no domingo gordo (Carnaval), dia em que tradicionalmente as famílias mais chegadas se juntavam para comer o bucho.
A ementa será constituída por enchidos, seguidos do bucho, que virá à mesa acompanhado por batatas e grelos de nabo cozidos, em absoluto respeito pela tradição gastronómica raiana. Os produtos para o almoço da Confraria do Bucho Raiano serão fornecidos pelo talho certificado de produtos raianos do Adérito da Rebolosa.
O bucho é a peça de enchido mais genuína das terras raianas do centro de Portugal. Manda a tradição que após a matança do porco se juntem num barranhão pedaços de carne provindos da cabeça, orelhas e rabo, de mistura com a carne que restou agarrada aos ossos. Coloca-se essa carne em vinha d’alhos durante três dias, após o que se enchem as bexigas dos próprios porcos, indo para o fumeiro a fim de aí secarem com o calor provindo da lareira.
Dar a conhecer o bucho e contribuir para que se transforme numa oportunidade económica para a região raiana é o objectivo da Confraria do Bucho Raiano que organiza em Novembro o seu segundo encontro de 2009.
A iniciativa tem como mordomo o confrade José Morgado Carvalho e em breve serão divulgadas mais novidades sobre este grande momento de promoção da gastronomia sabugalense.
O blogue «Capeia Arraiana», a estação televisiva on-line «LocalVisãoTv» e a «Rádio Caria» são os media partners desta edição.
As marcações podem ser feitas até ao dia 31 de Outubro de 2009 para:
Telemóvel: 965 869 121.
Email: confrariabuchoraiano@gmail.com

Confraria do Bucho Raiano: agraciada com louvor da Câmara Municipal do Sabugal. Aqui.
jcl

O Partido Socialista (PS) venceu as eleições para a Assembleia da República no distrito da Guarda com 36.825 votos que correspondem a 35,97% do total dos eleitores votantes enquanto o Partido Social Democrata (PSD) obteve 36.419 votos (35,57%). No concelho do Sabugal os socialistas venceram também, com 2.924 votos (35,67%) tendo os social-democratas alcançado 2.857 votos (34,85%). Na terceira posição ficou o CDS-PP, que obteve 1.008 votos (12,3%).

O PS e o PSD (separados por 406 votos) foram os dois partidos mais votados nas 336 freguesias dos 14 concelhos do distrito da Guarda. Foram às urnas 102.380 eleitores (58,33%) num universo de 175.522 votantes. Os resultados provocaram a repetição da divisão (dois para cada lado) dos quatro deputados do círculo eleitoral da Guarda. O PS elegeu os candidatos Francisco José Pereira de Assis Miranda e José Albano Pereira Marques e o PSD assegurou António Carlos Sousa Gomes da Silva Peixoto e João José Pina Prata.
Nas 40 freguesias do concelho do Sabugal votaram 8197 eleitores (50,28%) num total de 16304 inscritos nos cadernos eleitorais.

ELEIÇÕES PARA A ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA – 27-9-2009
DISTRITO DA GUARDA CONCELHO DO SABUGAL
Total – 14 Concelhos Total – 40 Freguesias

(Clique nas imagens para ampliar.)

No concelho do Sabugal o Partido Social Democrata (PSD) venceu em 23 freguesias contabilizando 2857 votantes (34,58%). O Partido Socialista (PS) obteve o primeiro lugar em 16 freguesias com 2924 votos (35,67%): Aldeia da Ponte, Aldeia de Santo António, Bendada, Bismula, Casteleiro, Fóios, Malcata, Moita, Quadrazais, Quintas de S. Bartolomeu, Rebolosa, Sabugal, Santo Estêvão, Sortelha, Vila Boa e Valongo. Em Badamalos houve um empate entre os dois partidos, ambos obtendo 13 votos.

O Capeia Arraiana publica de seguida os resultados finais das eleições para a Assembleia da República nas freguesias do concelho do Sabugal.

ELEIÇÕES PARA A ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA – 27-9-2009
CONCELHO DO SABUGAL – FREGUESIA A FREGUESIA
Águas Belas Aldeia da Ponte Aldeia da Ribeira Aldeia S.António Aldeia do Bispo
Aldeia Velha Alfaiates Badamalos Baraçal Bendada
Bismula Casteleiro Cerdeira Fóios Forcalhos
Lageosa da Raia Lomba Malcata Moita Nave
Penalobo Pousafoles Quadrazais Quintas S. B. Rapoula do Côa
Rebolosa Rendo Ruivós Ruvina Sabugal
Santo Estêvão Seixo do Côa Sortelha Soito Vale das Éguas
Vale de Espinho Valongo do Côa Vila Boa Vila do Touro Vilar Maior

(Clique nas imagens para ampliar.)

Concelho do Sabugal – Total de Inscritos: 16304. Votantes: 8197 (50,28%).
Em Branco: 109 (1,33%). Nulos: 176 (2,15%).
jcl e plb

Continuando com as localidades que participaram no Cortejo de Oferendas a favor do Hospital do Sabugal, que teve lugar em 1947, apresento, desta vez, os representantes de Malcata.

Cortejo de Oferendas - Malcata

Joao Aristides DuarteOs habitantes da «terra do lince» estão a desfilar junto à tribuna, perto da Casa dos Britos. Podem ver-se algumas das «altas individualidades» presentes a aplaudirem a passagem de Malcata.
Na frente seguem um homem e uma mulher do povo vestidos mesmo à moda da época.
O homem leva um «placard» onde está escrito «D. A. P. oferece uma casa». O que seria o D.A.P.?
As raparigas de Malcata que participam no desfile levam uma canastra na cabeça. Será que essa canastra teria alguma coisa dentro para ser oferecida ao Hospital? As moças desfilam com lenço na cabeça e um avental também branco. Já os rapazes de Malcata (só é visível um) levam camisa branca, calças pretas e chapéu.
Lá mais atrás, embora não se perceba muito bem, vê-se um «carro alegórico» de Malcata com uma plataforma onde vão duas raparigas de pé.
Para a semana regressa mais uma localidade que participou neste histórico Cortejo de Oferendas.
«Memória, Memórias…», opinião de João Aristides Duarte

akapunkrural@gmail.com

Em dia de eleições legislativas aqui deixamos algumas noções rápidas sobre política (…) do bloguista Alex que se transcrevem com a devida vénia.

José Morgado«Militante = aquele que milita ou luta (por uma causa, ideal ou partido), devendo implicar uma conduta activa… geralmente integrado numa organização (legal ou não, religiosa, militar, civil política,…)
Aderente = aquele que adere, associado com direitos e deveres, que se junta a um grupo ou partido, movimento, ideal ou causa, podendo esta ligação ser mais passiva do que activa…
Inscrito (membro formal) = aquele que se inscreve, tem o seu nome no registo de membros de… (um partido, associação,…), geralmente comprometendo-se a cumprir determinadas estatutos (objectivos, regras, direitos e obrigações…) e a pagar uma ‘quota’, para ser considerado membro de pleno direito.
Simpatizante = aquele que partilha alguma simpatia ou proximidade ideológica, ética, estética ou prática com determinado grupo, embora não faça parte formal dele … não beneficiando de regalias e não estando sujeito aos direitos e deveres de uma organização…
Independente = aquele que não depende de … (outrem ou de uma organização, porque tem recursos próprios,…), pelo que, teoricamente, tem total liberdade (apenas limitada pela sua ética e consciência…) para escolher, votar, decidir, fazer … Sem estar vinculado aos direitos e deveres de uma organização, chefia, obediência partidária, ideais, princípios ou regras de outros…
‘Aparelhista’ (partidário) = aquele que faz parte do aparelho, é uma peça para este funcionar,… funcionário = aquele que tem uma função dentro de uma organização, faz parte desta e é pago para a executar,…
Dirigente = aquele que dirige, podendo ser um chefe de facto ou de categoria/ título, … Obtido por conquista própria, atribuído pelos seus pares ou por dirigentes maiores,…
Pares = iguais em direitos e deveres (pessoas, membros,…)
Partido Político = associação ou organização social que tem por principal objecto a conquista e manutenção do poder político, do exercício de governação de um estado ou autarquia,… Tendo princípios, programas e práticas mais ou menos progressistas ou conservadoras,…
Esquerda = partidos cujos eleitos se sentam no sector da esquerda da bancada da Assembleia da República (geralmente assumidos como socialistas, comunistas e seus coligados)
Direita = partidos cujos eleitos se sentam no sector da direita da AR (geralmente assumidos como social-democratas, democratas-cristãos, liberais e populares)…
‘Centrão’ = os partidos no centro do ‘arco parlamentar’ (bancadas em semicírculo na Assembleia da República), que no caso português, actual, correspondem ao PS (‘centro-esquerda’) e ao PSD (‘centro-direita’).
‘Arco do poder = os partidos que nos últimos tempos (desta 3ª república) têm estado no governo,… Cujos membros são nomeados para vários cargos de poder público (de órgãos de soberania, de administração pública directa, indirecta e tutelada»
«Terras entre Côa e Raia», opinião de José Morgado

morgadio46@gmail.com

Continuando a análise do livro de apontamentos do Dr Francisco Maria Manso, vamos encontrando pormenores curiosos, que integram a história da construção do hospital do Sabugal. Desta vez optamos por fazer uma transcrição integral das palavras do médico de Aldeia do Bispo, que acompanhou de perto os trabalhos da Comissão da Misericórdia.

Romeu Bispo«Em 1930, após os anúncios nos jornais apareceu um arrematante único propondo fazer as paredes, pondo a C. da Mesericórdia a pedra, por 140 contos!!!
Resolveu-se fazer o hospital por administração directa. O sr. Sousa Martins, da Comissão da Mesericórdia, escreveu para esse fim, servindo-se de todos os meios para dar imediato e bom andamento à obra, de pleno acordo com os restantes membros da Comissão.
Começaram novamente as obras, pelo corte de pedra em “Rendo”, em meados de Julho de 1930, sendo o pessoal de pedreiros quasi todo de “Alcains”.
19-01-931 Continuam as obras estando a ser construído o pavilhão lateral, poente. Começou hoje o corte das madeiras de carvalho que serão oferecidas por vários proprietários, sendo as cortadas hoje oferecidas pelo benemérito Sr. Pe. J. Manuel Nabais.
Manuscrito de Francisco Maria MansoRecebi até esta data duas cartas de sua Exª. Sr.”Nuno de Montemor” pondo-se à disposição da Comissão do Hospital para trabalhar para tão grande melhoramento. Nessas cartas aparece constantemente a bela alma de sua Exª e na sua redacção há mimos de literatura espontâneos, reveladores das suas qualidades de artista das letras que é. Respondi a essas cartas aceitando tão valioso auxílio e com ele contaremos de futuro.
Enviei à Comissão da Mesericórdia um ofício com dez mil escudos, importância que resolvemos na Junta Geral do Distrito, dar para a continuação das obras.
21-Março de 1931 Apesar do dia chuvoso e pouco agradável, deram entrada na vila 17 carros de madeira de carvalho, pinho e castanho, de Aldeia de Sto. António Urgeira e Ameaes, madeira oferecida ao hospital. Estas povoações tinham já oferecido mais 12 carros. A povoação do Baraçal ofereceu 29 carros que deram entrada também pela vila fora, em ar de intensa alegria pela valiosa oferta.
Se no íntimo do homem existe a fera antiga, como querem alguns pessimistas, desejava que assistissem a factos destes para se convencerem que a generosidade humana é uma virtude real e se não a vemos praticada constantemente é porque não há todos os dias ocasiões para ser praticada. Depois são esses pessimistas que não acreditando no que existe de bom no género humano se encerram num feroz egoísmo, incapazes de ao seu semelhante fazerem o mais ligeiro benefício e então o “semelhante” paga-lhe e com toda a justiça em moeda igual e assim lhe parece encontrar “feras” em lugar de homens, começando elas a contar por eles! …
Que seja boa, alevantada e digna a nossa acção e encontraremos, com surpresa do coração humano tudo o que tem de melhor.»
Romeu Bispo
(Provedor da Santa Casa da Misericórdia do Sabugal)

A Comissão Nacional de Eleições (CNE) advertiu esta sexta-feira, 25 de Setembro, o presidente da Câmara Municipal de Braga, Mesquita Machado, para o teor da lei eleitoral que proíbe a realização de actos, entre os quais as inaugurações oficiais, na véspera do dia das eleições. (actualização.)

CNE - Comissão Nacional de EleiçõesEm mensagem «muito urgente» enviada ao socialista Mesquita Machado, a CNE equipara a apresentação ou a inauguração de uma sede de junta de freguesia e de um complexo desportivo, agendadas para sábado pela autarquia, a actos que podem ser tidos como de propaganda política em dia de reflexão.
A CNE atendeu, assim, uma reclamação da coligação «Juntos por Braga» (PSD/CDS/PPM) – liderada por Ricardo Rio –, que considera ilegal a realização daqueles actos oficiosos, dado que o presidente da Câmara é, também, candidato do PS às eleições municipais.
O organismo que superintende o acto eleitoral lembra que a realização de inaugurações ou actos de propaganda em dia de reflexão ou de eleição constitui crime, nos termos da lei eleitoral em vigor, podendo ser punidos com multa de prisão não-inferior a 100 dias.
Contactado pela agência Lusa, o adjunto do Presidente da Câmara, João Paulo Mesquita, disse que o autarca desconhece a notificação, adiantando que cumprirá «as alegadas determinações da CNE logo que delas tenha conhecimento».

Recorde-se que a Câmara Municipal do Sabugal tem agendada para este sábado, 26 de Setembro, às 15 horas, a inauguração da nova Zona Rural Prioritária de Localização Empresarial do Alto do Espinhal.
jcl com agência Lusa


(actualização.) Após a publicação no Capeia Arraiana na quinta-feira, 24 de Setembro, da notícia reproduzindo uma informação constante da newsletter n.º 81 da Câmara Municipal do Sabugal sobre a inauguração… Aqui.

…e posteriormente este sábado, 26 de Setembro, de uma notícia apoiada num take da agência Lusa, foi actualizado o portal da Câmara Municipal do Sabugal com a seguinte informação…

«NOTA INFORMATIVA
Sabugal – 10horas
Tendo em conta a lei eleitoral, que por lapso não foi considerada, a inauguração prevista para hoje, dia 26 de Setembro às 15h, da Zona Rural Prioritária de Localização Empresarial do Alto do Espinhal não se realizará.
Face a esta incompatibilidade de ordem legal, apenas terá lugar a inauguração da Empresa CIRVA – Centro Integrado de Reciclagem e Valorização Ambiental, promovida por esta Empresa.
A prevista inauguração ZRPLE do Alto do Espinhal, resultou do facto de a Empresa CIRVA, ter manifestado a intenção de inaugurar as suas instalações, entendendo a Presidência que se deveria associar ao acto.
Sabugal, 26 de Setembro de 2009
O Presidente da Câmara
Manuel Rito Alves»

Diria com certeza pessoal que há um «pequeno lapso» entre a hora da «Nota Informativa» e a sua publicação on-line…
jcl

António Dionísio (PS-Partido Socialista), António Robalo (PSD-Partido Social-Democrata), Joaquim Ricardo (MPT-Partido da Terra) e José Manuel Monteiro (CDU-Coligação Democrática Unitária) marcaram presença esta sexta-feira, 25 de Setembro, no programa de Rui Isidro na Rádio Altitude. Ana Isabel Charters (CDS-PP) declinou o convite por considerar ser ainda muito cedo para dar início à sua campanha eleitoral. Divergências à parte os quatro candidatos concordaram num ponto: a desertificação é o grande problema do concelho do Sabugal.

Rádio AltitudeO jornalista da Rádio Altitude, Rui Isidro, introduziu o debate recordando que o concelho do Sabugal é o exemplo de maior alternância política no poder em todo o distrito da Guarda. Em 1976, nas primeiras eleições a presidência da Câmara foi conquistada pelo CDS. Em 1979 e durante dois mandatos foi governada pelo PSD para mudar de cor em 1985 novamente para o CDS e também por duas eleições. Em 1993 o PS conquistou a autarquia sabugalense mas, nas eleições seguintes, o PSD reconquistou a presidência. Em 2001 os sociais-democratas em coligação com o CDS mantiveram o poder e nas últimas eleições, 2005, o PSD, com Manuel Rito Alves, voltou a ganhar o município com maioria (quatro em sete) de mandatos .
Abriu o debate o candidato da CDU, José Manuel Monteiro, que após cumprimentar todos os sabugalenses deu a conhecer as linhas mestras do seu programa eleitoral com o lema «tornar possível o impossível». «As propostas da CDU assentam em quatro eixos de desenvolvimento: um concelho economicamente viável, um concelho socialmente coeso e solidário, um concelho culturalmente vivo aliando a tradição à modernidade e um concelho ecologicamente sustentável para as gerações futuras. «Achamos que é necessário fazer roturas, achamos que é necessário mudar», disse, ainda, José Manuel Monteiro.
António Dionísio foi o segundo candidato a entrar na antena da rádio elegendo como bandeira da candidatura o combate à desertificação. O candidato socialista considerou, também, que «o concelho do Sabugal tem que se afirmar no contexto regional com qualificação e inovação».
Joaquim Ricardo começou por agradecer à Rádio Altitude a possibilidade de estar presente num debate com os outros candidatos ao município sabugalense. Elegeu igualmente a desertificação como o grande inimigo a combater durante os próximos quatro anos. «Comigo as pessoas estarão sempre em primeiro lugar. As política autárquicas nos últimos 30 anos esqueceram as pessoas. Os dois grandes pilares da candidatura assentam na gestão da autarquia a pensar nas pessoas e na promoção da sustentabilidade económica e social do nosso território».
António Robalo chegou à Rádio Altitude já com o debate a decorrer e foi o quarto candidato a responder à questão inicial do moderador Rui Isidro. «Eu candidato-me na sequência do trabalho desenvolvido há doze anos durante três mandatos. O maior problema é não termos gente. Tudo temos feito para captar gente e vamos continuar a tudo fazer nesse sentido», explicou o candidato social-democrata.
O debate entre os quatro candidatos continuou com o balanço sobre os últimos quatro anos da gestão social-democrata na Câmara do Sabugal, sobre as apostas para o futuro do concelho do Sabugal e por fim a oportunidade a cada candidato para expor as razões porque consideram que os eleitores sabugalenses devem votar nas suas candidaturas.

Rádio Altitude on-line (90.0 FM). Aqui.

Rádio Altitude – Debate entre os candidatos à Câmara Municipal do Sabugal
jcl

Já aqui falei do fantástico filme «Up», realizado pela fábrica de animação digital Pixar. Por estes dias esteve em sala mais um grande filme de animação, desta vez criada pelo mestre japonês Hayao Miyazaki, autor dos já clássicos «Castelo Andante» ou «A Viagem de Chihiro».

Pedro Miguel Fernandes - Série BO filme de que falo é «Ponyo à Beira-Mar», uma bela história para crianças que não deixa de tocar os adultos. Ao contrário de outro tipo de animação made in Japan, como a muito popular Manga, este é um filme mais tradicional, muito semelhante ao que os clássicos da Disney geralmente eram há algumas décadas atrás, antes da chegada em força da animação digital.
Hayo Miyazaki é um purista. Começou ainda nos idos anos 1970, quando foi autor da série «Conan o Rapaz do Futuro», que não tive oportunidade de ver, mas conheço algumas pessoas que cresceram a vê-lo na televisão, quando as escolhas eram menos do que as que há actualmente, e todas me falam de uma série que as marcou.
O realizador japonês optou por sempre fazer os seus trabalhos sem recorrer ao digital, ou utilizando muito pouco as tecnologias, para trazer grandes filmes que permitem sonhar com mundos fantásticos onde tudo pode acontecer.
Ponyo à Beira-MarMas se nos seus filmes anteriores, como os já citados «Castelo Andante» ou «A Viagem de Chihiro», o fantástico pertence ao um mundo muito próprio, em «Ponyo à Beira Mar» o fantástico alia-se à nossa realidade. Este é um filme sobre um peixe, filho de feiticeiros humanos, que se transforma numa menina para se tornar humana. É nesta condição que trava conhecimento com um rapaz, Sosuke, que será o seu protector e companheiro até um final, que supomos será feliz. Não o chegamos a saber porque o final fica em aberto.
Comparando com o filme «Up», este é mais um filme de animação que prova que ainda há espaço para nos fazer sonhar com histórias bastante simples. Em ambos os casos, consegui reviver um pouco a minha infância.
«Série B», opinião de Pedro Miguel Fernandes

pedrompfernandes@sapo.pt

No dia de reflexão para as eleições legislativas, 26 de Setembro (sábado), pelas 15 horas, a Câmara Municipal do Sabugal realiza uma cerimónia de inauguração da nova Zona Rural Prioritária de Localização Empresarial do Alto do Espinhal.

abril 004São cerca de 12 hectares, divididos em sete lotes que já se encontram adquiridos por diversas empresas que aí vão implantar-se.
O espaço inicialmente destinado pela autarquia para zona empresarial revelou-se pequeno para fixar algumas das empresas interessadas, pelo que a Câmara Municipal adquiriu a particulares mais 17 hectares de terreno, com o intuito de colmatar a procura verificada.
Segundo uma nota da Câmara Municipal do Sabugal, «nesta área teremos a oportunidade de assistir à fixação de empresas ligadas ao ramo das novas tecnologias, nomeadamente, o Biodisel, Transportes e Logística e o CIRVA da Cova da Beira, entre outras». Essas empresas «vão criar postos de trabalho, o “ganha pão” sempre bem-vindo a todos quantos ambicionam um emprego aliado a uma realização profissional».
«A Zona de Localização Empresarial do Alto do Espinhal foi estrategicamente concebida, na medida em que a proximidade com a ligação à A23, uma das principais auto-estradas do país, certamente trará vantagens para as empresas e para a população do concelho do Sabugal, será uma porta de entrada para os empresários, para os turistas e para os visitantes», conclui a nota do Município.
plb

O Ciclo «Cultura no Centro» vai juntar no Porto poetas, críticos e livreiros, para debaterem o rumo da poesia portuguesa contemporânea. O poeta sabugalense Manuel António Pina é um dos participantes.

Manuel António Pina - Sabugal - Foto de Kim Tomé - TutatuxO evento terá lugar no sábado, dia 26 de Setembro, às 17 horas, no centro comercial Dolce Vita Porto.
Para além de Manuel António Pina, estarão também presentes os poetas Fernando Guimarães, Rosa Alice Branco, Catarina Nunes de Almeida e Emílio Remelhe.
A livreira Dina Ferreira, proprietária da Poetria, também participa neste encontro que, durante hora e meia, se propõe analisar a «Expressão máxima do génio literário português», na opinião de vários especialistas.
O ciclo de debates «Cultura no Centro» é organizado pelo jornalista Sérgio Almeida e tem lugar nos últimos sábados de cada mês. Abordam-se temas relacionados com as artes, reunindo um naipe alargado de criadores e responsáveis. A literatura infanto-juvenil, a banda desenhada e a edição foram os temas inaugurais do ciclo.
plb

«Vasco Pereira Marramaque saiu eleito… por novecentos mil reis, trinta e nove cabritos, e duas pipas e meia de vinho verde» – Camilo Castelo Branco, in Novelas do Minho.

Voto Plenário Juntas FreguesiaNo século XIX o fidalgo minhoto, que chegou a Visconde, foi eleito para a Câmara de Deputados pelo círculo de Braga, em representação do Partido Liberal. Não o foi porém sem adquirir os votos com peitas, porque, como dizia Camilo, «naquele tempo uma consciência de eleitor rural regulava entre dois pintos e quartinho, com jantar de cabrito guisado e vinho à descrição».
Longe vão esses tempos de primícias da democracia, mas, a bem ver, há coisas que são ainda actuais. E de entre elas conta-se a de candidatos serem eleitos à custa do dinheiro ou das prendas que distribuem, ou das rotundas mentiras que proferem em campanha pela angariação dos votos.
E nisto de mentir há outro preceito revelador, desta feita saído da pena do grande estadista alemão Otto Von Bismarck: «Nunca se mente tanto como em véspera de eleições, durante a guerra e depois da caça». Ele lá sabia.
Aliás, esse grande saber já no século XIV o possuía o prestigiado Álvaro Pais, que no auge da crise contra a subjugação a Castela, sendo necessário convencer o povo de Lisboa à revolta, assim aconselhava o Mestre de Avis: «Dai o que não é vosso, prometei o que não tendes, perdoai a quem vos errou».
Quem ocupa o «poleiro» aprende depressa a arte de influenciar as eleições. A necessidade de se manter no poder obriga à realização da manobra eleitoral, seja na distribuição antecipada de subsídios às associações locais, na realização de concursos para emprego público ou até no lançamento à pressa de obras de beneficiação que pelos montantes envolvidos estão dispensadas de concursos. Tudo para eleitor ver e a seguir votar.
Quem está na oposição e quer romper o cerco, afina pelo mesmo diapasão, mas com outro argumentário. Na falta de meios públicos ao dispor entra na promessa fácil, jurando, mais ou menos solenemente, realizar algo em favor dos seus destinatários.
Todos tentam, assim, conquistar votos e o essencial para o eleitor ainda é, e sempre será, verificar aquele que mais dá e que menos mente.
Estando agora próximos dois actos eleitorais, nos quais cada eleitor deve participar activamente, para não deixar que outros escolham por ele, convém ter em mente este belo ensinamento de Vergílio Ferreira, que consta do Volume III do «Conta-Corrente»:
«Em política, a “honestidade” não conta nem como estratégia nem como índice para avaliação dos outros. Ser “honesto” em política actuante é ser parvo».
«Contraponto», opinião de Paulo Leitão Batista

leitaobatista@gmail.com

Os candidatos à presidência da Câmara do Sabugal encontram-se sexta-feira, dia 25 de Setembro, na Rádio Altitude, para um debate a transmitir em directo a partir das 17 horas.

Rádio Altitude - Rui IsidroA estação de rádio da Guarda está a realizar desde segunda-feira um ciclo de debates com os candidatos a cinco Municípios do distrito, que decorrerá ao longo da semana.
Na sexta-feira será a vez dos candidatos sabugalenses: Ana Charters (CDS), António Dionísio (PS), António Robalo (PSD), Joaquim Ricardo (MPT) e José Manuel Monteiro (CDU).
O debate será moderado pelo jornalista da estação Rui Isidro e no mesmo serão abordados os programas eleitorais dos candidatos e diversos assuntos de interesse para os munícipes do Sabugal.
Na segunda-feira realizou-se o primeiro debate, com os candidatos ao Município de Almeida. Na terça-feira, foi a vez dos candidatos à Câmara de Figueira de Castelo Rodrigo. Hoje, quarta-feira, o debate será entre os candidatos à Câmara de Vila Nova de Foz-Côa. Na Quinta-feira, dia 24, a Rádio receberá os candidatos à Câmara de Manteigas. Na Sexta-feira o ciclo encerra com o debate entre os candidatos à Câmara do Sabugal.
Pode ouvir a Rádio Altitude localmente, no Sabugal, em: 90.9 FM
ou a emissão on-line na Internet em: altitude.fm
plb

Aparência e ilusão. Não vale a pena lutar contra moinhos de vento…

Cruzeiro da Bismula
Foto: Blogue Memória de Vilar Maior
Candidato Ravi Mahendra
Foto: Blogue Sabugal Tarrento

João ValenteI – Aparência
No Cruzeiro da Bismula a data inscrita é 1789; a mesma da revolução francesa. A interpretação dos restantes símbolos iniciáticos ficam à imaginação de cada um, mas eu neste cruzeiro leio os seguintes sinais maçónicos:
O formato é de uma ara (o templo de Salomão que os maçons copiam em loja tem um altar do «perfume»); a data corresponde à revolução Francesa, cujo lema era «Liberdade, Igualdade e Fraternidade», já antes adoptado pela maçonaria.
O nicho destinado a uma imagem religiosa, mas vazio (os maçons professam a fé no Grande Arquitecto do Universo, com tolerância para todos os credos que o aceitam – cristãos, judeus e muçulmanos).
O encaixe em forma de cubo no fuste da ara também é maçom (simbolicamente, o maçom vê-se a si mesmo como uma pedra bruta que tem de ser trabalhada com as ferramentas alegóricas adequadas para convertê-la em um cubo perfeito, podendo, assim, encaixar-se na estrutura do Templo do Grande Arquitecto do Universo) e por fim a cruz (só para disfarce), coroando o conjunto, pode simbolizar o Grande Arquitecto do Universo.

II – Ilusão
Após um tempo de angustiada reflexão no ermo da Santa Marinha, Vilar Maior, na presa dos Rasteiros, onde cresciam uns pés de liamba que mão incógnita plantou, concluí que o melhor candidato à Câmara é…
Pediram… Ora aí têm! Ravi Mahendra; ele mesmo.
Ravi Mahendra acredita na teoria da reincarnação, que defende a transmutação da alma humana nas várias espécies de seres vivos após a morte, em sucessivos ciclos temporais. Assim sendo, como o cruzeiro da Bismula é só aparentemente um cruzeiro, também a desertificação do concelho, à luz da referida teoria, é uma ilusão apenas.
De facto, sendo a população concelhia constituída por todas as espécies vivas se moventes do território geográfico e administrativo, desde a mais insignificante lagartixa ao Sol, à mais nobre águia planando no céu, é óbvio que todas as estatísticas demográficas sobre o concelho pecam por defeito ao não contabilizarem também a fauna autóctone, para onde migraram as almas dos humanos depois da morte.
Seguindo esta linha de raciocínio, é nos incêndios, na floresta desordenada e na extinção da fauna, que está a verdadeira origem e ameaça na desertificação do concelho.
Proteger a fauna, dotar os bombeiros de meios de combate ao fogo e ordenar a floresta, são por isso as medidas adequadas para combater a desertificação do concelho.
Assim sendo, reflorestar o traçado da ligação à A23 com espécies resistentes ao fogo, como pretende o candidato Ravi Mahendra, é a melhor ideia destas eleições, porque não só constituirá excelente corta-fogo e reserva de biodiversidade dividindo o concelho no sentido NE/SE, como um magnífico efeito estético às avionetas, que sobrevoando o território, aterrem e levantem na Dragoa.
Seria «matar quatro coelhos duma cajadada só»!

III – Concluindo
Não vale a pena lutar contra moinhos de vento…
Às ortigas elmo de manbrino; esporas ao rocinante até Leiria!
E passem bem!

Referências:
Blogue «Memórias de Vilar Maior». Aqui.
Blogue «Sabugal Tarrento». Aqui.
«Arroz com Todos», opinião de João Valente

joaovalenteadvogado@gmail.com

Manuel Leal Freire publicou um novo livro, intitulado «Trovas de Escárnio em Vernáculo», que contém um conjunto de poesias populares reveladoras do espírito reinadio do nosso povo.

«Trovas de Escárnio em Vernáculo - Manuel Leal FreireO povo, no seu linguajar prático e directo, usa o vernáculo. Significa isso que recorre a uma linguagem rude, pejada de expressões genuínas e incisivas, próprias de quem comunica no seio do seu grupo, ciente que é bem percebido por todos.
Ora o povo, nesse seu comunicar de uso corrente, quer ser claro e directo, sem evasivas nem preocupações de estilo. No falar vernáculo impera o palavrão e a asneira, que noutro contexto de comunicar faria corar o maior dos vilões.
Manuel Leal Freire, natural da Bismula, é o maior conhecedor das tradições populares das gentes raianas.
Embebido no saber antigo e nas vivências aldeãs, tem dado preciosos contributos para a divulgação da cultura popular, o que mais uma vez sucede com a recolha e publicação destas trovas de escárnio e maledicência.
O autor diz-nos que hesitou na decisão de publicar estas versalhadas hilariantes, mas decidiu confiá-las «ao exame de um comité de sábios», que afinal eram homens bons e seus verdadeiros amigos. «O juízo final, que não será tão isento como o do Vale de Josafá, pronunciou-se pela publicação, depois de se haver certificado em demorada leitura, entrecortada por momentos de hilariedade, de que nada havia de ofensivo para as convicções de qualquer pessoa, nos chorrilhos de disparates que atravessam a colectânea» – é desta forma que o autor da recolha se justifica perante o leitor, preparando-o para a leitura de muitas palavras de genuína expressão popular, que estão banidas da linguagem educada.
Cremos, tal como o autor, que o livro não ofende, porque não é esse o seu propósito, porquanto aqui deixamos dois pequenos poemas da colectânea, à laia de aperitivo:

Nem contrição nem atrição
(mas simples tristura pela falta de tesura)

No tempo em que eu comia e bebia e fumava e fodia
Toda a gente dizia que eu me perdia
Agora que não como, nem bebo, nem fumo, nem fodo
É que ando perdido de todo
Por isso
Hei-de voltar a comer e a beber a fumar e a foder
Pra toda a gente saber
Que quem come e bebe e fuma e fode é porque pode.

Quando

Quando os olhos cansam
E as pernas dançam

Quando as peles crescem
E os colhões descem

Quando o nariz pinga
E a piça minga

Não volte a dizer ainda
Que a missão é finda e bem finda.

O livrinho é edição da Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto.
Pode ser adquirido na Casa do Castelo, no Sabugal.

plb

O candidato do PS, António Dionísio escolheu o final da tarde do dia 20 de Setembro para juntar os seus apoiantes no Salão da Junta de Freguesia do Sabugal e aí apresentar as listas de candidatos aos vários órgãos autárquicos. A sala encheu-se para ouvir falar António José Marques, candidato à Junta de Freguesia do Casteleiro, em representação das freguesias; Manuel Barros, presidente da concelhia do partido; Fernando Pinto, mandatário da candidatura; Maria do Carmo Borges, governadora civil; José Albano, presidente da distrital do PS; Francisco Assis, cabeça de lista à Assembleia da República; Ramiro Matos, candidato à Assembleia Municipal. No final subiu ao palco António Dionísio, que discursou para as várias centenas de apoiantes que enchiam o salão.

Discurso de António Dionísio com a apresentação do programa eleitoral.

«Caros conterrâneos e amigos.
Em meu nome pessoal e em nome das mulheres e homens que aceitaram partilhar este desafio de transformar o Concelho do Sabugal numa terra de progresso e desenvolvimento, permiti-me um bem-haja pela vossa presença, começando pelos militantes e simpatizantes do Partido Socialista, mas não esquecendo todos aqueles que pertencem a outros quadrantes políticos, quiseram estar hoje aqui presentes, demonstrando, todos, o seu apoio a esta candidatura que é na realidade uma candidatura pelo Concelho do Sabugal.
Contra o desânimo, contra a lamúria, contra a resignação, aqui nos apresentamos, contando convosco para sermos eleitos para a Câmara, para a Asesembleia Municipal e para as Assembleias de Freguesia para provarmos que vivemos e trabalhamos num Concelho com futuro.
Trazemos com as nossas candidaturas um sopro de esperança, mas também uma certeza: sabemos o que queremos, temos propostas ambiciosas mas realizáveis, e sabemos como as concretizar.
O poder, em democracia, deve servir exclusivamente para promover o bem e o desenvolvimento através do uso permanente do bom senso, dos afectos, da perspectiva histórica do concelho e sobretudo de todos os sabugalenses, pois só unidos conseguiremos transformar este concelho num território de progresso.
É por isso que vos digo que ao candidatarmo-nos aos órgãos autárquicos e ao pedir a Vossa confiança nas nossas ideias e propostas, temos uma responsabilidade cuja dimensão ética, cultural e pública nos impõe uma prática transparente, empenhada, completamente virada para a causa pública, isto é com o espírito de missão capaz de resistir à calúnia, à mesquinhez e a visão bacoca de rivalidades artificiais, usadas normalmente para esconder a incompetência e os vícios decorrentes dos pequenos caciques e da corte da qual se rodeiam.
Não sou diferente dos outros, tenho como todos, defeitos e virtudes e é com essa consciência que me candidato perante vós, tendo a certeza de que, afinal é essa a grande diferença – reconhecer a normalidade da minha pessoa e da minha equipa – e dizer-vos com humildade, que saberemos fazer melhor do que os outros, pois tudo será feito com vontade, com paixão e com espírito de missão, dispostos a dar o seu melhor, pois é nisto que acreditamos.
Acreditamos que podemos construir um concelho forte e com melhor Governo.
Acreditamos que podemos construir um concelho onde é bom nascer e crescer.
Acreditamos que podemos construir um concelho onde é bom viver e envelhecer.
Acreditamos que podemos construir um concelho onde é bom investir e trabalhar.
Acreditamos que podemos construir um concelho onde é bom investir na agricultura.
Acreditamos que podemos construir um concelho com identidade, onde a cultura acontece e que vale a pena visitar.
Acreditamos que podemos construir um concelho sustentável, ligado ao País e ao Mundo.
Acreditamos nas gentes desta terra.
É esta a nossa diferença:
A verdadeira aposta nas pessoas.
A igualdade de oportunidades.
A valorização das nossas gentes.
O reconhecimento da bondade do nosso povo solidário mas empreendedor, humilde mas determinado, leal mas inconformado.
E queremos tudo isto porque o nosso Concelho, a terra que nos viu nascer e crescer e a que nos orgulhamos de pertencer seja qual for o sítio onde moramos, merece o nosso esforço, merece que nos dediquemos de alma e coração a esta missão.
E sabemos, porque as mulheres e homens que se candidatam nas nossas listas, são mulheres e homens de bem, e em quem os sabugalenses podem confiar!

Caros conterrâneos e amigos
A luta eleitoral que estamos a travar não é pessoal. Nem minha, nem vossa.
É a luta pelo futuro desta terra.
Pela concretização das melhores propostas para transformar o presente e alicerçar o amanhã.
A luta e o combate destas Mulheres e Homens.
É feita em nome das suas mais profundas convicções.
De Justiça, de imparcialidade, de crença no trabalho e de Amor à sua Terra.
Bem-hajam em nome do Sabugal.

Até ao próximo dia 11 de Outubro o combate tem que ser diário.
Vamos Terra a Terra. Casa a Casa. Pessoa a Pessoa. Esclarecer, motivar e apresentar o nosso Projecto e as nossas Propostas.
Todos juntos vamos UNIR O SABUGAL.
Com a Força da Nossa Ambição.
Com a Força da Nossa Gente.
Com a Força das Nossa Convicções.
Com o Amor à Nossa Terra.
Viva o Concelho do Sabugal.»

Fotos: Direcção de Campanha de António Dionísio.
jcl

António Robalo, candidato do PSD à Câmara Municipal do Sabugal apresentou na tarde de domingo, dia 20 de Setembro, as listas dos candidatos que o acompanham nas eleições para os vários órgãos autárquicos. Perante um vasto e exuberante público, que deixou o Auditório Municipal do Sabugal à pinha, tomaram a palavra João Prata, candidato número dois da lista distrital do PSD às legislativas; Canaveira Manso, mandatário da candidatura; Luís Carlos Lages, candidato à Junta de Freguesia do Baraçal; José Manuel Campos, candidato à Junta de Freguesia dos Fóios e Manuel Rito Alves, candidato à Assembleia Municipal. No final, foi a vez de António Robalo tomar a palavra para defender a sua obra enquanto autarca e apresentar as linhas fundamentais do seu programa eleitoral.

Discurso de António Robalo na apresentação pública dos candidatos autárquicos:

«Dirijo-me,
1 – Ao Vice Presidente da Comissão Politica e Distrital do PSD, Prof. Pina Prata, que é candidato a Deputado da Nação nas listas do PSD pelo Circulo Eleitoral da Guarda e ao qual desejo um grande resultado nas eleições do dia 27 de Setembro; para si e para a Dra. Manuela Ferreira Leite. Quero que saiba que os Sabugalenses estão consigo e contarão consigo para nos ajudar a inverter este ciclo de depressão que as nossas terras têm sofrido ao longo destes anos apesar dos esforços de todos os que resistem e no dia a dia com o seu trabalho lutam para manter a chama viva.
2 – Ao nosso mandatário concelhio das listas de candidatos, ilustre Dr. Luís Eduardo Canaveira Manso, que desde a primeira hora respondeu afirmativamente ao nosso pedido, pela total disponibilidade para ajudar a montar esta estrutura e pela confiança depositada em nós, mostrando mais uma vez, se dúvidas houvesse o seu bairrismo raiano. Acredite que lhe estamos muito gratos pela manifesta prova de amizade e de serviço ao Sabugal. Queremos contar sempre consigo.
3 – Ao meu caro amigo e companheiro de trabalhos nos últimos 12 anos, Manuel Rito, quero agradecer o facto de ter aceite o convite para liderar a equipa de candidatos à Assembleia Municipal. Vamos continuar a trabalhar e contarei sempre com o teu apoio!
4 – Saúdo todos os candidatos do PSD às Assembleias de Freguesia, todos os candidatos em listas Independentes que estão inequivocamente no mesmo barco, este barco enorme que é o Projecto de Concelho que queremos. Saúdo também os actuais Presidentes de Junta eleitos em Plenário quiseram associar-se a esta festa!
5 – Saúdo todos aqueles que por várias razões não se recandidatam a novos mandatos autárquicos, em especial actuais Presidentes de Junta, alguns aqui presentes. Quero agradecer-vos toda a colaboração e entreajuda ao longo destes anos. Espero contar sempre convosco. Contem sempre comigo!
6 – Olhando agora para vós caros amigos e companheiros, Sabugalenses de todos cantos e encantos do nosso Concelho agradeço do fundo do coração a presença de todos, todos os que enchem este auditório e todos aqueles que estão lá fora. Vocês e as nossas aldeias, vilas e cidade, são a razão de tudo isto! Quero que cada um se sinta como fazendo parte da minha equipa! Cada um de vós será mais um elemento desta nossa equipa de trabalho!
7 – Caros Amigos e companheiros, sei que me vão desculpar, vão com certeza entender este momento, mas quero deixar uma nota muito especial à minha família aqui presente (meus pais, esposa,filhos, sobrinhos, etc.) e aos ausentes na emigração, aos meus conterrâneos da Ruvina, onde nasci e resido, a todos os meus colaboradores no Colégio do Soito, e a todo os funcionários da Câmara Municipal dos quais sempre senti o carinho e apreço que retribuo. Desculpai alguma falta de atenção a que vos tenho votado nos últimos tempos, mas eu sei que vocês como grandes amigos que são compreendem!
8 – Aceitei encabeçar a lista para a Câmara Municipal do Sabugal nas próximas eleições autárquicas e fi-lo porque não poderia deixar de responder aos apelos de inúmeros militantes, amigos e simpatizantes do PSD e de outros partidos e porque continuo com uma forte motivação e com ideias e projectos para o Sabugal.

Estou firmemente convencido de que sempre dei o melhor que tinha, que pude e que soube e que tratei toda a gente com educação numa postura de diálogo franco e soube ouvir e responder aos anseios das pessoas que são a razão de ser das autarquias locais.
Acredito na razão das causas e nos objectivos que me proponho defender e implementar e, acredito também nas mulheres e nos homens que vivem e trabalham no nosso concelho e que ajudarão a que o Sabugal seja, cada vez mais, um concelho próspero e dinâmico.
Candidato-me por convicção e por amor ao meu Concelho e por querer que o Sabugal se continue a afirmar a nível Regional, gozando de estatuto e afirmando-se pelas suas gentes, pela sua riqueza patrimonial, pela sua identidade, enfim pela sua grandeza.
O desafio é enorme, sobretudo nesta época de tempos difíceis como a que o mundo atravessa e, por isso, estou consciente da enorme responsabilidade que me envolve, mas estou tranquilo pois sei que não estou só.
Comigo e com a nossa equipa, o poder autárquico, será, acima de tudo, uma vivência diariamente partilhada com todos!
Temos obra feita visível e reconhecida em todo o Concelho! Por todas as Freguesias há marcas novas de desenvolvimento!
A minha equipa, quer continuar a estar à altura dos compromissos que assumimos perante os Sabugalenses há 12 anos, há 8 anos e há 4 anos!
Caro amigo, Manuel Rito, permita-me que te diga! Temos trabalhado muito, mesmo muito, essencialmente na modernização e infra-estruturação do Concelho.
O Complexo do Pavilhão e Piscinas Municipais,
As entradas da Cidade do Sabugal,
Requalificação do Estádio Municipal,
Cerca de vinte redes de água e saneamento entretanto instaladas, acompanhadas de novos arruamentos jardins, etc…
Museu e Auditório Municipal, este espaço multiusos e multicultural, onde nos encontramos!
Todas as parcerias desenvolvidas com as Juntas de Freguesia, Clubes, bombeiros, associações florestais, associações da agricultura e pecuária, associações culturais (Grupo de Teatro e Banda Filarmónica da Bendada, Grupos Etnográficos), Escolas, IPSS, Empresa Municipal, trabalho que não se vê, mas que é muito importante, porque aquece e alimenta a Alma do Nosso Concelho.
Grandes projectos temos em mãos, projectos que acredito irão criar riqueza, atractividade e fixar gente no Concelho:
– Parque Termal do Cró;
– Parque de Campismo do Sabugal – O Côa Camping;
– A ligação aos grandes eixos viários nacionais (A23);
– A complementaridade das Infra-estruturas de Apoio às Empresas (Zona Rural Prioritária de Localização Empresarial do Alto do Espinhal, Centro de Negócios Transfronteiriço) para referir alguns.

Estes são projectos irreversíveis, que estão aí e que serão um grande desafio à nossa imaginação, que todos queremos potenciar, onde todos juntos devemos criar as sinergias necessárias para o seu sucesso, porque também passa por aí a tarefa de tornar o nosso concelho cada vez mais acolhedor, mais atractivo, mais desenvolvido, enfim um concelho onde nós e os nossos queremos viver e ser felizes.
Esta lista de candidatos à Câmara Municipal do Sabugal é uma lista que representa o que de melhor poderia propor para vir a gerir os destinos do nosso Concelho.
É uma lista que constitui um privilégio para quem a lidera, mas é acima de tudo uma grande aposta para continuar no rumo certo enfrentando os novos desafios do futuro num espírito de modernidade, competência, dedicação, humanismo e trabalho ao serviço das nossas populações.
Estamos convictos que, estando mais próximos das pessoas, poderemos garantir para o Concelho do Sabugal progresso, visando sempre o desenvolvimento integrado, sustentado e global de todo o Concelho.
Estaremos atentos às mudanças que a nossa sociedade exige e garanto-vos que estamos preparados para lhe dar resposta.
Sempre estive e estarei cada vez mais presente.
Conheço muito bem o Concelho, contacto de perto há já muitos anos com as pessoas e temos, para o Concelho, os nossos objectivos traçados no plano de acção que oportunamente, daremos a conhecer, em detalhe!
Deixo, no entanto alguns desafios para o próximo mandato, consciente de que a gestão da coisa pública obriga-nos a definir prioridades.
Não esqueçam, não se iludam! Quem tudo promete é porque não tem ideia de fazer nada, ou porque não pensa vir assumir responsabilidades, ou porque não conhece nada da gestão autárquica, das limitações, dos constrangimentos, da extrema necessidade de ponderação permanente para a decisão.
Eu tenho obrigação de saber fazer bem!

E saber fazer bem é:
1 – Querer um concelho empreendedor.
O empresário é aquele que cria emprego e que gera qualidade de vida com inovação e criatividade.
Ao querer apostar no Sabugal, cada investidor dinamiza a nossa terra, imprime uma onda de optimismo, ajuda o concelho a desenvolver-se e a superar dificuldades.
A aposta na valorização produtos e recursos locais ( pecuária, floresta,agro-alimentar,etc), através da dinamização de parcerias com os sectores.
E no apoio a projectos candidatados (Pró-Raia / outros eixos do Proder).
Infraestruturas de apoio às empresas e dinamismo empresarial.
O lançamento da Sabugal Invest – parceria que vou dinamizar com vista à captação, promoção e acompanhamento do Investimento privado no Concelho.
A Qualificação do espaço do Mercado e construção do pavilhão multiusos/parque de exposições;
O apoio a todos os projectos privados referenciados nas EEC do Vale do Côa, das Aldeias Históricas e do Termalismo (nomeadamente o Hotel Termal).
Instalação do Centro de Actividades e Indústrias Criativas, Empreendorismo Jovem.
Quero dinamizar um ”Programa de Apoio à Recuperação do Casario Tradicional” inserido nos núcleos antigos das aldeias.
Etc…

Saber Fazer Bem é:
2 – Querer fomentar a Atractividade do Concelho.
À nossa volta temos riqueza que não acaba.
Qualificação do Rio Côa.
Projecto de qualificação entre pontes, no Sabugal.
A quinta pedagógica na colónia agrícola de Martim Rei.
Quero Infraestruturar a envolvente à Barragem para a prática de desportos, para o Lazer e para o turismo (projecto aprovado na EEC do Provere do Vale do Côa).
Quero que a construção do Parque de campismo Côa Camping num modelo de parceria público-privada possa atrair gente e criar riqueza e emprego.
Instalar um parque temático, grande sonho que transportamos e que não deixaremos cair, projecto mobilizador e dinamizador de toda a actividade turística do Concelho.
Promover, apoiar as nossas tradições (nomeadamente a Capeia, criando condições de conforto e segurança no espectáculo).
Promover o marketing do concelho.
Desenvolver parcerias e formatar produtos e oferta turística.
Etc…

Saber Fazer Bem é:
3 – Querer um concelho preocupado com as pessoas e questões sociais.
A conjuntura que se vive torna prioritária a intervenção politica orientada para as pessoas. Aliás, no meu ponto de vista, que sempre cultivei, as pessoas estão em primeiro lugar e o primeiro apoio público deve ser a elas, directamente, indo ao encontro das soluções para os seus problemas reais, independentemente da conjuntura.
É preciso que todos, Autarquias, IPSS e Voluntários, saibam unir esforços para identificar e resolver rapidamente problemas sociais.
Tenho a experiência do autarca que todos os dias lida directamente com as pessoas e com os seus problemas. Por isso uma das medidas do Eixo III do Proder, gerido pela PróRaia, da qual sou Vice Presidente, vai de encontro ao apoio de projectos da Economia Social e serviços de proximidade à população Rural.
Pretendo dinamizar uma “Parceria para a Saúde” com os Lares e Centros de Dia do Concelho e Unidade Local de Saúde da Guarda no sentido de facilitar o acesso à saúde no nosso Concelho. É uma área em que, comigo na Câmara vou apostar em colaboração directa e acção coordenada com o Centro de Saúde do Sabugal.
etc…

Saber Fazer Bem é:
4 – Querer qualificar o ensino, a formação e a oferta cultural no Concelho.
O investimento em educação das crianças e jovens do nosso concelho é essencial para f d5:envolvimento futuro.
As responsabilidades agora acresc`das dos municípios nesta área exigem uma perfeita articulação entre todos os agentes públicos e privados na área educativa.
A excelência do ensino no nosso concelho será uma preocupação efectiva.
Vou construir os centros educativos previstos na Carta Educativa aprovada (numa primeira fase e Centro Escolar do Sabugal e o Centro Escolar do Soito).
Apoiar a Escola Secundária, ajudando no desafio que desenvolve há 3 anos na consolidação do Ensino Profissional de nível III de dupla certificação.
Desenvolver o Projecto do Centro de Formação e Especialização Tecnologia em parceria com Escolas e entidades privadas.
Apoiar a Universidade Aberta já instalada e iniciar o projecto da Universidade Sénior, instrumento muito importante para a promoção da qualidade de vida dos nossos idosos e animação das excelente rede de IPSS.
Projecto da Casa da Música na Bendada.
Casa das Artes e Ofícios em Sortelha.
Instalar um Centro de Arte Contemporânea no Sabugal.
Centro de Estudos Jesué Pinharanda Gomes.
Etc…

Saber Fazer Bem é:
5 – Querer um concelho equilibrado.
Desenvolver serviços em rede.
Concluir as redes de saneamento em falta.
Fornecer serviços de qualidade no abastecimento de água, numa conjugação de esforços e de exigência de cumprimento de compromissos à Empresa águas do Zêzere e Côa.
Renovar e Executar novas acessibilidades em Zonas do Concelho carentes delas.
Disponibilizar melhores serviços e para todos. Quero apostar na universalidade concelhia dos serviços (energia, água, saneamento, recolha selectiva de resíduos, telecomunicações, etc.
Não acredito e não contem comigo para servir uns e outros não!
Sei que não é fácil, pelo dimensão do nosso concelho.
Mas já não acredito nem subscrevo respostas parciais. Quero um Concelho a progredir ao mesmo ritmo, não uns para trás e outros para a frente.
Quero um concelho em que as freguesias, os seus Presidentes, as suas Assembleias consigam ser solidários com as outras localidades, e entendam o progresso e desenvolvimento harmonioso.
Quero contar com o apoio de todos, especialmente dos Srs. Presidentes de Junta de Freguesia e Movimento Associativo para sempre num clima de abertura, de diálogo franco, podermos implementar as melhores estratégias de inovação e melhoria dos serviços.
Quero continuar a modernização dos serviços camarários, colocando-os sempre ao serviço dos munícipes e para isso conta com o profissionalismo e disponibilidade dos funcionários da autarquia.
Só assim vamos conseguir alcançar o desígnio dum concelho mais equilibrado!

Saber Fazer Bem é:
6 – Quero apostar nos Jovens e na Inovação.
Aos Jovens do meu concelho, aos que aqui estão (saudação especial para a JSD Sabugal e seu Presidente Emanuel) e a todos aqueles com quem espero contactar em breve, quero assegurar que tudo faremos para que sintam e vivam o Sabugal com mais entusiasmo, aprofundando aqui as suas raízes e, criando e desenvolvendo os seus sonhos pessoais e profissionais.
Quero criar o Fórum Jovem, plataforma de debates temáticos e a partir daí, implementar aos melhores projectos, indo de encontra às suas expectativas. Contarei sempre com todos, todos os de boa vontade que comigo queiram colaborar.
A experiência ensinou-me que para ter êxito na vida, temos que trabalhar arduamente, e em simultâneo dominar 4 variáveis:
Optimismo; Acção; Paciência; e Persistência.
É grande o nosso optimismo. Seremos determinados e persistentes na acção. E saberemos ser pacientes quando for preciso.
Durante a campanha eleitoral apresentar-vos-ei transcrição exaustiva do Plano de Acção e terei oportunidade de vos explicar todas as medidas propostas.
Peço-vos que transmitam aos vossos amigos, familiares que não puderam vir, a todos sem excepção, presentes e ausentes nos quatro cantos do mundo a mensagem de que contarei com todos sem excepção para o trabalho de promoção e desenvolvimento do nosso Concelho.
Compreenderam melhor o significado de ter escolhido para slogans, digo mensagens de campanha:
Sabugal, Concelho no rumo certo/ porque acredito e quero liderar esta caminhada e nele estou há 12 anos.
Saber fazer Bem, porque tenho essa obrigação, obrigação de saber o que os sabugalenses querem e a obrigação de errar menos, pela experiência acumulada;
Primeiro as pessoas, porque tendo a noção que as grandes obras são necessárias, estruturantes, obrigatórias para colocar o Sabugal no mapa, nunca podemos esquecer que o fim último da nossa acção politica são as pessoas, para as quais devemos criar condições, dando qualidade de vida e humanizando o Concelho.
A todos os candidatos em geral, e aos Presidentes de Junta e Assembleias de Freguesia que se candidatam pela 1.ª vez, em particular, deixo aqui o meu agradecimento público por terdes aceite o desafio.
Permitam-me a imodéstia, mas a candidatura destas mulheres e homens que hoje se apresentam ao eleitorado constitui um acto de alta dignidade humana, pois começam a carregar sobre os seus ombros o ónus das responsabilidades públicas.
Elevo a vossa capacidade cívica e altruísta!
São vocês todos a âncora da nossa grande vitória no dia 11 de Outubro próximo! Como vos disse, caros amigos e companheiros, estou motivado e disponível para este desafio, que aceitei com coragem e com o coração, pelo amor que tenho ao nosso concelho, terra onde nasci e cresci e resido.
A formação e o exemplo que recebi dos meus pais, e ao longo da minha vida, ensinaram-me a ajudar e a respeitar todas as pessoas, apoiando sobretudo os mais carenciados e lutando por um modelo de sociedade onde o ser é mais importante do que o ter isto é, uma sociedade mais justa, mais humana e solidária, orientada por causas e por valores morais e sociais.
Viva o Concelho do Sabugal!»

Fotos: Direcção de Campanha de António Robalo.
plb

Mais de 58.000 hectares de floresta e mato arderam desde o início do ano, quase cinco vezes mais que no mesmo período de 2008, segundo dados provisórios da Autoridade Florestal Nacional (AFN) divulgados hoje.

Incêndios no SabugalSegundo a agência Lusa, que divulgou os dados da AFN, o maior incêndio deste ano foi o de Sortelha e Casteleiro, no concelho do Sabugal. Nesse incêndio fatídico para os agricultores sabugalenses, que lavrou durante quatro dias, arderam 7.080 hectares, segundo os dados fornecidos pela AFN.
O relatório provisório de incêndios florestais refere que entre 1 de Janeiro e 15 de Setembro arderam 58.612 hectares, na sua maioria matos (40.759 hectares), enquanto no mesmo período do ano passado a área ardida foi de 12.447 hectares.
Os dados provisórios mostram, igualmente, que a área ardida até 15 de Setembro deste ano supera os totais de 2007 e 2008, quando arderam 31.459 e 17.244 hectares, respectivamente.
Com 18.998 ocorrências, o número de incêndios registados este ano também já ultrapassa o total de ocorrências durante todo o ano de 2008 (13.832).
Dos incêndios registados 4.366 foram classificados como «incêndios florestais» e 14.632 como fogachos.
O distrito onde se registaram mais incêndios foi o do Porto, com 4.926 ocorrências, 4.299 das quais consideradas fogachos. No entanto o distrito onde ardeu mais área foi o da Guarda, onde o fogo destruiu 16.769 hectares, mais de 10.000 de matos.
Na lista dos distritos com mais área ardida seguem-se Bragança (7.245 hectares), Vila Real (6.886), Porto (6.476), Viseu (6.156) e Braga (6.145).
O relatório refere também que foi em Agosto que ocorreram mais incêndios (5.058), que destruíram 30.437 hectares de floresta.
Segundo os dados provisórios, entre 1 de Janeiro e 15 de Setembro registaram-se 72 «grandes incêndios» (com uma área igual ou superior a 100 hectares).
Os maiores incêndios deste ano ocorreram todos no distrito da Guarda, sendo o que deflagrou no concelho do Sabugal, e lavrou de 30 de Agosto a 2 de Setembro, aquele que consumiu mais floresta.
plb

Recomeçaram as aulas, já se vêem os jovens a passear pela cidade em grupos, irem até aos cafés, fazerem algumas compras nos comércios, enfim, há um pouco mais de movimento. Mas também se vêem mais coisas que não deviam ver-se, e isto agrava-se de ano para ano.

António EmidioKant dizia que o Homem só chega a ser Homem através da educação. Hoje, infelizmente, estamos muito longe desse pensamento. A sociedade permissiva, a nossa em que vivemos, não permite um mínimo de disciplina na educação, essa disciplina é necessária para a formação de qualquer pessoa. Se não houver esse mínimo estamos a criar meninos e meninas mimados, que fazem o que querem e que no futuro estão dominados pelos seus instintos mais primitivos.
Os jovens não aceitam muito esta sociedade, mas em vez de lutarem por uma melhor, como o fizeram muitos, ao longo da história, autênticos rebeldes que chegaram a dar a vida pela justiça, pela paz e pela liberdade, viram-se para o consumismo, para o hedonismo, e para toda uma série de vícios que o sistema lhes incute. São o aliado número um da ordem vigente, mas esta trata-os bem mal, condena-os ao desemprego, ao trabalho precário, a horários de trabalho infindáveis, e a salários de miséria. Nunca ninguém os viu dirigir as suas frustrações contra empresários e políticos. Viram-se contra os professores, os pais, os seus companheiros, e as pessoas mais velhas. Enquanto não mudarmos tudo, desde o sistema económico até à educação, esta sociedade não pode ter bom fim.
Os «politicamente correctos» ao lerem isto, dirão que eu sou um amante da moral repressiva e de um autoritarismo à Estado Novo. A esses queria perguntar o seguinte: como reagiriam se fossem professores ou contínuos, e se um aluno ou pai de aluno, numa atitude incivilizada, própria de pessoas sem escrúpulos morais vos insultasse ou agredisse? Com magnanimidade e tolerância? Duvido…
«Passeio pelo Côa», opinião de António Emídio

ant.emidio@gmail.com

O salão da Junta de Freguesia do Sabugal encheu-se na noite de sábado, 19 de Setembro, para a apresentação oficial dos candidatos autárquicos das listas do MPT-Partido da Terra liderados por Joaquim Ricardo. Na cerimónia que contou com a presença de Pedro Quartin Graça, presidente do MPT-Partido da Terra, foram apresentados os candidatos às Assembleias de Freguesia, à Assembleia Municipal e à Câmara Municipal do Sabugal. Os apoiantes presentes tiveram ainda oportunidade de assistir a um festival de acordeonistas do Reboleiro, distrito de Trancoso, e ao discurso de apresentação oficial do compromisso eleitoral de Joaquim Ricardo.

Discurso de Joaquim Ricardo com a apresentação oficial do compromisso eleitoral:

«Senhor Presidente do MPT-Partido da Terra, Dr. Pedro Quartin,
Senhoras e senhores candidatos nas listas do MPT-Partido da Terra,
Senhoras e senhores convidados,
Senhoras e senhores jornalistas,
Caros companheiros e amigos,

Antes de mais quero agradecer ao MPT-Partido da Terra, na pessoa do seu presidente, Dr. Pedro Quartin, por nos ter acolhido no seu seio. O MPT é um partido humanista e amigo do ambiente! É um partido de que se gosta sem esforço.
Quero agradecer a vossa presença neste encontro. Um encontro que é uma festa. A festa da Mudança!
Finalmente, muito em particular, quero agradecer o empenho de todos os participantes neste processo eleitoral e muito em particular aos elementos que compõem o denominado Núcleo Duro”, a quem se deve e em muito o êxito desta candidatura.
Hoje é um dia que marca o fim de um processo difícil que foi o da formação das listas de candidatos e o início da caminhada final, rumo à vitória!
Durante a formação das diversas listas, que agora vos foram apresentadas, palmilharam-se quilómetros ao longo de todo o concelho em busca dos melhores representantes.
Foram dias e noites muito longas!
Confrontámo-nos com medos e ameaças!
O pão de muitos depende do trabalho na autarquia.
Também aqui existe asfixia democrática!
Mas, apesar de toda a falta de ética política utilizada, não conseguiram calar-nos!
E aqui estamos nós para dar voz a todos os sabugalenses que não se revêem na actual situação política e que confiam em nós para gritarem bem alto o seu descontentamento!
A todos quantos ousaram romper com o passado e dizer sim à mudança!
E a todos quantos ousaram dizer não às ameaças recebidas, presto daqui a minha homenagem!
Os sabugalenses que integram o movimento independente, nas listas do MPT-Partido da Terra são oriundos dos mais variados quadrantes políticos!
Escolheram este movimento cívico de cidadãos para servirem o concelho e nada receberem em troca!
Juntaram-se a este movimento por convicção!
Para servir e não para serem servidos!
O concelho do Sabugal tem sido gerido desde o 25 de Abril de 1974 de uma forma contínua, por três partidos que se alternaram no poder.
São, portanto, eles os reais responsáveis pela situação actual em que nos encontramos!
– Construíram-se equipamentos e rasgaram-se estradas:
Mas as pessoas não encontraram aqui as condições para fixarem a sua residência e zarparam rumo às grandes cidades do litoral.
– Construíram-se equipamentos e rasgaram-se estradas:
Mas as pessoas ainda estão à espera do indispensável saneamento básico!
– Construíram-se grandes obras de aproveitamento dos nossos recursos hídricos:
Mas o seu proveito foi parar a outros concelhos onde para além dos benefícios daquele precioso líquido criaram aí postos de trabalho, por desleixo dos nossos autarcas!
– Construíram-se grandes obras de aproveitamento dos nossos recursos hídricos:
Mas esqueceram-se dos habitantes do seu próprio território e de que é exemplo trágico (mas não é caso único), a 3.ª maior freguesia do concelho – a Bendada!
– Transformaram-se aldeias industrializadas e ricas, em pobres vilas de serviços:
Porque os nossos autarcas não souberam ouvir os responsáveis por estas unidades produtivas!
– A população do concelho tem vindo a decrescer acentuadamente nos últimos anos por falta de emprego na região:
Mas, apesar dos inúmeros pedidos de investimentos na região, a autarquia não soube (ou não quis) acompanhar a procura com a oferta de infra-estruturas industriais em quantidade e qualidade!
– Apesar do brutal investimento em recursos humanos, reforçado sempre em período eleitoral:
Os serviços prestados pela autarquia são de fraca qualidade!
A morosidade e a burocracia são abundantes!
– Apesar da necessidade de fixar pessoas no nosso concelho e de incentivar a construção, reconstrução ou requalificação urbana:
As licenças de autorização demoram por vezes um ano a ser emitidas e chegam a custar dez vezes mais do que se paga em concelhos limítrofes, nossos vizinhos!

Por estas e outras razões a nossa equipa à Câmara elaborou um projecto.
Um projecto que pretende dar um novo rumo para o concelho do Sabugal.
Um projecto que aposta na MUDANÇA!
Um projecto que assenta em dois pilares fundamentais:
Gerir a autarquia a pensar nas pessoas.
Promover a sustentabilidade económica e social.
No 1.º pilar, destaco a desburocratização dos serviços, ou seja, a promoção da qualidade dos serviços prestados pela autarquia, eliminando procedimentos desnecessários e criando o «serviço na hora»;
E ainda, neste pilar:
Reivindicar, junto do Governo Central a ligação à Guarda, Covilhã e Vilar Formoso por vias rápidas;
Urbanizar os recursos hídricos, junto da nossa cidade, vila e aldeias, criando grandes espaços verdes de lazer;
Promover a centralidade da nossa cidade, vila e aldeias, requalificando as principais praças públicas, tornando-as espaços cívicos e de convívio dos seus habitantes;
Concluir o saneamento básico em todo o concelho e o abastecimento de água ao domicílio em quantidade e qualidade;
No 2.º pilar, destaco a criação de postos de trabalho, através do lançamento de diversas iniciativas que se encontram dispersas no nosso compromisso eleitoral, de que destacamos:
– A criação de pólos industriais ao longo do território concelhio, que sirva várias freguesias;
– A criação de um gabinete de apoio às empresas e captação de investimentos;
– Disponibilização de instalações industriais às empresas que queiram instalar-se no concelho;
– Apoiar as nossas Instituições de Apoio à 3ª idade, na melhoria dos seus serviços;
– Promover a produção de castanha em larga escala;
– Promover a florestação do concelho com espécies não resinosas.

Este é o nosso projecto cujo alvo principal, são as pessoas!
É um projecto com rumo!
É um projecto com objectivos claros!
É um projecto que não é uma promessa eleitoral!
É um projecto que é uma certeza da sua concretização!
AFINAL!…
MUDAR É POSSÍVEL!
APOSTEM NESTE EQUIPA!
OS PARTIDOS NÃO GOVERNAM AUTARQUIAS:
SÃO AS PESSOAS!
O DESENVOLVIMENTO DO CONCELHO NÃO PODE UMA VEZ MAIS SER ADIADO!»

Fotos: Departamento de Comunicação e Imagem e António Arruda (MPT)
jcl

No último fim-de-semana as principais candidaturas à Câmara Municipal do Sabugal mobilizaram os seus apoiantes e apresentaram publicamente as suas listas de candidatos. Joaquim Ricardo, candidato do MPT, apresentou-se no Sábado, dia 19 de Setembro, enquanto que António Robalo e António Dionísio, respectivamente candidatos do PSD e do PS, preferiram o domingo, dia 20.

Candidatos à Câmara Municipal do SabugalFoi um fim-de-semana muito movimentado na vila do Sabugal, com uma boa parte da população mobilizada para os eventos de campanha política protagonizados pelos principais candidatos.
Joaquim Ricardo, candidato pelo Movimento Partido da Terra (MPT), foi o primeiro a vir para o terreno, no sábado, reunindo no Salão da Junta de Freguesia os seus apoiantes, que entusiasticamente o aclamaram. O presidente do Partido, Pedro Quartin Graça, esteve presente para dar um sinal de apreço por esta candidatura, na qual o partido aposta fortemente. Usaram também da palavra o mandatário da candidatura Victor Coelho e o cabeça de lista à Assembleia Municipal António Gata.
Joaquim Ricardo finalizou os discursos defendendo duas ideias fundamentais para a sua futura acção como presidente: «Gerir a autarquia a pensar nas pessoas e promover a sustentabilidade económica e social».
No domingo António Robalo, candidato do PSD, juntou os seus apoiantes no Auditório Municipal. O espaço encheu-se de entusiasmo para ouvir as intervenções, que foram abundantemente aplaudidas. António Robalo, visivelmente emocionado com o estímulo ali recebido, afirmou: «Sei que não estou só. Comigo e com a nossa equipa, o poder autárquico, será, acima de tudo, uma vivência diariamente partilhada com todos.»
No mesmo dia, no Salão da Junta de Freguesia do Sabugal, António Dionísio, candidato do PS, reuniu os seus apoiantes para a apresentação pública das listas de candidatos. Ramiro Matos, que encabeça a lista à Assembleia Municipal usou da palavra, assim como Maria do Carmo Borges, governadora civil da Guarda, que ali esteve para apoiar aquele que acredita vir a ser o próximo presidente do Município do Sabugal.
No final da apresentação viveu-se o momento esperado pelos muitos presentes, quando António Dionísio subiu ao palco ao som do hino de campanha, tocado ao vivo, e sob uma enorme salva de palmas. Seguiu-se o discurso, centrado na necessidade da mudança.

Contamos publicar esta terça-feira os discursos dos candidatos e as imagens das apresentações públicas das listas.
plb

Fazendo uma pausa nas representações alegóricas referentes ao Cortejo de Oferendas que teve lugar no Sabugal, em 1947, a crónica de hoje refere-se a uma das figuras mais típicas da vila do Sabugal, o Fernandinho. Para a semana regressa uma nova crónica (com fotografia) sobre outra localidade participante no Cortejo de Oferendas. Não perca…

Fernandinho - Sabugal

Joao Aristides DuarteDe seu nome Fernando Sousa, o Fernandinho era filho único de uma das pessoas mais ricas do Sabugal. Com efeito, o pai do Fernandinho (natural de Pedrógão de S. Pedro, Penamacor) deixou uma parte dos seus bens ao sr. David Alexandre para que este tomasse conta dele.
O Fernandinho era uma pessoa muito querida no Sabugal. Toda a gente gostava dele e era muito acarinhado pelos sabugalenses. Ao contrário do que acontecia em Pedrógão de S. Pedro onde toda a gente o tratava por tu e o desprezava, no Sabugal o Fernandinho era sempre tratado por senhor. Uma maneira de se saber, no Sabugal, se uma pessoa era mal-educada era quando alguém tratava o Fernandinho por tu. No entanto, ele tratava toda a gente por colega. Uma das suas imagens de marca era o seu chapéu e o facto de andar sempre muito bem vestido.
Uma das facetas mais características do Fernandinho era que ele comparecia em todas as inaugurações de serviços públicos ou outros, mesmo sem ser convidado.
Aquando da inauguração da agência do Banco Português do Atlântico, no Sabugal, ainda antes do 25 de Abril de 1974, o Fernandinho esteve presente e tratava todos os administradores do banco por colegas. Alguns dos presentes, não o conhecendo e vendo-o tão bem vestido, até pensavam que ele era mesmo administrador. Só descobriram que não era quando um dos que o não conheciam lhe ofereceu champanhe e o sr. Aristides disse «Não dês bebida a esse gajo!»
Ele nunca dizia a idade, dizia sempre que tinha ido à inspecção militar com o Adérito Carreto.
O Fernandinho tinha autorização para se sentar em qualquer audiência do Tribunal Judicial, ao lado dos advogados. Os juízes deixavam que isso acontecesse por saberem quem ele era.
O pior aconteceu, um dia, quando o Fernandinho concordou com uma afirmação (no final de um julgamento) de um juiz que era novo no Tribunal e disse em voz alta na sala de audiências: «Tem toda a razão, senhor doutor juiz!» O juiz ordenou que o retirassem da sala e queria, mesmo, mandá-lo prender por ter ofendido o Tribunal.
O Fernandinho passou a referir-se a esse juiz como o «juiz mau». Quando alguém lhe perguntava «Então Fernandinho, não foi ao Tribunal?», ele respondia «Não, está lá o juiz mau!»
O Fernandinho participava em todas as reuniões da Assembleia Municipal, que se realizavam no Sabugal, sendo acarinhado por todos os eleitos.
Passeava muito pelo Sabugal. Era muito natural encontrá-lo a passear junto à, agora, praia fluvial ou no centro da vila.
Percorria todos os estabelecimentos comerciais do Sabugal (O «Depósito», o sr. Rato, a relojoaria do João Manata, etc.), contando as suas estórias, nomeadamente que «A Viúva já comprou uma camioneta nova» ou que «Já veio o carro novo do meu primo Xico».
Quando alguém queria espalhar um boato, no Sabugal, bastava que o contasse ao Fernandinho, que ele se encarregava de o ampliar, contando-o a toda a gente.
O Fernandinho faleceu há cerca de oito anos. O seu funeral foi um dos maiores de que há memória na vila do Sabugal.
«Memória, Memórias…», opinião de João Aristides Duarte

akapunkrural@gmail.com

Os Independentes, supostamente apartidários, têm sido para mim um tema recorrente, nesta rubrica, desde a primeira crónica em 14 de Dezembro de 2008. Como este Blogue me dá completa liberdade, lá vai…

José MorgadoManuel Alegre defende Listas de Independentes, porque há quem não tenha em quem votar e isso é um falhanço dos partidos.
Jorge Sampaio em «O Meu Livro de Política» da Texto Editora, (que aconselho a quem deseja abraçar esta profissão ou Job, desde muito cedo) fala da política aos jovens e faz um diagnóstico pouco abonatório da relação «cidadãos-politica.»Diz que os políticos estão desvalorizados e que as eleições são cada vez mais ignoradas.
Pina Prata é considerado uma ameaça para Carlos Encarnação (PSD/CDS/PPM), porque a sua candidatura Independente à Câmara, pode baralhar, pela primeira vez, as contas de alternância (PSD/PS).
Nos Açores, nas ilhas de S. Miguel, Terceira e Pico, há sete Listas de Independentes, às freguesias, porque se querem demarcar dos partidos políticos, devido à desilusão, descontentamento e cansaço dos políticos de carreira.
Em Faro e Vila do Bispo, apresentam-se pela primeira vez Listas de Cidadãos Independentes.
São mais de 50, as listas para as Câmaras, apresentadas por Movimentos de Cidadãos.
No Concelho do Sabugal, começaram a aparecer listas de independentes a nível de Juntas de Freguesia, já nas eleições autárquicas de 2005. Assim:
– No Soito, concorreram «Os Amigos do Soito», com 12 candidatos e tendo como opositores listas do PS e do PSD;
– Nos Fóios, concorreram com a designação «Fóios no Caminho Certo», com 12 candidatos e sem oposição;
– Na Lageosa, concorreram «Os Amigos da Lageosa», com 15 candidatos e sem oposição;
– Em Aldeia Velha, concorreram «Os Amigos de Aldeia Velha» com 13 candidatos e sem oposição;
– Em Rendo, concorreram «Os Amigos de Rendo», com14 candidatos e tendo como opositores o CDS.
Para as eleições de 11 de Outubro de 2009, o Soito deixou de contar com os «Amigos do Soito» e três dos elementos, candidatam-se nas listas do PS, MPT e CDU e Rendo também, encontrando-se dois dos seus membros nas listas do PS e PSD.
«Fóios no Caminho Certo» e «Os Amigos da Lageosa» continuam sem oposição e «Os Amigos de Aldeia Velha, com opositor o MPT.
No entanto a Nave, Santo Estevão, Aldeia da Ponte e Alfaiates, concorrem este ano com os seguintes Movimentos de Independentes:
– Na Nave, concorrem os «Amigos da Nave», com 14 candidatos, tendo como oposição o PS;
– Em Santo Estevão, concorrem os «Unidos Por Santo Estevão», com 16 candidatos, tendo por opositor o MPT;
– Em Aldeia da Ponte, concorrem os «Juntos Por Aldeia da Ponte», com15 candidatos, sem opositores;
– Em Alfaiates, concorrem os «Amigos de Alfaiates», com15 candidatos, tendo como opositor a CDU.
Considerando ainda que surgiu inicialmente uma candidatura independente a todos os órgãos autárquicos e que mais tarde, por falta de meios logísticos, arranjou uma «barriga de aluguer» mas que só inclui independentes, ao contrário dos independentes que foram convidados ou foram aceites por formações partidárias, a elas ficando ligadas em pé de igualdade com os seus filiados, excepto no pagamento de quotas, embora às vezes se tornem em autênticos «cavalos de Tróia» poderemos concluir que nas 33 freguesias que vão a votos, estão contidas 21 listas de independentes.
Para o politólogo Carlos Jalali, existem dois tipos de movimentos independentes, a sufrágio:
– Os verdadeiros independentes, composto por um conjunto de pessoas «sem filiação partidária no passado»;
– Aqueles, «encabeçados por figuras, mais ou menos mediáticas, outrora ligados a aparelhos políticos».
Desta vez, no Sabugal há para todos os gostos.
Escolham um bom prato, se possível regional e cuidado com as indigestões!
«Terras entre Côa e Raia», opinião de José Morgado

morgadio46@gmail.com

O Sabugal prepara-se para viver um fim-de-semana de intensa campanha eleitoral. Os três principais candidatos apresentam-se ao eleitorado acompanhados dos elementos das listas à Câmara Muncipal, à Assembleia Municipal e às Juntas de Freguesia. Estão todos na área do jogo e preparam-se para superar o desafio sem cairem na piscina. É caso para dizer: soltem a parede.

Faltam 21 dias para as Eleições Autárquicas e apenas oito para «umas» Legislativas que escolhem o Governo de Portugal mas que parecem não ter importância no concelho do Sabugal. Também é um facto que os principais protagonistas ignoram o concelho e para eles Portugal termina na cidade da Guarda. Será pelos maus acessos? Será pela proximidade a Espanha?
A propósito de espanhóis e de TGV não há ninguém que explique aos portugueses que o comboio de alta velocidade é estratégico mas não é prioritário. O motivo parece-me evidente. Uma das linhas do AVE espanhol (bandeira da Expo espanhola) liga Sevilha a Madrid. Da capital espanhola partem linhas para Barcelona, Málaga e Vallodolid mas ainda ninguém sabe quando será feita a ligação, através dos Pirinéus, à cidade de Pau onde termina (começa) o TGV francês. Contra factos…
Mas voltemos ao concelho do Sabugal ignorando deliberadamente as Eleições Legislativas «em represália» à ausência total de campanha eleitoral dos partidos políticos na conquista de votos para a eleições dos quatro deputados do círculo eleitoral da Guarda. Impõe-se ignorar quem nos ignora.
Os eleitores sabugalenses não podem queixar-se da falta de candidatos à Câmara Municipal do Sabugal. Apresentam-se a votos cinco candidatos – Ana Isabel Charters (CDS-PP), António Dionísio (PS), António Robalo (PSD), Joaquim Ricardo (MPT) e José Manuel Monteiro (CDU) – e apenas o concelho da Guarda, com seis candidaturas, tem mais opções de escolha. Nos outros dez concelhos temos Aguiar da Beira (com três candidaturas), Almeida (três), Celorico da Beira (quatro), Figueira de Castelo Rodrigo (três), Fornos de Algodres (quatro), Gouveia (quatro), Manteigas (três), Mêda (três), Pinhel (três), Seia (três), Trancoso (três) e Vila Nova de Foz Côa (três).

Candidaturas posicionam-se para ir a jogo
Este fim-de-semana os sabugalenses estão (todos) convidados para as três iniciativas partidárias que vão decorrer no Sabugal marcando o arranque em força das campanhas para as eleições autárquicas.
Para este sábado, 19 de Setembro, às 21 horas, está marcada para o Salão da Junta de Freguesia do Sabugal a apresentação dos candidatos das listas do MPT- Partido da Terra e a divulgação pública oficial do compromisso eleitoral. Joaquim Ricardo lidera a lista à Câmara Municipal e António Gata é candidato à Assembleia Municipal. O MPT apresenta listas a 14 Assembleias de Freguesia sabugalenses.
Lema: «Um projecto, um rumo, um futuro, e uma certeza: Mudar é possível!»

MPT-PARTIDO DA TERRA
Câmara Municipal Joaquim Ricardo
Assembleia Municipal António Gata
Assembleias
de
Freguesia
Águas Belas António Manuel P. Oliveira
Aldeia do Bispo Francisco Luiz Bárrios
Aldeia da Ribeira Filomena Neves Dias Rito
Aldeia S. António Nuno Miguel Silva Mota
Aldeia Velha José da Silva Moreira
Bendada Joaquim José S. P. Roque
Bismula Susana Maria A. André
Casteleiro Jorge M. C. Cameira
Quadrazais Simão N. M. Leitão
Sabugal Patrício da Silva Martins
Santo Estêvão António C. S. Martins
Seixo do Côa Domingos Cairrão Neto
Soito Rui José Rito Martins
Vale de Espinho António M. V. Fernandes

No domingo, 20 de Setembro, terá lugar no Auditório Municipal do Sabugal, às 17:30 horas, a cerimónia de apresentação pública dos candidatos sociais-democratas à Câmara Municipal, Assembleia Municipal e Assembleias de Freguesia. O Partido Social Democrata apresenta o actual vereador António Robalo como candidato à Câmara Municipal e o actual presidente da autarquia, Manuel Rito Alves como candidato à Assembleia Municipal. Os sociais-democratas concorrem em 24 Assembleias de Freguesia.
Lema: «Saber fazer bem.»

PSD-PARTIDO SOCIAL DEMOCRATA
Câmara Municipal António Robalo
Assembleia Municipal Manuel Rito Alves
Assembleias
de
Freguesia
Águas Belas Carlos José A. Barata
Aldeia da Ribeira António M. Fernandes
Aldeia S. António Paulo Jorge F. Afonso
Aldeia do Bispo João Grancho Inácio
Baraçal Luís C. C. Lajes
Bendada Jorge Manuel Dias
Bismula Joaquim M. M. Leal
Cerdeira Joaquim M. C. Matos
Malcata Vítor Manuel Fernandes
Penalobo Daniel Alves
Pousafoles Bispo Nazaré N. A. M. Gomes
Quadrazais Carlos A. Panto
Q. S. Bartolomeu Joaquim A. F. Corte
Rapoula do Côa Álvaro M. P. Santos
Rebolosa Albino Frango
Rendo José Miguel P. M. Robalo
Sabugal Manuel A. A. Lousa
Seixo do Côa Manuel Reduto
Soito Alberto J. L. Barata
Sortelha Geraldo Mendes
Vale de Espinho Domingos M. G. Malhadas
Vila Boa Alfredo M. A. Monteiro
Vila Touro Manuel F. T. Simões
Vilar Maior António Bárbara Cunha

Igualmente no domingo, 20 de Setembro, às 18 horas, a Comissão Política Concelhia do Sabugal do Partido Socialista faz a apresentação pública das listas à Câmara Municipal, Assembleia Municipal e Juntas de Freguesia no Salão da Junta de Freguesia do Sabugal. O comunicado socialista indica que estará presente o Secretário de Estado das Obras Públicas, Paulo Campos, os candidatos às legislativas pelo círculo eleitoral da Guarda e os representantes das listas para as eleições autárquicas do concelho do Sabugal. António Dionísio é o candidato à Câmara Municipal e Ramiro Matos à Assembleia Municipal. O Partido Socialista concorre a 20 Assembleias de Freguesia.
Lema: «Assim é possível. Sabugal – Concelho do Futuro.»

PS-PARTIDO SOCIALISTA
Câmara Municipal António Dionísio
Assembleia Municipal Ramiro Matos
Assembleias
de
Freguesia
Aldeia S. António José António Amândio
Águas Belas Carlos Alberto C. Capelo
Aldeia da Ribeira Manuel Gonçalves Martins
Bendada Adérito Alves Pinto
Bismula José Augusto Vaz
Casteleiro António J. G. Marques
Malcata Sandra M. G. Varandas
Moita António J. N. Moreno
Q. S. Bartolomeu Lénia C. Santos Diogo
Quadrazais Silvina M. V. Silva
Rapoula do Côa Horácio Martins
Rebolosa Manuel Rei E. Barros
Rendo Rafael F. M. P. Costa
Sabugal Manuel Joaquim Rasteiro
Seixo do Côa Martinho L. Correia
Soito João Manuel F. Calva
Sortelha Fernanda M. M. Esteves
Vale de Espinho José M. Lucas Mendes
Vila do Touro Carlos Santos Lages

Aproveitamos para lembrar as listas das candidaturas do CDS-PP com Ana Isabel Charters (com o lema «Temos soluções e sugestões, venham comigo»)…

CDS/PP-CENTRO DEMOCRÁTICO SOCIAL/PARTIDO POPULAR
Câmara Municipal Ana Isabel Charters
Assembleia Municipal Filipe Paulo Mendes Cunha
Assembleias
de
Freguesia
Aldeia S. António Jorge Joaquim B. M. Simões
Pousafoles Bispo Francisco Pires Dias

…e da CDU com José Manuel Monteiro.

CDU-COLIGAÇÃO DEMOCRÁTICA UNITÁRIA
Câmara Municipal José Manuel Monteiro
Assembleia Municipal João Carlos Taborda Manata
Assembleias
de
Freguesia
Alfaiates Porfírio Ramos
Cerdeira do Côa Osvaldo Teixeira d’Almeida
Moita Honório Antunes Santos
Rendo Manuel António Pereira
Sabugal Celso Cruz das Vinhas

É, portanto, um fim-de-semana de muitas movimentações políticas com os candidatos a alinharem-se na linha da área de jogo para a grande partida. No final apenas um conseguirá passar com todos os seus trunfos pela «urna da parede eleitoral». Para os outros está reservado… «um banho» apesar de considerar a esta distância que nenhuma das candidaturas irá conseguir alcançar os quatro vereadores que permitem governar com uma confortável maioria como aconteceu nesta mandato. Os acordos pós-eleitorais (ou pré) serão por isso um factor a ter em conta numa autarquia com sete mandatos e onde os cenários mais prováveis são: 3 – 3 – 1 ou 3 – 2 – 2. Não é uma sondagem. É, apenas, uma projecção a 21 dias da data das eleições. Vale o que vale.
É agora tempo de conhecer os programas eleitorais dos candidatos. Assim eles sejam tornados públicos. A finalizar deixo um desejo em forma de pedido aos próximos presidente e vereadores: tenham capacidade e querer para colocar os interesses do concelho acima dos interesses pessoais.

Alguns comentários mal-educados (escondidos sob anonimato) que nos têm chegado só demonstram a falta de cultura democrática, ou melhor, a asfixia democrática que alguns desejam para o Sabugal e para os Sabugalenses.
«A Cidade e as Terras», opinião de José Carlos Lages

jcglages@gmail.com

Vai realizar-se no próximo dia 10 de Outubro, no pavilhão das piscinas Municipais do Sabugal, o «VI Torneio de Judo da Cidade do Sabugal», sendo esta prova destinada aos atletas, dos 5 aos 12 anos. À semelhança dos anos transactos, já estão confirmadas algumas presenças, de judocas das regiões limítrofes.

VI Torneio de Judo Cidade do SabugalA competição irá decorrer dentro daquilo que estava previsto para este tipo de torneio, tendo em conta os escalões etário e à semelhança do que se faz em todo o país para este tipo de evento. Pois, embora seja um desporto de contacto, os pequenos praticantes querem sempre mostrar que estão à altura do desafio, não tendo acontecido qualquer lesão durante as edições anteriores. Visando este tipo de torneio as idades mais tenras, as regras são adaptadas de forma a promover o desenvolvimento competitivo dos jovens praticantes.
O Clube responsável pela organização é o Sporting Clube do Sabugal que não deixa de querer agradecer a todos os que directamente ou indirectamente estão a apoiar o evento.
djmc

A «Imagem do dia» e a «Imagem da Semana» são dois destaques em imagens sobre acontecimentos, momentos ou recordações relevantes. Ficamos à espera que nos envie a sua memória fotográfica para a caixa de correio electrónico: capeiaarraiana@gmail.com

Data: 18 de Setembro de 2009.

Local: Lameiro da Veguinha, Fóios.

Legenda: Chacina a tiros de zagalote de uma égua e uma poldra por desconhecidos.

Autoria: José Manuel Campos.

Clique na imagem para ampliar

Os autarcas da Junta de Freguesia dos Fóios publicaram um comunicado repudiando, chocados, a barbárie da matança a tiros de zagalote de uma égua e uma poldra nos lameiros da aldeia.

Éguas mortas nos Fóios«No dia 16 do corrente mês de Setembro de 2009 fui contactado, na qualidade de Presidente da Junta de Freguesia, via telefone, pelo José Carlos Bigueiro.
Informou-me que tinha, num lameiro da Veguinha, uma égua e uma poldra mortas.
Pediu-me para lhe ir tirar umas fotos à triste cena. Quando cheguei ao local fiquei profundamente impressionado com o acto que é verdadeiramente chocante e deplorável.
As vítimas haviam sido mortas com tiros de zagalote.
As perguntas e os desabafos surgiam de um corpo, Zé Carlos, profundamente revoltado com o sucedido.
Eu também me interrogo e me solidarizo com o Zé Carlos e com a esposa que está completamente desolada. O caso não é para menos.
Este acto não me teria chocado tanto se as imagens tivessem vindo do Iraque. Agora acontecerem cenas destas nos Foios é que me choca e revolta. Não é admissível.
Dizemos, com muita frequência, que vivemos num povo calmo e longe de atentados de malvadez. Mas que pensar e que dizer depois de uma tragédia desta natureza? Quem poderá ficar ou andar descansado? Quem atira a um cavalo certamente que também o poderá fazer a uma pessoa. Custa-me dizê-lo mas é verdade.
As autoridades tomaram conta da ocorrência e irão certamente investigar. Exigimos que assim seja. A justiça tem que funcionar neste País.
Seria bom que se descobrisse(m) o(s) culpado(s) e que se fizesse justiça. O acto é demasiado bárbaro para ficarmos calados.
A Junta de Freguesia de Foios, julgando interpretar fielmente o sentimento da grande maioria dos Fojeiros, solidariza-se com o Zé Carlos e com a esposa fazendo votos para que cenas tão violentas e tão dramáticas não se voltem a verificar.
Foios, 18 de Setembro de 2009
Os Membros da Junta de Freguesia
José Manuel Nunes Campos (Presidente), José Manuel Pires Coito (Secretário) e José Abílio Leal Lucas (Tesoureiro).»

Chocante.
jcl

Quentin Tarantino está de volta. Com «Sacanas Sem Lei» o realizador norte-americano regressa à boa forma e assina uma grande homenagem aos western spaghettis, apesar de este não ser um filme de cowboys, mas um filme de guerra.

Pedro Miguel Fernandes - Série BNos seus últimos filmes Quentin Tarantino tem apostado em fazer colagens a estilos de cinema que gosta, fazendo grandes homenagens aos seus ídolos, por mais estranhos que possam parecer a quem gosta de cinema comercial. Apesar de nem sempre bem conseguido, o seu anterior «À Prova de Morte» era tão perfeitamente mal feito que acabou por perder alguma da sua graça, o resultado costuma compensar.
Desta vez as baterias do realizador de «Cães Danados» estiveram apontadas ao género Western Spaghetti e o cinéfilo mais incauto pode mesmo pensar que está a ver em «Sacanas Sem Lei» um filme realizado por Sergio Leone ambientado na II Guerra Mundial. Tirando o facto de a acção se desenrolar na França ocupada pelos nazis, o filme tem todos os clichés do género popularizado nos anos 1970: desde o início numa planície verdejante (nos westerns spaghetti este cenário eram planícies desertas) com uma família de camponeses à banda sonora de Enio Morricone, passando pelos grandes planos das personagens, está tudo por lá.
Sacanas sem LeiMas uma grande diferença é o factor violência. Se nesses mesmos filmes mais antigos a violência já era alguma, em «Sacanas Sem Lei», como em praticamente toda a obra de Tarantino, a violência é bastante explícita. Mas neste contexto tem toda a lógica, pois a história deste filme conta as aventuras de um grupo de soldados de origem judia, norte-americanos e não só, que se dedicam a coleccionar escalpes de nazis sob as ordens do tenente Aldo Raine, também conhecido como o Apache. Esta personagem é uma das grandes surpresas devido à soberba interpretação de Brad Pitt, actor que tem vindo a melhorar nos últimos anos. A nível de interpretação, destaque ainda para o actor Christoph Waltz, um praticamente desconhecido actor alemão, que consegue com o seu Coronel Hans Landa criar uma figura das mais memoráveis em «Sacanas Sem Lei», sobretudo devido à versatilidade com que muda de língua, com um à vontade impressionante e sem que se note qualquer sotaque. Parece mesmo que o actor nasceu a falar inglês, francês ou italiano, três das línguas que a sua personagem fala no filme.
«Sacanas Sem Lei» é um regresso à boa forma de Quentin Tarantino, com um filme que retrata a II Guerra Mundial de uma forma muito alternativa e como nunca nenhum grande estúdio terá pensado fazer quando fazer filmes de guerra era moda. Mesmo assim não deixa de ser uma grande homenagem ao Cinema.
«Série B», opinião de Pedro Miguel Fernandes

pedrompfernandes@sapo.pt

Está patente ao público no Museu do Sabugal, de 11 de Setembro a 11 de Outubro, uma exposição de pintura da autoria de Zenoviy Klymco, artista plástico ucraniano radicado em Portugal.

pintorA mostra de pintura ocupa a Sala de Exposições temporárias do Museu do Sabugal e pode ser visitada de terça a sexta-feira, das 9h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30. Aos fins-de-semana, o horário é limitado das 14h30 às 18h30. O Museu do Sabugal encerra à segunda-feira e feriados.
Zenoviy Klymco, de 58 anos, nasceu na região de Lvov, na Ucrânia. Desde 2000 que está a residir em Portugal.
Há muito dedicado às artes plásticas, obteve em 2004 uma Menção Honrosa no concurso de pintura e escultura da Academia Europeia das Artes.
A sua pintura percorre temáticas variadas, incluindo paisagem, retrato, nu, natureza morta, predominantemente na técnica de aguarela, apresentando no entanto, trabalhos em grafite, pastel, óleo e acrílico.
Conhecemos a conversámos brevemente com o pintor na Casa do Castelo, onde a Natália Bispo recebe como ninguém aqueles que vêm ao Sabugal e procuram quem lhes dê uma mão amiga. Zenoviy é um homem simples e despretensioso, mas revela ser meticuloso nas minudências da arte. «Não pude estar presente no dia da inauguração da exposição, mas logo que pude vim ver como as coisas estavam», revela-nos. Mostra-se muito satisfeito com o facto do Museu do Sabugal ter acolhido a sua exposição de pintura, porém, deixa uma pequena farpa: «uma exposição tem de ser bem organizada e hoje, quando fui visitara minha exposição, verifiquei que os quadros não estavam colocados da melhor forma, em termos do lugar que ocupavam nas paredes, mas isso é apenas um pormenor, porque não me posso queixar, já que tiveram amabilidade de acolher as minhas pinturas», disse-nos na sua pronuncia característica de homem do Leste da Europa.
Como outros pintores seus amigos Zenoviy Klymco gosta de percorrer o país, participando nas iniciativas de pintura ao vivo, como o «Pintar Sabugal». «Aprendemos muito uns com os outros e também convivemos muito entre nós e com as pessoas que vêm apreciar o nosso trabalho», justifica o pintor, que se afirmou encantado com o Sabugal e as gentes raianas.
plb

Depois do anúncio da apresentação dos candidatos socialistas para o dia 20 de Setembro, o PSD anunciou para o mesmo dia a sua apresentação pública de candidatos. O convite do PSD contém ainda o link para o blogue da candidatura.

robalo1António Robalo anunciará os candidatos que o acompanham nas listas no Auditório Municipal, pelas 18 horas, uma hora antes da mesma apresentação por parte de António Dionísio, que também o fará no Sabugal, mas no salão da Junta de Freguesia.
O convite de António Robalo diz que o acto de apresentação é «de particular importância para os sabugalenses, pelo que será, para nós, um prazer poder contar com a sua presença».
O mesmo convite indica ainda o sítio na Internet da candidatura, que aparece na forma de blogue e que contém já abundância do fotos do candidato, nomeadamente acompanhando o presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, na sua recente visita ao concelho, onde observou os estragos causados pelos incêndios.
O blogue contém também uma nota biográfica do candidato e a composição das listas aos órgãos autárquicos.
Relembramos que a lista à Assembleia Municipal é encabeçada pelo actual presidente da Câmara do Sabugal, Manuel Rito Alves.

Blogue do candidato António Robalo. Aqui.
plb

A Turistrela é uma empresa vocacionada para o ambiente e turismo de natureza que calendarizou para o mês de Setembro actividades de interpretação da Natureza no Parque Natural da Serra da Estrela.

Lagoa Comprida - Serra da EstrelaO calendário de actividades do mês de Setembro da Turistrela-Ambiente e Turismo de Natureza propõe diversas iniciativas de interpretação da Natureza no Parque Natural da Serra da Estrela.
Decorreu no passado dia 5 de Setembro uma saída de campo para «Observação das borboletas no Parque Natural da Serra da Estrela». Em todo o Parque Natural existem cerca de 100 espécies de borboletas diurnas e 700 de borboletas nocturnas. Nesta actividade pretende-se dar a conhecer algumas das espécies que vivem no Parque e como se desenvolve o estudo deste grupo de animais ainda pouco conhecido em Portugal. O encontro foi marcado para o CIT-Centro de Interpretação da Torre e incluiu sessão nocturna.
Para sábado, dia 19, está marcado um workshop sobre «A transumância e a pastorícia na Serra da Estrela», dinamizado por técnicos do Museu dos Lanifícios da Universidade da Beira Interior, na Covilhã. No encontro vão ser abordadas as temáticas do enquadramento geográfico, abordagem histórica, evidências patrimoniais e sobrevivências e reminiscências do pastoreio na actualidade. O encontro terá início às 10 horas no CIT-Centro de Interpretação da Torre.
No domingo, dia 20, será feita uma «Observação de aves no Parque Natural da Serra da Estrela». As aves são o grupo de animais mais fáceis de observar e que, desde sempre, despertaram a nossa curiosidade, sobretudo pela sua peculiaridade na capacidade de voar e pelo canto. Também na Serra da Estrela encontramos algumas espécies de aves que se adaptaram às condições da montanha e aos ecossistemas de altitude e, por isso, muitas delas são raras no nosso país. Das cerca de 100 espécies de aves nidificantes na Estrela a organização do evento destaca as mais emblemáticas: melro-das-rochas (monticola saxatilis), melro-azul (monticola solitarius), sombria (emberiza hortulana), cia (emberiza cia), águia-caçadeira (circus pygargus), falcão-peregrino (falco peregrinus), águia-real (aguila chrysaetos), águia-cobreira (circaetus gallicus), abutre-do-egipto (neophron percnopterus), corvo (corvus corax), gralha-de-bico-vermelho (pyrrhocorax pyrrhocorax), chasco-cinzento (oenanthe hispanica), cegonha-negra (ciconia nigra), petinha-dos-campos (anthus campestris). Os interessados devem comparecer equipados com binóculos (8x a 10x), guia e caderno de campo, às 10 horas, no Hotel Serra da Estrela.
No último sábado, dia 26, a Turistrela organiza um percurso circular em torno da maior lagoa da Serra da Estrela. O percurso é acessível com uma primeira parte em caminho largo de terra batida. A segunda parte do percurso é mais acidentado, embora não muito desnivelado, pois o itinerário é feito na vertente mais rochosa da Lagoa Comprida. A paisagem no local apresenta vestígios do glaciar do Covão Grande. O ponto de encontro é no CIT-Centro de Interpretação da Torre às 10 horas.

Os contactos para marcações ou informações devem ser feitos para a Turistrela-Ambiente e Turismo de Natureza. Aqui.
jcl

A «Imagem do dia» e a «Imagem da Semana» são dois destaques em imagens sobre acontecimentos, momentos ou recordações relevantes. Ficamos à espera que nos envie a sua memória fotográfica para a caixa de correio electrónico: capeiaarraiana@gmail.com

Data: Agosto de 2009.
Local: Casa do Castelo, Largo do Castelo do Sabugal.

Legenda: Encontro blogueiro na Casa do Castelo entre os administradores do «Malcata.net» e «Capeia Arraiana».

Autoria: Natália Bispo.
Clique na imagem para ampliar

JOAQUIM SAPINHO

DESTE LADO DA RESSURREIÇÃO
Em exibição nos cinemas UCI

Deste Lado da Ressurreição - Joaquim Sapinho - 2012 Clique para ampliar

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 836 outros seguidores

PUBLICIDADE

CARACOL REAL
Produtos Alimentares


Caracol Real - Produtos Alimentares - Cerdeira - Sabugal - Portugal Clique para visitar a Caracol Real


PUBLICIDADE

DOISPONTOCINCO
Vinhos de Belmonte


doispontocinco - vinhos de belmonte Clique para visitar Vinhos de Belmonte


CAPEIA ARRAIANA

PRÉMIO LITERÁRIO 2011
Blogue Capeia Arraiana
Agrupamento Escolas Sabugal

Prémio Literário Capeia Arraiana / Agrupamento Escolas Sabugal - 2011 Clique para ampliar

BIG MAT SABUGAL

BigMat - Sabugal

ELECTROCÔA

Electrocôa - Sabugal

TALHO MINIPREÇO

Talho Minipreço - Sabugal



FACEBOOK – CAPEIA ARRAIANA

Blogue Capeia Arraiana no Facebook Clique para ver a página

Já estamos no Facebook


31 Maio 2011: 5000 Amigos.


ASSOCIAÇÃO FUTEBOL GUARDA

ASSOCIAÇÃO FUTEBOL GUARDA

ESCOLHAS CAPEIA ARRAIANA

Livros em Destaque - Escolha Capeia Arraiana
Memórias do Rock Português - 2.º Volume - João Aristides Duarte

Autor: João Aristides Duarte
Edição: Autor
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)
e: akapunkrural@gmail.com
Apoio: Capeia Arraiana



Guia Turístico Aldeias Históricas de Portugal

Autor: Susana Falhas
Edição: Olho de Turista
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)



Música em Destaque - Escolha Capeia Arraiana
Cicatrizando

Autor: Américo Rodrigues
Capa: Cicatrizando
Tema: Acção Poética e Sonora
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)



SABUGAL – BARES

BRAVO'S BAR
Tó de Ruivós

Bravo's Bar - Sabugal - Tó de Ruivós

LA CABAÑA
Bino de Alfaiates

La Cabaña - Alfaiates - Sabugal


AGÊNCIA VIAGENS ON-LINE

CERCAL – MILFONTES



FPCG – ACTIVIDADES

FEDERAÇÃO PORTUGUESA
CONFRARIAS GASTRONÓMICAS


FPCG-Federação Portuguesa Confrarias Gastronómicas - Destaques
FPCG-Federação Portuguesa Confrarias Gastronómicas Clique para visitar

SABUGAL

CONFRARIA DO BUCHO RAIANO
II Capítulo
e Cerimónia de Entronização
5 de Março de 2011


Confraria do Bucho Raiano  Sabugal Clique aqui
para ler os artigos relacionados

Contacto
confrariabuchoraiano@gmail.com


VILA NOVA DE POIARES

CONFRARIA DA CHANFANA

Confraria da Chanfana - Vila Nova de Poiares Clique para visitar



OLIVEIRA DO HOSPITAL

CONFRARIA DO QUEIJO
SERRA DA ESTRELA


Confraria do Queijo Serra da Estrela - Oliveira do Hospital - Coimbra Clique para visitar



CÃO RAÇA SERRA DA ESTRELA

APCSE
Associação Cão Serra da Estrela

Clique para visitar a página oficial


SORTELHA
Confraria Cão Serra da Estrela

Confraria do Cão da Serra da Estrela - Sortelha - Guarda Clique para ampliar



SABUGAL

CASA DO CASTELO
Largo do Castelo do Sabugal


Casa do Castelo


CALENDÁRIO

Setembro 2009
S T Q Q S S D
« Ago   Out »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

Arquivos

CATEGORIAS

VISITANTES ON-LINE

Hits - Estatísticas

  • 3.146.744 páginas lidas

PAGERANK – CAPEIA ARRAIANA

BLOGOSFERA

CALENDÁRIO CAPEIAS 2012

BLOGUES – BANDAS MÚSICA

SOC. FILARM. BENDADENSE
Bendada - Sabugal

BANDA FILARM. CASEGUENSE
Casegas - Covilhã


BLOGUES – DESPORTO

SPORTING CLUBE SABUGAL
Presidente: Carlos Janela

CICLISMO SERRA ESTRELA
Sérgio Gomes

KARATE GUARDA
Rui Jerónimo

BLOGUES RECOMENDADOS

A DONA DE CASA PERFEITA
Mónica Duarte

31 DA ARMADA
Rodrigo Moita de Deus

A PÁGINA DO ZÉ DA GUARDA
Crespo de Carvalho

ALVEITE GRANDE
Luís Ferreira

ARRASTÃO
Daniel Oliveira

CAFÉ PORTUGAL
Rui Dias José

CICLISMO SERRA ESTRELA
Sérgio Paulo Gomes

FANFARRA SACABUXA
Castanheira (Guarda)

GENTES DE BELMONTE
Investigador J.P.

CAFÉ MONDEGO
Américo Rodrigues

CCSR BAIRRO DA LUZ
Alexandre Pires

CORREIO DA GUARDA
Hélder Sequeira

CRÓNICAS DO ROCHEDO
Carlos Barbosa de Oliveira

GUARDA NOCTURNA
António Godinho Gil

JOGO DE SOMBRAS
Rui Isidro

MARMELEIRO
Francisco Barbeira

NA ROTA DAS PEDRAS
Célio Rolinho

O EGITANIENSE
Manuel Ramos (vários)

PADRE CÉSAR CRUZ
Religião Raiana

PEDRO AFONSO
Fotografia

PENAMACOR... SEMPRE!
Júlio Romão Machado

POR TERRAS DE RIBACÔA
Paulo Damasceno

PORTUGAL E OS JUDEUS
Jorge Martins

PORTUGAL NOTÁVEL
Carlos Castela

REGIONALIZAÇÃO
António Felizes/Afonso Miguel

ROCK EM PORTUGAL
Aristides Duarte

SOBRE O RISCO
Manuel Poppe

TMG
Teatro Municipal da Guarda

TUTATUX
Joaquim Tomé (fotografia)

ROTA DO CONTRABANDO
Vale da Mula


ENCONTRO DE BLOGUES NA BEIRA

ALDEIA DA MINHA VIDA
Susana Falhas

ALDEIA DE CABEÇA - SEIA
José Pinto

CARVALHAL DO SAPO
Acácio Moreira

CORTECEGA
Eugénia Santa Cruz

DOUROFOTOS
Fernando Peneiras

O ESPAÇO DO PINHAS
Nuno Pinheiro

OCEANO DE PALAVRAS
Luís Silva

PASSADO DE PEDRA
Graça Ferreira



FACEBOOK – BLOGUES

Anúncios