A foto reproduzida nesta crónica refere-se a um Cortejo de Oferendas, realizado a favor do Hospital do Sabugal, no ano de 1947. Quem está a desfilar é a representação do Soito.

Cortejo de Oferendas - Sabugal - 1947

Joao Aristides DuarteA foto reproduzida nesta crónica refere-se a um Cortejo de Oferendas, realizado a favor do Hospital do Sabugal, no ano de 1947. Quem está a desfilar é a representação do Soito.
Era costume, por esta época e até posteriormente, realizarem-se Cortejos de Oferendas, onde a população do concelho se juntava para angariar fundos para alguma instituição.
O Estado não cumpria, efectivamente, o seu dever e não dotava as instituições (hoje chamadas IPSS) com as verbas necessárias para a realização de obras ou compras de material.
Nesta época o Hospital era propriedade da Misericórdia do Sabugal.
Nas imagens pode ver-se que a representação do Soito, nesse Cortejo de Oferendas, que se apresentou com uma espécie de Banda Filarmónica, só que com instrumentos forjados ou que não eram verdadeiros instrumentos musicais. Por exemplo, pode ver-se uma campânula de uma grafonola a servir de instrumento de sopro.
Claro que esta «Banda» não tocava. Era tudo a fingir.
O Soito teve uma Banda Filarmónica, que terminou em 1918, tendo os seus instrumentos sendo vendidos.
Talvez a vontade dos habitantes do Soito de poderem voltar a ter a Banda Filarmónica, os tivesse levado a desfilarem desta maneira.
O último Cortejo de Oferendas de que eu tenho conhecimento aconteceu aquando da visita do Presidente do Conselho (curioso existir ainda hoje um Ministério da Presidência do Conselho de Ministros, com 2.670 funcionários), Marcello Caetano à vila do Sabugal, no ano de 1969.
«Memória, Memórias…», opinião de João Aristides Duarte

akapunkrural@gmail.com

Anúncios