Estrela da série de televisão «Kung Fu», onde encarnava um monge shaolin no Velho Oeste, David Carradine faleceu na semana passada em circunstâncias ainda por esclarecer. A sua última grande aparição aconteceu em 2004, no filme «Kill Bill», de Quentin Tarantino.

Pedro Miguel Fernandes - Série BO ano de 2009 está a ser negro para a Sétima Arte. Ainda há semanas faleceu João Bénard da Costa (na mesma semana morreu o homem que deu voz ao rato Mickey durante mais de 30 anos, Wayne Allwine) e na semana passada a notícia da morte de David Carradine, actor que ficou conhecido mundialmente através da série «Kung Fu», realizada nos anos 1970, à qual regressaria posteriormente nos anos 90 do século passado.
Apesar de o monge shaolin Kwai Chang Caine, a sua personagem em «Kung Fu», ser a sua encarnação mais conhecida, Carradine chegou a trabalhar com grandes figuras do cinema, entre as quais Martin Scorcese (nos dois primeiros filmes do realizador nova-iorquino: «Boxcar Bertha» e «Cavaleiros do Asfalto») e Ingmar Bergman (em «O Ovo da Serpente»).
Pertencente a uma família de actores, cujo nome mais conhecido será o do seu pai, John Carradine, o lendário monge shaolin participou em mais de duas centenas de filmes e séries de televisão, tendo mesmo realizado alguns episódios de Kung Fu. Já nos anos 80 participou na série de TV «Norte e Sul», desempenhando o papel de Justin LaMotte, pelo qual seria nomeado para um Globo de Ouro.
David CarradineDepois de muitos anos fora das luzes da ribalta, foi recuperado por Quentin Tarantino, que lhe deu a personagem de Bill em «Kill Bill», o terrível líder de um grupo de assassinos profissionais que é alvo de vingança da Noiva Uma Thurman, papel que lhe trouxe mais uma nomeação, a quarta, para um Globo de Ouro.
Apareceu morto na semana passada num quarto de hotel na Tailândia, onde estava a rodar «Stretch». Uma morte envolta em polémica, ao bom estilo de Hollywood, pois ainda não se sabe bem o que aconteceu, mas há quem aponte para suicídio involuntário. Alguns companheiros presentes afirmaram que na véspera de ser encontrado morto, David Carradine estava bastante embriagado e as autoridades revelaram que o encontraram numa pose bastante estranha e com conotações sexuais. Um final bastante triste para uma longa carreira.
«Série B», opinião de Pedro Miguel Fernandes

pedrompfernandes@sapo.pt