A 11.ª edição do «Portugal de Lés-a-Lés», organizado pela Federação de Motociclismo de Portugal, conta com a participação de mais de 900 aventureiros motards e vai ligar, entre os dias 11 e 13 de Junho, Boticas (Alto Douro) a Olhão no Algarve com pernoita em Castelo Branco. A primeira etapa, no dia 12, passa pela Mêda (paragem para almoço) e pelo concelho do Sabugal com o lanche a ser servido no Castelo de Alfaiates.

Castelo de AlfaiatesOrganizado pela Federação de Motociclismo de Portugal, o «11.º Portugal de Lés-a-Lés», tem inserido no seu programa uma paragem em Alfaiates para uma visita e ao mesmo tempo retemperar forças com um lanche tendo como cenário o Castelo local. A paragem, no dia 12 de Junho, tem como patrono a Câmara Municipal do Sabugal, a colaboração da Junta de Freguesia de Alfaiates e do CCRA (Centro Cultural e Recreativo de Alfaiates).
O Prólogo, a 11 de Junho, levará os participantes a conhecer a ruralidade do concelho transmontano por 92 quilómetros numa passeata muito diversificada, passando por muitos dos 52 lugares e 16 freguesias do concelho fundado no século XIX, no contexto da reforma administrativa de 1836. Traçado por montanhas e aldeias, através de bosques e carvalhais, passando por aldeias típicas como Torneiros, Curros Antigo, Fiães do Tâmega, Veral, Covas do Barroso, Vilarinho Seco, Alturas do Barroso, Atilhó, Carvalhelhos, Vilar e Codessoso, revelando a sua arquitectura tradicional, com casas graníticas e telhados de colmo, relógios de sol, pontões, cruzeiros e bebedouros. Num concelho com 256 moinhos accionados pela água serão visitados alguns que foram restaurados, bem como as termas e o Castro de Carvalhelhos, piscinas naturais ou a ponte românica sobre o rio Beça. Tudo servido por caminhos e estradas que, em vários locais, será necessário partilhar com o gado barrosão.
Boticas será o ponto de partida, às 7 horas do dia 12, para os 421 quilómetros da primeira etapa, até Castelo Branco onde as primeiras equipas deverão chegar por volta das 19 horas, ou seja, sobram 9 horas e 20 minutos, a uma média prevista de 45 km/h, tempo que inclui reabastecimentos e paragens para fotos.
À hora do almoço os pneus começarão a pisar docemente as calçadas das ruas de Mêda, sede de concelho da antiga província da Beira Alta, hoje denominada su-região Beira Interior Norte… O pelourinho de Mêda e a igreja de S. Bento serão sentinelas de tantas motos a descer a rua direita e a apertada travessa do Cautela. Passando pela frente da fachada trabalhada dos Paços do Concelho, os motociclistas cruzarão então toda a avenida principal de Mêda para se deterem no Parque de Campismo, novo, a estrear. Aí será servida uma refeição fresca e agradável.
A visita à aldeia histórica de Marialva será um dos ex-líbris da etapa seguindo depois a caravana para Coriscada, Ervedosa, Pinhel, Castelo Bom, Freineda e Malhada Sorda.
Chega então a hora de nova ronda histórica com a visita ao concelho de Sabugal. Vilar Maior, Alfaiates – com lanche no terreiro do castelo – Fóios, Quadrazais, Sabugal e Aldeia Histórica de Sortelha.
O percurso segue em direcção ao Fundão, Alpedrinha e Castelo Branco.
A segunda etapa, no sábado, atravessa o Alentejo interminável até à meta na cidade algarvia de Olhão.
jcl

Anúncios